quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Os 110 anos de C.D.A, nosso poeta itabirano

O "Pensador" Drummond, homenageado em Copacabana
A obra de Carlos Drummond de Andrade, o mineiro de Itabira que estaria completando 110 anos hoje, começou realmente a se popularizar quando o piauiense Paulo Diniz resolveu musicar um poema seu, "José". Achei diferente a letra, rica, criativa e daí passei a prestar mais atenção e a admirar a obra de Drummond, embora já conhecesse o poeta, mas bem pouco, mesmo que tenha me envolvido muito cedo com a poesia, a literatura portuguesa e os poetas românticos brasileiros do século 19.
Um amigo jornalista, que já se foi, era tão fanático por Drummond que toda semana publicava um poema seu em um tablóide de literatura.  Eram sonetos, poemas livres, eróticos, críticos, saudosos, meu amigo era apaixonado pela obra de Drummond, que brincava com as palavras e tinha o poder mágico de enriquecê-las.
Em 1982, ouví toda uma entrevista sua pelo rádio, quando ele falou de sua vida, de seu amor por sua terra Itabira, das montanhas de ferro já não tão montanhas como na época de sua infância; dos amigos Pedro Nava, Cyro dos Anjos, Mário de Andrade, alguns próximos e outros aproximados através das correspondências que atravessavam os anos. As lembranças de nosso poeta maior se misturavam ao do menino magro e alto de óculos de aros finos.
Drummond é moderno aos 110 anos. O ENEM, que sábado mostra sua cara, que o diga. É o poeta-escritor mais presente, mais estudado. Que bom. Excelente que nossos jovens possam beber em fonte tão  inesgotável de poesia e literatura!
Drummond morreu em 1987, aos 85 anos. Escreveu  a vida toda, desde os 15, 16 anos. Participou de vários e importantes momentos do país. Escreveu poemas em dezenas de livros, além de ensaios, crítica literária e como jornalista crônicas semanais  no JB. 
Como amante da boa poesia e da obra de Carlos Drummond de Andrade, não poderia deixar passar em brancas nuvens o dia de seu aniversário. Como um homem de seu -e de nosso- tempo, Drummond era agnóstico mas romântico; de fala mansa, calmo, mas ligado em tudo. Na vida, na arte, na literatura. No seu tempo.
Aos seguidores e navegantes do Blog, um soneto de Drummond. Presente especial aos amantes da boa poesia.

Amor e Seu Tempo

C.D.A.

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.

O reconhecimento ao talento de Cametazinho

Cametazinho: um grande talento
Este escriba fica feliz com a possibilidade de Thiago Cametá, o Cametazinho, ser transferido para o Botafogo de Ribeirão Preto-SP.
Jogador de extrema habilidade, Cametazinho é um jogador que mesmo atuando na lateral direita, joga também como meio de campo e até como meia, já que tem um grande dominio de bola, dribla bem e com facilidade, além de saber sair jogando e tocando a pelota, o que o faz um jogador de muita classe, categoria e um grande marcador.
Cametazinho é jovem, e ser reconhecido agora é o que de melhor poderia acontecer em sua carreira.  Carreira que foi iniciada nas categorias de base do futsal da Tuna Luso Brasileira. Depois, passou para o futebol de campo, embora sem abandonar o futsal, uma de suas paixões e o que o tornou hábil com a bola. Contando sempre com os conselhos e o apoio do grande desportista Ismar Araújo, que foi diretor de esportes da Tuna, depois Diretor de Futebol onde desempenhou a função com muito talento, competência e comprometimento, Cametazinho não faz nada sem falar com o amigo Ismar, sempre disposto a apoiar o jovem craque.
Em 2008, dispensado pela Tuna, Cametazinho se viu numa situação complicada, e se não fora muita conversa com Ismar e até com este escriba, o futebol paraense (e brasileiro) poderia ter perdido um grande jogador. No Clube do Remo, aguentou muito até ser elevado a titular, primeiro com o técnico Sinomar Naves. Depois, na dança de técnicos, embora sempre se apresentando bem, foi relegado à reserva. Com a chegada do técnico Marcelo Veiga para o Remo, Cametazinho foi melhor observado e aproveitado pelo "Coach", que enxergou  talento no jovem lateral.
Contratado pelo Botafogo de Ribeirão Preto, Marcelo Veiga trato de pedir a contratação de Cametazinho. Com certeza, será um grand enegócio para o Remo, tanto emprestar como vender parte dos diretitos federativos do jovem atleta, que ironicamente, não nasceu em Cametá.
Quem conhece o perfil de Cametazinho, uma grande pessoa e um excelente jogador, só pode é trocer pelo seu sucesso. Ele merece.

Palmeiras quer escapar da "degola" na marra!

Que que é isso, minha gente! Como pode o STJD querer tirar os pontos legais do Internacional na vitória contra o Palmeiras. A que ponto chegou nosso futebol! Uma equipe que está mal desde que contratou o incompetente técnico Felipão, que só saiu do clube depois de deixá-lo na situação em que está já há 10 rodadas, querer ganhar no "tapetão"!
O gol de Barcos foi claramente de mão (igual aquele histórico de Diego Maradona), e a história de que foi o quarto árbitro que viu e que avisou ao juiz principal, não poe invalidar a súmula e não é sinônimo de seriedade, justiça e direito. O quarto árbitro, como o primeiro, o segundo e o terceiro, têm obrigações e estão escalados para atuarem e um auxiliar o outro.
Também não tem muito sentido a acusação de que foi o delegado da CBF Gerson Antonio Baluta que perguntou aos jornalistas se o gol havia sido de mão e daí o gol teria sido anulado.
Gol de mão não vale, Virar a mesa em favor do Palmeiras, também não vale. Justiça existe para julgar e julgar ceerto, e o gol foi anulado dentro da partida, portanto o STJD não deveria nem ter dado ouvido ao Palmeiras.
Quantos erros crassos acontecem no futebol! Quantas penalidades não são marcadas, gols legítimos são anulados e nunca se chegou a um pontos destes.
O fato, é que o Palmeiras está caindo (e vai cair, não tem jeito!) e a diretoria do Clube quer de qualquer maneira arranjar uma maneira de evitar o caos, nem que tenha que chutar o pau da bandeira.
As "viradas de mesas" que já beneficiaram equipes do sul, não podem voltar ao nosso futebol. Estamos vivendo uma nova era, de mais seriedade. Se o gol de mão de Barcos valer, será a volta da desmoralização do futebol.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Paysandu tem que agradecer Águia com placa

Diretoria do Paysandu deveria preparar uma grande homenagem como agradecimento ao time do Águia de Marabá, o principal responsável pela classificação da equipe à fase do "mata mata" da Serie C, o que poderá levar a equipe bicolor à Série B. O time de Galvão merece até uma placa.
O Águia, que há tempos não vencia uma partida dentro de casa, desde o momento em que surgiu a história da possível tentativa de "compra" de dois jogadores da equipe aguiana por empresário ligado ao Santa Cruz de Recife, os jogadores se uniram e, mesmo com os salários atrasados, decidiram que aquele jogo seria o "jogo da vida" deles.
O Paysandu até que merecia um resultado melhor contra o Icasa. Atacou, obrigou o goleiro da equipe cearense a fazer grandes defesas, mas perdeu o jogo por 1 tento a zero. Com a derrota e com uma vitória do Santa Cruz em Marabá, iria ter que se conformar com a permanência na Série C.
Mas o time de Galvão, mesmo com as críticas dos torcedores, teve uma grande atuação e venceu o poderoso e rico Santa Cruz, tirando a equipe pernambucana da classificação. 
A vitória do Águia, além de classificar o Paysandu, também proporcionou a permanência da equipe marabaense na Série C, algo de muito significativo para a equipe de João Galvão, que é uma das de menor custo dentre todas que postulavam a ascensão à Série B.
Por tudo isso, o Águia merece todo o nosso respeito. E muito mais ainda: o reconhecimento de dirigentes e torcedores biclores.

A história da "demissão" de Lucena da Tuna

Fontes das mais fidedignas garantem que o técnico Carlos Lucena, que estava certo assumiria a Tuna no último dia 22,  "foi demitido antes de assumir", tipo três dias antes, 19 de outubro. Uma ligação do Diretor de Futebol para Carlos Lucena, que havia chegado do interior já com alguns nomes para o time profissional em sua agenda, definiu a sorte do técnico que tem a cara da Tuna.
Lucena iria ganhar tipo dois ml reais por mês na Tuna e havia aceitado tão baixo salário pelo carinho e respeito que tem pelo clube luso. Toda a família de Lucena torce pela Tuna e ele iria voltar para o Ninho da Águia certo de que iria fazer um grande trabalho.
Lucena poderia ser  a salvação da Tuna
A não negociação entre Tuna e Lucena pode ter a ver com a saída de Fernando Chipelo da Águia. Chipelinho era  quem  havia convidado Carlos Lucena para voltar à Tuna. Por outro lado, fala-se que o  atual Diretor de Futebol da equipe Lusa está muito envolvido com um dirigente do Bancrévea, que sonha em ser presidente da Tuna, e já está "plantando" notícias em colunas de esportes de jornais locais. E mais uma aventureiro que quer pousar de para quedas na Tuna.
Infelizmente, não existe, como já postamos aqui, uma preocupação com o Clube e tampouco com os esportes da Tuna. Nem mesmo com o futebol, que é o carro chefe entre todos os esportes da Águia do Souza. Até o momento, há dois meses do início do Campeonato Paraense de 2013, não se sabe quem será o técnico da equipe profissional, tampouco a equipe  lusa para disputar o campeonato de 2013. Uma faixa posta em frente ao Clube chama atletas amadores para uma "peneirada". 
Interesses pessoais, falta de diálogo e muito egocentrismo infelizmente podem levar novamente a Tuna para o beleléu, o que para os torcedores cruzmaltinos significa dizer mais um ano de muito sofrimento.
É hora de trabalharmos juntos para mudar essa  triste realidade.

Compra de votos indignaram CNBB

O belenense espera que o Ministério Público se empenhe e com rapidez haja com relação à compra de votos que definiu as eleições de Belém no Segundo Turno. Até o presente, as muitas denúncias do Primeiro Turno não foram apuradas, quando houve também excesso de compra de votos, mas agora, segundo a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), que definiu o pleito do Segundo Turno como "uma campanha extremamente suja", é necessário que seja feita uma apuração e mostre resultados à população de Belém, que está indignada com o que aconteceu entre a sexta-feira e o domingo.
Foi um total de 279 denúncias ao serviço de "Disque Denúncia" vinculado ao Comitê Estadual do Movimento Nacional de Combate à Corrupção Eleitoral. Do total, 65 foram encaminhadas ao Ministério Público Federal e, segundo a Irmã Henriqueta Cavalcante, todas elas com provas, o que pode fazer o MPF agir, principalmente no item "compra de votos".
A compra de votos pelo grupo vencedor, ou seja, os amarelos, correu e teve votos com valores para todos os gostos:  de 50 até 300 reais, ou seja, os 120 mil votos que se calcula foram "comprados" podem ter custado aos cofres do tucanato (?) mais ou menos em torno de 15 a 20 milhões de reais. Alguns dos aliciadores exigiam que o vendedor do voto fotografasse via celular o momento da votação, para que então recebesse o valor combinado.
A Irmã Henriqueta Cavalcante, que é Coordenadora da Comissão de Justiça e Paz da CNBB, mostrou-se indignada com o que aconteceu, lamentando:"Como um candidato que se comporta dessa maneira pode  se considerar pronto para administrar uma capital?".
Agora é esperar que o Ministério Público, tão hábil na questão de encontrar os culpados do AP 470, haja também na compra de votos dos tucanos e no mensalão do PSDB e do DEM. (A partir de informações da Imprensa).

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Paysandu tem que vencer. Empate é perigoso

Lecheva deve perseguir a vitória
De verdade, não acredito em urucubaca, má sorte e outras fantasias. Acredito sim, em qualidade, talento, competência e personalidade. Então não acho correto espalharem -como estão fazendo por ai- que o Paysandu já está classificado e deve trabalhar para apenas empatar com o Icasa.
Que que é isso, gente. O Paysandu tem que trabalhar intensamente para vencer o Icasa, mostrar que está bem, embalado e que vencer o Icasa fora de casa é quase uma obrigação, porque sela definitivamente a classificação e vai dar mais moral à equipe de Lecheva.
Entrar em campo preocupado apenas em empatar é demonstrar fraqueza,como a gente fala por aqui, frouxura, embora o pior é que isso acontece, muitas vezes na cabeça de torcedor, de técnico e até de jogadores, que acham que já fizeram sua parte e um empatezinho já basta.
Me chateia a própria Imprensa ficar manchetando matérias por aí defendendo um empate. Coisa ridícula!
Penso diferente. Acho que a situação do Paysandu é boa mas não é assim tão excelente. Mesmo que para passar para a próxima fase necessite de apenas um empate e que pode até se classificar com uma derrota -aí dependendo do Águia vencer- o ideal é entrar em campo para vencer. Procurar empatar é perigoso, pois pode de repente ser surpreendido com um gol do adversário e a partir daí ter que sofrer esperando que o Águia ganhe do Santa Cruz, fato que é praticamente impossível, principalmente pelas últimas atuações da equipe dirigida por Galvão.
Vencendo o Icasa o Paysandu estará tranquilo entre as quatro equipes que farão a próxima fase da Série C, juntamente com Fortaleza, Luverdense e o Santa Cruz, que independente do resultado com o Águia, estará classificado.
Esse que deve ser o discurso na preleção de Lecheva aos seus comandados. O resto é perfumaria!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Lucena não se apresentou e Tuna quer Samuel

A propalada apresentação de Carlos Lucena na Tuna Luso Brasileira dia 22, como foi anunciada e até garantida a este escriba, não aconteceu. E hoje cedo, já soube de fato novo: dirigentes da Lusa, segundo fontes, ainda não decidiram realmente se será Lucena o técnico cruzmaltino para o Campeonato Paraense de 2012.
Enquanto a indecisão continua, os atletas cruzmaltinos do Sub-20 e os que estavam emprestados, retornam na segunda-feira, 29, ao clube. Na oportunidade, os atletas serão recebidos pelo técnico interino Marajó, que ficará respondendo pelos treinamentos técnicos da equipe até que se defina quem será o novo treinador.
De última hora recebo a notícia de que próceres cruzmaltinos estão tentando trazer de volta à Tuna o técnico Samuel Cândido, que em agosto assumiu a direção técnica do Parauapebas Futebol Clube, visando a preparação da equipe para o Campeonato Paraense de 2013. Memso tentando localizá-lo, não tomei conhecimento se Cândido -na opinião deste escriba um dos melhores técnicos que temos- está disponível, pois chegou em Parauapebas com muito prestígio. Se ainda estiver trabalhando na equipe municipal, não será muito fácil trazê-lo, pois além da questão salarial, Samuel gosta de trabalhar com um projeto novo e em Parauapebas ele deve estar com muito prestígio para deixar assim de repente.
Vou acionar minhas fontes para saber se até o final de semana vai acontecer novidades no Ninho da Águia.

Beto critica Zé Carlos e apóia Edmilson 50

Beto agora é Edmilson 50
Beto do Comércio, o mais votado candidato a vereador pelo PV em Belém se afastou do partido. Beto teve uma excelente votação,  conseguiu 2096 votos, mais de que o dobro do candidato Zé Carlos Lima, presidente do PV, que teve somente 1041 votos. Apesar da ótima votação, Beto não foi eleito, e insatisfeito com os rumos que tomou seu partido, deixou o PV e já está envolvido na campanha de Edmilson Rodrigues, do PSol.
Beto explicou a este escriba porque deixou o PV e passou a trabalhar na campanha para eleger Edmilson, do PSol:  "Não entendi a tomada de posição do presidente do partido, Zé Carlos Lima, tampouco do Zé Francisco, que foi candidato a vice do Jordy. Eles, após a eleição, reuniram com o Zenaldo e fecharam apoio no Segundo Turno, inclusive colocando o meu nome, embora sem me consultar. Quando soube, preferi não seguir a "cartilha" conservadora do presidente Zé Carlos, e me desliguei do partido, pois não ia aceitar me vender ou venderem meus votos para uma candidatura que eu discordo", falou Beto.
Beto do Comércio agora está trabalhando direto para eleger o candidato Edmilson 50 e diz que não concorda com a postura do presidente de seu partido, que não usou da democracia para escolher o que e melhor para Belém. "Zé Carlos preferiu negociar. E isso eu não aceito", desabafou o jovem candidato que tem um grande futuro como liderança em Belém.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Um poço de amenidades

Aviso aos navegantes:
Conhecido colunista, candidato a uruburólogo e porta voz da direita mais reacionária, estranhamente escreveu em sua "calúnia" de hoje, um monte de amenidades, tipo "coluna social de bairro periférico".
É que o veterano homem de imprensa, ex-militante do Partido Comunista, já tinha escrito suas bem (?) traçadas com 99% do texto descendo o malho no ex-deputado Paulo Rocha, que ele acreditava  (piamente!) ser condenado, quando de repente (não mais que de repente!), soube da absolvição do militante petista.
O ex-comunista que (como ex-padre, ex-cristão, ex-católico) odeia seu passado, teve que reescrever toda a coluna. 
Antes, bateu na mesa e xingou alto.
Deu até pena. Seus leitores encheram sua caixa de emails querendo saber na verdade o que houve. 

Tuna e Time Negra sábado no Souza

Sábado é dia de futebol feminino. E dia de decisão para a vaga final. A Tuna Luso Brasileira,  a partir das 9,30h  enfrenta o Time Negra no Estádio do Souza. A Águia, que terminou a primeira fase com 10 pontos, invicta, joga pelo empate.
No outro jogo o Esmac Ananindeua enfrenta a poderosa equipe do Sport Belém, com jogo programado  também para 9,30h no Estádio do Seju. O Esmac está com 10 pontos, com três vitorias e um empate, enquanto o Sport Belém está com 12 pontos, com quatro vitórias.
Para essa partida decisiva, a técnica da Tuna, Aline Costa, espera contar com todas as jogadores titulares, pois uma vitória ou um empate dará direito à Tuna  de disputar a final com o vencedor de Esmac  e Sport Belém.
É importante que a torcida cruzmaltina prestigie essa partida entre Tuna e Time Negra. As meninas cruzmaltinas precisam de apoio e incentivo nessa luta para conseguir ganhar novamente o título do futebol feminino.

Série D pela janela: o sonho acabou

Aviso aos navegantes:
O Remo embora não tenha tido sucesso na Série D, parece que gostou da experiência de entrar no Campeonato sem mérito,  sem conquistar a vaga em campo, ou seja, na base da moleza, sem fazer esforço. Tipo como aconteceu com a vaga comprada ao presidente do Cametá.
Com a diminuição do número de equipes para a Série D do próximo ano, de 40 para 32 participantes, ou seja em cada estado entra uma equipe e mais os quatro rebaixados da Série C, perfazendo aí 31 equipes, sobrando a 32ª vaga, o clube azulino já estava sonhando acordado, pensando em conquistar a última vaga pelo mérito do Ranking Nacional de Clubes. 
Só que os dirigentes azulinos bateram com os beiço na porta. Conforme notícias em alguns sites esportivos, a vaga já está garantida para uma equipe paranaense, que pode ser o Cianorte, ou para um clube paulista.
Sendo assim, o tal leão vai ter que ralar, porque no próximo ano não vai ter moleza de Cametá vendendo vaga mais não.

Bastidores esquentam Águia e Santa Cruz

Considero muito preocupante essa denúncia do Águia de Marabá de que um empresário e torcedor do Santa Cruz fez proposta indecente para dois de seus jogadores. O Águia está batendo à porta da Série D, o Santa Cruz, equipe que investiu pelo menos duas vezes mais que a modesta equipe marabaense, está também na alça de mira para não se classificar. Mas nada justifica chegar ao ponto de tentar forçar a barra tentando comprar a dignidade de profissionais que mesmo humildes, são pais de famílias e merecem todo o nosso respeito. Se o fato for comprovado, foi uma grande vacilada, principalmente no período em que se vive hoje, de modernidade tecnológica que permite que qualquer tipo de transação errada pode ser  facilmente provada.
O acusado pelos jogadores do Águia, empresário Rafael Monteiro, que a Imprensa diz ser torcedor fanático do Santa Cruz, se tomou a iniciativa de fazer a proposta indecente aos jogadores Analdo e Roberto para "afrouxarem" o jogo para o Santa Cruz chegar à classificação, é  passivo de processo por tentaiva de aliciamento, e é importante que a diretoria do Águia, além da justiça comum, com apoio jurídico da FPF, leve o caso às barras da CBF,  para descobrir se a "idéia de jerico", como dizia minha avó, de tentar aliciar os atletas aguianos por R$ 15 mil partiu da cabeça do empresário ou da diretoria do Santa Cruz, que é o principal interessado em que o Águia perca a partida.
No mundo do futebol sabe-se existe o chamado "homem da mala", que pode prometer um prêmio como incentivo á qualquer equipe que joga sem muita responsabilidade, e até para tentar corromper jogadores, embora esta segunda hipótese seja bem mais difícil nos dias de hoje.
Mas não custa nada as autoridades apurarem a denúncia com seriedade e que o fato sirva como incentivo ao time do Águia, que mesmo jogando no próximo domingo sem alguns titulares, a partir de agora tem obrigação de de "virar bicho" em campo e impedir que o time pernambucano, tenha ou não culpa no cartório, não vença a partida em Marabá.
E aos grandes jogadores e excelentes cidadãos Analdo e Roberto, os parabéns pela postura. 

Remo vence IV Regata e já é campeão 2012

Com o final da IV Regata hoje pela manhã no Ver-o-Rio, quando o Paysandu ganhou o Oito Gigantes e o Remo levou o Four, graças à desclassificação do bicolor, e a Tuna levou os dois segundos lugares, o Remo termina como o Campeão da IV Regata.
A IV Regata foi iniciada domingo, paralisada por causa dos ventos fortes na Baía do Guajará, e terminada hoje pela manhã. A equipe azulina já totaliza 116 pontos, pontuação impossível de ser alcançada por Tuna e Paysandu, portanto o Remo já pode ser considerado antecipadamente o campeão da Regata de 2012. 
Este escriba posta isso, embora matematicamente ainda exista chances do clube azulino não levar o título. Mas isso só aconteceria se dos 11 páreos que serão disputados na próxima regata que será realizada no dia 2 de Dezembro, ele não vencesse nenhum  e também não chegasse em segundo lugar em nenhum dos páreos, o que é impossível. A não ser que o Remo não dispute a próxima regata. 
Sendo assim, podem anotar: o Remo é o campeão de Regata de 2012.
O sucesso do Remo na Regata esse ano se deve ao trabalho que está sendo feito pela diretoria náutica azulina, que conta com apoio de Beneméritos, Grandes Beneméritos e algumas empresas que apostaram na competência do diretor náutico. Isso nós companhamos esse bonito e emocionante esporte, temos que reconhecer.
Lamentavelmente, na nossa Tuna Luso Brasileira está faltando isso. E mais muitas outras coisas! Infelizmente a nossa Águia, que muitos que estão de fora, imaginam ser um clube rico, não é rico hoje nem na estampa. Os mais aquinhoados financeiramente, que todos conhecemos e sabemos têm condições econômicas e poderiam apoiar o clube cruzmaltino, fazendo um mutirão para salvação do social, dos esportes amadores, da nossa outrora vencedora equipe Náutica e até do futebol, infelizmente nem frequentam o Clube, embora sempre tomem partido no dia das eleições. Ajudam a eleger, depois enxergam o erro que cometeram e partem para o pior: cruzam os braços, abandonam de vez.
E assim "pasan los dias, los años"
Pobre de minha querida Tuna!

Contra as baixarias tucanas, vote 50!

Edmilson 50 é a força do povo!
A história se repete. Como em São Paulo, onde o candidato tucano desesperado passou a atacar  Hadadd de todas as maneiras -inclusive apelando para os kits escolares da época em que o candidato petista era ministro da Educação, demonstrando com isso o mais elevado grau de homofobia -em Belém o tucano parte para o ataque com toda a venalidade e o maquiavelismo do partido emplumado.
As propostas, tão cobradas pelo povo,  não existem no programa do candidato tucano, um ser ao que parece estranho à educação, à escola, ao conhecimento. Agora, através de montagens de recortes de jornais, o desesperado boneco "filhinho de mamãe" ataca Edmilson Rodrigues. Talvez por não conhecer  sequer os bairros periféricos de Belém, por não saber que a população do Tucunduba, que viveu dias de glórias no governo de Edmilson, viva agora à míngua, abandonada pelo candidato da "antiga" "união pelo Pará".  Que união estranha, hein?
Aliás, eles fiizeram sim, uma união pelo Pará bem à maneira deles. Mas uma união para privatizar Celpa e Cosanpa, uma união para desfazer o que foi feito. Uma união para impedir que o povo tivesse acesso à educação, à saúde, à segurança. Foram e são, na verdade, inimigos dos pobres, do povo trabalhador. Tipicamente o "Robin Hood dos ricos". 
Baixarias não levam à nada. Tanto que em São Paulo, segundo a Revista Isto É desta semana, o próprio alto escalão do tucanato está revoltado, de beicinhos mesmo, com o candidato Serra. Prova disso, é a reunião entre o playboy mineiro Aécio e o "playboy do passado" FHC, no sentido único de "fritar" o eterno "competidor" José Serra. Os Blogs e as publicações garantem que essa é a última participação do veterano tucano. Agora o alto escalão dos emplumados não o querem nem para síndico de prédio. Os mais próximos do ninho tucano garantem que a culpa da "fritura" foi o excesso de baixarias. Tem sentido.
Ninguém gosta de baixarias. Ninguém gosta de jogo sujo. O povo orgulhosamente pode até ser pobre. Mas guarda a nobreza,  a ética, o respeito. Baixaria, jamais.
Quem tinha dúvidas já não tem mais. Quem estava em cima do muro, já levantou o pensamento e chega tranquilo ao 50.
Não entre em baixarias. Não jogue sua elegância, seu respeito na lata do lixo. Aposte no que é melhor para Belém. Vote em quem se preparou para administrar nossa bela Belém.
Faça como Lula, Dilma e este escriba. Aposte no 50. Edmilson Prefeito.

O "filhos" cinquentões de Ziraldo


Nada como homenagear mais uma vez Mestre Ziraldo, colocando "seus filhos" todos cinquentões que compõem a Turma do Pererê. O Saci Pererê e sua turma vieram ao mundo em 1958, mas só em 1962 foi que saiu a primeira edição da Revista do Pererê, embora já circulassem Brasil afora nas páginas da Revista O Cruzeiro, durante muitos anos, considerada a revista semanal de maior circulação na América Latina.
No poster, que lembra muito as antigas fotos de família, aparecem  o Saci Pererê e sua namorada, a Boneca de Pixe; o índio Tininin e sua namorada Tuiuú; O macaco Alan e o coelho Geraldinho; o jabuti Moacir e seu primo o tatu Pedro Vieira; a onça Galileu e a coruja Professor Nogueira. Na "foto" também a empregada da Boneca de Pixe e os caçadores Tonico e Neném.
Essa turma embalou os sonhos de um novo Brasil. São personagens inspirados na fauna brasileira, rica ao ponto de fazer o octogenário Ziraldo Alves Pinto, o grande aniversariante de hoje, imortalizá-los.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Ziraldo oitentão e seu forte time

No mês de meu aniversário, fico feliz não pelo meu natalício (ups!), mas pelo meus vizinhos importantes. Vizinhos que fizeram a cabeça de milhões de brasileiros e também a minha cabeça de garoto rebelde, menino ainda de calça curta, mas curioso, querendo saber e participar de tudo.
Um dos vizinhos ilustres é o nosso incomparável jogador de futebol Pelé. Nasceu hoje, há exatos 72 anos. Não tem quem diga, não é? Tá bem, o Negão. Sem essa de preconceito. Ele é chamado assim pelos mais íntimos. Pelé é indiscutivelmente o maior do mundo. Tem uns invejosos aí, mas ninguém lhe bate. Pode até ser meio chato, melhor calado que falando, mas que na bola foi o bom, ninguém vence este meu vizinho.
O outro ilustre é Mestre Ziraldo, que amanhã se torna oitentão. Este sim, posso dizer de cátedra, fez minha cabeça. Garoto, na faixa dos 10 anos, acompanhava mensalmente as aventuras do Saci Pererê, a primeira revista com um personagem brasileirinho da silva. Corajoso o Ziraldo. Pererê era o Saci e comandava sua turma de animais todos nativos de nossas florestas. Bichos que falavam, discutiam Ns assuntos, que  num período difícil do País, ajudaram na tranformação cultural de jovens. O artista ainda alinhavava a tentativa de uma nova  indústria do gibi nacional, só com personagens brasileiros. Vale lembrar, que  na época, a produção era toda "enlatada". O Pererê, que circulou por muito tempo, foi o primeiro gibi genuinamente nacional. Um herói bem brasileiro. Que lindo, hein?
Depois, juntamente com  um grupo de companheiros jornalistas e artistas como ele (chargistas e cartunistas), criou o Pasquim, o maior jornal alternativo do País. Na empreitada, figuras como Millor Fernandes, Caulos, Jaguar, Henfil, mais Tarso de Castro, Sérgio Cabral e outros. Ziraldo e seus colegar  revolucionaram a Imprensa nanica brasileira. O Pasquim  "iluminou" toda uma geração. Conseguiu viver sem publicidade, só da venda, o que hoje é impossível, principalmente nesse período de verbas públicas.
Ziraldo, 80 anos anos amanhã
Ziraldo é para este escriba um brasileiro diferenciado. Militante comunista, desde cedo envolvido em artes plásticas, cinema, literatura, criação de personagens com cara de brasileiro, esse mineiro de Caratinga que já conheci grisalho, consegue fazer rir e fazer chorar.
Aos 80 anos Ziraldo não é chato. Não ficou velho, rabugento. É muito admirado e amado pelas crianças. Gosta de falar de tudo. De sexo, de futebol. De mulheres. Lembro quando ele fazia aqueles desenhos com bico de pena de mulatas famosas, com proeminentes traseiros. Coisa de artista gráfico, que ele é simplesmente fantástico.
Ziraldo continua polêmico. Gosta de brigar. No bom sentido. Fala e não tem medo. Trabalha diariamente, talvez não por necessidade, mesmo porque é um abastado aposentado, inclusive com pensão por ter sido perseguido políticamente. Mas por prazer.
Gosta de produzir e produz diariamente. É o traço mais conhecido do Brasil, tenho certeza. É lúcido e livre. Adora ser um homem de 80 anos cheio de amigos, todos na mesma faixa. Que bom, que deve ser o papo de seus amigos, todos intelectuais tipo Sérgio Ricardo (músico, cineasta e artista plástico);  Zuenir Ventura (escritor);  Alberto Dines,(jornalista e escritor);  Roberto Farias (Cineasta). Ferreira Gullar (poeta e escritor); Antonio Abujamra (ator e produtor cultural); Jaguar (cartunista) e outros, que formam um time de octogenários que conhecem de tudo de nosso país, de nossa cultura, de nossa política e de nossas artes.
Um time de grandes brasileiros.

Santa Cruz e Paragominas. Deu a lógica!

Paragominas e Santa Cruz de Cuiarana, as duas equipes classificadas para a Primeira Fase do Campeonato Paraense de 2013, que se inicia em dezembro, foram as que mais investiram na Segundinha. Lógicamente, como prêmio, tinham que se classificar. Agora, já devidamente classificadas, vão se enfrentar na decisão de quem será a equipe campeã da Segunda Divisão. Ambas têm méríto, podem crer.
Mas para serem consideradas equipes competitivas, ainda tem um porém. Mesmo que tenham feito um investimento quase no nível de Paysandu e Remo, contratando jogadores novos, veteranos, em fim de carreira, etc., as duas equipes ainda não está definidas como as que participarão da Primeira Fase do campeonato paraense, que começa em Janeiro. Agora que se classificara,  terão que se juntar às equipes de São Raimundo, Brangantino, Castanhal, Independente, Parauapebas e Abaetetuiba.
Na Primeira fase, as oito equipes jogarão entre si e dai é que sairão duas que se juntarão à Tuna, Remo, Paysandu, Cametá, Águia de Marabá e São Francisco, que são as oito equipes que compõem o que se chama de Campeonato Paraense propriamente dito.
Nessa Segundinha aconteceu o esperado: as duas equipes de quem se esperava maior sucesso, fizeram sua parte e estão aí na Primeira Fase do Parazão. Das equipes consideradas fracas na Segundinha, houve surpresa na atuação do Ananindeua e do Isabelense,  essa última, disputou a semifinal com o Paragominas e se vence teria tomado o lugar da forte e bem estruturada equipe do nordeste paraense. 
Pelo andar da carruagem, tanto Paragominas como Santa Cruz de Cuiarana têm grandes chances de figurarem entre as equipes principais do Parazão 2013. Seus dirigentes investiram em atletas, proporcionaram infra estrutura à Comissão Técnica e até no quesito estádios, estão bem servidas. Não é certo que figurarão no Parazão 2013, mas como têm chances mais que seus adversários, já estão se preparando para possivelmente enfrentar equipes consideradas históricas no futebol paraense, como Tuna, Remo e Paysandu, as mais tradicionais do Estado,  além de Águia de Marabá e o campeão Cametá. 
Mesmo com a insistência de apenas oito equipes, o que acho pouco para nosso futebol,  o Parazão 2013 tem tudo para ser mais movimentado do que o deste ano, que realmente foi fraco, sem a famosa movimentação das três principais equipes, que mais uma vez perderam em qualidade para o interior, que foi o grande destaque com Águia de Marabá e o campeão Cametá.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Fluminense e Atlético: uma partida histórica!

Fred é o artilheiro isolado do Brasileirão
Depois do espetacular jogo de ontem entre Atlético Mineiro e Fluminense, quando o Galo "cantou" bem mais alto em seu terreiro, começo a imaginar que não tem nada certo ainda sobre quem será o futuro campeão brasileiro. O Fluminense está -como já postamos aqui- muito bem no Campeonato, com o time bem aplicado e sem dúvidas com o melhor elenco do país; mas o Atlético Mineiro está vivinho da silva, principalmente depois dos dois últimos resultados do Pó de Arroz: um empate e uma derrota, fazendo com que o número de pontos tenha diminuído para seis entre eles,  e voltou a sonhar com o título. Um pouco mais atrás, com 59 pontos, 10 a menos que o Fluminense, o Grêmio de Luxemburgo também despertou para a possibilidade de levantar a taça. A briga pelo título, de repente, ficou mais emocionante.
Mas sobre a partida de ontem entre Atlético e Fluminense, fiquei feliz por mais um espetáculo do nosso futebol. Um show de grandes craques, grandes jogadas e um desfile de ótimos goleiros, além de dois técnicos que souberam duelar com muito talento e graças à grande categoria de alguns atletas, como Ronaldinho Gaúcho, Jô, Leonardo Silva e Bernard, pelo Galo e Diego Cavallieri, Wellington Nem, Gum  e Fred, pelo Fluminense podemos dar para o grande clássico brasileiro uma nota 10. E é porque ontem craques como Deco e Thiago Neves, pelo Fluminense, e Neto Berola, pelo Atlético, não tiveram uma grande atuação.
O jogo foi disputado palmo a palmo. Foi, a meu ver, uma das melhores atuações de Ronaldinho Gaúcho depois que voltou ao Brasil. Aliás, depois que deixou o Flamengo, Gaúcho vem reencontrando seu verdadeiro futebol. 
O resultado de 3 a 2 para o Atlético mostrou porque os dois estão em posições tão próximas e tão privilegiadas no Brasileirão. Fred, que fez seu 100º gol pelo Fluminense e o 16º no Brasileirão, sendo o artilheiro isolado da competição, terminou meio chateado com as críticas que apareceram nas faixas no Estádio Independente. Sobrou para seu amigo Cuca, que vinha criticando o possível favorecimento do Comitê de Arbitragem ao Fluminense. "Cuca é meu parceiro, mas ultimamente tem sido meio fanfarrão", disse Fred chateado. 

Regata não terminou. Mas Remo lidera

Mesmo com a paralisação da IV Regata nos dois últimos páreos - o Four Skiff Sênior e o Oito Gigantes- o Remo pode ser considerado o campeão da Regata, que realizou-se ontem nas águas da Baía do Guajará.
A regata de ontem começou com mais de uma hora e atraso. Segundo o presidente Luizomar Costa, o atraso se deu devido a lancha batedora que foi contratada para chegar antes da 8 a manhã, mas que não chegou, forçando a direção da Fepar a providenciar outra em cima da hora.
O Remo começou vencendo logo o primeiro pa´re, com a Tuna chegando em segundo lugar, No segundo páreo,  o Double Skiff, Remo e Paysandu não alinharam, a Tuna remou só e faturou os quatro pontos,
Ventos fortes e a maré bastante agitada impediram que a Regata fosse de pleno sucesso. Mas, como vem acontecendo desde a primeira regata do ano, o Remo conseguiu se sobressair sobre Paysandu e Tuna e conseguiu, nos nove páreos disputados, vencer  cinco primeiros lugares, enquanto a Tuna venceu três e o  Paysandu conseguiu ganhar apenas um.
O Remo, com o resultado parcial da regata de ontem, quando conseguiu somar 25 pontos, continua em primeiro lugar com 112 pontos. O Paysandu ainda está em segundo, com 88 pontos e a Tuna em terceiro com 80 pontos.
O presidente da Fepar garantiu que os dois páreos restantes, o Four Skiff  Sênior e o Oito Gigantes, serão realizados às 6,30 da manhã desta quarta-feira no Ver-o-Rio. Qualquer pontuação que o Remo fizer lhe dará o título de campeão da IV Regata e praticamente a certeza de antecipadamente campeão do ano de 2012.
Lamentável, o que está acontecendo no esporte náutico paraense. Dirigentes cruzmaltinos não estão investindo nem tampouco incentivando de maneira nenhuma a Rainha do Mar no esporte onde a Tuna tem mais destaque em toda a sua história. Sem Diretor Náutico, a equipe cruzmaltina vive sob o esforço de José Wildemar, o Lindão, que faz as vezes de técnico, diretor e atleta. Uma pena!

Paysandu praticamente dentro. Viva Lecheva!

Há mais ou menos dois meses postei aqui que os times que a meu ver ficariam entre os primeiros no Grupo C da Série C, onde estão Paysandu e Águia, seriam Santa Cruz, Fortaleza, Paysandu, Icasa e Águia de Marabá, talvez. Confesso que não imaginava que o Luverdense avançasse tanto. 
Lecheva: misto de humildade e talento
Depois, com o desenrolar da competição, perdi totalmente a confiança em Paysandu e Águia. No time de Belém por causa das mudanças de técnico e o natural descomprometimento desses profissionais e da maioria dos jogadores que insistem em trazer. Confesso que bati com o beiço na porta. Aliás, mais ou menos. Só errei com relação ao Luverdense, porque a terceira e quarta vagas ainda estão para ser definidas entre Paysandu, Santa Cruz e Icasa. Um deles vai "rodar", e espero que seja o Santa ou o Icasa.
A mudança que aconteceu com o time do Paysandu, que gerou as vitórias que a equipe necessitava, como a  de ontem por 4 a 0 frente ao Carcará do sertão pernambucano, mudança que podemos qualificar como da água para o vinho, em poucas partidas, me dão até a alegria de haver errado em relação de sua possível classificação ou não, como acreditava com certeza. Uma equipe que traz um técnico já "macaco velho" como Givanildo na tentativa de salva a pátria, tendo a salvação à sua frente, não merecia de maneira nenhuma a classificação. O Paysandu se conseguir a classificação (agora bem mais fácil), deve agradecer à honestidade e à grandeza de Givanildo, que se "tocou" de disputar seis partidas e não vencer nenhuma, e optou inteligentemente por sair, deixando a porta aberta para o futuro, e ainda apontar aquele que seria -como este escriba sempre pregou- o verdadeiro "salvador da pátria": Lecheva.
O Paysandu para figurar entre os quatro primeiros só depende de um empate contra o Icasa. O jogo é fora, lá em Juazerio do Norte, mas mesmo se acontecer do time bicolor perder, ainda tem a seu favor um empate ou derrota do Santa Cruz contra o Águia em Marabá. Está tudo favorável ao time da Curuzu.
Agora a situação do Águia é que é das mais difíceis. Para não cair, tem que vencer ou no mínimo empatar com o Santa Cruz. Se acontecer a segunda hipótese, terá que torcer para Salgueiro e Cuiabá não empatarem e deixá-lo na rua da amargura ao lado do Guarany de Sobral. Triste sina!

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Domingo é dia de Regata na Estação

O Campeonato Paraense de Regatas prossegue neste domingo, na Estação das Docas, com a IV Regata. Tuna, Remo e Paysandu vão alinhar os 11 páreos, o que promete um duelo dos mais acirrados nas águas da Baía do Guajará.
A Tuna atualmente está na terceira posição com 62 pontos e segundo o diretor técnico José Wildemar, o Lindão, a Águia tem chances de ser campeã, basta pontuar bem nesse 4ª Regata e se preparar para a última.
"Não é difícil a gente chegar à pontuação deles. Atualmente estamos com 62 pontos, a 25 do Remo e a 11 do Paysandu. Basta que façamos uma boa Regata, ganhando pelo menos seis páreos que dá para atingir a uma pontuação que nos permita, com muito esforço, na próxima Regata,  chegar ao título, diz Lindão.
Atualmente o Remo lidera o Campeonato com 87 pontos. Na última Regata a Tuna ganhou cinco pares, embora só tenha alinha do oito. Alinhando os 11 páreos a Águia espera ganhar pelo menos seis, e pontuar nos outros com segundo e terceiros lugares.
"O negócio é alinhar os 11 páreos, pois o que ganharmos, somando com o que faturarmos com os segundo e terceiros lugares poderemos chegar à próxima Regata bem próximo do primeiro lugar", diz Lindão.

Brasil sofre com falta de leitura, diz presidente de editoras universitárias

Brasil sofre com falta de leitura, diz presidente de associação de editoras universitárias
A falta de leitura é um dos maiores problemas no Brasil. A afirmação foi feita pelo presidente da Abeu (Associação Brasileira das Editoras Universitárias), José Castilho Marques Neto, durante sessão solene do Congresso Nacional em homenagem aos 25 anos da instituição. Para ele, o Brasil ainda está longe de se se tornar um "país leitor".
"Se centrarmos esforços cada vez maiores em relação à formação de leitores, seguramente nós teremos um país melhor, um país que se compreenda, que estimule o diálogo, preserve a democracia de maneira consciente, de maneira cidadã, plena", afirmou.
A difusão da leitura, segundo Marques Neto, é um dos objetivos da associação, criada com a missão de fazer circular o livro universitário. Segundo o diretor, é hora de o Brasil profissionalizar o trabalho dos editores e reconhecê-los como um elemento constitutivo de difusão da ciência. Assim, as editoras universitárias poderiam ter um status que já têm em países como a Inglaterra, em que a editora é uma das finalidades da universidade.
"Que tenhamos também expostos os nossos autores científicos, os nossos pesquisadores para mostrar que fazemos aqui pesquisas de ponta, pesquisas que têm alto nível de densidade social e que podem contribuir para o desenvolvimento internacional".
Para atingir esse objetivo, o presidente da associação afirmou ter proposto ao senador Cristovam Buarque (PDT-DF) projeto com o objetivo de definir, em lei, os objetivos das editoras universitárias no Brasil. O projeto, segundo Marques Neto, está em estudo e logo poderá tramitar no Senado. (Direto do UOL)

Edmilson massacrou o tucano

Se a eleição em Belém  fosse hoje e se debate decidisse o pleito, o Edmilson era o prefeito com larga folga, de goleada. O candidato do governador, ex-aliado do Duciomar, a quem elegeu no pleito passado, perdeu   feio no debate da RBA ontem. Fraco, sem preparo, briguento, sempre tentando uma pegadinha, arengando o tempo todo, Zenaldo foi o que todos nós já sabíamos: um candidato fabricado, sem conteúdo, sem propostas claras, apenas produto de uma vaidade pessoal de seu conservador partido, que insiste em fazer o Brasil retroagir, ou seja, voltar à época em que eles comandaram o País e boa parte dos estados, período difícil em que a nação andou para trás.
Zenaldo  ontem não soube explicar sempre estar do lado de Duciomar, e de um minuto para outro achar o outro amarelo "incompetente e decepcionante".  Quis fugir da ligação quase umbilical que ele e seu governador sempre tiveram com Duciomar. Que além de elegerem Dudu prefeito duas vezes, elegeram também o atual prefeito de Belém Senador.
O tucano, emplumado mas provocador, rebatendo Edmilson que foi quem criou o Saaeb, alegou que o serviço não é bom, não funciona, e disse que, se eleito,  faria parceria com a Cosanpa. Mas a Cosanpa é justamente o que falta para eles -os tucanos- privatizarem; mas já está nos planos deles.
O tucano saiu pela tangente quando Edmilson quis saber o que ele achava da privatização da Celpa. Para descontrair, saiu-se com a ironia: "daqui a pouco ele vai falar que eu que inventei a bomba atômica". O tucano quis dizer que não tinha responsabilidade, pois era apenas deputado. Edmilson retrucou: "você tem culpa porque na época era presidente da Assembléia, e como presidente de um poder autorizou a privatização de um patrimônio público". O tucano ruborizou mais uma vez.
Edmilson 50.  O candidato do povo de Belém
O peessedebista não conseguia emplacar uma vitória com Edmilson. Infantilmente, perguntou se havia partido de Edmilson a ordem:" Zenaldo vai apanhar como nunca", declaração supostamente atribuída a seu marqueteiro no domingo. "Pergunte a ele ou a repórter. Eu não respondo por declaração de ninguém. Pergunte ao marqueteiro", respondeu tranquilamente Edmilson.
Zenaldo mostrava-se cada vez mais tenso, nervoso e mesmo quando citava o governo anterior de Edmilson, de oito anos, perdia-se nas impensadas provocações. Em um dos momentos do debate, quis usar mais uma pegadinha com o psolista:
"O senhor veiculou durante o Cirio que eu ganhava não sei quanto por ano. O senhor também não ganha como deputado", provocou o tucano. Edmilson respondeu: "ganho 13 mil líquidos mais verba  para contratação de assessores. Agora eu provo que não sou gazeteiro, e mesmo candidato não faltei nenhuma sessão na AL e lhe afirmo que sou o deputado mais produtivo da Assembléia".  E continuou: "fui o deputado que mais apresentou projetos, que mais se pronunciou, além de ter sido recordista em presenças. Não é errado falar a verdade" disse Edmilson. Zenaldo, que é um dos maiores gazeteiros, tentou se limpar dizendo que se licenciou para disputar a prefeitura.
Edmilson foi seguro, frio e não aceitou nenhuma provocação do tucano. Nos assuntos Saúde e Educação, Edmilson mostrou suas propostas, como a construção de hospitais e parabenizou os professores, se incluindo como mestre e esperou que Zenaldo mentisse como na propaganda dele que diz que "dei aulas".
No item creches, que o tucano vinha falando que construiria apenas cinco, Edmilson mostrou conhecimento e falou da real necessidade de Belém, provando que como estudioso, conhece os problemas.
Edmilson falou da volta da Bolsa Escola, Sementes do Amanhã, Escola Circo, e de sua trajetória de luta desde a juventude, de origem humilde. 
O tucano, perdido, falou sobre crianças da Escola Circo, que vivem nos sinais.  Edmilson respondeuu:  "O senhor não sabe o que é pobreza, deputado. Não sabe o que é fome. Vamos voltar com a Escola Circo e com isso tirar novamente crianças da rua, ao contrário do que fez o prefeito que o senhor apoiou, que acabou com tudo". Zenaldo a cada explanação de Edmilson ficava perplexo tremendo, literalmente amarelo.
No debate de ontem  Zenaldo mostrou que não tem competência para administrar Belém. Que como político, usa o mesmo traquejo que Duciomar usava, o populismo. Não conhece os problemas de Belém porque nem anda na cidade, não conhece as baixadas e vielas. Nunca havia visitado as áreas pobres, humildes de Belém. Edmilson desmascarou o tucano, mostrando à população que a história que ele vem massificando de união é conversa fiada. A união famosa (União pelo Pará) não deu certo. A união de agora, com oportunistas, também não pode dar certo. União tem que ser com o povo, com os trabalhadores e a população de Belém, como prega Edmilson Rodrigues 50.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Fluminense e Grêmio, um grande espetáculo

Como este escriba previu, o jogo entre Fluminense e Grêmio foi um espetáculo de futebol. As duas equipes mostraram porque estão bem posicionadas no Brasileirão: o time carioca em primeiro e a equipe gaúcha do técnico Luxemburgo, em terceiro, a dois pontos do segundo colocado, o Atlético (MG). O resultado de 2 a 2 foi justo, mostrou que a equipe que tem o melhor elenco do Brasil e o time que tem o melhor técnico  brasileiro quando se encontram fazem o espetáculo.
O Grêmio começou sem seu artilheiro, o centro avante Marcelo Moreno, mas mesmo assim já entrou em campo mostrando que foi ao Rio para vencer o líder Fluminense. Elano voltou com fome de bola e a zaga com a volta do líbero Gilberto Silva ganhou mais segurança.
O Fluminense contou com a volta do genial Deco, que tentou várias vezes lançamentos para a grande área na esperança de encontrar o artilheiro Fred, louco para fazer seu gol de nº 100 pela equipe. Mas ontem não deu para o artilheiro brasileiro.
Foi o Grêmio que abriu o placar numa falta batida com maestria pelo meia Elano, que conseguiu enfiar a bola entre os zagueiros, rasteira, sem chances para o goleiro Diego Cavallieri. 
O gol não mexeu com o Fluminense, que conseguiu empatar em menos de cinco minutos após o gol de Elano, através de Digão aproveitando escanteio.
Mostrando porque está na liderança o Fluminense fez seu segundo gol quatro minutos depois de empatar, num chute que nem o goleiro Marcelo Grohe esperava. Um tirombaço de perna esquerda do meio da rua.
O Grêmio teve contra si a expulsão do centro avante Marcelo Moreno, que passou menos de um minuto em campo. Ele deu uma cotovelada em Rafael Sobis, sem bola, e sem titubear o árbitro Sandro Meira o expulsou. Mesmo com um homem a menos, Luxemburgo tranquilizou seus atletas e num lance conseguiu o empate, através do veterano Zé Roberto, que aproveitou o rebote do goleiro Cavallieri, convertendo para os gaúchos.
O Grêmio foi mais aguerrido, mostrou raça e talento. Por ironia está praticamente fora da disputa do título. Mas é quase certo estar na Libertadores. 
O espetáculo valeu. Uma partida entre dois gigantes, com dois excelentes técnicos e atletas determinados.
O Fluminense, que sempre reputei ter o melhor elenco do nosso futebol, caminha célere rumo ao titulo. É quase impossível não ser o campeão de 2012. Mas isso o Pó de arroz merece.

Boas brigas; boas causas

Por Charles Alcântara

Não escolhemos os inimigos, mas as causas.
Os inimigos fazem parte do pacote. E não há como evitá-los.
É com essa certeza que eu retomo o meu blog, lançado em julho de 2008 e, dias depois, interrompido.
Com visual diferente, ainda provisório, mas com o mesmo compromisso expresso nas linhas da seção “política do blog”.
E já começo abraçando uma causa.
Refiro-me às eleições de cujas urnas emergirá o próximo prefeito de Belém, da Belém 400 anos.
Eu voto em Edmilson.
Voto, não por que Edmilson seja perfeito, muito longe disso; não por que Edmilson esteja acima do bem ou do mal; não por que Edmilson esteja imune a críticas ou a contradições.
Voto em Edmilson, exatamente por que Edmilson não sufoca os defeitos que lhe caracterizam, embora muitas vezes seja convidado ou instado a fazê-lo.
Edmilson é um homem apaixonado, exagerado, intenso, arrebatador.
Edmilson é insubmisso, inquieto, rebelde, lutador.
Voto em Edmilson pelas razões que tanto incomodam essa nossa elite preconceituosa, egoísta e cínica.
Edmilson é de briga, sim!
Das boas brigas que toda grande causa exige.
Edmilson é igual a mim e a todos que, pelo menos algum dia na vida, ousaram desafiar o poder e o sistema que oprime gentes e manipula mentes.
Mas com quem brigamos, afinal?
A quem tanto contrariamos?
A quem tanto ameaçamos?
Certamente não é ao povo trabalhador.
Edmilson é, mais do que tudo, um pacifista, pois é pacifista todo aquele que briga por justiça e por liberdade.
No outro extremo, por mais aparentemente belo que seja o discurso de paz e de união, quem se omite, condescende ou apóia o preconceito e a exclusão social, é, em verdade, tirano e covarde, pois não há paz sem voz e sem luta.
Edmilson é coração, é pulsação acelerada.
Edmilson é de verdade, não um personagem.
Edmilson é humano, exageradamente humano, não um humanoide.
Edmilson é um dos nossos.
Meu voto é Edmilson!
(Do Blog de Charles Alcântara)

Mais uma obra de arte do craque Neymar


Quem faz um gol como este não precisa mais provar nada para ninguém. Neymar com mais este belo presente aos amantes do bom e belo futebol, definitivamente coloca o futebol brasileiro como o eternamente melhor do mundo. O gol pode ser chamado de uma obra de arte. Do nosso futebol, o melhor do mundo. O resto é segundo plano.
Parabéns ao jovem craque Neymar, e parabéns a nós brasileiros por podermos ter um craque com todo esse talento jogando no nosso País.

Palmeiras vence mas ruma célere à Série B

O Palmeiras deu uma respirada ontem, ao vencer o Bahia em Pituaçu -ou seja, fora de casa-, por 1 a 0, mas nada que signifique que o "Porco" não vá cair para a Série B.
O jogo foi fraco, o Palmeiras não consegue se encontrar em campo e isso dificulta até a esperança de jogadores e Comissão Técnica em reverter a difícil situação.
A equipe agora está com 29 pontos, seis a menos que o Bahia, que é quem está à porta da zona. Isso, mesmo que sejam feitas muitas contas e mostre que matematicamente ainda é possível evitar o pior,  significa dizer que é praticamente impossível o Verdão não cair para a Segunda Divisão. 
É lamentável a situação da equipe verde. Pelo que exibiu ontem, o Palmeiras nem merecia o escore favorável. O Bahia pressionou mas também não mostrou muita coisa. Foi um jogo fraco, em que as duas equipes, talvez ansiosas demais, não mostraram um futebol de qualidade.
Faltando sete rodadas, para não cair para a Segunda Divisão, o Palmeiras teria  (vejam bem, teria) que vencer pelo menos mais cinco compromissos e torcer para equipes que estão mais perto da Zona, como Bahia e Flamengo, não vencerem nada mais dos jogos que lhe restam. Quer dizer, o Palmeiras está realmente numa situação complicadíssima.
Fontes da diretoria do Palmeiras, segunda uma emissora de rádio ontem, já falavam que o negócio é preparar a equipe para o próximo ano. E entrar na Série B para ganhar e voltar à elite.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Grêmio e Fluminense, o jogão de hoje

O jogo entre Fluminense Grêmio pode ser a grande partida de hoje pelo Brasileirão. As duas equipes estão azeitadas, possuem excelentes elencos e os técnicos, tanto o do Fluminense, o grande Abel Braga, como o do Grêmio, o campeoníssimo Vanderley Luxemburgo, são dos maiores da atualidade.
O jogo será no Engenhão, às 19h30, e o bom desse espetáculo é que as duas equipes jogarão completas. O Fluminense, terá a volta de seu maestro Deco, que não jogou a última partida, e de seu excelente meia Thiago Neves, que servia à Seleção Brasileira e não participou da última partida contra a Ponte Preta.
Pelo lado do Grêmio Vanderley  vai contar com o retorno de Gilberto Silva e Elano, que estavam suspensos. O primeiro reforçará o miolo de zaga no primeiro combate. Também contará com a volta do centro avante Marcelo Moreno, que estava servindo à seleção de seu país.
Será um jogo importante principalmente se acontecer do Grêmio vencer. Com 57 pontos e ainda com chances matemáticas e esperança de chegar ao título, o Grêmio quer vencer hoje e voltar ao segundo lugar onde estava até empatar domingo com o Botafogo, quando cedeu a vice liderança ao Atlético Mineiro. O Galo hoje é o vice com 59 pontos.
Pelo lado do Fluminense, a torcida e o próprio Abel Braga estão na expectativa do atacante Fred marcar seu 100º gol pela equipe das laranjeiras. Mas o Grêmio, mesmo prometendo respeitar o adversário, quer botar água no mingau tricolor.

"Laranja amarela" pode estar bichada

No primeiro turno um conhecido radialista vestiu a camisa loucamente do candidato do prefeito de Belém. Sorriu, brigou, gritou, falou o que não devia, enfim, botou a boca literalmente no trombone. Agora, com a votação inexpressiva do candidato que lhe pagou horrores em dinheiro, ele está caladinho, com o bolso cheio, mas sem "nada a declarar", principalmente porque o que fez foi "matéria paga", ou seja, foi contratado pelo Duciomar para defender seu candidato. É natural, defendeu o seu como profissional do microfone.
Ainda no primeiro turno um outro radialista apareceu como candidato. Metido a paladino da ética, o candidato deixava transparecer que seria mais um laranja da campanha. Em seu programa, dizia que ninguém prestava, nunca ninguém fez nada, "querem ser políticos mas já são políticos", vociferava. Dizia arrogantemente que nunca fizeram nada, nem prefeitos nem governos, ao contrário "dele", que todo final de ano distribuía brinquedos para os pobres. Quanta demagogia!
Fora do Segundo Turno mas com uma boa votação, graças à demagogia, o oportunista deve ter pego uma grana boa, pois de simples "laranja" virou o principal garoto propaganda do Amarelo. E o pior: agora diz que o Amarelo, que antes não deveria ser candidato a nada, "tem condições de fazer tudo". Tudo que ele dizia que o Amarelo não tinha.
Como o "laranja" amarelo, vale lembra o famoso samba de Ataúlfo Alves: 

"Laranja madura/ 
Na beira da estrada/ 
Tá bichada, ZE, 
Ou tem marimbondo no pé".

Por isso, cuidado com o que falam ou pregam os "laranjas".

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Edmilson 50 é a voz do povo!

População da Pedreira com Edmilson, Panzera e Marinor 
A campanha de Edmilson Rodrigues, candidato do PSol à Prefeitura de Belém passou por uma mudança que podemos chamar de radical. No Primeiro Turno, com pouco mais de um minuto na TV, Edmilson mal tinha tempo de pronunciar algumas palavras, sempre meticulosamente pensadas devido o curto tempo. Agora, com 10 minutos de duração, o mesmo tempo do candidato tucano, a propaganda de Edmilson ganhou muito mais qualidade, com o candidato apresentando seu programa de governo com didática e com um visual de qualidade, tudo bem naturalmente, o que faz com que a campanha ganhe elogios e adeptos em todas as camadas sociais, porque na verdade existem propostas coerentes, pensadas, sem ôba-ôba.
Edmilson está muito à vontade. Tranquilo, mostrando quem ele é, o Edmilson sempre companheiro. Relata  como foi seu primeiro governo e como será o próximo. Uma campanha que mostra a realidade de como se pode fazer uma gestão pensada, com propostas democráticas e dirigidas a todos os belenenses. 
Diariamente a campanha ganha novos adeptos. Ontem, a caminhada pela Pedreira foi de pleno sucesso. Professores e trabalhadores de vários segmentos, pais e mães de famílias, estudantes, crianças se uniram ao candidato do PSol e fizeram a festa pelas ruas do bairro do Samba e do Amor.
E é sempre assim quando Edmilson marca uma caminhada. Gente de todas as classes sociais, trabalhadores paraenses que amam e querem o melhor para nossa Belém se juntam ao candidato psolista. Gente comprometida com o futuro de nossa cidade, que breve completará 400 anos.
Edmilson 50, é só no que se fala. Na união com o povo. O povo que quer sua cidade de volta. Quer mudanças com certeza. Mudanças reais, visíveis, sem demagogia. E o povo que falou mais alto no dia 7 de outubro, vai fazer valer sua voz novamente no dia 28. É Edmilson 50!

Sampaio a um passo do título da Série D

Sérgio Frota e Flávio Araújo estão unidos para ajudar o Sampaio Corrêa
Sérgio Frota e Flávio Araújo: unidos em prol do Sampaio Corrêa

Com o empate de domingo em 1 a 1 com a equipe do CRAC, no Estádio Genervino da Fonseca, em Catalão (GO), o Sampaio Corrêa (MA) para garantir o título de campeão joga a próxima partida pelo simples empate sem gols, em partida que será realizada no próximo domingo, às 17h no Castelão, em São Luís (MA).
Se acontecer a repetição do placar o título será definido nos pênaltis. Igualdade por dois ou mais gols, garante o título para o time goiano. O vencedor fica com o troféu do Campeonato Brasileiro da Série D.
A bonita campanha que o Sampaio Corrêa está fazendo nesta Série D pode servir como exemplo para várias equipes, inclusive para as nossas que preferem importar jogadores e técnicos do sul e não conseguem sair da estaca zero. O Sampaio não possui uma renda determinante que o faça almejar um título nacional. Mesmo assim foi à luta.  Os Bolívias, como é chamado carinhosamente o Sampaio por sua torcida, possui uma folha de pagamento de pouco mais de 150 mil reais, e tem como presidente Sérgio Frota, que  demonstra ser  um competente gestor e um abnegado torcedor, que tudo tem feito para que a equipe caminhe sem problemas rumo ao título, inclusive pondo como prioridade um dos fatores mais importantes: os salários de jogadores, Comissão técnica e funcionários em dia. Frota demonstra em suas gestão determinação e que sempre esteve empenhado na ascensão do clube maranhense. Quase sem patrocinadores e sem apoio do Governo do Maranhão, o presidente há dois meses teve que dar uma enxugada na folha de pagamento, mas mesmo assim, como trabalha quase sem apoio, muitas vezes  tem que tirar dinheiro do próprio bolso para bancar a folha de pagamento do clube.
Com o aval principalmente da torcida que é vibrante, do técnico Flávio Araújo, que se empenha conclamando empresários e torcedores para apoiarem a equipe que está levando o nome do Maranhão para o Brasil, o presidente Sérgio Frota espera vencer no domingo em pleno Castelão e se sagrar campeão da Série D, pois na Série C a equipe já está garantida, e assim coroar a bonita campanha invicta do Sampaio Corrêa e do competente técnico cearense Flávio Araújo, chamado de Rei do Acesso
"Nosso time está vivendo um excelente momento. Já subiu para a Série C e tem tudo para ser campeão. É hora de todos ajudarem, porque com todos colaborando a carga fica mais leve", disse o técnico Flávio Araújo no retorno de Goiás. 

"O Palhaço", de Selton Mello, foi o vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Selton Mello e Paulo José em cena de O Palhaço
O filme "O Palhaço", de Selton Mello,  se consagrou como o maior vencedor da 11ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que premiou os melhores produtores da sétima arte nacional em uma cerimônia acontecida na noite de ontem no Theatro do Rio de Janeiro.
Dos 27 troféus Grande Otelo, "O Palhaço" levou 12. Selton Mello, que atuou, dirigiu e escreveu o filme, subiu ao palco diversas vezes para receber seus prêmios. O segundo filme de maior destaque da noite foi "Bruna Surfistinha", que ganhou prêmios em três categorias.
"Dirigir é escrever o que sinto e expressar os meus sentimentos mais profundos. Ganhar esse prêmio (de Melhor Diretor) é como se fosse um 'Segue aí, garoto. Vai indo!'", disse Selton ao receber o troféu

Veja abaixo a lista dos principais vencedores da 11ª edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro:

Melhor Longa-Metragem de ficção (Voto Popular): O Palhaço 
Melhor Longa-Metragem documentário (Voto Popular): Quebrando o Tabu
Melhor Longa-Metragem estrangeiro (Voto Popular): Rio
Melhor Longa-Metragem de ficção: O Palhaço
Melhor Longa-Metragem documentário: Lixo Extraordinário 
Melhor Longa-Metragem infantil: Uma Professora Muito Maluquinha 
Melhor Direção: Selton Mello, O Palhaço
Melhor Atriz: Deborah Secco, por Bruna Surfistinha 
Melhor Ator: Selton Mello, por O Palhaço
Melhor Atriz Coadjuvante: Drica Moraes, por Bruna Surfistinha
Melhor Ator Coadjuvante: Paulo José, por O Palhaço
Melhor Direção de Fotografia: Adrian Teijido, por O Palhaço
Melhor Direção de Arte: Claudio Amaral Peixoto, por O Palhaço
Melhor Figurino: Kika Lopes, por O Palhaço
Melhor Maquiagem: Marlene Moura e Rubens Libório, por O Palhaço
Melhores Efeitos Visuais: Cláudio Peralta, por O Homem do Futuro
Melhor Roteiro Original: Marcelo Vindicatto e Selton Mello, por O Palhaço
Melhor Roteiro Adaptado: Antonia Pellegrino, Homero Olivetto e José Carvalho, por Bruna Surfistinha
Melhor Montagem ficção: Marilia Moraes e Selton Mello, por O Palhaço
Melhor Montagem documentário: Pedro Kos, por Lixo Extraordinário
Melhor Trilha Sonora: Vladimir Carvalho, por Rock Brasília
Melhor Trilha Sonora Original: Plínio Profeta, por O Palhaço (Com informes do "Cinema Brasileiro")

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Torcida quer Lucena. E ele volta dia 22

A postagem que este escriba fez semana passada sobre a posse do técnico Carlos Lucena na Tuna, dia 22, gerou muitos comentários. Como sempre, alguns criticando o técnico, obviamente postados por engraçadinhos, certamente não cruzmaltinos, porque o tunante que se presa, respeita a história do Cabo Lucena na nossa Águia. Mas a maioria foi de comentários favoráveis à volta de Lucena.
Torcida quer Lucena
Já dei minha opinião sobre Lucena. Sempre fui favorável à volta dele. Explico: Lucena tem compromisso, não é empresário (ou pseudo-empresário) de futebol; seu salário não é alto, sua vaidade não extrapola o estacionamento da Tuna e creio que com sua competência pode fazer -como sempre fez- um bom trabalho com a base e alguns atletas que deve estar garimpando por aí para o time luso.
Fico às vezes imaginando como alguns torcedores de outras equipes preocupam-se em denegrir a imagem da Tuna. A raiva ou a frustração deles é tamanha que ficam postando tolices em cometários e geralmente no anonimato. 
É importante que essas pessoas que postam mensagens no anonimato saibam -não sei por que covardemente escondem a cara!- que a Tuna tem uma torcida solidificada, que não é grande mas é honrada. Sabe das dificuldades e conscientemente  não pressiona os dirigentes do clube no sentido de fazer contratações bombásticas para depois o contratado  terminar no Casarão. 
Normalmente, em termos de futebol os dirigentes da Tuna têm os pés no chão e a torcida fecha com isso, não questiona os jogadores tampouco os técnicos locais -até os admira. O que quer na verdade é um time que dispute e se possível ganhe algum título. Se puder investir um pouco mais e fazer um time bom, que faça. Mas nunca que importe "bondes" que só fazem onerar a folha de pagamento e dentro de campo pouco ou quase nada rendem, como lamentavelmente fazem Remo e Paysandu.
Vamos apoiar com certeza a volta do Lucena. Quem for contra e for cruzmaltino que dê opções à diretoria de como ela deve proceder. Mas acredito que todos vão apoiá-lo em peso.
Creio que Lucena, com sua humildade, andando de ônibus, mas trabalhando sério, humildemente tem tudo para fazer os cruzmaltinos voltarem a sorrir. 
É bom lembrar aos que criticam Carlos Lucena, que desde 2007, quando ele se sagrou vice campeão paraense, até o presente, não fizeram um time que conseguisse chegar nem ao quarto lugar do Campeonato Paraense. De lá para cá no máximo conseguiram ser desclassificado ou morrer na beira. Até o meu amigo Charles Guerreiro, que reputo um grande profissional, que tinha tudo para chegar a uma final, venceu folgado aqui e em Cametá foi derrotada por uma homérica goleada. Coisas do futebol, acredito.
Que chegue o Lucena. Será bem recebido pela nação cruzmaltina. E com certeza -podem anotar- fará uma boa equipe e não vai  fazer vergonha no próximo ano. Podem anotar.

Salários atrasados, o problema maior do Vasco

A situação do Vasco está de mal a pior. Não adiantou a mudança de técnico -o que já era previsível. O time está agora fora do G-4 e a tendência é a coisa piorar.
Aquela antiga máxima de se mostrar só as coisas positivas e as más colocar embaixo do tapete -tão em voga nos anos do arrocho- aconteceram no Vasco. O time, que ex-técnico Cristóvão injustamente demitido (foi forçado a pedir demissão, portanto demitido), deixou em quarto lugar, já caiu para a 5ª colocação e como os jogadores, principalmente o Reizinho Juninho Pernambucano, abriram a boca denunciando atraso de salários, tudo indica que a tendência é cair ainda mais.
O Vasco foi a equipe que talvez mais perdeu jogadores este ano e o pior: a maioria titulares absolutos, como Diego Souza, Fagner e Rômulo. Isso por si, já deixou a equipe um pouco desafinada, pois os jogadores eram fundamentais no esquema de jogo do técnico Cristóvão.  A diretoria alega que tinha que fazer as negociações com os jogadores por causa da situação econômica do clube. Negociou e não resolveu, deixando inclusive um dos esteios da equipe e um atleta considerado "a cara do Vasco", como Juninho Pernambucano, chateado com a situação que ele e seus colegas vivem hoje.
Enquanto ainda está numa situação estável, a diretoria do Gigante da Colina tem que ver como vai resolver a situação de pendência salarial da equipe. As chances de chegar ao título são remotas, mas se pretende brigar por uma vaga na Libertadores, o presidente Roberto Dinamite tem que estudar a melhor maneira de resolver um dos mais sérios problemas domésticos que uma equipe pode ter: a questão salarial.
Feito isso, penso que a equipe vascaína consegue fazer o resto dentro de campo.

A difícil tarefa de Paysandu e Águia

Pelo fraco futebol que mostrou ontem contra o Cuiabá, continuo com a opinião de que nem Paysandu, tampouco o Águia conseguirão a classificação para a próxima fase da Série C.
Quero deixar claro, que não estou sendo pessimista, nem jamais, como algumas mentes -inférteis ou férteis demais- poderão pensar, estou torcendo contra os dois. Nuca jamais. Insisto em dizer que torço pelo sucesso de nosso futebol. A questão local é uma coisa, no Brasil é outra história: sou sempre pelas nossas equipes.
É que pelo andar da carruagem, nem a equipe do Paysndu nem a do Águia conseguem mostrar produtividade que lhes cacifem de chegar entre os quatro primeiros, apesar do engodo que estão o terceiro e quarto lugares.
E vou mais adiante: o time que eu também imaginei que chegaria e até com facilidde entre os quatro primeiros, o Santa Cruz de Recife, está numa pindaíba mais braba ainda que os nossos dois representantes e tudo indica que vai ter que ralar muito nos seus próximos dois últimos compromissos.  Com uma equipe cara, o Santa Cruz, depois da derrota dentro de casa sábado para o Fortaleza -já classificado juntamente com o Luverdense- entrou em rota de colisão com sua vibrante torcida, que cobra do  técnico Zé Teodoro mais empenho dos jogadores e a promessa que o "Coach" fez de classificar o time entre os quatro primeiros e ainda de colocar o Coral na Série B.
Não vejo com bons olhos os dois últimos compromissos do Paysandu. O primeiro domingo contra o Salgueiro, que está em sexto lugar, dois pontos a menos que o time bicolor paraense, e já provou que é um adversário que joga fora de casa da mesma maneira que em seu reduto. Se o Paysandu vencer, parabéns, porque fica com um pé na classificação. Só que o resultado do dia anterior, sábado, entre Santa Cruz e Luverdense, em Recife, tem que ser favorável aos bicolores, ou seja, o Santa tem que perder.
A outra partida, a última do Paysandu, é outra pedreira. O Icasa, em pleno Agenorzão, em Juazeiro. Uma parada dura, porque o Icasa,que está com 21 pontos, no domingo, 21, enfrenta o Fortaleza na capital cearense. Mas aí, quem sabe  que poderá acontecer nos bastidores? Mesmo porque, o Leão do Pici já está classificado e tranquilamente nada impedirá de uma "mala preta" rolar em benefício do Icasa.
O Águia, pode até ficar entre os quatro primeiros, mas está mais pra não que sim. Com 16 pontos, tem a missão difícil de vencer o Treze em plena Serra da Borborema. Detalhe:o Treze não vai querer de maneira nenhuma perder, para não cair para a Série D.
Uma luta árdua espera nossas duas equipes, que estão nessa situação por não fazerem o velho dever de casa. Quantas partidas tanto Paysandu como Águia deixaram de vencer dentro de casa? Quer dizer, não fizeram a sua parte quando deveriam, e agora vão ter que rezar e tentar ganhar as duas partidas finais, tarefa que este escriba acha, infelizmente, praticamente impossível.
Mas, nada é impossível em futebol. A nós, só nos resta torcer e torcer.

Fluminense vence, mas com ajuda do árbitro

O Fluminense a meu ver, já é o campeão brasileiro 2012. Com uma diferença de 9 e 11 outros para seus dois mais próximos adversários, mesmo assim,  restam poucas chances para Atlético Mineiro e Grêmio, as duas equipes que estão perseguindo o time dirigido por Abel Braga.
Sempre coloquei aqui p-e j´pa faz algum tempo isso- que o Fluminense poderia se pavular de ter o melhor elenco do futebol brasileiro. Já saíram uns quantos bons jogadores, até afinados com a equipe, mas assim mesmo o Flu do meu compadre Itamar e do meu amigo Geraldo Ribeiro corre solto, tranquilo, tranquilo, em busca do troféu de brasileiro do ano.
E parece que quando a coisa está boa, até os erros se transformam em acertos. Com ontem por exemplo. Não era necessário o sr. Nelson Nogueira Dias, árbitro da partida, marcar uma penalidade máxima quando na verdade o toque foi involuntário. Fred marcou e é um dos artilheiros com 15 gols, juntamente com Luiz Fabiano, do São Paulo. Será que o juiz marcaria aquele pênalti contra o Fluminense? E no segundo gol, depois da marcação de uma falta! O erro foi mais crasso ainda.  Marcos Júnior fez a falta e Nelson Nogueira, errou novamente: marcou a favor do Fluminense. Na cobrança, Gun acertou e fez 2 a 0 Flu.
Às vezes -parafraseando o poeta Carlos Drummond- no meio do caminho tem uma pedra. Mas para o Fluminense, o juiz tirou a pedra e pôs no meio do caminho da pobre Ponte Preta, que poderia muito bem estar agora com seus 40 pontos, tranquila, tranquila.
O Fluminense é líder e está fazendo por merecer. Não precisa ser ajudado, principalmente quando o natural tropeço está na porta, louco para acontecer. Ontem, infelizmente, foi demais!

Palmeiras cai; Mengão, não

Como coloquei há um mês, o Palmeiras já está na Série B. E é bom que se saiba: não precisa ser Pai Diná, Pai Delamare ou outros pseudos adivinhos para matar essa fácil charada. O time atual está mal, e é um dos mais fracos da história do Verdão e o pseudo técnico Felipe Scolari -aquele despreparado e grosso- tem toda a culpa do que aconteceu com a ex-Academia de futebol, pois interferiu em algumas das mais desqualificadas contratações e poderia ter largado o time em momento menos delicado, quando outro treinador poderia dar uma maior vitalidade ao time. Não o fez para não perder a multa rescisória. Quer dizer, esse papo de gostar do palmeiras, ter amor pelo palmeira, é conversa fiadíssima.
E é bom que se saiba também, que o Flamengo -que também vem fazendo uma péssima campanha, e não é por culpa dos técnicos que por lá passaram, não, mas por pura falta de gestão no futebol, principalmente- não vai cair. aliás, não tem nem perigo. O Mais Querido está com 36 pontos, 10 a mais que o Palmeiras, e necessita ganhar apenas duas ou três partidas das oito que restam para permanecer na elite. Se vencer duas e empatar duas está na boa. A não ser que "píssica" seja muito forte para o Mengão cair, mas mesmo assim, tem uns "pais" lá que vão segurar.
Já para o Palmeiras, assim situação é irreversível. Das oito partidas que restam, mesmo que ganhe seis, o Verdão ainda terá que torcer por outros resultados, pois nessa reta final, três pontos às vezes vale o dobro.
É preparar uma equipe melhor para o Paulistão e para a Série B. Isso se não acontecer uma verdadeira revolução na diretoria, pois Felipão comprou muitas inimizades, e quando o Clube "cair" mesmo vai ter um "quiprocó" dos maiores.
As outras equipes que estão na alça da mira para cair, fizeram por merecer.  às vezes a gente discute que futebol não tem lógica, mas na realidade tem. Não 100 por cento, mas tem. Se não veja o caso dos quatro que estão com a ficha inscrita na Série B.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

À flor da pele

Ando tão indignado com algumas coisas que estão acontecendo que até a inspiração tem me faltado para escrever e postar algo. A mídia suja, espetaculariza as coisas quando deveria ter um papel mais democrático, sem tomar tanto partido, no máximo informativo. Também os personagens, que transformaram-se em verdadeiros atores, cada um querendo mais holofotes, esquecem inexplicavelmente  de fatos tão recentes que aconteceram no País e que foram parar no ralo ou debaixo do tapete imundo, que os que não possuem memória curta, sabem que alguns que hoje aparecem como paladinos da justiça fizeram vista grossa, na maior normalidade. 
É muito fácil julgar quando a própria mídia julga primeiro. Julgar assim espetacularizando, é mais emocionante, dá mais ibope. A midia suja e os senhores juízes esquecem da compra de votos para o segundo mandato de FHC, quando parlamentares, alguns até de nossa região norte receberam até 200 mil reais. Esquecem do escândalos do tucanato em Minas (o Azeredo está tranquilão); esquecem da sujeira do DEM e dos  tucanos em Brasília.
Realmente, Lula incomodou muito. Não por ter um grande talento, uma grande competência e um compromisso com o povo mais humilde do Brasil. Mas simplesmente por ser oriundo do nordeste, por ter chegado no sul em um "Pau de Arara", por ter tido uma infância pobre. Isso, para os que nasceram em berço de ouro, que tornaram-se doutores de gabinete, e que ao chegarem ao poder não conseguiram fazer o que o nordestino humilde fez, na verdade, dá muita dor de cotovelo.
Enquanto isso, nenhuma justiça enxerga traficante ser eleito vereador apoiado pelo prefeito eleito do PSDB. 
Minha solidariedade aos brasileiros que deram parte de sua juventude pela redenção democrática do País; aos que sucumbiram em prol de um Brasil mais justo, bem melhor para todos brasileiros e brasileiras.
E meu desprezo aos infelizes conservadores, reacionários, produtos da mídia global vampira, suja.  

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Amanhã recomeça o programa eleitoral

Edmilson agora vai ter tempo de mostrar  propostas
Amanhã recomeça o programa eleitoral gratuito. Agora a coisa muda de figura. No primeiro turno, o maior programa era o do candidato tucano, quase oito minutos. Agora Edmilson Rodrigues,  do PSol, que tinha um dos menores tempo, e o candidato do PSDB, terão ambos 10 minutos cada. Acabou a vantagem de falar muito, rir demais e não apresentar propostas coerentes.
Com um tempo maior e igual para cada candidato, vai dar para o eleitor avaliar melhor as propostas de Edmilson e do tucano. O eleitor ai ter como sentir no olhar, na expressão e nas palavas dos dois candidatos, quem é quem. O povo vai poder avaliar os projetos sociais, o sentimento de cada candidato por Belém, por mudanças com certeza.
Já contando com o apoio do PT, do próprio deputado Alfredo Costa e da militância de quatro partidos -PT, PSol, PSTU e PC do B e com o povo que deseja realmente uma mudança em Belém, Edmilson vai apresentar projetos de cunho social, importantes para todos os belenenses. 
Campeão de votos no primeiro Turno, Edmilson trabalha ao lado do povo para que o fato se repita, e Belém tenha de novo um governo popular, preocupado e trabalhando pela população, com democracia e preparando-se para chegar aos 400 anos com um povo bem mais feliz.