sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Pedaço de mim


"Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu"

Só um pedaço. Um pedacinho de um poema-canção belo, triste, que fala de uma coisa que não gosto muito, que é a saudade, mas que sei existe e marca como um ferro quente.
Chico expôs magistralmente nessa música que só passo para vocês um tiquinho, a dor de uma saudade, não importando de quem seja, é sempre forte, muito forte.
Nos versos desta canção, considerados por muitos os mais belos de nosso cancioneiro, a saudade parece estar na nossa frente, como na cena de um filme, ou de uma peça de teatro. São frases-fatos quase reais.
Não gosto da palavra -repito. Talvez porque um ser com saudade é terrivelmente triste.
Mas gosto dessa canção. Mesmo que me entristeça. Em plena sexta-feira! 

Independente vence Paysandu "à prestação"

No encontro dos dois mais fracos técnicos do Parazão 2014, Lecheva pelo Independente, e Mazola pelo Paysandu, ganhou o menor pior, Ricardo Lecheva, por um escore de 2 a 1.
Os gols saíram ainda no primeiro tempo do jogo, ontem, no Navegantão em Tucuruí e a vitória aconteceu "à prestação", já que a partida começou ontem, foi interrompida aos 6 minutos do segundo tempo, e continuou hoje pela manhã sem chuva e sem mais gols..
O Paysandu foi surpreendido por um Independente agressivo já nos minutos iniciais da partida. O ataque do Galo Elétrico formado por Daniel, Kariri, Wegno e Joãozinho partia com rapidez do meio para a frente surpreendendo a fraca zaga bicolor, que tentava segurar de qualquer maneira os velozes Joãozinho e Kariri.
Sem esquema tático definido, com um forte temporal caindo no estádio e tendo que substituir por contusão antes dos 20 minutos do primeiro tempo o valente Ricardo Capanema por Yago Picachu, Mazola viu seu time enfraquecer ainda mais, tomando rapidamente dois gols: o primeiro de Daniel, aos 20 e o segundo aos 26, por intermédio de Wegno, ambos no primeiro tempo.
Como havia colocado Picachu no meio, querendo explorar a velocidade e o chute forte do lateral, Mazola após os gols inverteu a posição de Yago, jogando-o para a lateral e passando Djalma para o meio.
O time melhorou e conseguiu crescer. Aos 36 minutos depois de uma pressão, fe\ o gol que seria o único da partida, através do meia Airton. O jogo prosseguiu até a finalização do primeiro tempo debaixo de um temporal que só aumentava.
A segunda etapa começou mas logo parou. A chuva alagou o campo e não permitia a visibilidade da bola, tampouco um trabalho mais equilibrado da arbitragem, que preferiu dar um tempo, que extrapolou o limite, ficando a segunda etapa para a manhã de hoje..
Hoje, com quase todo o segundo tempo jogado, o jogo foi mais equilibrado, o Paysandu foi até superior, não conseguiu nem mesmo o empate.
Mazola ainda colocou outro atacante em campo, o fraquíssimo Denis, mas mesmo assim não deu.
Mesmo com a derrota o Paysandu permanece em segundo lugar com 10 pontos e já classificado, enquanto o Independente, Paragominas e São Francisco, os dois primeiros com 7 e o terceiro com 8 pontos, disputam a última vaga da semifinal.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Corínthians é goleado. Mano pode cair

Mano Menezes, ao que parece, não tem jeito mesmo para acertar sua vida novamente como técnico de futebol. Depois da "pisa" que o Corinthians levou ontem do Santos, o técnico, que outrora fez uma boa campanha pelo Timão, já começa a balançar, receber críticas de torcedores, dirigentes e das "organizadas". Afinal uma goleada de 5 a 1 de uma equipe que está em formação é muito complicado para digerir.
O técnico ganhou reconhecimento profissional depois da boa campanha que fez no Grêmio, elevando a equipe gaúcha à Série B e ganhando o título estadual.
Contratado pelo Corinthians em 2007, Mano começou titubeando, mas quando acertou o time foi bem. Foi rebaixado, mas com moral, ficou no time, embora com alguns protestos de torcedores. Mas deu a volta por cima.
Ganhou pelo Timão o título de Campeão Paulista de 2008 e emendou o saldo vitorioso levando o Timão ao título de Campeão da Série B de 2009.
A "sorte" parece abandonou Mano Menezes
Tido e havido na época como o Melhor técnico do país,  Mano Menezes foi guinado à técnico da Seleção Brasileira. Passou um período dos mais tensos, com vitórias e derrotas. Deposto, passou um período desempregado e assumiu o Flamengo. Fez uma campanha desastrosa no Mais Querido, sendo demitido.
No ostracismo mas ainda com moral pelo sucesso em passado recente, Mano foi contratado pelo Corinthians, na esperança de reeditar o sucesso de 2008 e 2009.
Com a derrota humilhante de ontem para o Santos no primeiro clássico de 2014 o tempo começa a fechar para Mano Menezes. É a segunda partida de quatro que disputou que o técnico perde. Se perder mais duas com certeza vão certo querer sua cabeça.
Gosto de Mano pela sua educação, pelo seu caráter. Mas não tem o conhecimento suficiente para ser técnico de uma equipe massa como Flamengo e Corinthians. Todo torcedor é exigente. O termômetro de qualquer técnico é a vitória. Mas as torcidas  de equipes menores não são tão exigentes ao ponto de "derrubar" torcedores.
Corinthians, como o Flamengo, é uma dessas equipes. Rivelino que o diga. Teve, quando jogador, seu carro todo destruído pelos torcedores corintianos. 
Te cuida, Mano. Bota teu time pra jogar. Ou então pede pra sair. 
Ontem, os Meninos da Vila Belmiro foram muito cruéis com os corintianos. Mas principalmente contigo!

Remo faz "carnaval antecipado" com Gavião

Com a vitória de goleada  -4 a 0- do Remo, ontem, sobre o Gavião Kyikatejê, a equipe azulina selou sua participação na semifinal que definirá o campeão do Primeiro Turno.
Uma vitória que poderá fazer a torcida remista esquecer, pelo menos por um período, da possível queda de Charles Guerreiro, o que não é perfeitamente entendível: em seis partidas, venceu quatro, empatou uma e perdeu somente uma. 
Com 13 pontos, quatro vitórias, um empate e uma derrota, o time de Charles Guerreiro passeou ontem sobre o time dos índios. Até o centro avante Val Barreto, um dos piores deste campeonato., consegui fazer dois gols.
Calma. Não tenho nada contra -tampouco a favor!- Val Barreto. É que o time do Remo está realmente muito mal servido de centro avantes e, pela minha ordem, ele é o primeiro reserva do também regular Leandro Cearense.
Leandrão a meu ver seria descartado. Não tem bola para jogar nem em Remo nem em Pauýsandu.
Mas isso é como eu penso. O que vale é o que está acontecendo. O Val Barreto fez dois gols e está de bem com a torcida.
Na fácil partida para a equipe remista de ontem, não entendi o péssimo futebol mostrado ontem pelo Gavião, principalmente na segunda etapa. Uma defesa que deixou muito a desejar, não marcando os meias e atacantes remistas, permitindo que um verdadeiro "carnaval antecipado" fosse feito pelos comandados de Charles Guerreiro.
O sonho do Gavião de chegar à semifinal acabou. Valeu a participção.
Mas a luta para quem quer ficar entre os quatro finalistas ainda não acabou.  Mesmo com a certeza de Remo, Paysandu e Cametá, a última vaga ainda está para ser decidida entre São Francisco e Paragominas. As duas equipes, São Francisco com 8 pontos e Paragominas com 7, brigam acirradamente e só nas duas últimas rodadas, se saberá quem será o quarto participante da semifinal.
Pior que a rodada do próximo final de semana será a mais indigesta para os dois. Paragominas enfrentará o Remo e São Francisco o Paysandu. 
Tudo indica que as duas últimas psrtidas poderão ser as melhores destes Primeiro Turno.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Time campeão feminino da Tuna nos orgulha e merece todo nosso respeito e apoio

Em cada jogo a alegria e descontração de uma equipe vencedora
A vitória sensacional do time feminino da Tuna Luso Brasileira no domingo por 3 a 1 frente ao seu maior adversário, a Esmac, o que além do título do ano garantiu a participação na  Copa do Brasil de 2014, mostra o quanto a equipe cruzmaltina é bem comandada, sendo,  em nosso estado,um time quase imbatível.
É importante que seja reconhecido por todo torcedor e simpatizante da nossa Águia, que a equipe da Tuna Luso Feminina é um patrimônio de nosso clube, pois as atletas atuam no time simplesmente por
comprometimento, pois passam por situações de necessidade de vários materiais, tipo chuteiras, meiões, energéticos, remédios, vitaminas, que na maioria das vezes são subsidiados por modestos colaboradores que além de amarem o clube, gostam também do futebol feminino.
A equipe foi formada quando este escriba foi presidente, em 2007, num trabalho do diretor da época Ismar Araújo, que levou a técnica Aline Costa e articulou a formação de um time competitivo, primeiro para o Futsal, depois para o futebol de campo.  
A maioria das atletas são estudantes, umas já são  formadas, e já algumas já estão no clube há pelo menos cinco anos, sempre jogando juntas, sendo amigas em campo e fora, e conhecendo com maestria as posições em que têm que desenvolver suas funções dentro de campo.
O título ganho com talento, raça e muita vibração na manhã o último domingo no Souza, além de ter dado muita alegria e prazer às atletas cruzmaltinas, trouxe também a todas elas a realização pessoal e profissional, pois todas delas, muito jovens, sonham com um bom patrocínio e com a Seleção Brasileira, como a atacante Cássia, que é jogadora da Tuna e hoje rilha na Seleção Brasileira. 
Nesse momento em que estamos fora de qualquer competição na equipe masculina, vamos apoiar, torcer e se possível colaborar comas meninas do futebol feminino. Com a técnica Aline Costa e suas comandadas.
Elas são motivo de nossa alegria, de nosso orgulho cruzmaltino. Merecem nosso respeito total e todo o nosso apoio. 

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Paysandu desbanca Remo e lidera o Parazão

Uma partida de duas etapas literalmente, onde o Paysandu dominou o primeiro tempo, aproveitando vacilos da defesa remista e fazendo dois gols e na segunda etapa sofrendo um grande sufoco, porque recuou e com as modificações feitas por Charles Guerreiro, o Remo cresceu, fez o primeiro gol e por pouco não chegou ao empate. Com a vitória, o Paysandu quebrou a invencibilidade do Remo, que já durava três partidas. 
O Paysandu começou bem a partida. O lateral Pikachu, que desfalcou a equipe, não verdade não fez falta, O volante Djalma, substituto do craque bicolor, foi o grande artificie do primeiro gol da equipe e fez o seu papel de um lateral avançado, conquistando a confiança do técnico Mazola e da torcida, que agora respra aliviada em primeiro lugar e com um possível substituo de Pikachu.
O Remo não foi a mesma equipe de outras partidas, onde embora não fizesse muitos gols, seu meio de campo sempre se destacava. Ontem, Eduardo Ramos, o famoso 33, pouco mostrou de seu futebol, bem marcado pelo "carrapato" Ricardo Capanema.
As duas equipes mostraram que têm problemas na defesa. Mas a situação do Clube do Remo é mais preocupante, principalmente no miolo de zaga, que não se entendeu e pecou feio  nos dois gols tomados: no primeiro Everson atrapalhou Rogélio, que no desespero colocou contra suas próprias redes, e no segundo gol, o mesmo Rogélio não acompanhou o centro avante Lima, que se antecipou, matou no peito e escolheu o canto para marcar o segundo gol de sua equipe. 
A estréia de Everson pelo Paysandu foi das melhores. Jogou sem timidez e foi uma das melhores peças em campo. Já no Remo, o meia Athos ainda não mostrou seu futebol, tendo sido substituído e até vaiado pela torcida que já não tem paciência com as más atuações do jogador. 
No ataque, embora tenha perdido o gol que "fecharia" o caixão remista e poderia até abrir para uma goleada, Lima a cada dia mostra que é um "matador": quatro jogos, quatro gols, uma média excelente.
No Remo, o time parece que vai ter que contratar um atacante, pois Leandrão ainda não mostrou nada (aliás, mostrou que não joga nada!), e Val Barreto é uma tristeza.
O Paysandu é o primeiro colocado do Parazão, embora com os mesmos 10 pontos do Remo, segundo colocado. Cametá, São Francisco e Paragominas disputam as duas últimas vagas; os dois primeiros com sete pontos e o terceiro com seis pontos.
As outras três equipes até o presente não venceram, Gavião e Independente com cinco partidas, uma derrota e quatro empates, enquanto o Santa Cruz é o lanterna com três derrotas e dois empates.
Na partida de ontem, a decepção foi a renda, pois, como postei quinta-feira, a "gulodice" do ingresso a 40 reais a arquiancada e 80 a cadeira, sobraram quase a metade dos 35 mil ingressos. Quem manda?

Tuna vence Esmac de 3 a 1 e é campeã

A Emac não foi adversário para a Tuna na manhã de ontem, no Estádio do Souza. As menins cruzmaltinas, comandadas pela técnica Aline Costa venceram o time adversário por 3 a 1 e conquistaram o título de campeãs de 2013 de Futebol Feminino.  Os gols da Tuna foram assinalados Pri  (2) e Irlei, na segunda etapa. Letícia descontou para a Esmac nos descontos finais.
A equipe da Tuna Luso Feminina campeã de 2013 (Foto: Blog Cruzmaltino)
A campanha da Tuna foi uma das mais bonitas de todos os tempos, foi campeã invicta, tendo disputado sete partidas, vencido seis e empatado uma. A Águia teve um saldo de gols espetacular: fez 40 g9ols e sofreu apenas dois, com um saldo de 38 tentos positivos.
A Tuna ontem  foi superior durante toda a partida e mostrou na prática porque é hoje considerada uma das melhores equipes do Brasil. O coronel Antonio Carlos Nunes, presidente da FPF e um dos incentivadores do Campeonato de Futebol Feminino no Pará entregou o troféu de campeão de 2014 à capitã da Tuna Luso Brasileira, a zagueira Talita, que emocionada quase foi ás ç´[agrimas. 
A técnica Aline e o presidente da Tuna, Charles Tuma, também um dos incentivadores do futebol feminino, eram só alegria, como tamem os torcedores cru\maltinos que se fizeram presentes no duelo entre Tuna e Esmac, um clássico do futebol feminino pela qualidade e tradição das duas equipes.
Com a vitória a Tuna e  a Esmac estão classificadas pela a Copa do Brasil de 2014. A estréia da Lusa será no próximo dia 1º de Fevereiro, contra a equipe do Santana-AP, no Estádio Augusto Nunes, em Macapá, às 16 horas.
Ao final da partida torcedoras e jogadoras da Esmac tentaram agredir a equipe da Tuna, insatisfeitas com a derrota. A polícia interviu e evitou que as perdeodras tirassem o brilho da vitória cruzmaltina. É sempre assim quando a Tuna joga contra a Esmac e vence. O time da Escla Madre Celeste não aceita perder. principalmente para a Tuna, equipe bi campeã paraense.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Quero quero de Cláudio Nucci


Às vezes me pergunto: por que um cara com tanto talento como Cláudio Nucci não vingou na MPB? Nucci gravou seu primeiro disco em 1980, um compacto, onde a grande música foi "Quero quero", que não é uma homenagem ao pássaro, mas uma declaração romântica de amor despretensiosa, juvenil, mas muito inteligente e cheia de graça, principalmente o lirismo da melodia.
Hoje, um dia chuvoso como estão sendo todos deste Janeiro, me peguei cantando Cláudio Nucci e justamente "Quero quero".
Quero nem sabe se gostam ou não de "Sapato velho" ou mesmo de "Quero quero". Eu gosto, tenho gravada e ouço sempre. Talvez por isso sempre ataque de cantar.
Aos seguidores e navegantes do Blog, um pouco da obra deste paulista que foi cedo para o Rio de Janeiro, onde a princípio deu certo -até casou com a na época jovem senhora Nana Caymmi. romance que não durou muito mas pelo menos deve ter servido de experiência-, mas que com certeza a MPB e os amantes da boa música  perdem por ele não ser um de seus nomes maiores.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Como será o Re-Pa de domingo?

Com os resultados de ontem de Paysandu e Remo -o do bicolor péssimo e o do Remo também nada interessante- tudo leva a crer que o bicho vai pegar mesmo é no domingo, quando os dois se enfrentarão no Mangueirão.
Aquela história de "tudo ou nada" com certeza vai acontecer no Mangueirão, que a meu ver tem tudo para não encher, principalmente pela gulodice dos dirigentes, que parece não entendem que uma arquibancada por 40 reais e uma cadeira por 80 é alto demais  para o pobre torcedor.
Certamente algum "expert" vai dizer que o Mangueirão é caro, a despesa geral da partida é alta. Mas rebato o palavreado com o argumento que neste Parazão estão acontecendo jogos de três em três dias, o que dá uma média de 10 jogos num mês. Isso é muito para qualquer torcedor!
Mas voltando aos dois, Remo e Paysandu, penso que domingo será um jogo de vida ou morte, principalmente para o técnico Mazola. 
Clássico não tem favorito, tanto um como o outro pode estar na pior fase, mas quando se encontram parece que crescem e a briga sempre é um "duelo de titãs".
Mas domingo a coisa será um pouco diferente. 
Vou explicar, sem stress: nas quatro partidas que disputaram, o Remo tem 10 pontos e o Paysandu tem apenas sete. Os três pontos de diferença é o resultado positivo de uma partida, que poderá aumentar a tensão dependendo do resultado.
Se o Paysandu vencer, tudo bem, porque Mazola permanece, a equipe se iguala em pontos e a única ameaça aos dois será o o Cametá, que jogará com o "Rei do Empate" São Francisco e se vencer ficará muito bem.
Mas se o Remo for o vencedor a coisa piora em muito para o lado dos bicolores. Dificilmente Mazola continuará como técnico da equipe e a partir daí muitos problemas poderão vir à tona na equipe, com um principio de crise, com a possível contratação de um novo técnico e também de algum outro atacante para fazer dupla com Lima.
Como já postei acima, não tem time bom para clássico. Ambos nessa parte se respeitam. Parece até que os jogadores novatos já conhecem a velha rivalidade e crescem na partida.
Um resultado meio morno seria um empate -o que não é difícil de acontecer- e poderia "segurar" tanto Mazola como Charles Guerreiro em seus postos de trabalho.
Aliás, será que um empate dará segurança aos dois? Sei não. Prefiro esperar para ver.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Cametá pode surpreender Paysandu

Paysandu volta a campo hoje contra um adversário que vem mostrando que tem sonhos altos neste Parazão, o Cametá de Adonaldo Viana, que até o presente tem quatro pontos e quer continuar entre os primeiros.
O jogo é dentro de sua casa, a Curuzu, e o Paysandu espera não se engasgar com o Mapará, que até o momento vem sendo o mais competente dos times interioranos.
Vejo o jogo um pouco complicado porque pelo que acompanhei até o presente,  o Cametá tem uma equipe acertada, com tudo no lugar certo. Embora  o técnico cametaense Adonaldo Viana não tenha muita história em nosso futebol, tem mostrado que conhece, principalmente nas substituições, que é onde o conhecimento do estrategista é mostrado.
O time cametaense não joga completo, mas tem uma defesa que considero uma das melhores do campeonato, onde se destacam Preto Barcarena e Gil Cametá. Um meio de campo de qualidade, com destaque para Romeu e Robinho e no ataque Leandrinho, o veterano Jailson e Júnior Frutuoso. É um time de pegada, que mesmo desfalcado de Soares, de repente pode surpreender o Paysandu.
Já o time bicolor conta com a volta do atacante Lima, um excelente homem de área que fez falta em Paragominas, e de Zé Antonio, que entra no time titular com a saída de Lineker, a meu ver um erro de Mazola. Perde também o Paysandu com a titularidade do atacante Dennis, fraco e sem mobilidade. Muito melhor seria Héliton, mais jovem, raçudo e que merece ser testado mais vezes.
Um jogo que para o Paysandu só interessa a vitória, pois quer encostar no seu maior adversário, o Remo, à frente com dois pontos. Tem o Paysandu inclusive, que vencer e torcer por um tropeço remista em Santarém contra o São Francisco.

Trapalhadas do Marin, da CBF e da FPF

A CBF está perdida! Desmoralizada com tudo que vem acontecendo, como a briga das equipes que foram rebaixadas por irregularidades de seus departamentos jurídicos e pelos próprios erros da "madrasta", que virou uma casa de "mãe joana", um cabide de emprego para as famílias havellanges, desde o velho raposão João Havelange, que dirigiu a extinta CBD e FIFA, até seu ex-genro Ricardo Teixeira, espécie de mafioso, que mesmo morando nos EUA e desligado da entidade máxima de nosso futebol, continua recebendo salários como executivo "globe trotter"cebeefeano.
A CBF saiu das mãos de Teixeira e entrou para as de José Maria Marin, velha raposa dos áureos tempos da ditadura, de vereador a governador de São Paulo pela extinta Arena, partido que deu sustentáculo ao governo militar.
Aliás, é bom sempre lembrar, que José Maria Marin foi criado , filiado e eleito vereador pelo partido Integralista do nazi-fascista Plínio salgado, nos anos 60, depois vice de Maluf e posteriormente, com a saída de Maluf para disputar a Câmara Federal, assumiu o governo de São Paulo.
Na CBF, Marin entrou na saída de Ricardo Teixeira.  Já veterano, com quase 82 anos, faz uma das piores gestões de todos os tempos. Os imbróglios envolvendo equipes que entraram na Justiça Comum podem fazer com que novamente a "mesa seja virada" e tenhamos até um aumento no número de clubes.
 "Vaga na Sul-Americana? Não ouvi direito"
Marin deu um bote de enganação nos dirigentes e nas equipes, quando o assunto ontem foi Seleção Brasileira e Copa Verde. O que estava prometido verbalmente e ao que parece inserido até no documento da competição, segundo qual fosse o vencedor teria uma vaga na Copa Sul-Americana de 2015, foi desconversado. 
Em plena recepção com loas do presidente da FPF e do dirigente tolinho do Remo, que lhe ofertou até uma camisa amarela com o escudo da equipe paraense, ele "desdisse" o que havia prometido e o que estava no papel, não garantindo mais ao vencedor uma vaga na Sul-Americana. Que papelão!
O coronel presidente da FPF, como "fiel escudeiro" de José Maria Marin, calado ouviu, calado ficou.
Tudo balela, conversa fiada, papo furando, enganação!
Da mesma maneira que a Copa não veio para o Pará e alguns tolinhos ou desavisados insistiram em culpar a terceiros, a Seleção não vai jogar aqui antes da Copa e a equipe vencedora da Copa Verde não estará com a vaga na Sul-Americana garantida.
Agora por favor, não me venham procurar  (ou encontrar) culpados por mais essa trapalhada da CBF e da FPF.
Me poupem!!!

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Ronaldo Fenômeno quer presidir a CBF

Em longa entrevista que deu à Revista IstoÉ desta semana, em Londres, onde mora com sua futura esposa (a quarta), Ronaldo Fenômeno falou de sua carreira, de seus negócios, de Copa do Mundo, mas precisamente de um assunto que pode dar pano para as mangas brevemente: a sucessão da CBF.
O Fenômeno, que é Conselheiro do Comitê Organizador Local da Copa, diz que não tem nenhuma ligação com a CBF, embora esteja como Conselheiro do COL a convite de Joana Havelange Teixeira, filha de Ricardo Teixeira e que é a diretora-executiva do Comitê.
Ronaldo cogita presidir a CBF
"O Marin é presidente da CBF e do COL,. Mas eu não tenho nenhuma ligação com a CBF. O que me propus como conselheiro é fazer uma Copa inesquecível, tão organizada, ou melhor, do que as que eu joguei", diz Ronaldo deixando claro que não é amigo do presidente da CBF José Maria Marin.
Instado sobre se aceitaria presidir a CBF o Fenômeno foi taxativo: "O futebol brasileiro necessita urgente de mudanças. E eu não tenho nenhum medo de assumir a CBF se um dia fizer disso meu objetivo. A CBF é a entidade de organiza o futebol e o futebol é a maior paixão do brasileiro. Eu só teria a acrescentar. Minha história de vida é muito bonita, sem deslizes, desvios de dinheiro ou corrupção. Meu dinheiro é declarado, paguei todos meus impostos. Fazer um trabalho transparente ajudaria a mudar a imagem  do futebol brasileiro. Seria até um desafio muito bom para mim", disse Ronaldo.
Em Londres, Ronaldo Fenômeno, 36 anos, que está partindo para o quarto casamento, e tem quatro filhos de três relações anteriores, estuda inglês e faz estágio na WPP, uma das maiores agências de Comunicação do mundo, e por ter amizade com o presidente da empresa, Martin Sorrel, o acompanha em congressos, Encontros e Fóruns por todo o mundo, onde garante estar ganhando experiência e maturidade para sua vida e para melhor tocar suas empresas. E, quem sabe, a CBF, tão carente de pessoas competentes e sérias em seu comando.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Tuna goleia de 8 e já está na Copa do Brasil

A vitória de 8 (e não 7, como os jornais mostraram) a 0 da Tuna em cima do Time Negra, ontem pela manhã no Souza, mostrou que o time dirigido pela técnica Aline Costa é competente e vencedor pela grande capacidade capacidade das atletas e de todo o comando técnico.
Invicto e já classificado para a Copa do Brasil que se inicia no próximo dia 29, a Tuna Luso Brasileira Futebol Feminino este ano poderá dar a alegria aos cruzmaltinos que o time masculino não dará, pelo menos por ora.
Mesmo desfalcada de uma de suas melhores jogadoras, a atacante Cássia, que serve à Seleção Brasileira de futebol feminino, a Tuna vai firme para a disputa da grande final do Paraense no próximo domingo, dia 26, contra a Esmac, no Souza. É vencer e ganhar o "caneco" de 2014.
A partida entre as duas equipes, eternas rivais do futebol feminino paraense, é esperada pelos amantes deste esporte e a técnica Aline Costa e suas atletas esperam que, ao contrário do que aconteceu ontem, quando o estádio estava quase vazio, a torcida cruzmaltina se faça presente e prestigie a equipe Lusa, incentivando o time que sem dúvida é uma das melhores equipes do Brasil atualmente.  

Pequenos mostram suas garras afiadas

Como bem previ antes do início do Campeonato, os times interioranos estão mesmo "com a macaca" mais uma vez, não dando moleza aos dois da capital, Remo e Paysandu.
Em que pese a superioridade -principalmente em termos de folha de pagamento- Remo e Paysandu na rodada do final de semana  não conseguiram se impor contra Santa Cruz de Cuiarana e Paragominas, apesar do sucesso da equipe azulina.
O Remo conseguiu passar pelo adversário salinense embora com dificuldades, mas claramente fez ontem a pior das três partidas do Campeonato 2014, e com isso causou uma impressão das mais negativas ao torcedor, que não gostou dos erros do time. O técnico Charles Guerreiro, pressionado por uma claque chegou a se irritar com os gritos de "burro" da exigente torcida.
Ora dirão, mas o time é líder absoluto, com nove pontos. Pois é, mas ontem , frente ao Santa Cruz mostrou que não está tão bem assim, porque venceu mas não convenceu, sendo bastante exigido pelo time de Sinomar Naves, ao ponto do goleiro Fabiano ter sido o melhor em campo.
Vencer é a ordem, mas para torcedores mais exigentes vale também o desempenho da equipe. Ontem o Remo não foi tão bem como nos jogos anteriores, o que é perfeitamente natural. Pode ser coincidência porque o craque da equipe, Eduardo Ramos, não estava num de seu melhores dias e, como é natural, quando o craque não atua bem, todo o time joga mal.
Já o Paysandu, que empatou com o Paragominas depois de estar vencendo por 2 a 0, tem que comemorar mas ao mesmo tempo se lamentar a chance desperdiçada. Aliás, Mazola Júnior -que mais uma vez eu confesso que nunca havia falar- chegou com um cartaz maior do que filme candidato ao Oscar, e até agora o time não conseguiu mostrar um padrão de jogo. Com isso o técnico já começa a ter sua competência duvidada pela torcida bicolor, que não aceita esse tipo de resultado quando a vitória estava nas mãos e tudo já era festa..
O técnico inventou de poupar o centro avante Lima e quase que a vaca vai pro brejo, pois com o empate em Paragominas o time ficou somente com sete pontos na tabela, caindo para a segunda posição, atrás de seu principal adversário, o Remo, que tem nove.
Não adianta muito querer justificar o injustificável. "A defesa falhou, a bola não entrou", isso são falácias.
Como dizem os jogadores quando não conseguem vencer os times considerados pequenos, "não tem mais time besta" em campeonato, não. Todos jogam direitinho e lutam para tirar sempre pontos dos maiores.
Um fato que se nota neste Parazão é que apesar dos investimentos bem menores das equipes interioranas, notadamente os times progridem a cada jogo que passa, mostrando um entrosamento que os dois, Remo e Paysandu sentem enorme dificuldade em conseguir.
Ainda faltam muitos jogos, mas já se começa a imaginar que equipes como o Cametá, Paragominas, São Francisco, Independente e até mesmo o Santa Cruz, que não conseguiu vencer ainda, mas que joga bonito e tem chances de avançar na competição, podem causar surpresas neste Primeiro Turno do Parazão.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Alfredo Garcia e seu último "conto" *

O amigo e confrade Alfredo Garcia Bragança, ontem, via face, ameaçou abandonar a vida de contista, dedicando-se doravante somente à ate de escrever romances, também uma de sua especialidades.
Garcia, que conheço desde o início dos anos 90, além de escritor premiado, é professor, poeta, jornalista e como escritor um exímio contista e cronista, gêneros importantes de quem se dedica à difícil, mas bela arte de escrever.
No conto em que "se despede" da difícil especialidade escrever contos, Garcia fala das nuances de um contista; dos sonhos, da inspiração que pode chegar até a partir de uma discussão em que se era mero expectador; do olhar, do dia a dia, de uma viagem, na verdade de tudo que pode provocar um conto.
E pior, que tudo pode provocar um belo e bom conto. Até se despedir de escrever contos.
Bragança diz que a partir de agora vai até "bater ponto", mas pelo visto vai ser difícil seus amigos e leitores
aceitarem calminhos. Alguns já começaram a "bater o pé" para evitar que possa "bater ponto contra o conto"
Como amigo de Alfredo Garcia penso que essa sua história não passa mais de um "Conto do Vigário".
Despedir que nada, rapaz. Conta outra em outro conto, porque esse "último" conto está tão interessante, que nem parece conto, parece algo assim inusitado que aconteceu, tu sonhou e te inspirou a escrever, saindo assim este tão belo conto.
Não vou ser aqui mais um a ficar suplicando ao amigo Garcia, que mais abandone o gênero "conto", principalmente depois de tantas súplicas postadas, que certamente darão muitos contos.
Tenho certeza, quase absoluta, que nessa história de abandonar o conto, brevemente um novo livro de contos estará saindo. Como diriam os antigos escritores, "já deve estar no prelo", e com tão belos contos, que fará o Garcia ganhar, inclusive, muitos "contos de reais", para aumentar a "conta", que não é a mulher do conto, mas que é muito bom ter uma. E, se possível, bem gorda.
Bem, depois que o Alfredo Garcia declarar que desistiu de sua idéia de deixar o "conto", eu poderei "contar" o resto.

*Uma brincadeira com meu amigo Alfredo Garcia.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Lecheva tem que fazer Independente jogar

Hoje será o grande teste para o novo técnico Lecheva. Com uma passagem das mais negativas na Tuna, Lecheva tem tudo para se recuperar no Independente, adversário do Clube do Remo, hoje, 20,30h no Mangueirão.
É bem verdade que Lecheva na Tuna trabalhou com um dos piores elencos da história da equipe cruzmaltina. Errou, a meu ver, em aceitar trabalhar com uma equipe fraca, que não fez as contratações que ele pediu -pelo menos é o que ele falou.
Mas na situação em que trabalhou na Tuna, técnico nenhum trabalharia. Mesmo porque, qualquer profissional tem que zelar pelo seu nome. E Lecheva principalmente, porque mesmo que tenha vindo de uma boa performance na direção técnica do Paysandu, inclusive conseguindo a classificação da equipe para a Série B, além do título regional do ano, ele não poderia jamais colocar sua competência à prova, como colocou, disputando um campeonato que é na verdade um tornei, à frente de uma equipe sem qualidades.
No Independente, o ex-técnico do Paysandu e da Tuna agora tem que "jogar a sua bola". O "Galo Elétrico" conseguiu a classificação com o técnico Samuel Cândido, que na última partida, com o time já classificado, deixou a equipe.
O time do Independete é mais ou menos o mesmo que jogou a Primeira Fase do Parazão. Tem jogadores experientes e pode dar muito trabalho ao Remo, embora Charles Guerreiro tenha dito que "conhece bem a equipe". Tomara que ele não tenha falado demais.
Vejo o jogo bastante equilibrado, apesar do Remo ser bem superior em elenco. Mas o Independente está jogando junto já há algum tempo, está motivado e Lecheva -como já postei acima- tem por obrigação fazer sua equipe jogar.

Reunião na Náutica define planos para 2014

Ontem, pela manhã, numa reunião acontecida na Garagem Náutica da Tuna Luso Brasileira, em comum acordo com os companheiros da Confraria, este escriba aceitou a Diretoria Náutica da Tuna.
Na reunião, com a presença do presidente Charles Tuma, o vice João Rodrigues, os diretores Landri (Natação) e Augusto Monteiro (Patrimônio), além do cruzmaltino Mário Mangas, um dos abnegados da Náutica da Águia e do diretor eleito da Náutica João Macapá, que se exonerou da função.
Tirar as plantas e pintar é uma das metas
Na oportunidade, os membros da diretoria da Tuna conheceram da realidade da garagem mostrada pelo técnico da equipe Luso Brasileira, José Wildemar. Lindão apresentou aos dirigentes a real situação da garagem, com problemas estruturais como infiltrações, vazamentos, rachaduras, além de algumas árvores que nasceram na frente da sede, o que enfeia e leva perigo para a estrutura do prédio.
Após meus sinceros agradecimentos à diretoria pelo voto de confiança, foram discutidas as primeiras providências que serão tomadas, que será um inventário dos bens da Tuna, como Barcos, Remos, troféus, móveis, etc.
O diretor de Patrimônio, Augusto Monteiro, acertou que dentro da proposta de melhorar a estrutura da sede náutica será feito um planejamento com o novo diretor para que se comece dentro de pouco tempo as reformas. 
Este escriba ficou de marcar uma conversa com Lindão para acertar o planejamento para o Campeonato Paraense de Remo deste ano, como das necessidades para a equipe, a formação de novos atletas e já a partir da primeira regata, que acontecerá em Março, a Tuna ter uma equipe de completa para disputar todos os páreos, no sentido de dar início a uma recuperação do bom nome da Águia nesse esporte em que ainda é a maior vencedora de nosso Estado.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Era Seedorf chega ao fim no Botafogo

Amante de futebol como sou, vejo tristemente um craque de bola como Seedorf,  abandonar a profissão no auge, para se dedicar à difícil missão de técnico do esporte bretão na Europa.
E justamente no Milan, grande equipe do futebol mundial que o viu brilhar por muito anos.
Será que a decisão do mágico jogador que mesmo veterano brilhou durante um ano e meio no Botafogo foi uma questão de opção, de vaidade, de que finalmente?
Não quero aqui julgar a opção do grande Seedorf, que quando chegou ao Brasil confesso que temi se iria jogar bem ou não. Mas acho que está sendo uma precipitação. Por sinal muito grande.
Seedorf deu adeus ao Botafogo
Seedorf, um verdadeiro ídolo do Botafogo e um dos grandes responsáveis pela conquista do clube da Estrela Solitária ao título de 2012 e em 2013 chegada à Libertadores, está jogando uma bola bem redondinha, como dizem os cronistas, e em uma forma física invejável, não poderia  cometer esse descaso com a imensa torcida botafoguense que, em pesquisa recente, o elegeu como o maior jogador da equipe de 2013.
O Botafogo já há alguns anos não conseguia ganhar um título estadual, e se falando de Libertadores, mais tempo ainda. 
Hoje, depois da Era Seedorf, um dos poucos jogadores estrangeiros que realmente deu certo no Brasil, o Botafogo é uma outra equipe.  Foram 18 meses de pleno sucesso.
Reconhecido novamente como um dos maiores times do futebol brasileiro e voltando ao cenário mundial graças às jogadas e aos belos gols que o atacante surinamês fez pela equipe, o velho Botafogo de Garrincha, Didi, Nilton Santos, Jairzinho, Zagalo, Quarentinha, Gerson, Zequinha e muitos outros craques com certeza vai sentir a falta de Seedorf. De suas comemorações, de suas broncas com s amigos, de sua influência perfeita nos mais jovens, de seu carisma com os torcedores e, principalmente, de sua formação educacional.
Um gentleman, um craque na bola e na educação. Valeu, Seedorf. 
Não sou botafoguense, mas repito, como amante de futebol, dou um 10 pelo que Seedorf fez pelo Botafogo, pelo futebol carioca e brasileiro. Sucesso na sua nova profissão.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Leão mesmo esbaforido vence Cametá

Quem esperava uma goleada ou no mínimo um placar mais elástico no jogo de ontem entre Clube do Remo e Cametá, no Mangueirão, bateu com o beiço na porta.
A equipe dirigida por Charles Guerreiro teve uma enorme dificuldade para virar o placar que permaneceu empatado em 1 a 1 até nos descontos finais da partida, parecendo que o fantasma cametaense que assombrou os azulinos em 2011 continuava "muito vivo" e disposto a repetir a façanha.  Um gol salvador de Alex Ruan -o melhor jogador da partida ao lado de Eduardo Ramos-, aos 46 minutos da etapa final deixou a torcida remista aliviada e com a certeza que, mesmo não sendo São João, pulou uma grande fogueira.
O Remo começou a partida muito bem. Até este escriba, sempre desconfiado com os times que começam muito velozes, imaginou que o  e time dirigido por Charles Guerreiro iria fazer bonito na sua estréia.
Eduardo Ramos, com passos largos e elegantes, jogava fácil e com um preparo admirável, principalmente para um começo de temporada. O Cametá se safava e experimentava os contra ataques, embora timidamente, e aqui ali uma jogada mais ousada de Alan Petterson, Jailson ou Soares, que continua igual vinho.
A expulsão de Peterson, antes dos 15 minutos da etapa inicial deu um alento ainda maior ao Remo, que procurou tirar proveito de ter um homem a mais, explorando as jogadas pelo miolo com  Eduardo Ramos, Athos e Jhonatan e perdendo um turbilhão de gols, principalmente com fraquíssimo Val Barreto. O primeiro tempo terminou com o Remo vencendo por 1 a 0, embora o placar pudesse ser maior.
Na segunda etapa o Remo voltou ainda mais violento. O Cametá se defendia como podia, e a ordem do técnico Adonaldo Viana, do Mapará, era tentar "segurar" Eduardo Ramos, não deixando o meia entrar na intermediária e aproveitar os contra ataques.
A partida transcorria ficou morna, quase equilibrada, com o Remo levando uma pequena vantagem sobre o adversário, mas alguns jogadores remistas já demonstravam um sinal de cansaço. O Cametá, sentindo isso passou a gostar do jogo e chegar mais na área remista. Numa cobrança de falta aos 30 minutos, Soares acertou na cabeça do zagueiro Gil Cametá, levando a bola direta às redes de Fabiano.
A torcida, que estava calada, resolveu, a partir daí,  incentivar e jogar as últimas esperanças no pouco tempo que ainda restava.A ansiedade fazia o ataque remista desperdiçar bolas e noutras tentativas o goleiro Alencar Baú pegava os chutes de Eduardo Ramos, Alex Ruan e Leandro Cearense. Guerreiro se impacienta substitui Val Barreto por Guilherme na tentativa de esfriar o Cametá.
Num lance de raça e talento Alex Ruan chuta e deixa Alencar Baú batido. Era a vitoria que chegava, talqual o Paysandu no dia anterior, ao apagar das luzes.
Foi um jogo bom, bem disputado, com chutes e bolas na trave dos dois lados. Pelo que se viu novamente ontem, algumas equipes mesmo que não tenham suas folhas de pagamento tão altas como os dois da capital, não serão presas fáceis.
Assim como o Gavião Kyikatejê, o Cametá com o chamado "sucatão" e com um técnico desconhecido, mostrou competência, organização e que como em 2011, está disposto a brigar pelo título.
Ninguém duvide, também de Independente e até do time do ex-paysandu Luizomar Pinheiro, o Santa Cruz.
O Parazão 2014 começou bem. É possível, pelo que se viu domingo e ontem, que surpresas aconteçam e que o salto alto de alguns até quebre. Quem sabe?

Flamengo contrata o craque Elano

Depois de uma ano conturbado, em que até perigou de cair para a Segunda Divisão, acho que o Flamengo está no caminho certo em 2014.
As contratações estão acontecen
Elano quer brilhar no Flamengo
do e com responsabilidade, como deve ser em qualquer equipe e, principalmente, no times de massa, que necessitam sempre do aval da torcida.
A principal delas para este escriba é o meia atacante Elano. O craque que ultimamente estava no Grêmio mas a meu ver mal aproveitado, é jogador de seleção. 
Elano sabe jogar futebol, é bom lançado, tem um domínio de bola perfeito e sabe finalizar como poucos. Não levou muita sorte em sua volta ao Santos, talvez pelos muitos problemas pessoais que viveu, e no Grêmio, contratado a pedido de Wanderley Luxemburgo, foi importante em algumas partidas, e quando entrou mostrou sempre determinação e comprometimento. Com a saída de Luxemburgo e a chegada de Renato Gaúcho, perdeu um pouco espaço na equipe, embora vez por outra fosse escalado, mas poderia perfeitamente ter sido melhor aproveitado no tricolor gaúcho. Perdeu o Grêmio.
No Flamengo, e com o aval de Zico, com quem tem uma boa amizade, Elano espera chegar novamente ao topo de sua carreira e sonha até em voltar à Seleção Brasileira, sua aspiração.
Gostei muito da contratação. Elano é o tipo do atleta  que jogando no eixo Rio-São Paulo tranquilamente aparecerá mais, mostrará aos amantes do bom futebol o quanto é bom de bola. E pelo que tenho ouvido, a torcida rubro negra agradece sua contratação.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Tuna vence Esmac em pleno "toró"

O time feminino da Tuna venceu ontem a Esmac, sua maior rival, pelo escore de 1 a 0, no Estádio do Souza. A vitória valeu à equipe cruzmaltina o primeiro lugar na Fase de Classificação do Campeonato Paraense de Futebol Feminino 2014. O gol da Águia foi assinalado por Irlei.
O jogo praticamente teve público zero, por conta da chuva torrencial que banhou Belém desde o in´picio da noite passada.
Com a vitória a equipe dirigida pela técnica Aline Costa acabou com uma invencibilidade que a Esmac vinha tendo de 100% de aproveitamento. 
Irlei foi o grande nome da partida, com jogadas individuais que infelizmente não foram vistas pela torcida lusa, que por causa da chuva não foi ao Souza. 
A Tuna dominou a Esmac durante toda a partida, embora o campo encharcado não permitisse muito a criatividade das atletas de ambas as equipes. Mesmo assim, foi notório o domínio da Águia do Souza que mostrou que o time cruzmaltino está caminhando célere para ganhar o título do ano.
A atacante Irlei, autora do único gol da partida, tem tudo para ser o grande nome deste Campeonato Feminino, uma vez que como ex-jogadora titular da Esmac, inclusive formada nas divisões de base da equipe, deixou o clube por um atrito com a Comissão Técnica. Sem a atacante Cássia, que no momento serve à Seleção Brasileira de Futebol Feminino, a Tuna tem em Irlei sua maior esperança no ataque, que garante estar pronta para marcar muitos gols e mostrar seu bom futebol neste campeonato. 

Benfica vence Porto na homenagem a Eusébio

O Benfica não encontrou dificuldades em vencer o Clube do Porto por 2 a 0, ontem
O técnico Jorge de Jesus, do Benfica
no Estádio da Luz. Os gols foram marcados por Rodrigo e Garay. A vitória deu ao Benfica o título do Primeiro Turno do Campeonato Português. 
O jogo foi o primeiro após a morte do maior ídolo da equipe, o jogador Eusébio, que foi mais uma vez homenageado, com um minuto de silêncio antes da partida e com todos os atletas benfiquistas usando a camisa com o nome "Eusébio" e o número 11.
Segundo as palavras do técnico do Benfica, Jorge Jesus, "Eusébio ficaria orgulhoso do jogo que fizemos", numa alusão à boa apresentação do time.
O técnico garantiu que o Benfica foi, sem sombra de dúvidas, a melhor equipe em campo.
“Não tenho dúvida nenhuma de que o Benfica foi de longe melhor do que o FC Porto. Além de termos feito dois gols, criamos bem mais oportunidades. O Benfica neste jogo foi uma equipe com uma maturidade tática muito grande”, garantiu Jorge Jesus.
A vitória do Benfica foi dedicada a Eusébio da Silva Ferreira o eterno ídolo da torcida. “Foi uma semana complicada, com muitas emoções e sentimentos. Eusébio será sempre referência máxima do Benfica e nós queríamos fazer felizes todos os nossos torcedores com esta vitória e jogamos para isso", concluiu Jorge Jesus.

Paysandu quase se engasga com o Índio. Hoje é a vez do Remo pegar o Mapará

Pelo que mostrou ontem, vendendo a derrota caríssima para o Paysandu, o Gavião Kyikatejê não veio para brincar neste Parazão 2014.
Com um time com poucos jogadores conhecidos e com três índios legítimos no elenco, o Gavião sofreu o primeiro gol na partida de ontem contra o Paysandu, no Mangueirão, mas não se entregou, embora o time de Belém mostrasse um melhor entrosamento e uma superioridade técnica.
Voltou no segundo tempo perdendo mas com muita raça e demonstrando que venderia caro a derrota. Conseguiu o empate aos 31 minutos através de seu principal jogador, o centro avante Aru, e somente aos 45 o Paysandu fez o segundo gol e garantiu a vitória.
O técnico do time indígena Vitor Jaime, lamentou o gol sofrido no final da partida e disse que seu time vai melhorar, pois ainda tem jogadores que faltam estrear.
O resultado vitorioso mas minguado do Paysandu na partida com o Gavião deixou exposto ao torcedor das duas equipes belenenses que o Campeonato não vai ser tão mole assim, apesar da propaganda que os dois -Remo e Paysandu- estão fazendo, como que estão preparados para vencer, o Remo inclusive usando o velho marketing de que "este ano vai ganhar tudo".
Na brincadeira, o Gavião, humildemente quase prepara uma arapuca para o Paysandu, ou seja, sem alarde o time bicolor quase foi surpreendido.
Para alguns cronistas, o técnico bicolor entrou meio desprevenido porque talvez não tenha tomado o devido conhecimento que o Gavião Kyikatejê passou por duas fases em 2013, o que é uma prova de que os índios estão dispostos a flexar seus adversários, inclusive os dois da capital.
Hoje o Remo pega o Cametá, que vem com um elenco de jogadores já conhecidos de nosso futebol. Alguns deles, apesar de rodados, são jovens, como o meio campo Romeu, Alan Peterson, Américo, Kênia e o zagueiro Preto Barcarena.  Mas também recheado de veteranos como Soares, Robinho, Jailson e Analdo.
Pelo elenco que tem e pelo tempo que vem treinando, tudo indica que o Remo poderá vencer. Mas, é bom que tenha um pouco de cautela, porque de repente a "sucata", como estão chamando o Cametá, poderá surpreender. É difícil, mas não é impossível.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Geraldo aniversaria e canta os passarinhos




Uma das coisas que mais me encanta na obra de Geraldo Azevedo é sua simplicidade para tocar e cantar.Bom músico, bom compositor, bom cantor e bom caráter, Geraldinho é uma figura necessária em qualquer encontro musical.
Amanhã, esse pernambucano aniversaria, beira os 70 anos de muita criatividade e sonoridade. 
Este escriba, que tem pela oba de Geraldo Azevedo uma enorme admiração, presenteia seus fãs com uma de suas canções mais singelas; uma canção emoldurada pela poesia simples e tocante de Geraldo Azevedo.
Ao som de seu belo violão, "Canta, canta Passarinho" é um presente de Geraldo Azevedo e do Blog aos nossos seguidores e navegantes.
Notaram como a coisa aqui inverteu? O aniversariante e o blogueiro seu camarada é quem presentearam.

Inter se livra do "peso" Leandro Damião

Até o momento não entendi o que foi que a diretoria do Santos enxergou no atacante do Internacional Leandro Damião para pagar a bagatela de 42 milhões pelo seu passe, considerada a maior transação interna do futebol brasileiro.
No momento, Leandro Damião é um dos atacantes mais regulares que temos em nosso futebol.  Na fase em que se encontra, não merecia sequer a titularidade no Internacional que, após o grande negócio com o Santos, pode ser considerado "o maior vendedor do ano",  já que para muitos o jogador era um grande peso.
Damião dificilmente vestirá de novo esta camisa...
No Santos, time que é useiro em fazer contratações milionárias que  sempre contrariam seu Conselho Deliberativo, o atacante vai ganhar 500 mil reais mensais (450 mil de salários e mais 50 mil de ajuda de custo), uma quantia exorbitante para a realidade de nosso futebol e, principalmente, por Damião ser um jogador que já mostrou em Ns oportunidades que não é um craque de bola.
Leandro Damião perdeu sua vaga na Seleção Brasileira para o atacante do Fluminense Fred, que batido, está voltando e também luta para reaver seu espaço. Mas Damião hoje, graças à sua pouca produtividade nos últimos meses, dificilmente voltará à Seleção, ou seja está praticamente fora da Copa do Mundo.
A diretoria do Santos, além do problema que a meu ver arranjou com o  Doyen Sports, fundo internacional que investiu no jogador para receber parceladamente, e o alto custo de 500 mil mensais que terá que pagar ao jogador, ainda vai ter que enfrentar e convencer o Conselho Deliberativo do Clube, que está se mobilizando para puxar uma reunião urgente para averiguar os contratos com o Doyen Sports e com o próprio Damião, que parte dos conselheiros achou muito estranho.

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

A Copa São Paulo e a Tuna Luso Brasileira. Ou, melhor traduzindo: (tristeza, não tem fim!)

Estou vendo muito pouco os jogos dessa Copa São Paulo de Juniores.
Reconhecidamente é uma grande competição, a maior do mundo, além de ser uma grande reveladora de craques. Não foram poucos os talentos que saíram da Copa São Paulo, que todo ano revela craques. 
Minha bronca é porque ainda  não engolí a não participação da Tuna na competição, uma vez que a Águia do Souza era de fato e de direito a dona da vaga hoje utilizada pelo Clube do Remo.
Ora dirão: perdeu, perdeu! Não adianta reclamar!
Mas peraí. Não é mole você estar fora do campeonato regional, não estar disputando nenhuma competição nacional, e de repente ganhar o direito dentro de campo de estar disputando a maior competição do mundo, maior vitrine para novos talentos no Brasil e no mundo, e ficar de fora por irresponsabilidade ou incompetência de não se sabe na verdade até hoje de quem.
Aliás,pensando bem, se sabe. A culpa é da diretoria do clube: presidente e diretor de esportes amadores.
Se este escriba, como simples torcedor da Tuna, desde que soube que a Águia havia perdido a vaga para o Remo está muito chateado,  não gostou mesmo, imaginem como não ficaram técnicos, jogadores, pais de jogadores que passam o ano esperando ansiosamente pela Copa São Paulo na expectativa de realizar o grande sonho de sucesso no futebol?
Sei lá. Aí é que fico pensando, tentando explicações, me perguntando: será que a vida só tem sempre razão para quem é um pobre sofredor cruzmaltino?

Imaginando um time chamado "Imagine"

Imagine um time com o nome de Imagine? O que poderia render nas quatro linhas uma equipe com um nome tão estranho, no mínimo inusitado? 
Bem, a meu ver, imagino que um clube de futebol com o nome de Imagine não poderá render muita coisa, não.
E foi o justamente o que aconteceu. O Imagine Futebol Clube, da cidade de Palmas, capital do Tocantins levou ontem, do Vitória da Bahia, pela Copa São Paulo de Juniores, a maior goleada da competição até o momento. Nada menos que 12 a 0, o que eu imaginava que não era mais aceitável em uma partida, já que o que se espalha por aí é que o limite é no máximo 10 a 0. Imagine só!
Uma humilhação, mas que não preocupa em nada dirigentes e jogadores da equipe tocantina, ao contrário, a derrota serviu para difundir o nome do Imagine à nível nacional e até internacional.
E mais: fez com que o Ibis de Pernambuco,  uma equipe tida como a pior do mundo, vibrasse saltitante de alegria.
Afinal, o Imagine ganhou, pelo menos por ora, a taça de pior da Copa São Paulo.
Isso está fazendo com que a diretoria do Ibis pense em um embate com o Imagine.
Dá até para imaginar como atletas e dirigentes do Imagine se comportarão se ganhar uma partida na Copa São Paulo e, dependendo do acerto, se vencer o Ibis!

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Marlon, ex-Tuna, assina com o Vasco

Os laterais Marlon e André Rocha ladeiam o presidente Dinamite
O lateral esquerdo Marlon, que surgiu na Tuna Luso Brasileira, é o novo reforço do Vasco da Gama, para a Série B deste ano.
Marlon Farias Castelo Branco, de 28 anos, começou no Pinheirense, em 2005. Num amistoso com a Tuna, João Bosco e Carlos Lucena, que respondiam pela parte técnica do Clube, observaram o garoto, viram potencial nele, e o convidaram para um teste na Águia do Souza.
Tímido, Marlon foi e mostrou que tinha tudo para ser um grande jogador, a começar pelo potente petardo de pé esquerdo, a boa altura e a impulsão, muito boa.
O jogador, de Icoaraci, foi titular na lateral esquerda da Tuna e depois contratado pelo Remo, onde fez um bom campeonato.
Dispensado pelo time azulino, Marlon foi para o Ananindeua, depois Vila Nova, passando uma temporada, seguindo depois para o Novo Hamburgo. 
Mas foi no Criciúma onde Marlon conseguiu se firmar como um grande lateral esquerdo. O atleta foi uma das peças mais  importantes para o acesso da equipe à Série A em 2012 e da permanência na elite em 2013. 
Na reapresentação do clube catarinense, Marlon não acertou a renovação com o Tigre e, contatado pelo Vasco, não titubeou e assinou contrato de dois anos com o Clube da Colina. 
Com a decisão, Marlon está realizando um sonho duplo, seu e de seu pai, Cláudio Souza, vascaíno fanático. Durante a apresentação, em São Januário, ele se mostrou feliz e afirmou que espera ajudar a colocar o Vasco novamente na Série A, "que é o lugar que ele merece".

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

SOS Abaetetuba: 1 + 1 é sempre mais que 2...

Uma das coisas que mais admiro no povo brasileiro é sua solidariedade, seu humanismo. Nosso povo é bom por natureza; fácil se compadece da dor de seus irmãos, não importando de onde seja, pode ser do Haiti, do Rio, do Espírito Santos, de onde quer que seja. De qualquer parte do país ou do mundo, o brasileiro de todos os rincões está sempre pronto para ajudar, para dar um pouco até do pouco que tem.
A abertura foi para dizer que me sinto confortado com a solidariedade, o apoio que nossos irmãos paraenses estão dando aos irmãos de Abaetetuba, que foram vítimas no último final de semana do desmoronamento de várias casas às margens do Rio Maratauíra.
Hoje cedo já era grande o volume de roupas, alimentos, fraldas, brinquedos, utensílios domésticos, além de dinheiro vindo de toda parte do Pará para as vítimas. 
Erosão às margens do rio causou desabamentos
Alguns moradores, além da casa, perderam também móveis, eletro domésticos e outros bens. Escaparam por milagre, como aquela senhora que jogou a filha do segundo andar da casa e depois foi salva pelos vizinhos, que a retiraram com uma escada.
A garra e a coragem de nossos irmãos de Abatetuba evitaram que muitas mortes acontecesses, pois tudo aconteceu em questão de minutos. Mal deu tempo para que os moradores se recolhessem de suas casas desesperados com a fúria do rio que fez a terra se abrir.
Como  tão bem falou o poeta, numa hora dessas "um mais um é sempre mais que dois", então vale somar a ajuda, que pode ser de toda espécie, sendo de coração é o que basta.
Um grupo de companheiros e companheiras está indo para Abaeté levando o que for possível arrecadar. A companheira Célia Pinto é uma das encarregadas nessa campanha solidária em prol de nossos irmãos abaetetubenses.
Assim como fomos solidários com os haitianos, com os cariocas e com os irmãos do Espírito Santo, além de outros que sempre estamos apoiando, sejamos também com os nossos irmãos de Abaetetuba, que estão precisando de ajuda com urgência e estão bem mais pertinho de nós.

Parazão 2014: como diria Neném Prancha...

Neste Campeonato Paraense versão 2014, que começa no próximo Sábado, e que tenho certeza será um dos mais tristes de toda sua história, por não estar entre as equipes que disputam a Tuna Luso Brasileira, nota-se que não somente as duas principais equipes, Remo e Paysandu, se prepararam muito bem e, isso, certamente, fará com que a competição seja novamente bem competitiva, como vem acontecendo nos últimos anos, em que times do interior fizeram sempre boas campanhas.
Não é novidade para quem acompanha este escriba que acho o número de equipes que disputam o Parazão, oito,  muito pequeno para um certame que é o mais importante do Norte.
Isso poderia fazer com que, pela superioridade das duas equipes da capital, elas fizessem uma espécie de revezamento de títulos.
Só que, felizmente,  isso não vem acontecendo. Como as únicas equipes representantes da capital, Remo e Paysandu nos últimos cinco anos viram "em suas barbas" times do interior vencer o campeonato regional.
Isso só incentivou os times interioranos, até o estreante, que passaram a preparar-se cada vez mais para a disputa do Parazão.
Para este ano, mesmo que seja visível a superioridade de Remo e Paysandu que, "escolados" com os últimos acontecimentos -Remo há um ano sem disputar nada e Paysandu vindo de uma péssima campanha na Série D-  trabalharam melhor nas contratações para evitar os erros de um passado não muito distante; equipes como Gavião Kyikatejê, Águia de Marabá, Paragominas, Independente, Santa Cruz de Cuiarana e o sempre surpreendente Cametá, prometem fazer bonito "e disputar na unha o título de 2014".
O velho Neném Prancha dizia que "futebol é uma caixinha de surpresas".  Mesmo que tenha uma certa lógica as palavras do mais popular filósofo do futebol, temos que ser realistas que Remo e Paysandu estão melhores que ano passado, pelo menos a meu ver.
O Remo, porque acertou nas contratações locais e nas de fora, embora eu ainda pense que Charles, discriminado como são os técnicos locais, poderá cair se acontecer algum resultado negativo logo no princípio.
O Paysandu, este ano também está mais organizado e mais focado, repito, para evitar os gritantes erros cometidos em 2013. Assim, é claro que isso os coloca nos dois primeiros lugares da fila para ganhar o título de 2014.
Porém, saliento,  ninguém se admire se pelo menos três da seis equipes interioranas causarem sérias surpresas. 
Afinal, se não acontecerem surpresas Neném Prancha será, definitivamente esquecido.

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Na domingueira, obrigado ao Canal Brasil!

Os programas de televisão estão cada vez piores. Nem os telejornais, na maioria das emissoras "dirigidos", estão escapando.
Em termo de televisão, estamos vivendo uma situação que quem quer assistir uma coisa menos pior tem que ter uma TV a Cabo, que uma boa quantidade de canais de entretenimento, shows musicais, telejornais e outros programas, inclusive infantis, que nos ajudam a escapar das mesmices das tevês abertas. E hoje, uma assinatura de uma TV paga, está com um preço cada vez mais acessível.
Geraldo: sucesso no Canal Brasil
Sou fã de carteirinha do Canal Brasil. É um canal diferenciado, que mostra programas culturais variados, com bons filmes, documentários políticos, entrevistas, histórias do cinema brasileiros, filmes latinos. Na realidade, um canal democrático e bem diversificado.
Ontem assisti um dos programas que mais gosto. "Compositores Unidos", um encontro de compositores, músicos e cantores, com bate-papo regado sempre à boa música, onde todos contam histórias de músicas e músicos, numa  descontração bem brasileira.
O programa, que é comandado pelos compositores e cantores Jorge Vercillo e Dudu Falcão, apresentou como convidados ontem os compositores Geraldo Azevedo e Marcos Valle.
Dois artistas de estilos completamente diferentes, mas que se respeitam, conhecem o trabalho um do outro. Valle, um dos remanescentes da Bossa Nova, mas que passeia com liberdade por vários ritmos nacionais, estava bem  à vontade. Embora já quase setentão, mas ainda ostentando seus longos cabelos bem ao estilo do início de carreira, cantava composições ao piano e contava histórias da Bossa Nova e de artistas que ele influenciou na carreira, como Emílio Santiago.
Geraldinho Azevedo, com seu fantástico violão, dedilhava e conversava sem parar. Interpretou a bela "Dona da minha Cabeça" e ganhou um coral de Vercillo, o acompanhamento de Marcos Valle e de Dudu Falcão e de dois convidados que engrandeceram o programa.
Para salvar uma  domingueira das bobagens do Faustão, só mesmo um Canal Brasil. Onde se pode ouvir musica brasileira. Da melhor qualidade. 

Assis e Gaúcho dão rasteira no Atlético

O ex-jogador Assis, irmão e empresário do jogador Ronaldinho Gaúcho, deu ares de que está tentando aprontar com o Atlético Mineiro, que tenta renovar o contrato com o jogador.
Assis, empresário e procurador de Ronaldinho Gaúcho, não pensa duas vezes quando o assunto é renovação de contrato do jogador. Mesmo que tenha se apalavrado com qualquer dirigente, se surgir uma ofertar maior qualquer real, ele esquece a palavra dada.
Ronaldinho poderá vestir outra camisa
Agora, que Ronaldinho voltou a jogar bem, já é um ídolo do Atlético Mineiro, mas seu contrato está prestes a findar, Assis saiu por aí oferecendo o jogador, não respeitando o trato que tem com Alexandre Kalil, presidente do clube mineiro, de que a opção de renovação seria sua.
Agindo espertamente, Assis praticamente já deixou fechada a ida do jogador para o Besiktas Fikret Orman, da Turquia, que ofereceu uma proposta quase irrecusável pelo jogador: em torno de 15 milhões de euros anuais.
Kalil, surpreso com a atitude de Assis, mesmo assim até admite um aumento salarial ao jogador, que atualmente ganha em torno de
900 mil mensais, mas também diz estar consciente de que não deve fazer loucuras.
"Queremos muito que o Ronaldinho fique no Atlético, pelo menos mais uma temporada. mas não podemos fazer loucuras que poderão desequilibrar nosso orçamento. Mesmo porque, o salário de Ronaldinho já é muito alto para nossos padrões. Mas ainda vou conversar com Assis", diz um Kalil já quase entregando que o jogador vai mesmo para a Turquia.
Enquanto isso, Assis já conversou com o presidente do Besiktas, com quem já deixou o assunto mais ou menos fechado, tendo pedido somente um prazo de uma semana, o suficiente para receber um "não" de Alexandre Kalil.
Não é a primeira vez que Assis "dá um traço"em uma equipe que está quase fechada com seu irmão famoso. Quando voltou da Europa, Ronaldinho estava praticamente fechado com o Grêmio, equipe que o projetou, inclusive com o aval de seu irmão Assis. Mas bastou o Flamengo botar alguns reais a mais no contrato de Ronaldinho para Assis desconversar e fechar com a equipe carioca.
Por causa disso, Ronaldinho e Assis foram detonado pela diretoria e pela torcida gaúcha com0 mercenários e "personas non gratas" em equipes gaúchas.
Guloso ou "olhudo" como  é,  existe a possibilidade que Assis tenha pedido o prazo de uma semana ao Besiktas na esperança de que o Atlético cubra a proposta do Besiktas ou, tal qual o time turco,  que surja um outro maluco e ofereça alguma coisa a mais pelo veterano jogador, que beirando os 35 anos já está  na reta final da carreira.

O adeus a Eusébio, o craque do Benfica

A morte de Eusébio, o maior jogador português de todos os tempos, deixa uma enorme lacuna nos amantes do bom futebol. Eusébio, quando jogador, foi comparado a Pelé, pelo seu belo futebol, pela sua garra, raciocínio rápido, além de grande faro de goleador.
Como torcedor do Benfica, equipe que Eusébio ajudou a projetar como uma das mais importantes do mundo, não podia me furtar de falar algo sobre o "Pantera Negra", genial jogador que desde que me entendo aprendi a admirar como um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos.
Eusébio nasceu em Lourenço Marques, Moçambique (hoje, Maputo), na época ainda sob domínio de Portugal. 
Como jogador da Seleção Portuguesa, foi em seu período de jogador, na disputa da Copa do Mundo de 1966, que Portugal conseguiu um terceiro lugar, até hoje seu melhor resultado em mundiais.
Eusébio com  o craque Cristiano Ronaldo...
Nesse ano, Portugal conseguiu fazer uma equipe considerada até hoje inesquecível e que bateu o Brasil por 3 a 1. Também nessa Copa, na partida contra a Coréia do Norte, Portugal ganhou de virada, por 4 a 3, com Eusébio fazendo os quatro gols depois da equipe lusa estar perdendo por 3 a 0.
Como jogador do Benfica, equipe que defendeu por 15 anos, Eusébio conseguiu a inédita façanha de ser campeão 11 vezes, além de Bi campeão da Liga dos Campeões UEFA em 1961 e 1962.
...e com outro craque, o brasileiro Neymar
Disputou a famosa final entre Santos e Benfica, em 1962, quando o time português foi vice campeão e o time peixeiro, na época com Pelé, Coutinho e Cia.,  venceu as duas partidas: no Maracanã: Santos 3 X 2 Benfica, Pelé fazendo dois gols. Na segunda partida, no Estádio da Luz, Benfica 2 X 5 Santos. Nessa partida Pelé fez três gols, perfazendo cinco gols nos dois jogos e garantindo o título de Campeão Mundial para o Santos. Euzébio também deixou sua marca na primeira partida.
Eusébio quando encerrou sua carreira passou a ser uma espécie de embaixador do Benfica, por quem tinha carinho respeito e era retribuido por dirigentes e torcedores. Em Portugal sempre foi reverenciado como o melhor jogador de todos os tempos, chamado inclusive de "imortal.
Eusébio iria completar 72 anos dia 25 próximo e encontrava doente desde 2012, quando teve complicações decorrentes de um AVC. 
Ontem, após a notícia de sua morte, vários jogadores, contemporâneos e atuais, através de mensagens  no twiter e faceboock lamentaram a morte do grande ídolo português. Michel Platini, Beckembauer, Ronaldinho Gaúcho, dentre outros, além do técnico português José Mourinho, lamentaram o desparecimento do grande jogador português.
Também o presidente do Benfica, Luis Felipe Vieira, lamentou a morte de Eusébio, dizendo que "o Pantera Negra deixa um grande legado ao futebol português e ao Benfica. Em suas palavras, Vieira disse: "tenho por Eusébio uma profunda gratidão porque vivi algumas das tardes mais fantásticas da minha vida ao vê-lo jogar. Minha gratidão é pelo que ele fez pelo Benfica e pelo futebol português".
Para muitos portugueses e críticos de futebol, o jogador Cristiano Ronaldo, patrício de Eusébio, que ontem postou uma foto sua abraçado com o ex-craque do Benfica com a frase "sempre eterno", e é hoje o grande ídolo do futebol português, se continuar jogando o belo futebol que encanta portugueses, espanhóis e o mundo, e se Portugal conseguir um grande feito na Copa de 2014, poderá ser o grande substituto de Eusébio no coração dos portugueses que amam o futebol.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Pikachu, mais um lateral do Pará a brilhar

Se for confirmada sua venda para o Goiás, Yago Pikachu, do Paysandu, será mais um lateral paraense a defender equipes de outros estados.
Já postei aqui no Blog que o Pará é um dos estados que mais exporta laterais para o Brasil. No momento, brilham em equipes espalhadas pelo Brasil  muitos deles, e alguns com grande destaque, pela habilidade na condução da bola, perfeitos na marcação e pelo apoio ao ataque, uma das características de nosso laterais..
O primeiro a sair dessa nova safra de laterais foi Wellington Saci.  Saci começou no Vênus de Abaetetuba, depois foi para o Remo, de onde seguiu para o Itumbiara, Corinthians,  Goiás, Sport Recife, Criciúma e hoje brilha pelo Joinville, sendo um dos melhores do país em sua posição.
Cametazinho jogou na Ponte Preta
Um pouco mais jovem que Saci, o também lateral esquerdo Marlon, que surgiu na Tuna, brilhou no Remo e hoje defende a equipe do Criciúma, na Série A do Brasileiro, é outro destaque paraense. Marlon é excelente no apoio e é o cobrador de faltas oficial de sua equipe, principalmente pelo seu potente e certeiro chute.
Oriundo do também do Clube do Remo, outro paraense que faz sucesso no Santos (SP), depois de ter brilhado na Ponte Preta, é Cicinho. Com um excelente domínio de bola, driblando bem e marcando ainda melhor Cicinho foi apontado como um dos melhores do ano em sua posição, a lateral direita. É titular absoluto no Peixe e tem feito inclusive gols pela equipe paulista.
O lateral Thiago Cametá, que brilhou no Futsal da Tuna, depois passou futebol de campo, seguindo então para o Remo, foi contratado ano passado pela Ponte Preta. Na "Macaca", Cametazinho, como é chamado, teve poucas oportunidades, sendo depois de alguns meses emprestado para o Anápolis de Goiás. No time goiano o lateral paraense foi um dos principais jogadores da equipe, sendo um dos responsáveis pela subida da equipe para a Série B do Brasileiro. 
Cametazinho ganhou destaque no time goiano e foi sondado pelo Fortaleza, que fez-lhe uma boa proposta, levando-o para a capital paraense. O jogador, de 21 anos já se apresentou no Tricolor de Aço cearense e, segundo tem falado com amigos seus qui de Belém, está gostando e poderá ser mais um paraense a fazer história no futebol alencarino.
Se conseguir jogar o mesmo futebol com personalidade que apresentou no último ano pelo Paysandu, Yago Pikachu com certeza tem tudo para brilhar pela sua nova equipe.
É jovem, impetuosos, tem personalidade e se o Goiás contratá-lo, estará fazendo um excelente negócio.

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Na Tuna, temos que ter fé no que virá!

Essa bandeira tem que ser respeitada!
Amanhã, dia 3 de Janeiro, a Tuna Luso Brasileira empossará sua nova diretoria eleita para o Biênio 2014/2015. A posse coincidirá com o início das comemorações do aniversário dos 111 anos de fundação do Clube, ocorrido ontem.
Depois de uma longa gestão de cinco anos, a meu ver a menos comprometida de toda história do Clube, o que se espera da diretoria de Milson Charles Tuma e João Rodrigues é no mínimo muito trabalho no resgate da gloriosa instituição luso brasileira.
Um conhecido Benemérito costuma dizer que de toda diretoria sobra pelo menos alguma coisa de positivo. Não concordo. Acho que dessa gestão que termina felizmente hoje, quase nada se aproveitou de positivo, apesar de alguns paparicos de conhecida turma da hora que, feito "papagaio de pirata" gosta, na realidade, é de se encostar ao poder.
Mas, apesar do leve comentário, sou favorável de que Charles Tuma e João Rodrigues devem esquecer o quase nada que foi aproveitável dessa triste gestão que se conclui hoje, e partir para a difícil empreitada de recuperar todo o Clube.
Os eleitos sabem que o que lhes espera não é tarefa nada fácil. Mas penso que o curto mas importante período de transição já deu para que tomassem pé de pelo menos parte da situação real do clube, tipo os problemas mais urgentes como a questão de salários atrasados além de outros, como a recuperação da parte física do clube, tão carente. Aliás, para ser sincero a Tuna necessita de um mutirão de limpeza de seus principais espaços. Como está hoje a Tuna entristece quem conhece, frequenta e ama o nosso clube.
Mas tenho certeza que os novos gestores já sabem como começar esse trabalho de reconstruir, ou melhor, de resgatar nosso belo mas tão maltratado patrimônio.
Como cruzmaltino sou sincero quando afirmo que estou torcendo muito pelo sucesso de Charles e João. Sei, repito, que a situação da Tuna é difícil. Mas com trabalho, dedicação, humildade e sem prometer coisas que poderão complicar a gestão, os dois, juntamente com seus diretores, poderão fazer um belo trabalho.
Já defendi com meus companheiros cruzmaltinos com quem converso diária e semanalmente, que por ora não devemos cobrar dos novos gestores. Temos é que torcer, apoiar no que for possível para que as coisas aconteçam.
Afinal, não se consegue resolver em tempo curto problemas que se acumulam já há alguns anos. Mas com certeza eles serão resolvidos. Basta para isso por mãos à obra, arregaçar as mangas e começar a dura tarefa da salvação.
Do fundo de meu coração cruzmaltino, desejo sucesso ao Charles Tuma, João Rodrigues e a seus Diretores. Tenho fé no que virá!

Sócio e torcedor têm mais é que apoiar

Tenho recebido "denúncias" de torcedores do Paysandu cobrando a fonte dos, segundo eles, altos investimentos que o Clube do Remo fez ao longo de 2013: aumentando o tamanho de seu estádio, mudando todo o gramado, adquirindo ônibus padrão, contratando jogadores, além de outros. Tudo isso mesmo que esteja fora de qualquer disputa nacional e tenha passado boa parte do ano completamente sem atividades.
A meu ver, isso é mais intriga de torcedores, inconformados com o que poderá ser o Remo em 2014, ou melhor traduzindo: "uma pontinha" de inveja de bicolores com os azulinos, ao ponto de até já terem feito denúncia ao Ministério Público, para que seja averiguado de onde estão vindo os recursos.
Não torço por nenhum dos dois: nem por Remo nem por Paysandu; ao contrário, sou cruzmaltino e meu time não participa sequer do Campeonato Paraense 2014.
Mas como amante do bom futebol, tenho sensibilidade o suficiente para reconhecer o poderio dessas duas grandes torcidas. 
As torcidas de Remo e Paysandu, obedecendo as devidas proporções, não ficam nada a dever a de nenhuma equipe do Norte e Nordeste, embora Santa Cruz, Ceará e Bahia sejam, a meu ver, bem mais fortes que seus segundo e terceiros adversários locais. 
Os dois, Remo e Paysandu, tenho certeza têm todas as condições de formar uma grande equipe só com o apoio de suas torcidas. Basta que eles -os torcedores- reconheçam que os dois clubes têm uma boa administração, que seja séria, competente e com comprometimento com o presente e futuro do clube, esquecendo as vaidades pessoais, além de possíveis cargos políticos ou até mesmo se locupletarem.
Não sei bem quem é o cidadão Zeca Pirão, além de saber que é vereador. Mas como presidente do Remo, mesmo que tenha começado sua gestão um pouco desnorteado, querendo agir mais como torcedor do que como gestor, passou a acertar, talvez aconselhado por pessoas de cabeça pensante, e  passou a fazer um trabalho com os torcedores no sentido de que eles pudessem ajudar na gestão, com poderes  e isso vem funcionando.
Com os brios feridos por não estar participando sequer da Série D, e com o aval do presidente, esses torcedores passaram a fazer parte da gestão de Pirão -dentre os quais um grande amigo deste escriba, Stefani Henrique. 
Começaram a trabalhar através de uma estrutura simples mas bem montada, que está funcionando na arrecadação de dinheiro, ganhando materiais de construção, num trabalho voluntário de empresas e torcedores quase anônimos, recebendo apoio logístico, numa união que claramente alavancou o clube, que, mesmo sem disputar nada e sem ter uma fonte futebolística de arrecadação, vem fazendo as coisas, acontecendo e gerando até polêmica com o principal adversário.
A família de minha esposa é toda remista. Todos têm o comprometimento de ajudar, de uma maneira ou de outra: sendo sócio do clube, sócio torcedor, comprando cadeiras cativas, etc. Alguns começaram  a ajudar em outras gestões, mas viram a incompetência dos dois últimos gestores e saltaram fora.
Hoje, com os resultados dos trabalhos que a atual gestão compartilhada de Zeca Pirão está fazendo, eles estão felizes. Senti nas conversas que tivemos no final do ano. Voltaram a ajudar, vão aos treinos, estão apoiando as contratações e já sonham com o título do ano.
Acho que isso é possível quando o clube tem uma torcida que tem comprometimento.  Ela quando vê existe seriedade dos dirigentes, não pensa duas vezes,  passa a participar, ajudar. Tiro isso por mim. Como torcedor de minha modesta Tuna Luso Brasileiro, mesmo sofrendo todo tipo de retaliação do presidente que graças a Deus vai embora de vez amanhã, passei os últimos cinco anos ajudando ao clube. Não a ele (embora por tabela ele seja beneficiado) mas ao Clube.
O Remo e sua torcida estão de parabéns. O torcedor tem que fazer mesmo, ajudar, apoiar, brigar pelo clube. O que os remistas estão fazendo deve servir de exemplo não somente para o Paysandu, que vem de uma má campanha na Série B, e mais do nunca precisa ser motivado, alavancado para fazer um bom papel no Campeonato e na Série C. E também à própria Tuna, que no momento não disputa nada, mas que tem uma nova diretoria assumindo amanhã e precisa mais do que nunca do apoio de seus associados e de sua pequena mas valente torcida para que brevemente volta  "decomforça" aos gramados paraenses e brasileiros. 
É importante que o associado do clube confie na gestão, que não só reclame, não só xingue. Ao contrário, que também faça a sua parte, com participação séria, com ajuda, com apoio. Como tão bem  vem fazendo a torcida do Clube do Remo.