quinta-feira, 28 de março de 2013

Tuna quer vencer, mesmo já estando no G-4

O jogo entre Paragominas e Tuna Luso Brasileira, hoje, às 20,30h na Arena Verde, mesmo com o imbróglio que definiu a classificação antecipada, é por demais importante para  a Águia do Souza. Vencendo o "Jacaré" hoje a Tuna chegará aos 13 pontos e no total geral aos 14, conseguindo, assim, evitar o rebaixamento que, como um fantasma, vem rondando o Souza desde o Primeiro Turno.
Tenho insistido que o Paragominas é uma das melhores equipes do Parazão, por isso vejo o jogo de hoje como um dos mais difíceis para a Tuna.
Não adianta nos iludirmos que vencer o time interiorano será tarefa fácil. Podemos e temos que lutar para vencer, mas se chegarmos a um empate, não temos muito a reclamar.
Cacaio manda a campo hoje uma equipe diferente da que vinha atundo. Não poderá contar com seus dois principais zagueiros de área. Preto Barcarena recebeu o terceiro cartão amarelo e está fora, enquanto Halison, expulso no jogo contra o Paysandu, também não joga. Seus substitutos serão Darlan e Max Melo.
Preto fará falta. Vem subindo de produção a cada jogo, e é um dos líderes da equipe, além de ser o capitão do time.
Em compensação, Cacaio poderá contar com o meia Fabrício, que cumpriu suspensão pelo terceiro amarelo. Fabrício é o organizador da equipe e um meia que além de organizar as jogadas para o ataque, está sempre revezando com Pedrinho Mossoró, fazendo as vezes de um terceiro atacante.
Será um jogo que promete, pois as equipes que estarão em campo são consideradas duas das melhores neste Segundo Turno.

Imbróglio que só nos envergonha

O que aconteceu ontem no Mangueirão, com a ausência do Santa Cruz e a vitória por WO do Paysandu, mostra o quadro de penúria em que vive o futebol paraense.
Nós, seres mortais normais, não podemos fazer muita coisa. O imbróglio existe, não podemos deixar de imaginar que a situação é bastante comlicada e nenhum pai de santo pode prever o que acontecerá no futuro. 
Mesmo com as ameaças de ambos os lados, não se sabe se o Campeonato Paraense será paralisado, se o Santa Cruz será penalizado, se haverá outro jogo entre a equipe de Cuiarana com o Paysandu ou se o WO vai valer de verdade. Existe na verdade um amontoado de pedras soltas e no momento não se pode, tampouco se tem, como juntá-las.
Quem é o culpado?; quem são os culpados?
Boa pergunta. É a mesma que quase toda a Belém esportiva está fazendo. Na visão deste escriba, culpadsos são os que comandam o nosso futebol com um visão ultrapassada, ditatorial, desrespeitosa com a maioria das agremiações.
É visível que para os dirigentes da FPF, lamentavelmente, só existem Remo e Paysandu. Os outros clubes, aos olhos deles, são meros partícipes, que por não terem torcidas tão numerosas como os dois clubes, têm que aguentar  as ordens dos qe comandam a "madrasta".
E foi o que aconteceu. Um bando de problemas urgentes que surgiram na calada da noite, todos inexplicáveis, vale salientar, e que demonstram claramente que tudo foi idealizado para beneficiar o quase excluído do G-4  Clube do Remo, e por tabela seu "irmão" de sangue, Paysandu.
É complicado para este escriba dizer que o senador tucano Mário Couto tem razão em não aceitar o que a FPF fez na segunda-feira. A entidade que dirige nosso futebol deu uma grande pisada de bola, e como o senador é um homem muito vivido, matou a charada e deu o bote.  E temos que reconhecer, o homem forte do Santa Cruz está coberto de razão. O Estatuto do torcedor lhe dará razão, como também se tiverem "aquilo roxo", os outros dirigentes de clubes.
Negócio seguinte: como podem dois ou três  clubes (a Tuna chegou na marra, não foi convidada) serem os únicos convidados para uma reunião em que está em jogo o futuro de oito equipes? Pois foi o que aconteceu. Remo e Paysandu decidiram, sob os auspícios do presidente da FPF e de seu diretor técnico Paulo Romano, o desdobramento das quatro partidas da 7ª Rodada do Parazão: a mudança de local do jogo do Santa Cruz com o Paysandu e a realização das partidas entre Tuna e Paragominas e Remo e Águia de ontem para o outro dia, no caso hoje. 
Sinceramente acredito que o Campeonato está comprometido. O jogo de ontem e os dois de hoje podem até valer. Mas o WO é vergonhoso. Como também é triste e vergonhoso se chegar a uma situação como a que chegamos, como ameaças de clube ir à justiça comum, agressões verbais de dirigentes, coisas que só denigrem nosso futebol e ameaçam nosso futuro.
É importante que as partes tenham muita calma nessa hora. O Pará é um estado em que o futebol é idolatrado. Não somente por Remo e Paysandu, mas por todos os torcedores paraenses. Não está fácil de ser resolvida a situação, mas temos que trabalhar com justiça. Nada de quiprocós e brigas pessoais.
Depois dessa tempestade,  seria importante até que o coronel Nunes e sua equipe, que está entronizada há muitos anos na FPF, aproveitasse o gancho do imbróglio em que colocaram o futebol paraense, e entregasse o boné, deixando para outros os destinos de nosso futebol.
A chance é grande. De repente o coronel e seus colaboradores aproveitam.saem e dão espaço á outras cabeças, com novas idéias. Isso é democracia.

quarta-feira, 27 de março de 2013

O Ver-o-Peso é só festa pelos seus 386 anos


Hoje é dia de festa no lugar mais belo de Belém, O nosso Ver-o-Peso. Cartão Postal de nossa Belém, o Ver-o-Peso nasceu quase junto à capital, tornando-se, desde então, um local privilegiado pela sua beleza arquitetônica, localização, além de famoso mundialmente pela sua grande feira, onde o paraense se habituou a frequentar e encontrar de tudo. Uma beleza de cores.
Há pelo menos uma semana o nosso recanto querido está comemorando seu "nat". Da lavagem pelos seus discípulos e amantes queridos às competições entre feirantes e peixeiros. Cada um mostrando sua competência no que faz. Uma pequena olímpíada veropesana.
São 386 anos de vida, de poesia, de embelezamento de nossa cidade.
Que me perdoe o poeta, mas jamais vão destruir o nosso Ver-o-Peso. Fiquem os shoppings pra lá, deixem o Veroca em paz!  Ele, nós achamos e todos os que nos visitam dizem, é a cara de Belém.

Bolsonaro, o fascista, é contra as domésticas

Marcela Sorosini
Bolsonaro odeia domésticas
Ontem, dia em que a PEC das Domésticas foi votada no Senado, Eliana Monteiro, de 46 anos, começou em um novo emprego. Ex-empregada do deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ) – contrário à proposta -, Eliana pediu dispensa da casa do parlamentar anteontem.
Não por discordar da opinião do patrão sobre a ampliação dos direitos da categoria, mas porque vai registrar na carteira de trabalho um polpudo aumento salarial de 33%. A arrumadeira conseguiu um emprego em que ganhará R$ 2 mil, em lugar dos R$ 1.500 que recebia na casa do político, além de manter os mesmos benefícios concedidos. (Do Blog Conversa fiada)

Tuna pode se classificar até com derrota

Aviso aso navegantes:
Se o Campeonato Paraense tiver prosseguimento hoje, com o jogo entre Santa Cruz de Cuiarana e Paysandu, no Mangueirão, essa, sem dúvida, será a partida mais significante da rodada para três equipes. 
Primeiro para o Santa Cruz, que está com 10 pontos, e necessita vencer para figurar entre os quatro primeiros colocados. Depois para o Paysandu, que com 12 pontos, não está garantido no G-4, necessitando na pior das hipóteses, um empate para completar 13 pontos.
O terceiro e último interessado é a Tuna Luso Brasileira que, tem obrigação de vencer a partida de amanhã  contra o Paragominas. Mas, se acontecer do Santa Cruz de Cuiarana perder hoje para o Paysandu, a Águia do Souza poderá conseguir a classificação até com uma derrota.
Os números não mentem, jamais.
Mas a Tuna não deve nem pensar nisso. É entrar em campo e ganhar o Paragominas.

Tucano garante que vai boicotar Parazão

Depois que foi noticiado que nenhum dos estádios de futebol do Pará estão capacitados legalmente para receberem público e partidas de futebol, só podemos imaginar que o Parazão 2013 vai parar, foi para o beleléu. Principalmente porque o Santa Cruz do tucano senador Mário Couto, adversário de hoje do Paysandu,  ameaça não entrar em campo e, para isso, está respaldado com o que disse a justiça.
Fica, assim, mais que caracterizado, que o que aconteceu na calada da noite da segunda-feira, foi uma virada espetacular de mesa em favor, principalmente, do Clube do Remo e, por tabela, do Paysandu.
Parque do Bacurau, Baenão, Curuzu e até o Mangueirão estão irregulares. Que coisa esquisita, meu!
O Estádio do Souza, da Tuna Luso Brasileira, é um dos únicos que Bombeiros, PM, Ministério Público impedem de funcionar totalmente, não permitindo que a torcida luso brasileira chegue nem perto das arquibancadas. Os outros, mesmo na roça, está funcionando às mil maravilhas!
A cobra está fumando. O coronel, quando o senador tucano trombeteou que não botaria seu time em campo, deve ter tremido nas bases. E mais ainda quando as irregularidades em todos os estádios foram expostas. Até o José Ângelo, que responde pela FPF na ausência do coronel, ficou sem entender nada.
Mesmo assim, a FPF garante que a rodada de hoje e de amanhã estão mantidas. 
Para não ficar no disse-me-disse, é melhor aguardarmos o horário do jogo. Eu, hein!

terça-feira, 26 de março de 2013

Brasil de seu Felipão é uma grande decepção!

Pelo que se vê, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol, só vai tomar uma providência com relação ao técnico Luis Felipe Scolari quando o Brasil estiver eliminado da Copa das Confederações. Ontem o incompetente técnico, mais uma vez demonstrou seu parco conhecimento do esporte bretão. O Brasil entrou em campo sem esquema tático nenhum, na base da boa vontade, embora com três atacantes (Kaká entrou avançado, fazendo o papel de terceiro atacante), mas sem uma definição de posições dos jogadores em campo, o que fez a confusão geral, culminando com um domínio russo, e as maiores chances para o time do técnico Fábio Capelo. O empate de 1 a 1 foi por pura sorte, pois a Rússia merecia a vitória pela sua superioridade em campo.
Não tem sentido, não tem lógica Felipão prosseguir como técnico da Seleção Brasileira. Talvez os homens da CBF queiram fazer média com o povo brasileiro, lembrando a "façanha" do técnico gaúcho ter ganho uma Copa. Mas esquecem os insucessos dele na Europa e no Palmeiras, onde ano passado jogou o time verde na Segunda Divisão.
A Seleção segue mal, muito mal. A Imprensa, avalio, só vai começar a cobrar ou espalhar as tolices do técnico Scolari apos sua queda, e se isso se suceder, pois mesmo perdendo e empatando, continua com cacife alto entre os mandatários da CBF.
Não é preciso ser gênio nem ter um grande conhecimento de futebol para saber que Felipão é fraco, sempre foi como técnico. E que pelos convocados, deve rolar alguma coisa estranha, pois tem uns caras alí convocados que não merecem nem a reserva da reserva.. Avaliem os jogadores de defesa e uma boa parte dos meio campistas da relação dele. É querer brincar com a gente convocar Júlio César, Daniel Alves e Thiago Neves comotitulares da nossa Seleção. E o meia Diego Costa, que é fraquíssimo,  e o próprio Kaká como titular. Tem algo de errado aí. Nunca fomos tão humilhados no futebol mundial. Fala sério, Marin. Sem essa de Felipão! 

Santa Cruz do tucano, poderá melar "tapetão"

Nem tudo está definido para os jogos da sétima e última rodada do Segundo Turno do Parazão 2013. Das oito equipes que disputam o Campeonato, certamente algumas delas não gostaram da virada de mesa de ontem à noite. Uma delas é o Santa Cruz de Cuiarana, que vai ser obrigado a jogar no Mangueirão, quando já estava todo programado para enfrentar o Paysandu no Parque do Bacurau. O Santa poderá melar a decisão tirada na base do "bingo" ontem à noite.
Outra equipe que poderá chiar da decisão que foi proposta pelo diretor técnico da FPF Paulo Romano, é o Águia de Marabá. A equipe marabaense está com apenas 11 pontos, e vai enfrentar o Remo já sabendo do resultado de São Francisco e Cametá, que também estão na alça de mira, um com 14 e outro com 13 pontos, disputando o não rebaixamento.
Sabendo do resultado de São Francisco e Cametá, o Águia poderá jogar desestimulado e até não esboçar esforço para vencer o Remo que, por outro lado, dependendo do resultado que acontecer entre Paysandu e Santa Cruz, poderá jogar pelo empate.
Do jeito que é tinhoso, o presidente do Santa Cruz, senador tucano Mário Couto, poderá não aceitar o que a FPF decidiu com os clubes, podendo inclusive não entrar em campo contra o Paysandu amanhã.
Muitos acham que a decisão da FPF que atinge principalmente a equipe de Mário Couto, é um respoingo da briga entre os dois desencadeada ano passado. O senador já usou de vários adjetivos contra o coronel Nunes, que em nenhum momento esboçou resposta. 

Tapetão, virada de mesa ou "canetada"

Não adianta as explicações do coronel Antonio Carlos Nunes, de Paulo Romano, diretor técnico da FPF, tampouco do principal beneficiado, o Clube do Remo, sobre o adiamento das duas partidas, que já estavam definidas para amanhã, para a quinta-feira, e da mudança de local do jogo do Santa Cruz de Cuiarana, que antes estava marcado para o Parque do Bacurau e de repente -não mas que de repente- voltou para o Estádio Mangueirão.
O inusitado de toda essa questão, é que o Parque do Bacurau, onde o Santa Cruz jogaria amanhã contra o Paysandu, que de repente foi interditado, segundo o Comando de Policiamento da Capital, pelo Corpo de Bombeiros, sob a alegativa de que não tem condições de receber jogos oficiais, funcionou para todos os jogos do Cametá, inclusive no domingo, contra o Santa Cruz. Isso, com,certeza, é ilegal, porque quando se deseja  transferência do local de um jogo, é necessário que a solicitação seja feita com pelo menos 10 dias de antecedência. E isso requer toda uma burocracia.
A estranha reunião, com visível interesse em beneficiar  no caso o Clube do Remo, que é quem está mais na onça para conseguir a classificação, se muda de local, de horário e de dia sem a consulta de todas as equipes participantes, na calada da noite, numa simples canetada,  uma autêntica virada de mesa, que lembra os velhos tempos em que se conseguia tudo nas federações e até na Confederação, na base da politicagem, no tapetão.
Na reunião de ontem, que foi feita às pressas, só foram convidados os dois considerados "donos do futebol paraense": Remo e Paysandu.  A Tuna participou da tal reunião na marra, na última hora, graças a alguns telefonemas que cruzmaltinos interessados fizeram para a diretoria do Clube, solicitando ao presidente que a Tuna não deveria ficar fora desse encontro, pois talvez a Águia do Souza  fosse, se não estivesse presente, a mais prejudicada.
A mesa está virada, a FPF e o próprio Paysandu vão lutar para que o Remo não caia. Fica mais uma vez caracterizado que o critério técnico, a competência dos clubes que disputam o Parazão, não são respeitados. O que vale são as rendas. Para a FPF, principalmente, pois para a "madrasta", só os dois podem vencer, só os dois podem ganhar títulos.
Qual o moral que a FPF vai ter para argumentar negativamente quando uma equipe, por qualquer problema, solicitar a mudança de horário ou de local de um jogo?

segunda-feira, 25 de março de 2013

FPF, Remo e Santa ameaçam "virar mesa"

Uma reunião extraordinária entre membros da Federação Paraense de Futebol e dirigentes de Remo e Paysandu  está acontecendo neste momento na sede da entidade. Negócio seguinte: o jogo entre Santa Cruz e Paysandu, que havia sido remarcado para Cametá, está sendo discutido para que seja novamente mudado de local e de data, ou seja, a proposta é acontecer somente na quinta-feira, um dia após a realização da 7ª rodada, que acontecerá na quarta, e num local ainda indefinido. O motivo do adiamento é a declaração da Polícia Militar de que não tem como garantir a segurança nos dois locais, Parque do Bacurau e Mangueirão.
Se realmente o acordo for feito e adiado o jogo entre Paysandu e Santa Cruz e S. Francisco e Cametá para a quinta-feira, poderá se configurar como uma virada de mesa no intuito de beneficiar as três equipes e prejudicar, principalmente a Tuna Luso Brasileira, já que Santa Cruz e Remo necessitam de resultados para a classificação e com o adiamento terão o privilégio (ilegal, diga-se de passagem) de jogar já  sabendo os escores das demais partidas. Não se sabe se o Santa Cruz tem alguém participando da reunião.
A notícia saiu na Rádio Clube, e os presidente dos demais clubes ao tomarem conhecimento da reunião rumaram para  a sede da mentora. 
Se a virada de mesa  realmente acontecer, a FPF estará dando um chute no estatuto do torcedor, privilegiando clubes como Paysandu, Remo e Santa Cruz, principalmente os dois últimos,  que estão na alça de mira, preocupados em  não conseguirem a classificação para o G-4.

Enquanto isso, no Ver-o-Peso...

Um torcedor do Águia de Marabá, hoje pela manhã, passeando pelo Ver-o-Peso, comentou com um torcedor remista, que independente da situação que o clube passa, vestia orgulhosamente sua camisa, inclusive o último modelo, aquela branca que o time envergou ontem.
-Meu time está meio na roça, mas basta uma vitória em cima de vocês na quarta que a gente não cai, permanece no Parazão e de quebra na Série C -disse o torcedor aguiano meio eufórico.
-Só que vocês vão ganhar é o que a Maria ganhou na capoeira. O meu Leão não vai perder nunquinha da silva quatro partidas seguidas. Muito menos para o tal de Águia.
-Só vamos ver. Pra teu governo, ontem depois do jogo com o Paragominas, o Galvão fechou com a galera toda que ele vai dar um bicho gordo, que ele vai conseguir com os empresários, inclusive com uma boa parte do seu próprio bolso, por uma vitória na quarta.
-Égua. Aí pegou. Parece que lá no Baenão a grana tá só no papo. Tem o tal de um vereador bocudo lá que se mete em tudo, fala, fala e no final o time vai se lascando todo. Agora eu grilei. Acho melhor esperar e ver no que vai dar -disse um remista preocupado com os boatos e as futricas internas do Clube do Remo.
Os dois, subiram p batente do Ver-o-Peso e foram beber uma água de coco, já que cerveja está proibido no Veroca.

Tunantes no G-4, não vão "secar" ninguém

Há tempos que não presenciávamos um Campeonato com um turno tão embolado como este Segundo Turno do Parazão 2013. Poderíamos dizer que os clubes estão nivelados técnicamente, embora histórias e mais histórias rondem por aí dando conta que existem salários astronômicos tipo 150 mil reais mensais, 400 mil por um pacote de mês e meio, etc., o que põe por terra qualquer nivelamento que se possa imaginar.
Na realidade, o Segundo Turno está sendo bem diferente do primeiro. As equipes que mais se destacaram, fazendo inclusive uma pontuação elevada, que foram Remo e Paysandu, o primeiro com 19 pontos e o segundo com 16, ou seja, ambos com um índice de vitórias excelente,  seis e cinco, agora no Segundo Turno estão claudicantes -Paysandu com 12 pontos e Remo com apenas 9- embora ainda possam aumentar porque ainda resta a última rodada. 
Com um aproveitamento reduzido, uma queda vertical na condição técnica, principalmente do Clube do Remo, um dos participantes do G-4 do primeiro Turno, o Paragominas, cresceu e hoje às vésperas da rodada final é a única equipe que está novamente classificada e com 12 pontos, um a mais do que fez no primeiro, enquanto as três vagas restantes estão sendo disputadas por quatro equipes, uma delas, a Tuna Luso Brasileira, que com a mudança de técnico e a contratação de três jogadores para o ataque, é a boa surpresa, estando hoje em terceiro lugar e com muitas chances de terminar a última rodada no G-4. Para a Tuna, uma vitória sobre o Paragominas na quarta-feira a deixará classificada e com chances de não ser degolada.
Numa situação situação parecida com a da Tuna, está o Santa Cruz de Cuiarana, também com 10 pontos. A equipe do senador tucano Mário Couto necessita de uma simples vitória sore o Paysandu, o que a faria completar 13 pontos e garantir o passaporte para as semifinais.
Só que para o santa Cruz, a dificuldade maior é que seu adversário, o Paysandu,  também necessita vencer, porque está na briga por uma vaga entre os quatro, pois com 12 pontos, se derrotado poderá ser superado por Clube do Remo e Tuna, e assim ir para o lugar em que o time azulino está hoje, o quinto lugar.
Na verdade, todas quatro equipes estão necessitando pontuar. O Clube do Remo, que está hoje fora do -4, graças à mais uma derrota sofrida ontem, desta feita para o lanterna do segundo Turno, o São Francisco, não pode nem sequer empatar com o Águia, sob pena de perder o investimento feito o ano todo. Se o time azulino vencer o Águia de Marabá, além de figurar no G-4  causará a degola do time marabaense, que mesmo na Série terá que entrar na seletiva para o Parazão 2014.
O mais engraçado dessa embolada toda é que o melhor para a Tuna é vencer o Paragominas. Porém, para deixar os mais afoitos sem nada entenderem, se o Clube do Remo perder sua última partida, a  Águia do Souza e o Santa Cruz estarão entre os quatro semifinalistas.
Mas nós cruzmaltinos, prometemos que não vamos "secar" ninguém.Vamos torcer é para a Tuna vencer, se classificar e evitar a degola.

Tuna é isso aí! Empate com sabor de vitória!

Este pavilhão e seus apaixonados devem ser respeitados!
O resultado de 2 a 2 no jogo de sábado com o Paysandu teve um sabor muito especial para a Tuna Luso Brasileira. Mesmo com a discriminação exposta pelos profissionais da TV Liberal, que impensadamente acharam de menosprezar  a torcida da Tuna que foi ao Mangueirão, nada vai tirar a alegria, a felicidade dos cruzmaltinos. Isso só vai é incentivar ainda mais os torcedores a dar mais alento ao time, para que a Águuia guerreira  dê mole no jogo com o  próximo adversário,  o Paragominas. 
A hora é decisiva para o time luso brasileiro,  que com garra, vontade de vencer, com bastante e visível heroismo mostrou do que é capaz, mesmo sendo uma equipe jovem e caseira. Foi com muita luta, sem  nunca desistir, brigando até o último minuto, superando todos os obstáculos que a Tuna chegou ao empate com o Paysandu. 
Foi um empate com sabor de vitória. É importante dizer que a Tuna estava naquele momento, aos 43 minutos do segundo tempo,  inferiorizada no número de jogadores em campo, e o Paysandu vencendo de 2 a 0 era bem melhor. Mas ninguém se entregou. E a velha máxima de que a partida só termina quando o árbitro apita, valeu.
Tudo indica que o Paysandu menosprezou a Tuna. Acho que o time bicolor achou que a como o placar estava bom para a equipe e a Tuna estava com um jogador a menos, poderia brincar um pouco. Se deu mal.
Mas a luta da Tuna ainda não terminou. O jogo de quarta-feira é o mais difícil do ano para a Águia. Pode decidir a entrada no G-4 e talvez até a definitiva expulsão do fantasma do rebaixamento cruzmaltino.
A nação cruzmaltina está de parabéns. O resultado foi lindo, maravilhoso, pois -repito- ninguém imaginava mais uma virada.
O pontinho valeu. Tem um valor dos mais interesssantes na somatória do Segundo Turno e que no cômputo geral pode ser significativo para evitar a terrível degola.
Os maus profissionais que insistem em não enxergar valor nos adversários de Paysandu e Remo, discriminando e deselegantemente desrespeitando a história de todos, como no caso da Tuna, que tem    110 anos de gloriosa tradição, não vai nos afetar. Estaremos sempre lá, poucos, mas unidos e apaixonados.
Vamos firme, contra tudo, contra todos, contra a discriminação chula, contra os falsos fortes adversários.
Tuna Luso Brasileira é isso!

sexta-feira, 22 de março de 2013

Contra o Paysandu, vai que a bola é Tuna!

Não é mais novidade dizer que a Tuna joga amanhã, contra o Paysandu, no Estádio Mangueirão,  sua partida decisiva, a mais importante do ano. Tem sido assim por todo este Segundo Turno, simplesmente pela má campanha do Primeiro Turno, onde a Tuna conseguiu apenas um empate -um pontinho- e seis derrotas, o que obrigou a Águia do Souza a fazer "das tripas coração" para chegar ao G-4 e tentar vencer pelo menos uma das partidas para não ser degolada.
E é justamente para chegar entre os quatro primeiros colocados, entrar para a semifinal que a Tuna necessita vencer.
O jogo de amanhã, a penúltima batalha, segundo o técnico Cacaio, talvez seja o jogo mais difícil pela Tuna. O técnico tunante sabe que nessas horas o psicológico dos jogadores deve estar muito bem. Não podemos nem pensar em perder ou mesmo empatar. Temos é que vencer", disse Cacaio em entrevista. Ele sabe que a tarefa não é das mais fáceis,  como também os jogadores e todos os torcedores da Tuna. Mas não é impossível.
O Paysandu vem de um empate com o Cametá, onde jogou apenas o "feijão com arroz" e o resultado fez justiça aos dois times. Mas está à frente de todas as equipes, com 11 pontos. Está praticamente classificado. Só uma zebra ira o time bicolor da semifinal. Mas uma derrota para a Tuna e outra para o Santa Cruz, seu último adversário, poderá complicar a vida do time de Lecheva.
A Tuna vai com tudo. Embora a ausência de Tarcísio seja bastante lamentada (aliás, o comentário que ele fez após o terceiro cartão foi estranho), o time está preparado para ganhar e ser o primeiro classificado entre os semifinalistas.
Vai que a bola é Tuna, minha Águia guerreira!.

Jacaré come Leao. Emoção cresce no Parazão!

Este escriba cantou a pedra. Postei ontem que Flávio Araújo iria fazer de tudo para não perder o jogo contra o Paragominas, até se pegar com mais um santo, no caso o Padre Cícero, aumentando seu rosário de preces e promessas para pontuar e garantir sua participação entre os quatro semifinalistas. Não deu. O Remo lutou muito, chegou a ter três atacantes natos em campo, mas deu Paragominas. 
O resultado pode ser considerado mais um desestre na vida do Clube do Remo neste Parazão 2013. Somando-se a derrota de ontem com as duas sofridas contra o Paysandu, a bruxa soltou-se e a cobra, até então calminha da silva, está fumando forte pelos lados do Baenão.
Como antecipei ontem, com a derrota e o perigo da não classificação rondando, pode até ser que o técnico remista Flávio Araújo não caia, mas que está perigando, isso é notório, óbvio ululante, como diria o mestre tricolor, Nelson Rodrigues. 
Mas se o Remo, mesmo com esse início de crise, ainda quer almejar alguma coisa no Parazão e no futuro, tipo a Série D, deve ter calma nessa hora. Se analisarmos com tranquilidade, chegaremos a conclusão de que as coisas não estão muito difíceis para o  time azulino.  Faltam duas partidas. A próxima, domingo, enfrentará a pior equipe neste Segundo Turno, o São Francisco, ainda ""virgem" em pontuação. Não é difícil conseguir uma vitória ou empate lá. A segunda é em casa. contra o também sofrido Águia, que está à beira da degola e de perder seu eterno técnico, João Galvão. Como tem nove pontos, será moleza pontuar nos dois jogos e figurar entre os quatro.
Ontem, a meu ver, o resultado foi super normal.  Jogar futebol num campo encharcado é loteria. Mesmo os que estão acostumados, como literalmente está o "Jacaré", porque treina lá, joga e com certeza as chuvas castigam muito o município, não conseguem desenvolver um bom futebol. É bola pra frente que atrás vem gente. Fez o "feijão com arroz". Já o Remo se esforçou, jogou o que pode em um campo ingrato para os dois, mas o que fazer se a sorte foi boa para o Paragominas?
Como amante do futebol e defensor de um bom Campeonato Paraense, acho tolice dispensar técnico à essa altura do campeonato. O presidente tem que cortar as asas dos mandões ou "estrelas" que gostam dos holofotes e não deve permitir a saída de Flávio Araújo. É deixar o homem trabalhar. Ele conhece, ele entende do riscado. Se o Remo está jogando errado, é dar liberdade ao treinador para  mexer e organizar o time da maneira que lhe convém. 
O bom do futebol é isso, a competitividade. Não tem graça só um ou dois clubes ganharem sempre. Insisto que torço sempre para que tenham pelo menos quatro clubes com chances de ganhar o título. Agora com todo mundo embolado, o bicho pega e a emoção fica mais à flor da pele. Se não for assim, o futebol perde a graça.

P.S.: Este Parazão está sendo um dos mais emocionantes dos últimos anos. (Embora meu time esteja perigando de cair).

quinta-feira, 21 de março de 2013

Brasil de seu Felipão cede empate à Itália

O Brasil de seu Felipão empatou com Itália, em 2 a 2, em mais um teste da equipe que se prepara apara a Copa das Confederações. Tudo bem, os italianos são tetra campeões do mundo, têm uma história no futebol mundial das mais bonitas. Não é nenhum demérito empatar ou perder para os italianos.
Só que no caso da Seleção Brasileira o empate de hoje tem um sabor horrível de derrota, pois estávamos vencendo a partida por 2 a 0 no primeiro tempo e logo no início do segundo cedemos o empate e por pouco (pouquíssimo mesmo) não tomamos mais gols de Balotelli e seus camaradas.
Além da decepção por mais essa "derrota" temos que engolir um técnico que insiste com jogadores que não têm perfil de atletas de Seleção, que a cada partida demonstram que não têm condição de jogar na Seleção do "país do futebol" como o tal atacante Hulk, um perna dura, que só chuta esquerdo e não consegue fazer uma jogada que mostre características de jogador de alto nível.
Insisto que Seleção Brasileira formada por jogadores que jogam na Europa não tem muito a ver, tem tudo para não dar certo. Uma Seleção em que os convocados sejam em sua grande maioria atletas que atuam no Brasil pode ser a nossa salvação. Atletas que atuam no Brasil são bem mais fáceis do técnico trabalhar, porque todos nós estamos vendo, presenciando suas atuações no dia-a-dia, vemos até onde vão os seus limites técnicos. 
Mas é importante que também pensemos no técnico. Tem que ser um profissional que entenda do riscado, que saiba convocar e conheça a característica de mudar o resultado de um jogo. Felipão é extremamente arrogante e vaidoso; porque ganhou uma Copa em que não tínhamos adversários à altura todos endeusam, e que mesmo que tenha colocado um dos mais importantes times do País na Série B, ainda ganha o prêmio de ser o técnico da Seleção Penta Campeã do Mundo.
É difícil Felipão cair. Pelo menos para a Copa das Confederações. Mesmo porque a CBF está entregue -como bem falou Romário- a um grupo de conservadores capitalistas, descomprometidos com o futebol; só visam o dinheiro. Mas que ele tenha um bom auxiliar e faça pelo menos a convocação de atletas de qualidade. Um exemplo do compromisso dele com os atletas que atuam na Europa é Osvaldo. Não mandou o jogador do São Paulo nem esquentar. Preferiu botar um desconhecido seu apadrinhado. Assim vai ser sopa no mel para os adversários.

Clássico no Grêmio pelo "nat" de Rodrigo

O cruzmaltino Rodrigo Santos Sobral, chamado intimamente pelos mais chegados pelo sugestivo nome de Mucura, é daqueles torcedores que não perde um jogo da gloriosa Águia do Souza.
Mucura (perdoe a intimidade, Rodrigo) marca folhinha dia 23 de março e há três anos adota uma maneira bem peculiar de comemorar seu "nat": uma partida de futebol entre seus amigos com cada time vestindo uniformes simbolizando suas duas grandes paixões: Tuna Luso Brasileira e Santos Futebol Clube. 
Neste sábado, 23, às 9h Mucura vai realizar a terceira partida entre as duas importantes agremiações nacionais. O local será o Grêmio Literário Português, e os tunantes já estão escalados, enquanto os santistas estão brigando para quem usará a camisa de Neymar.
O jogo será tipo um tira teima, pois nas duas partidas anteriores deu Santos (em 2011) e Tuna (2012). Como a nossa Tuna (minha e do Rodrigo) está jogando aquele bolão, certamente o time que lançou  Neymar e Pelé levará uma sova e começará a embalar uma vitória cruzmaltina para a noite, frente os bicolores.
Este escriba envia sinceros votos de saúde e paz ao grande cruzmaltino Rodrigo (ou melhor, Mucura).

Araújo faz promessas para não antecipar saída

Aviso aos navegantes: se perder hoje para o Paragominas, o técnico Fávio Araújo poderá antecipar suas ferias, voltando ainda esta semana para Fortaleza ou São Luiz do Maranhão, onde também tem residência.
Competente, mas aceitando demais interferências em seu trabalho, Araújo não acertou na escalação e no esquema tático do time azulino nas últimas partidas, e perdeu forças estando sem cacife perante boa parte da torcida.
Flávio Araújo, a meu ver, formou um bom time com jogadores que indicou e conhecia. A cartolagem azulina começou a trazer jogadores que o técnico não conhecia e tampouco tenha pedido. O resultado foi o desastre de domingo, quando o Remo perdeu por 3 a 1 (poderia ter sido bem mais!) e pior:  jogou péssimo, não mostrou nada do futebol de partidas anteriores. O resultado, juntando com a outra derrota por 2 a 0 para o maior rival, deixou o técnico remista acabrunhado, menos falante e até o fazendo aumentar seu oratório particular.
Nossa Senhora de Nazaré e o juazeirense Padre Cicero, que fez Flávio aumentar seu número de promessas para o jogo de hoje, são a grande esperança do técnico contra o Paragominas.
Mas primeiro, o time tem que pelo menos jogar bem...

Tuna vence São Francisco e é vice líder

A vitória da Tuna Luso Brasileira por 1 a 0 sobre o São Francisco ontem, no Estádio Francisco Vasques, deixa, pelo menos por todo o dia de hoje, a Águia do Souza como a vice líder do Segundo Turno.
A Tuna começou atacando, pelas pontas, principalmente pela direita, através das subidas do lateral Ângelo e pela boa movimentação dos meias Pedrinho Mossoró e Fabrício, que conseguiam pelo meio de campo e pela esquerda, criar situações favoráveis aos atacantes Lucas e Papa Léguas.
O São Francisco tentava equilibrar o jogo nos contra ataques, levando algum perigo à zaga cruzmaltina, mesmo sem qualidade nas finalizações. O time santareno queria de qualquer maneira livrar-se da incômoda posição de pior equipe do Segundo Turno, que na quinta rodada contabilizou cinco derrotas consecutivas.
A Águia, por sua vez, atacava com mais qualidade, só que errava nas finalizações. Chegou a perder pelo menos quatro gols praticamente feitos, graças às boas defesas do goleiro Jader ou então em chutes para fora da meta.
O primeiro tempo chegou ao final com um escore de 0 a 0, mas muito injusto pela superioridade da Tuna.
Lucas tem sido o homem-gol da Tuna no Parazão
O segundo tempo começou com a Águia tentando de qualquer maneira garantir logo a vitória. As substituições de Pedrinho Mossoró e Daniel Papa Léguas respectivamente por Maninho e Edilson não surtiu o efeito que Cacaio queria, pois mesmo com excesso de peso, Papa Léguas enquanto esteve em campo levou muito perigo ao gol de Jader, enquanto Fabrício é sempre aquele jogador que se movimenta muito em campo.
O gol saiu aos 12 minutos, através de Lucas, que vem se mostrando como um perfeito homem de área, chutando muito e aproveitando sempre rebotes, principais características de um bom centro avante.
Com a vitória a Tuna chegou aos nove pontos e depende de apenas um resultado positivo contra Paysandu ou Paragominas.  Com 12 pontos estará praticamente garantida nas semifinais. Aí é só lutar para pontuar para ter garantida sua permanência na elite do Parazão.
Não será tarefa fácil vencer o `Paysandu ou mesmo o Paragominas, que recebe a Tuna em casa. Mas os cruzmaltinos acreditam que a reação que a equipe teve com a chegada dos poucos jogadores no segundo turno, poderá ter um prosseguimento. E é o que se espera: surpresas boas para os torcedores do time luso brasileiro.

Papão se engasga com Mapará

O Paysandu escapou por pouco de perder o jogo de ontem para o Cametá. Parecendo sonolentos, os  bicolores foram surpreendidos por um Cametá rápido e voluntarioso em suas ações e que por pouco não derrotaram a equipe de Lecheva em seus próprios domínios.
Mapará engasgou Papão
Mesmo tendo mais oportunidades de fazer gols, o Paysandu não pode ser considerado superior na partida.  Os dois times estiveram bem parecidos, embora o Cametá demonstrasse mais vontade de vencer. O "azarão" Rafael Oliveira -que "largo" como é às vezes a bola bate nele e entra-, fez o gol do Paysandu de cabeça  aos 21 do segundo tempo, depois de uma cobrança de escanteio. O técnico Lecheva achava que a partir daí as coisas melhorariam e o ataque, que perdeu algumas chances na primeira etapa, deslancharia em cima do Mapará. Enganou-se. O time dirigido pelo jovem técnico Ferreti, três minutos depois empatou, depois de uma jogada em que Tetê recebeu pelo meio e chutou sem chance para Paulo Vanzeler.
Mas mesmo empatando, o Paysandu ainda lidera o Segundo Turno com 11 pontos, seguido de Tuna (9) e Remo, que tem também nove pontos mas joga hoje contra o Paragominas. Só que o jogo é na Arena Verde, em Paragominas  e lá a coisa pode esquentar para o lado do time azulino. O Santa Cruz é a outra equipe que completa o quarteto que lidera  o Segundo Turno do Parazão 2013.

quarta-feira, 20 de março de 2013

Tuna hoje tem que vencer o São Francisco!

Vamos lá, Águia. Estamos contigo!
Um jogo decisivo para as aspirações cruzmaltinas é esse de logo mais entre Tuna e São Francisco. A equipe luso brasileira recebe o time santareno no Estádio do Souza às 15,30 e todos os jogadores, Comissão Técnica, torcedores e dirigentes sabem da importância de uma vitória hoje. ´|E vencer e vencer!
Com seis pontos no Segundo Turno, igual à Águia e Santa Cruz, que jogam logo mais em Cuiarana, a Tuna necessita vencer para tentar no sábado mais uma vitória contra Paysandu ou no último jogo, contra o Paragominas, chegar ao G-4 e trabalhar para pontuar e assim evitar a degola.
Todos os cruzmaltinos sabem que a situação da Tuna é bem complicada. Se tivesse pelo menos arrancado um pontinho em Cametá poderia estar em melhor situação, dependendo de uma vitória hoje e talvez até com um simples empate contra Paysandu ou Paragominas para chegar às semifinais. Mas nada é impossível. A Tuna conta com o apoio de sua torcida, que mesmo não sendo grande é guerreira e voluntariosa pela sua continuação no Parazão.
A Tuna não contará ainda com a volta de Sinésio, ainda machucado, mas terá o retorno de Fabrício, que poderá ser uma figura fundamental para o lançamento de bolas para Lucas e Daniel Papaléguas, os dois atacantes cruzmaltinos.
O São Francisco está sem vencer no Segundo Turno. Necessita de uma vitória para ficar fora do rebaixamento, já que no primeiro Turno classificou-se entre os quatro semifinalistas com 11 pontos. Mas  depois não venceu mais. Está há oito jogos sem vencer e com sete derrotas consecutivas.  E os cruzmaltinos esperam que esse jejum continue pelo menos até  final do jogo de hoje.

MPB perde a voz e a arte de Emílio Santiago


A Música Popular Brasileira perdeu hoje, pela manhã, um de seus mais versáteis representantes. Morreu  no Rio de Janeiro, o cantor Emilio Santiago,  vítima de problemas oriundos de um AVC.  O cantor estava internado desde o princípio do mês e hoje cedo teve complicações respiratórias e no coração.
Emílio tinha 66 anos e 45 de profissão. Surgido no final dos anos 60, o cantor era carioca e considerado até por seus colegas artistas, como uma das melhores vozes de todos os tempos.
Santiago:  a arte de bem interpretar
Versátil, a principal característica do grande intérprete, e dono de uma voz inconfundível, Emílio Santiago era advogado e começou a cantar ainda garoto. Incentivado por colegas na Universidade, começou a cantar em bailes, na noite e em programas de calouros. Foi no Programa Flávio Cavalcanti que o artista mostrou ao Brasil sua simpatia, sorriso largo e a arte de interpretar qualquer tipo de canção.
Segundo ele próprio, foi na noite onde aprendeu a ser "crooner" e não ter dificuldade de cantar qualquer  tipo de musica: do samba ao bolero, do jazz ao samba-canção.
A morte de Emílio Santiago fecha praticamente um ciclo de cantores brasileiros que se dedicaram somente à arte de  interpretar, não se preocupando em fazer sua própria música para interpretar. 
Dezenas de artistas brasileiros lamentaram, através das redes sociais, o falecimento de Emílio Santiago, que deixa uma grande lacuna num tipo de  interpretação com alma, além de uma voz realmente inconfundível.
O Blog homenageia os fãs de Emílio Santiago e reverencia sua memórias com uma de suas mais perfeitas interpretações: "Saigon". É um presente do Blog. Curtam. 

Papa diz à Dilma que virá em julho ao Brasil

Dilma e Francisco: ambos têm como opção pelos pobres
Durante o encontro que manteve com a presidenta Dilma Rousseff,  na manhã de hoje, o  papa Francisco confirmou que virá ao Brasil em julho para participar da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, e anunciou que também visitará Aparecida do Norte, onde está o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida.
Dilma foi a primeira chefe de Estado a ser recebida pelo papa Francisco após a cerimônia oficial de posse, na terça-feira. Antes da posse, o papa, que é argentino, já havia se encontrado com a presidente de seu país, Cristina Kirchner. 
O papa Francisco conversou com Dilma sobre vários assuntos relacionados ao Brasil. Um dos assuntos foi o problema das drogas no Brasil, principalmente do crack. Na oportunidade,  voltou a falar de seu compromisso com os pobres.
A viagem ao Brasil poderá ser o primeiro compromisso internacional do papa Francisco. Sua participação na Jornada Mundial da Juventude, evento internacional criado pelo papa João Paulo 2º e realizado pela Igreja Católica em uma cidade diferente do mundo a cada dois ou três anos, já era esperada. Mas esta foi a primeira vez em que a visita a Aparecida foi mencionada.
"Ele (Francisco) espera a presença massiva dos jovens (no Rio de Janeiro)", comentou Dilma após o encontro. Segundo ela, o papa está "muito entusiasmado" com a visita ao Brasil.
A presidenta brasileira disse que o pontífice conversou com ela em "portunhol" e que considerou Francisco "muito carismático" e "um papa muito normal". Dilma também respondeu a uma pergunta de um repórter argentino, conterrâneo do Papa: "O Papa é argentino, mas Deus é brasileiro". (Com informações da BBC-Brasil).

terça-feira, 19 de março de 2013

Jatene voltou e poderá começar a governar

Aviso aos navegantes: agora, que já retornou de sua estada em São Paulo, onde esteve por vários dias  para tratamento de saúde, espera-se que o governador Simão Jatene assuma o realmente o governo do estado do Pará. Ele, com certeza, deve estar acompanhando que desde o dia 1º de janeiro de 2011 o estado está completamente parado, nada funciona, desde a Saúde, passando pela (In)segurança até à Educação. O caos é geral. Jatene, que não quis fazer seu tratamento de saúde aqui,  com justíssima razão, promete começar a governar já a partir do início do próximo mês, tomando pé da situação e esquecendo qualquer coisa que por acaso a Imprensa do Sul do país tenha publicado.

Mário Couto e Galvão frente à frente

Se o que o que um jornal de Belém publicou em uma de suas mais importantes colunas for real, está difícil, bem difícil o Santa Cruz de Cuiarana não figurar entre os quatro primeiros colocados no Segundo Turno, ou seja, o time está garantido nas semifinais. Couto vai "exigir" o Santa Cruz nas semifinais.
Segundo o jornal, o senador Mário Couto, presidente do clube de Salinópolis que é responsável por uma das maiores folhas de pagamento do nosso futebol, no jogo de sábado, contra o Paragominas, de megafone em punho, passou todos o tempo do jogo xingando e ameaçando o árbitro, deixando claro que lá dentro do campo do Santa Cruz, o "Coutão", quem manda é ele e pronto.
Dentre as "brincadeiras que Mário Couto vociferava pela megafone, algumas tipo "não foi nada, seu ladrão" e mais: "tu não vai sair daqui hoje".
O valente e, por que não dizer "aguerrido torcedor do Santa Cruz" senador Mário Couto, segundo o presidente da Comissão de Arbitragem da FPF, José Guilhermino, já está figurando na súmula da arbitragem do jogo Santa Cruz e Paragominas. Guilhermino criticou a postura do senador, dizendo que falta profissionalismo para Mário Couto se tornar um cartola de verdade. Segundo ainda o presidente da Comissão de Arbitragem, Couto, pela prepotência,  lembrou o prefeito de Sucupira, Odorico Paraguassú, dono da cidade fictícia criada por Dias Gomes.
A súmula do jogo foi enviada para o TJD e dependendo do que for julgado, o time do senador tucano poderá ser punido. Só que com certeza não perderá o mando de campo.
Amanhã, o Águia de Marabá enfrenta o Santa Cruz no "Coutão". Mário Couto poderá estar presente e de megafone em punho novamente.  Vai ser até interessante ver ele de um lado e o João Galvão, marabaense que não leva desaforo pra casa, do outro, xingando o pobre do juiz.
E eu choro!

Sobre sucessão na Tuna

Semana passada postei matéria sobre a sucessão na Tuna, quando coloquei que não apoiava ninguém da atual diretoria e que meu sonho seria uma chapa forte, de consenso para as eleições da Tuna no final do ano. 
No texto, coloquei que Raimundo Barata garantiu que vai lançar chapa, que existem especulações de outra com apoio do atual presidente; que o diretor Charles Tuma também estava propenso a sair candidato a presidente,  e que um grupo de tunantes se juntou, também, para possivelmente lançar uma chapa,  só que em cima de  um projeto mais democrático e verdadeiramente cruzmaltino, com pessoas que têm trabalho, história e querem se unir pelo soerguimento da Tuna em todos os setores.
Quando citei o nome do diretor Administrativo do clube Charles Tuma, postei que, segundo comentários,  ele teria o possível apoio (frisei bem a palavra possível) de João Rodrigues e Salatiel Campos.
O amigo Salatiel Campos leu o Blog e, em telefonema, me garantiu que não estava apoiando ninguém e estranhou eu citar seu nome. Expliquei-lhe que coloquei a nota porque me falaram e como não tinha checado, tinha colocado "possível apoio", o que significa dizer que não garanti que ele apoiaria ninguém.
No telefonema, Salatiel, como este escriba, disse que deseja o melhor para a Tuna e que o que deseja para o clube é uma chapa democrática, de pessoas que estejam realmente comprometidas históricamente com a Tuna.
Como Salatiel ficou meio chateado com a nota, dizendo que eu deveria tê-lo consultado (até que tentei, mas não consegui falar com ele), através do Blog eu peço minhas sinceras desculpas se ele acha que dei a notícia errada. 
Espero que o mal entendido esteja desfeito e que o amigo Salatiel apareça na Confraria no sábado para um churrasco regado à uma cerveja bem gelada. Aquele abraço, meu caro!

Tuna ser prejudicada por árbitro "é normal"

Alguns companheiros que estiveram no jogo da Tuna em Cametá contaram para este escriba que realmente a arbitragem de Joquetan Guimarães e seus auxiliares foi das piores. Talvez, segundo ainda os cruzmaltinos que presenciaram alguns fatos acontecidos pós-jogo, o árbitro não tenha feito um bom trabalho, o que culminou com o prejuízo para os dois clubes, embora em maior parte à Tuna, não foi tanto pela má fé, interesse de "puxar" para a equipe interiorana, mas sim pela incompetência, o despreparo, o pouco conhecimento que tem de arbitragem.
A situação complica nessas horas, porque o disse-me-disse na verdade não vai levar a nada. O que foi marcado já aconteceu, se a Tuna foi prejudicada não vai mudar a situação. O que importa agora é tocar pra a frente e tentar evitar que aconteça tudo de novo.
Mas é importante que alguma coisa fique bem clara para os cru\maltinos, principalmente. Se a Tuna foi a mais prejudicada, como disse a diretoria  da equipe luso brasileira, o presidente tem sua parcela de culpa, se não vejamos:
-Por que a Tuna não tem um bom representante na FPF, que seja torcedor do clube, para quando os árbitros forem sorteados, o representante possa ter o poder de vetar os nomes que ele imagine que possam comprometer a Lusa?
O que falam por aí é que o presidente da Tuna é muito chegado ao coronel Nunes, dirigente eterno da Federação; então por que ele não tem um diálogo bom com Nunes para que ele não permita que a Comissão de Arbitragem na escale árbitros sem o devido preparo nos jogos da Tuna?
Ao que se sabe, Fernando Chipelo, o Chipelinho, que conheço e sei que ele sabe onde "a coruja dorme", se for o representante e tiver poder, sabe perfeitamente quem é bom, quem é regular e quem não sabe apitar na FPF. Agora resta saber se Chipelinho ainda está na tal função de representante ou já saiu. Mesmo porque, as coisas na Tuna, na atual gestão, mudam muito e não se sabe de quase nada, como bem diz o vice presidente do clube.
O fato é que juiz prejudicar a Tuna não é novidade. Eles, em sua maioria, não respeitam a Tuna. Agora escalar um auxiliar que atua na Liga Esportiva de Cametá, é querer brincar com a história da Tuna. Vamos respeitar os 110 anos da Tuna. Mesmo que a a FPF seja povoada de paysandus (presidente, vice, etc.) os clubes filiados têm que ser tratados com respeito e democraticamente. 

segunda-feira, 18 de março de 2013

Restam três batalhas. Mas todas decisivas!

Confesso que não queria, de maneira alguma, falar do time da Tuna hoje. Não adianta as tolices feitas em Cametá, os impropérios lançados contra quem não tem culpa ou pode ter uma parcela mínima. O bode está aí, a coisa está aí para todos nós vermos e sofrermos. Não que este escriba esteja já jogando a toalha, (embora à vezes pense que já deveria ter jogado). É torcer muito pelo quase impossível, pela sorte, pelo sonho que sabe-se é quase irreal.
Os erros surgiram no princípio, para variar. Mas assim como surgiram, teriam condições de ser solucionados. Mas sabemos que a solução de qualquer problema só existe ou existirá quando o culpado for humilde para baixar a cabeça e calçar as sandálias franciscanas da humildade. Era preciso ter sensibilidade, sensatez e grandeza para dizer "ok. Vamos mudar. Ainda dá tempo".
Mas como nada disso aconteceu, vamos continuar nossa heróica batalha
Afinal, a guerra ainda não acabou. Estamos perdendo as batalhas, certo,  mas ainda restam algumas. Vamos ao "front". Nossas balas são poucas. (E parecem de borracha contra um adversário de artilharia pesada). Mas não podemos desistir.
Sei que é difícil, como venho afirmando desde a quarta partida do Primeiro Turno. Mas, ninguém quis me ouvir;  ninguém quis escutar meu grito de alerta de que "não estávamos bem". Deu no que deu.
Quarta-feira vamos de novo ao ataque. Para vencer. Se vencermos, o que acho
bem possível -embora o adversário ferido seja sempre muito perigoso-, teremos ainda duas grandes batalhas, contra Paysandu e Paragominas, respectivamente. Uma no Mangueirão (ou na Curuzu, as informações não batem); para mim não faz diferença. Se fosse no Souza era outra história. O outro, em Paragominas, na Arena Verde, com toda a torcida adversária e uns poucos nossos. Mas o que fazer?
Estão vendo, não é? Nada fácil. Uma dificuldade que só!
Sinésio não volta. Aliás, não voltará talvez até o final do Campeonato.
A esperança, como tenha alertado, é entrarmos como um dos quatro semifinalistas. Para isso, penso, serão necessários tipo 12 ou na sorte, 11 pontos. É ganhar duas ou vencer uma e empatar duas. Difícil? Muito!
Mas vamos à luta. 
Como falei acima, não vamos jogar a toalha. Vamos levantar nossas bandeiras, fazê-las tremular nesta quarta e torcer para vencer a batalha. Restam três. Mas serão as decisivas.

Ailson, ex-Tuna, brilha no skiff da Seleção

Os atletas do Botafogo e da Seleção Brasileira Ailson (ex-Tuna), Célio e Mocetti
Ailson, em seus tempos de Tuna
Ailson Eráclito, ex-remador da Tuna Luso Brasileira, foi o grande vencedor na prova de skiff individual masculino na seletiva de remo para o Sul Americano da modalidade, realizada ontem na Lagoa Rodrigo de Freitas.
Outro ex-atleta da Águia do Souza, Marciel Moraes, o Marajo, na mesma prova passou mal e caiu do barco. Marajó foi atendido e liberado logo em seguida.
Os dois atletas remadores, Ailson e Marajó, remaram pela Tuna durante vários anos, e hoje são atletas do Botafogo do Rio de Janeiro.
Tanto Ailson como Marajó são atletas da Seleção Brasileira de Remo e figuram como dos melhores atletas náuticos do país e da Seleção Brasileira.
O mal estar de Marajó de Marajó, segundo os médicos foi passageiro. O atleta já está recuperado.

Caixinha de surpresa ou "dia de azar"

A velha máxima que diz "futebol é uma caixinha de surpresa" nunca esteve tão viva como na partida de ontem entre Remo e Paysandu. Quem vem acompanhando os jogo do time azulino (como os meus cunhados, que não perdem um jogo pois são remistas até a medula!) não entenderam ontem o enrendo do samba remista.
O time não jogou praticamente nada. Todo mundo foi mal em campo. Do goleiro Fabiano ao atacante Leandro Cearense o time esfriou de uma maneira que os que viram a equipe na maioria das partidas deste ano, não conseguiram reconhecer ninguém. Nem mesmo o técnico, que não conseguiu mudar a postura do time no intervalo do primeiro para o segundo tempo -coisa que ele sempre faz com talento.
Alguns falam em respeito; outros falam que o time foi covarde. Prefiro dizer que tem dias que nada dá certo. 
Me faz lembrar até um samba de João Nogueira, "É dia de azar", onde o grande sambista portelense mostra  na letra que o dia estava tão estranho que " o pneu do carro furou, o feijão queimou, o isqueiro falhou e até o Flamengo perdeu". Não é mole, não.
O Remo com a fraca exibição de ontem deveu à sua torcida e até aos que mesmo sem torcer pela equié, admiram futebol, como este escriba, que continua achando que do goleiro ao ataque a equipe é bem superior ao Paysandu que, ganha no conjunto, na concatenação, pois vem jogando junto há muito tempo e  consegue mostrar em campo que é muito mais organizado.
Mas, como citei no início, futebol é mesmo uma caixinha de surpresa. Só que perder dois clássicos seguidos é muito ruim. Para a torcida, para a equipe e para o técnico. E ontem, que me perdoem os azulinho, a peia era para ser bem maior. Tipo de cinco pra lá. 

sexta-feira, 15 de março de 2013

Papa pode não ser pop, mas é humide

O que é ser franciscano? Ser franciscano não é somente pertencer a uma Ordem religiosa, também chamada  popularmente de Ordem dos Capuchinhos. Ser franciscano é ter humildade, grandeza espiritual, amar a natureza, os animais, ao próximo, não correr atrás desesperadamente do capital,  ter a nobreza de agradecer, pedir, doar.
Adolescente, militei no movimento da Igreja, na JUFRA, e tive um pouco de conhecimento de como vivem, pensam e agem os Franciscanos. Mesmo não sendo o que a minha geração chamou de "papa hóstia", não estar presente todos os finais de semana na Igreja, sempre gostei do  estilo de vida e da maneira de ver o mundo desses discípulos de Francisco Bernardone.
Um de meus filhos, não atoamente é chamado Francisco.
A leve e pequena introdução foi para falar do novo Papa. O argentino Jorge Mário Bergoglio, o Francisco I, parece querer mostrar que mesmo sendo da Congregação Jesuíta, é um Franciscano juramentado. Além de escolher o nome Francisco, o novo Papa em seu primeiro dia de papado (!!??) mostrou que veio para fazer a diferença. Para começar, recusou as honrarias naturais de uma autoridade, como a cruz de ouro, o carro de luxo, o beijo na mão dos cardeais, o cumprimento na cadeira de São Pedro e várias regalias que os outros mandatários da Igreja que o antecederam jamais abdicaram.
Mas, mesmo com o diferencial já apresentado, penso que o novo Papa Francisco I deveria ir mais além  e
introduzir algumas mudanças na Igreja que, certamente, iriam revolucionar o tradicionalismo do Vaticano.
Por exemplo: o celibato. O Padre, o Bispo, o Papa  são homens que como os outros têm suas necessidades fisiológicas naturais. Talvez acabando com o celibato entre os religiosos o Papa consiga evitar o principal escândalo que envolve a Igreja hoje, que é o problema da pedofilia. A maioria dos envolvidos sempre nega, e a Igreja, infelizmente, também prefere calar e assim o problema que é mundial vai parar debaixo do tapete.
A Igreja é conservadora e o novo Papa Francisco I também o é, sabemos. Mas como ele começou surpreendendo com suas atitudes de humildade,  de repente pode fazer mudanças em setores que sabe-se
são extremamentes necessárias,  como as questões da anticoncepção, do aborto, enfim, fazer as reformas na Igreja.
Vai que Francisco I, como o próprio Francisco Bernardone, o de Assis, de repente surpreenda a todos e faça o que seus antecessores não fizeram. Afinal, ele é argentino, apreciador de futebol, de vinho e deve até gostar  do autoendeusado Maradona.

Tuna vai à Cametá querendo vitória

Uma vitória. Simplesmente, uma vitória. Não interessa qual seja o escore, o importante é que seja favorável à Tuna Luso Brasileira, na partida de amanhã, às 20h no Estádio do Bacurau, contra a equipe do Cametá.
Para esse jogo, Cacaio poderá ter à sua disposição a mesma equipe que venceu o Santa Cruz de Cuiarana por 3 a 1, na quarta-feira no Souza. O time está em ritmo acelerado, acertando bem os passes e o que não estava dando certo no Primeiro Turno, que eram as finalizações, agora estão muito bem obrigado, graças aos atacantes Lucas e Daniel Papa léguas, que estreou com um gol.
A torcida cruzmaltina já está se arrumando para ir à Cametá em um micro ônibus fretado pela MUC, segundo nos falou Rogério,  um dos dirigentes. A condução sairá sabado pela manhã e retornará logo após a partida.
O técnico Cacaio já deixou claro para todo o elenco cruzmaltino que a partida frente o Cametá não será das mais fáceis. O Mapará mostrou que é uma equipe bem organizada, tem um meio de campo rápido e um ataque que chuta mesmo, destaque para Landu, que continua um bom velocista. Na terça, o time da Terra dos Romualdos deu muito trabalho ao Remo no jogo em Belém.
"Vamos entrar dispostos a ganhar a partida ou no minimo conseguir um empate. Mas a proposta é trazer os três pontos, pois no momento para nós o importante é pontuar", disse o técnico luso brasileiro.
O lateral Sinésio ainda não voltará nessa partida mas o Departamento Médico da Tuna intensifica os trabalhos para que o atleta já possa retornar no jogo contra o São Francisco, na quarta-feira, 20, no Souza.

Revivendo a escritora Eneida de Moraes

A jornalista e escritora Eneida de Moraes
Um dos nomes mais expressivos da literatura paraense, Eneida de Moraes foi uma mulher revolucionária em seu tempo. Escritora, poeta, jornalista, pesquisadora e militante política de esquerda, Eneida desde cedo teve inclinações para a literatura e para a política. Durante os anos 20 e 30, trabalhou em vários jornais de  Belém e do Rio de Janeiro, atuando como repórter e como cronista, ao mesmo tempo entrava no mundo do carnaval do Rio de Janeiro, onde durante quase toda a vida foi uma foliã e defensora da cultua carnavalesca.
Eneida escreveu mais de 10 livros principalmente poesias e crônicas.
Eneida participou ativamente dos movimentos políticos contra o Estado Novo, sendo por isso perseguida, presa, torturada, tendo inclusive que partir para o exílio.
Na prisão, a intelectual paraense torneou-se amiga de figuras da política e da cultura nacional como Olga Benário Prestes, esposa de Luis Carlos Prestes, e do escritor alagoano Graciliano Ramos, autor de "Memórias do Cárcere" onde ficou imortalizada.
Eneida nasceu em Belém em 1904 e faleceu em 1971, no Rio de Janeiro. Foi a primeira madrinha da tradicional Banda de Ipanema e já foi homenageada pela Escola de Samba Salgueiro, em 1973, com o tema "Eneida, carnaval e fantasia".
Eneneida de Moraes é homenageada em Belem com uma Praça, Escola e Rua. Ainda é pouco. É importante que as secretarias de culturas do Estado e de Belém mostrem aos mais jovens a importância dessa talentosa mulher paraense, forte e livre como muito bem retratou em versos o poeta João de Jesus Paes Loureiro:
"Eneida sempre livre/Eneida sempre flor/Eneida sempre viva/ Eneida sempre amor"
Este escriba homenageia hoje a grande Eneida de Moraes publicando uma de suas crônicas mais famosas.
Deliciem-se com a leveza e modernidade do texto de nossa Eneida de Moraes.


CABARÉ (Eneida de Moraes)

Esta palavra apareceu em minha vida, depois que ela (minha mãe) morreu. Ao começo apenas uma palavra, mas quem agora iria explicar-me o que é cabaré? Um lugar público onde se dança, canta e bebe, como dizem os dicionários? A sede de leitura crescendo (...).
Foi em 1931 que consegui, afinal, ir a um cabaré. Ia, enfim, aprender, por mim mesma, aquilo que ela não tivera tempo para me explicar. Agora não mais a palavra, mas o acontecimento.
Era uma noite belíssima, dessas noites cariocas de terra, céu e mar iluminados. Um grupo de amigos a meu pedido levou-me ao Assírio (antigo cabaré de prostitutas de luxo na Cinelândia com decoração inspirada/copiada do Salão Assírio do Municipal). Como esquecer aquele salão de decoração lúbrica, uma orquestra atacando dolentes tangos argentinos, e mulheres tristes, estranhas, entre bicho e gente, todas ou quase todas com vestidos de rendas pretas?
Mas então isso é que é cabaré? Cabaré não é uma casa alegre, movimentada, riso em todas as bocas, champanha estourando rolhas, taças sendo bebidas em desvairada alegria? As famílias sempre temeram o cabaré, por que? Eram perguntas a um e a outro. Sim, tu é que és uma boba, cabaré é isso mesmo, as mulheres são tristes porque levam uma vida triste. Impossível, impossível.
Pares deslizavam como se fossem mortos ou bonecos movidos por uma lenta manivela; a música não atingia nem sequer a ponta dos dedos de qualquer dançarino. Nunca pude suportar tangos argentinos: é sempre a história de infidelidades, em todos eles há mulheres desleais, traindo homens, homens sofrendo, mas jurando vinganças. Muitos anos depois, entrevistei Ataualpa Iupanqui, folclorista argentino. Perguntei-lhe se, como eu, julgava o tango de sua pátria o hino nacional do corno. Sua resposta:
— No chica; la burguesia argentina está tan y tan podrida que no tiene cálcio para hacer cuernos.
Mas aqueles vestidos de rendas pretas? Nunca os vira em tão grande profusão, tão feios, tão tristes, entristecendo ainda mais as mulheres pálidas, mas muito pintadas, máscaras sobrepostas porém soltas, visivelmente atuando uma sobre a outra. Grandes olheiras – Teda Bara em moda – boquinhas de batom fazendo corações em grandes bocas pintadas só no meio – em moda também Clara Bow.
Vocês me enganaram, isso não é um cabaré. Onde aquelas mulheres lindas e fatais, luxuosamente vestidas, cobertas de jóias, rodeadas de homens apaixonados, levando-os a loucura, aquelas figuras tão banalmente célebres.
Saímos para a rua, fomos bebericar num bar, esse sim, muito alegre. Jamais poderia acreditar no que afirmavam os amigos. Pois sim que aquilo era cabaré. Não tinha tango argentino? Não viste as prostitutas? Não estavam bebendo cerveja? Pois tudo isso é cabaré. Como pode haver cabaré com cerveja e mulheres tristes? Que diria disso a senhora Margueriti Gauthier?
Vida correndo(...). Outra noite chegou, em S. Paulo. Confidenciei a amigos minha decepção com o cabaré carioca e a vontade de conhecer um paulista (...) – Não, não, isso não é um cabaré. Foi isto mesmo, igualzinho que me mostraram no Rio. Lábios tristes, boca fingindo outra boca, a verdadeira debochando da falsa. Só a fala dos amigos afirmando o cabaré ou espantados com a minha ignorância, alegravam o ambiente.
Súbito, estourou uma briga. Aumentou: cadeiras partiram em várias direções, garrafas de cerveja transformaram-se em petardos e caíam no chão; palavrões enormes acompanhavam ritmadamente a luta. Querias agitação, não querias? Achavas que cabaré não pode ser coisa morta e agora aí está: sangue, cabeças partidas, gritos histéricos de mulheres em fuga, garrafas, cadeiras quebradas.
Não precisaria mais insistir. Minha curiosidade por cabaré terminou. Até hoje, para mim, cabaré é um lugar muito triste com mulheres idem, todas vestidas de rendas pretas, bebendo cerveja, e tangos argentinos falando de infidelidades e desgraçados amores.
Impossível a cerveja em cenas de cabaré. (Do livro Banho de cheiro, de 1962).

quinta-feira, 14 de março de 2013

Tuna desbanca o Santa do senador tucano

A importante e bonita vitória da Tuna ontem à trade frente à equipe do Santa Cruz de Cuiarana (que inexplicavelmente não consegue sair do atoleiro), pelo escore de 3 a 1, parece ser o começo de uma possível recuperação, principalmente se conseguir a classificação para as semifinais do Segundo Turno do Parazão 2013. Os três gols tunantes foram feitos por Lucas e Preto Barcarena, no primeiro tempo, e Daniel na segunda etapa. Fumagali descontou para o time de Salinópolis.costurava, costurava, mas não conseguia fazer o gol.
É importante que seja dito, que este escriba passou todo o Primeiro Turno mostrando que o time da Tuna não conseguia fazer gols nem tampouco vencer porque do meio campo para a frente a equipe estava cheia de "armandinhos", que costuravam, costuravam com a bola, mas não tinham atacantes para quem passar para definir as partidas. O resultado é que durante o Primeiro Turno, em sete partidas,  a Tuna só fez um gol, só conseguiu um empate e sofreu seis derrotas. Uma lástima, lamentavelmente.
Agora na segunda fase, com a contratação dos atacantes Lucas e Daniel Papa Léguas o time deslanchou e logo na estréia, contra o Águia, sapecou quatro gols e ontem o escore de três a 1 foi até pouco pelo que o ataque luso brasileiro produziu.
Os outros atacantes, Maninho, Edilson e Diego Índio, na verdade até o presente só têm feito número. Pouco acrescentam no time de Cacaio, que é um técnico que bota a equipe para jogar pra frente, com apoio dos laterais e dos zagueiros, que quando têm oportunidade até fazem gols, como Preto Barcarena ontem.
O gol sofrido pela Tuna ontem, já no final da partida, aconteceu porque o técnico recuou um pouco a equipe para garantir o escore e trocou os dois atacantes: Lucas por Maninho e Daniel por Edilson. Cacaio tem que pensar antes recuar a equipe e de tirar o ataque do time. Normalmente, isso dá problema.
Para a partida contra o Cametá a Águia entrará com a mesma formação, ainda sem Sinésio, convalescendo no Departamento Médico. Cacaio vai manter Ângelo na posição, que saiu-se muito bem na vaga do lateral titular. O meio campo será o mesmo e o ataque terá novamente Lucas e Daniel. 
A Tuna espera surpreender o Cametá e voltar com uma vitória da terra do Mapará. Na pior das hipóteses, um empate será de bom grado. Se vencer, a Águia completará nove pontos e necessitará de pouco para figurar entre os quatro semifinalistas, tipo uma vitória no jogo em casa, na quarta-feira, contra o São Francisco. Será a glória!
O time luso brasileiro está completamente diferente do que jogou no Primeiro Turno. Para sorte da equipe  do bairro do Souza, Águia de Marabá, Cametá e principalmente o Santa Cruz de Cuiarana -de quem se esperava uma grande reação, por conta da contratação de um novo técnico e de alguns atletas, como o "Homem dos 400 mil" Fumagali-,  estão sem pontuar e o time do senador tucano, principalmente,  está sendo novamente uma grande decepção e se não se cuidar e vencer as duas partidas que tem dentro de casa poderá terminar soterrado nas águas de Salinas.
Domingo a Tuna tem que vencer o Cametá e na quarta o São Francisco. Depois, é só correr para o abraço rumo à permanência na elite.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Tuna é valente e vai vencer hoje e domingo!

Com o empate no jogo de ontem entre Águia de Marabá e Paysandu em 2 a 2, a Tuna ficou ainda com mais responsabilidade em vencer a partida de logo mais no Souza.
Vamos lá, minha Águia. Faça a sua parte!
Com dois pontos no Segundo Turno, o Águia de Marabá agora soma um total de oito pontos no geral, o que o distancia quatro pontos da Tuna, que está com três pontos no Segundo Turno e quatro no geral. Se conseguir vencer hoje, a Tuna melhora sensivelmente sua colocação, pois chegará aos seis pontos e dando sequência à arrancada de vitórias e vencer o São Francisco domingo, tranquilamente poderá figurar entre os quatro primeiros no Segundo Turno.
O outro time que atrapalha é o Cametá. Na esteira da luta para não cair (é muito um complicado um cruzmaltino torcer pelo Remo), vamos torcer por um empatezinho básico hoje lá em Cametá para as coisas melhorarem ainda mais.
Não é fácil para a Tuna. Mas não é impossível. O primordial é fazer o dever de casa. Os jogos de hoje, domingo e quarta, respectivamente contra Santa Cruz, Cametá e São Francisco, podem ser decisivos para a permanência da Águia do Souza  na elite do futebol paraense. Das três partidas tem que conseguir pelo menos sete pontos e ainda torcer por resultados.
Vamos lá, Tuna. É vencer e vencer e permanecer entre os oito melhores do nosso futebol! 

Os erros de arbitragem

Remo e Paysandu andam sendo muito privilegiados pelos árbitros. No caso do Paysandu, para citar fato mais recente, em seus dois últimos jogo -contra o Paragominas e ontem, contra o Águia de Marabá- os árbitros agiram, a meu ver, com muita parcialidade, marcando penalidades duvidosas, desmarcando impedimentos, ou seja,  favorecendo a equipe em lances de faltas, na maioria, também duvidosas.
Não adianta querer dizer que o pênalti de ontem foi legal. O goleiro do Águia nem tocou no atacante bicolor.
A diretoria de arbitragem da FPF, que sempre defende os árbitros -embora a pouca atuação deles a nível nacional demonstra  o pouco talento deles-, deveria entender que é necessário de tempos em tempos fazer uma reciclagem -mas uma coisa séria- com seu quadro de árbitros. O desprepeparo técnico de alguns, junto com atitudes tendenciosas visíveis de outros, prejudica o futebol paraense, desestimula as diretorias de futebol dos outros clubes, que só querem a seriedade, a imparcialidade dos árbitros.
O maior problema que se vê na má atuação dos juízes, é que quando eles erram jamais voltam atrás,nem que o lapso seja provado, não corrigem nunca o erro. E normalmente esses erros -como bem já frisei acima- que podem ser também por falta de preparo físico para acompanhar o jogo e até por serem, pelo menos a meu ver, muito tendenciosos, sempre prejudicam aos clubes adversários de Remo e Paysandu.
Nos jogos da Tuna, lamentavelmente, sempre vejos perseguição da arbitragem. Queria ver pelo menos uma vez o árbitro errar a favor da Águia. Mas só vejo errarem contra. E normalmente quando o erro acontece, a pobre da minha Águia sempre sai perdendo. O melhor mesmo era se preparar para não errar.

Preparador do Paysandu é bi-racista

A denúncia de mais um lance de preconceito racial praticado pelo preparador físico do Paysandu, Wellington Vero, deixou estupefatos até próceres do time bicolor. Desta feita a vítima foi o funcionário do Estádio Zinho Oliveira, que procurou a polícia para denunciar o reincidente Wellington Vero.
A partida já havia terminado quando o funcionário do Zinho de Oliveira procurou a polícia e apontou Wellington Vero por injúria racial (preconceito de cor). Vero na hora negou o acontecido, e convocou imediatamente o funcionário do seu clube Ângelo Scota, fisioterapeuta, e o goleiro reserva Paulo Rafael para testemunharem a seu favor. Pouco adiantou. O funcionário do Zinho de Oliveira (que não revelou o nome) sustentou que havia sido discriminado por Wellington e o preparador teve que fazer o tradicional acordo, pedindo desculpas ao jovem agredido, o que saiu barato para o funcionário bicolor.
Não é a primeira vez que Wellington Vero se envolve em casos de preconceito racial. Em 2008, desta feita em Castanhal, o preparador do Paysandu foi detido pelo mesmo problema. A vítima, na época, foi o gandula  César de Souza, que trabalhou em um jogo do time bicolor com o Castanhal.
A diretoria do Paysandu deve tomar providências sérias com relação a mais essa atitude de seu funcionário, que em repeteco infringiu o artigo 140 do Código Penal Brasileiro, o que o faz passivo  de prisão de um a seis meses ou uma multa, o que este escriba ainda acha muito pouco.  Deve reunir e garantir uma punição ao "despreparado" preparador físico, que mostrou não ter postura para conviver numa sociedade moderna que abomina todo tipo de preconceituoso. 
Não é admissível uma pessoa que trabalha em uma equipe de nível, que vai disputar dentro de alguns meses uma competição de importância nacional ainda usar de baforadas preconceituosas, seja racial, de credo ou  qualquer que seja.
O Blog se solidariza com o funcionário do Zinho Oliveira que foi hostilizado pelo preparador físico do Paysandu e defende que os preconceituosos, racistas, homofóbicos paguem pelas suas atitudes de intolerância.

terça-feira, 12 de março de 2013

Emílio Santiago: "nunca fumei nem cigarro"

O cantor Emílio Santiago permanece internado, convalescendo de um AVC que o acometeu na última quinta-feira. Considerado pela crítica um dos melhores intérpretes nacionais e uma das vozes inconfundiveis da MPB, o cantor é também compositor e advogado.
Aos 66 anos, Emílio Santiago tem 40 anos de carreira, iniciada nas festinhas no tempo de estudante de direito, na década de 70. Incentivado pelos amigos participou de alguns programas de calouros e arrebatou em quase todos o primeiro lugar. Gravou dezenas de discos, algumas coletâneas consideradas preciosas como "Aquarela Brasileira" onde interpreta canções famosas de vários compositores com um estilo  de interpretação muito próprio, inconfundível.
Crítico de alguns cantores e cantoras que surgiram pós anos 90, segundo ele todos sem a devida personalidade musical, Emílio, em ampla reportagem publicada ano passado, fez várias observações sobre as cantoras e cantores nacionais.
Emílio é um intérprete eclético de bela voz
"Sempre tivemos mais cantoras que cantores no Brasil. A maioria canta muito bem, mas a nova geração que vem surgindo se espelha muito no estilo de cantar, no timbre de voz e até nas roupas da Marisa Monte. É bom porque a Marisa é maravilhosa, mas falta algo, talvez um estilo mais próprio", diz o cantor.
Sobre as as cantoras baianas ele diz que elas se espelham muito no estilo de Daniela Mercury. "É como se várias Danielas cantassem ao mesmo tempo", diz brincando.
 Na entrevista, Emilio faz revelações sobre sua vida pessoal, assunto que ele confessa nunca gostou de falar. "Nunca publicaram que Emílio Santiago é gay", diz sorrindo.  É porque prefiro não levantar bandeiras". Sobre se é a favor da união homossexual, o cantor revela: "conheço vários famosos que vivem juntos há dezenas de anos sem propagar e sem casamento. Acho que a união só garante a questão jurídica, o que os dois juntaram em vida, etc. E só".
O artista, um dos mais requisitados para shows, fez outras revelações de sua vida, como a que foi criado por uma família, já que sua mãe e seu pai brigaram quando ele nasceu e com seis dias de nascido foi entregue a uma senhora que o criou e o educou como ao próprio filho.
Emílio é dono de uma personalidade marcante. Sobre a questão da liberação das drogas, o cantor insiste que não gosta de levantar bandeiras. "Nos anos 70 era até romântico fumar maconha; hoje é cafona, muito sem graça",  garante o cantor que diz que mesmo nos anos 70 nunca fumou nem cigarro.
Intérprete de sucessos como "Verdade chinesa" e "Saygon", o cantor chega a passar 10 dias fora de casa fazendo shows. Defende que a música brasileira tem que dar uma melhorada, porque está muito "cool".
Internado vítima que foi do Acidente Vascular Cerebral, o cantor não tem data ainda para deixar a UTI, e  por ora não se tem notícias se seu estado de saúde inspira maiores cuidados.

FHC delira e pede apoio da oposição a Aécio

Fernando Henrique Cardoso, o enxerido ex-presidente tucano, sem ter o que fazer, achou de pedir que toda a oposição se una e lance o peessedebista Aécio neves como candidato único da oposição contra Dilma Rousseff.  Bateu com o beiço na porta, mais uma vez.
Do jeito que anda agindo, é perigoso FHC tentar influenciar  (ou pelo menos dar o palpite) apontando até quem será o novo Papa.
"Olha a nossa chance contra a Dilma", diz FHC
A oposição reagiu contrária à posição do veterano tucano, mesmo porque, Aécio, sem competência comprovada, meio "porralouca", metido a playboy,  não é consenso nem dentro de seu partido o PSDB, que está rachada em vários pedaços, já que existe os saudosistas de José Serra e alguns que defendem até apoio ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos.
Mais uma vez Fernando Henrique perde uma excelente oportunidade de ficar calado. Aécio, por mais que se esforce, não consegue empolgar  nem mesmo os caciques do partido tucano, que até o momento estão indecisos de quem apoiarão. Existem os que nem pensam em apoiar um nome do partido, pois consideram que PSDB está queimado pelos vários insucessos de Serra nas tentativas de chegar à presidência e até à prefeitura de São Paulo.
Já o governador Eduardo Campos, que é apontado como um nome forte inclusive por uma ala tucana, é do PSB, partido que faz parte da base aliada do governo de Dilma Rousseff, e a insistência em lançá-lo candidato a presidente não passa de desespero de elementos do DEM, PPS e parte do tucanato, que já vislumbram mais quatro anos da presidenta Dilma. 

Tuna vai firme contra o Santa Cruz, amanhã

A partida que a Tuna fará conta o Santa Cruz de Cuiarana amanhã, no Estádio do Souza, às 15,30h, será decisiva em termos de pretensões dos cruzmaltinos à classificação e, possivelmente, à continuidade da equipe lusa entre os clubes que comporão a elite do Parazão em 2014.
Com três pontos no Segundo Turno e quatro no geral, a Tuna tem que vencer a equipe do senador Mário Couto, para manter acesa a chama da classificação.
O Santa Cruz está mais forte neste Segundo Turno. Reforçou sua equipe com alguns atletas e com um técnico de competência, Sinomar Naves, o atual campeão pelo Cametá. Tem uma defesa de qualidade, um meio de campo que se dá ao luxo de ter um jogador do nível de Ratinho na reserva e no ataque possui jogadores como Valdir Papel, Fininho e Reis, nomes conhecidos no futebol e de qualidade. 
A Tuna poderá ter a volta do lateral Sinésio, que fez falta no jogo contra o Remo. Se Sinésio bate aquele pênalti com certeza o resultado do jogo seria diferente.  Porém, lamentavelmente terá o desfalque do meia Fabrício, que foi expulso e  vai cumprir um jogo de suspensão.
Apesar da situação complicada, a torcida cruzmaltina tem esperanças de que a equipe não caia. Mas é inegável que em todas as partidas o fantasma do rebaixamento está presente. Essa preocupação, de repente  pode ser uma força a mais, tipo um aditivo, para que a equipe jogue bem todas as partidas e vença. Mas não deixa de ser triste e preocupante, pois é certo que daqui para a frente só as vitórias interessarão à Tuna, que tem que pontuar e lutar para chegar entre os quatro semifinalistas. 
A Tuna sabe da grande responsabilidade que tem pela frente. É não baixar a cabeça e transformar cada jogo em verdadeira batalha, vencer e conseguir sair da guerra, que é a classificação, como um grande vencedor.
Avante Tuna. Todos amanhã no Souza para ajudar a equipe a vencer o Santa Cruz!

segunda-feira, 11 de março de 2013

Casarão tumultua trânsito na 28

O casarão secular situado à rua 28 de Setembro com a Avenida Assis de Vasconcelos, que no mês de Janeiro ensaiou cair, já há tempos é um problema para moradores das imediações e para quem necessita transitar pela área. Local onde mendigos, moradores de rua e viciados se escondem, o casarão está há pelo menos duas décadas  abandonado pelos proprietários, que com certeza devem milhares de reais aos cofres municipais, por isso não se manifestam nem quando o imóvel ameça desabar e passa a ser um perigo até para quem reside na vizinhança.
O casarão, de bela arquitetura, é um perigo na 28
Quando a chuva é mais forte, muitos pedestres e moradores da vizinhança temem que o casarão caia de vez, pois em seu interior e em suas paredes rachadas, encharcadas e com muito lodo, nasceram  árvores de grandes proporções, aumentando o perigo de desabamento.
A Prefeitura tomou as devidas providências quando o casarão, depois de uma chuva forte, cedeu uma parte de sua lateral. Porém, embora a ação dos bombeiros e da Secretaria de Urbanismo tenham sido rápidas, isolando a área para evitar um acidente de maiores proporções, os trabalhos de recuperação do prédio para evitar uma tragédia, demorou mais de um mês para começar.
Por causa da demora, a área que compreende a Rua 28 de Setembro entre a Travessa Piedade e a Assis de Vasconcelos desde o dia do incidente está totalmente isolada, impedindo a passagem de carros, de motos e até a locomoção de pedestres que necessitam chegar ao centro da cidade.
O serviço de escoramento para evitar a queda foi iniciado já quase no final do mês de fevereiro, e mesmo com todo o período de espera para começar  a obra, a Sedurb não se preocupou em por um aviso aos que vêm de carro na 28 de Setembro da Doca para o Centro, que assim,  quando chegam na Piedade são surpreendidos com uma mureta de cimento que impede a passagem para a Assis de Vasconcelos.
A mureta já ganhou até pixação contra o prefeito Zenaldo, mas uma pintura de cal cobriu. Mas é importante que se a obra for demorar muito, seja feito um aviso na Benjamim com 28, mais ou menos nas imediações do posto de gasolina, para que os desavisados motoristas não tenham que dar uma volta gigante por culpa de uma ação mais eficaz, que já deveria ter sido feita, pelos poderes públicos.