terça-feira, 31 de maio de 2011

Respeitem o manto corintiano!

Gosto sempre de deixar bem claro que não sou tradicionalista nem tampocuo conservador. Também condeno atitudes agressivas, arrogância e prepotência. Violência, jamais!. Sou da paz, sou do bem! Por isso condeno a atitude da torcida corintiana que invadiu o gramado do estádio Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara em protesto contra a camisa de cor estranha, meia vinho, meia violeta, que a equipe usou no jogo contra o Coritiba. Foi mais uma vez uma atitude equivocada da massa corintiana.
Égua! Essa não é do Coringão, não!
Porém, vale salientar, que o que está acontecendo com as equipes brasileiras que mudam de camisa sem respeitar sequer as cores originais do time, é brincadeira! Vasco usa uma mortalha estranha, o Palmeiras usa uma cor  verde lodo, o Fluminense usa uma camisa alaranjada, e agora o Corintians usa um uniforme cor de vinho. Que que é isso, minha gente! Isso tem que parar. É um acinte às cores da equipe. Já imaginou o Flamengo usando seu uniforme verde e preto? Ou usar um amarelão?  Que tal o Cruzeiro usar cor de vinho, como agora ousou o Corintians. Ou o  Remo  usar camisas amarelas e o Paysandu camisas pretas? Botafogo usar azul turquesa e a minha Tuna usar preto com laranja? Credo! Deus me livre.Vai virar zorra. Ninguém vai entender mais nadica de nada!
Sou defensor que as equipes podem ter até um terceiro uniforme oficial. Pode ter um design mais arrojado, um visual desenhado por quem é da área, um estilista mesmo.  Mas mudar as cores, ai não. Sou radicalmente contra. E provo que isso não é conservadorismo nem tradicionalismo. É respeito pelas cores. Não posso passar a falar árabe com o povo brasileiro, que fala o  português do Brasil. Assim, não posso mudar as cores de um time que há mais de 100 anos usa aquelas cores. Vou mudar a história. Passar por cima, desrespeitosamente, do que nós, amantes do futebol, chamamos respeitosamente de manto.
Quer mudar, quer inventar, quer modernizar, tudo bem. Mas mudar a cor, jamais. Isso não!

Técnicos e jogadores paraenses, os grandes vencedores

Não sei quem vai ganhar esses prêmios de melhores do ano no futebol que a Imprensa sempre dá (a maioria ganha sem o menor merecimento, por pura  política da empresa ou dos promotores), mas se houver um critério legal, com justiça, as equipes do interior levarão todos os prêmios. Cametá e Independente, não somente por estarem nesta final, mas por méritos mesmo, devem levar prêmios que vão da Diretoria ao melhor jogador, passando pelo treinador, artilheiro e pela revelação do ano. Repito, se houver justiça, porque de repente -não mais que de repente, parafraseando novamente o poeta Vinícius de Moraes-, os promotores vão dar troféu para o pessoal de Remo e Paysandu. Aí não, não é?
Cearense: Gol é com ele!
Dezenas de jogadores vieram de fora, ganhando sempre muito bem e recebendo na maioria das vezes em dia, e não conseguiram fazer o que os "Prata da casa" Leandro Cearense e Rafael Oliveira fizeram: Gols, muitos gols. Também os treinadores vieram, ganharam, receberam ou vão receber suas boladas, e não conseguiram fazer o que os "prata da Casa" Sinomar Naves, Fran Costa e Charles Guerreiro fizeram. Não dá nem para questionar. É o "óbvio ululante" de mestre Nelson Rodrigues.  Charles pegou o São Raimundo na lanterna e levantou o moral do time,  mesmo com todos os problemas,  chegou à semifinal. Fran Costa preparou o time desde o ano passado, chegou à final do Primeiro Turno e agora novamente disputa com o Independente a finalíssima do Segundo. Já Sinomar Naves, que já esteve em Tuna, Remo e Paysandu, sendo dispensado pelo dois últimos, embora sempre fazendo um bom trabalho, agora dá seu show particular, com humildade, levando o time de Tucuruí para a final.
Acho que eles -jogadores e treinadores- são motivo de orgulho para nós que amamos e sabemos o potencial de nosso futebol. Acho que, independente de quem seja o vencedor do Segundo Turno e do Campeonato Paraense, os jogadores e treinadores do Pará já mostraram sua competência. Não têm que mostrar mais nada a ninguém. Leandro Cearense e Rafael Oliveira, e os técnicos Sinomar, Charles, Fran e Samuel Cãndido -que já ganhou título de campeão paraense pelo Remo-,  que o digam.

Futebol paraense: História de atropelos

O tempo passa e ao que parece as diretorias dos dois principais times paraenses não aprendem.  Todos os anos erram nas contratações, trazem os "bondes", os "treineiros", aceitam imposições destes e sempre termina com a "vaca indo para o brejo". Mesmo que sempre ganhem, mas não fazem um campeonato satisfatório, não mostram um futebol que seja equivalente ao investimento. É só olharmos um pouco para trás e veremos que nem Remo nem Paysandu conseguem fazer uma equipe boa, competitiva, que encha os olhos de Imprensa e de torcedores há anos.
Ano passado o Paysandu foi campeão mas, sinceramente, não convenceu a ninguém. Uma equipe comum, que podia até  ganhar das equipes que fazem pequenos investimentos ou investem equivocadamente. Mas se as contratações, os investimentos das equipes menores forem corretos ou pelo menos mais ou menos, eles -Remo e Paysandu- dão com "os burros n'água". Como está acontecendo agora.
É inadmissível que Remo e Paysandu contratem sempre errado. Falo dos dois, porque são as equipes que têm maior poder aquisitivo, em forma de publicidade, apoio governamental e renda dos jogos, graças ao grande patrimônio que possuem que são suas torcidas. O Paysandu, que agora dispensou Sérgio Cosme, trás qualquer jogador que o técnico ou "empresários" indiquem. Aí são erros por cima de erros.  Primeiro o pecado de trazer um treinador caro e sem o norrau suficiente para ganhar salário tão alto. Seria mais óbvio, que para uma competição local, no caso o Paraense, se usasse uma fórmula caseira, e não trazer alguém tão famoso, pois a maioria das equipes que disputam o Campeonato  têm profissionais locais. Então é mais barato e talvez  até mais eficaz trabalhar com um nome local. Isso nenhum dos dois faz. Por que? Pelo próprio preconceito que têm com os nomes locais. Não adianta o Charles ter jogado no Flamengo, na Seleção Brasileira e ser além de bom caráter, competente. para Remo e Paysandu "ele não presta", o dirigente e o próprio torcedor diz isso. Aí usam a velha fo´rmula do treinador de fora. Eles chegam, trazem suas equipes, indicam jogadores -a maioria sempre parados há tempos-, escalam à bel prazer e fazem a charopada de sempre. Isso é todo ano.
É bom frisar também, que além dos técnicos de fora fazerem "o jogo deles", trazendo quem eles querem, principalmente jogadores, esses profissionais procuram de todas as formas "queimar"! o jogador local, o nativo. Assim, não adianta ser bom de bola com técnico de fora. Eles dão 10 oportunidades para os deles, e três para os nossos. Quem trabalha ou trabalhou com futebol, quem é boleiro, sabe disso. Principalmente os jogadores.
Para se ter uma idéia das contratações erradas, péssimas mesmo de Remo e Paysandu para este ano, por exemplo, é só enumerar os atacantes das duas equipes e ver quem está fazendo gols. No Paysandu, o artilheiro é Rafael Oliveira, um garoto nativo de Ananindeua, que só joga porque é bom de bola mesmo e sabe fazer gols. Para sofrer uma pequena valorização foi necessário o Tiago Potyguar ir embora e a diretoria vislumbrar perder seu homem-gol. Imediatamente aumentaram o salário do garoto, que tenho certeza ainda ganha bem menos que Zé Augusto, o dispensado pela segunda vez Alex Oliveira e o tal Mendes, que além de veterano tem medo de área: só faz gol quando pega o goleiro desprevenido, de longe.
Já com o Remo, a situação é até pior. Na reta final contratou vários jogadores, meias, meia-atacantes e atacantes: Moisés, Ratinho, Finazzi, Jailton Paraíba, etc. Foi uma salada russa. O treinador Comelli, que já havia queimado dois jogadores do Pará, Ró e Fininho, e lançava Tiago Marabá -outro grande atleta paraense de grande qualidade técnica- só vez por outra, foi dispensado e em seu lugar veio Givanildo, com a missão  impossível de vencer o Segundo Turno. O pernambucano continuou praticamente escalando o mesmo time de Comelli. Trocando em miúdos, com todas essas contratações, sabe quem são os artilheiros azulinos? Dois jogadores de defesa: Rafael Morisco e Marlon. Complicado, não?
Givanildo vai entrar no Guiness.
Agora, com o Campeonato em sua fase final, Remo, como a Tuna, está fora e sem compromisso até o final do ano. Como as duas equipes vão sobreviver? A Tuna pelo menos já deve estar sem elenco e, como os jogadores têm um salário baixo, espera-se que o presidente tenha negociado com eles (nisso ele é bom, negociar!), para evitar a ida ao Casarão da Praça Brasil. Mas a torcida, mais uma vez, vai ficar no sofrimento, à margem dos acontecimentos, sem poder brincar, xingar, discutir as belezas do futebol. 
Já o Remo, na mesma situação, sem futebol até Dezembro,  pode amargar ainda maiores prejuízos e até  Justiça do Trabalho, pois com certeza Ratinho, Jailton, Morisco e outros jogadores que ganham acima de 10 mil mensais, se não receberem suas rescisões, vão recorrer e  o bicho vai pegar. Fora isso, as gozações, o sofrimento de quem na verdade financia o futebol: o torcedor, este sim, o mais prejudicado. E tudo por causa de erros que são cometidos, ano a ano, deslavadamente, por quem não mede as consequências quando atropela os pés pelas mãos.


segunda-feira, 30 de maio de 2011

Ainda sobre o surto de Ed Motta


Motta: agora ganhou mais "amigos"
 Confesso que não queria falar nada sobre as grosserias e bobeiras do infeliz cantante Ed Motta. Mas amigos pediram que comentasse as suas baboseiras e até sandices. Ele já demonstrou sua infelicidade no início da carreira, quando polemizou com seu tio, Tim Maia, esse realmente um artista de altíssimo nível, sintonizado, apesar de todos os problemas que teve em sua vida pessoal. Mas Ed Motta é zero, dois zero. Não tem essa bagagem, não está com essa bola toda para falar de artistas que já fizeram seu nome e estão com mais de 40 anos de estrada, como Caetano Veloso. Tampouco desmerecer e até agredir  - o que mostra que além de infeliz é meio asno-, figuras importantes da cultura brasileira como Lenine (pernambucano), Chico César (paraibano) e a belíssima e nada burra como ele disse, Paula Toller.
Motta, na verdade, nunca conseguiu emplacar popularmente como cantor ou compositor, apesar da boa voz que tem. Metido a estiloso, mas muito de laboratório, mesmo que ache o povo brasileiro feio, como disse numa capital do Sul, ele próprio não foi nada beneficiado pela natureza. Pelo menos opiniões femininas são unânimes em dizer que  Motta, exageradamente gordo, careca e grosso, não é o protótipo da beleza e tampouco  faz o gênero da maioria da donzelas.
Se é inveja, mau humor crônico, apenas preconceito ou mesmo um sentimento repentino de infelicidade, o certo é que  Ed Motta exagerou ao utilizar seu perfil do Facebook para atacar todo mundo. ”[Estou] em Curitiba, lugar civilizado, graças a Deus. O Sul do Brasil, como é bom, tem dignidade isso aqui. Frutas vermelhas, clima frio, gente bonita. Sim porque ooo povo feio o brasileiro, (risos). Em avião, dá vontade chorar (risos). Mas chega no Sul ou SP gente bonita compondo o ambiance (risos)”, postou.
Sumido da mídia há algum tempo, o cantor ainda fez infelizes comparações: “Mulher feia tem que ser mega competente (risos). Se não, é Paula Toller nas cabeças (risos). Linda, burra e sem talento”. E ainda completou: “Mulher feia tem que cantar igual Sarah Vaughan, se não eu não tenho tempo hahaha!”.
Além da vocalista do Kid Abelha, Ed Motta não poupou outros cantores como Caetano Veloso, Lenine, Daniela Mercury, Chico César e vários artistas da nova geração, como a cantora Tulipa Ruiz, o compositor Romulo Fróes e a banda Hurtmold. Uma babaquice do tamanho dele!
Se já não gostava muito do tal gorducho Ed Motta, desde que ele atritou pesado com Tim Maia, agora mesmo, com essa sua demonstração de racismo, preconceito e de infelicidade total, vou procurar desconhecer ainda mais sua "fantástica obra". Demorei para postar porque esperava uma reação forte não era nem de Caetano, que é muito competente, mas que  às vezes peca porque gosta muito da mídia. Mas de Lenine e Chico César, dois caras comprometidos com o Nordeste, com o Brasil  e suas riquezas culturais. Se Motta não está feliz no Brasil, deve se mandar. Tenho certeza que pelos "muitos amigos" que tem, não fará muita falta.

Flamengo sofreu para empatar com Bahia, que teve um pênalte não marcado

Quando coloquei, semana passada, que o Bahia estava cm uma boa equipe e que certamente não seria um "saco de pancadas" nesta sua volta à Série A, recebi alguns emails, mensagens e comentários, alguns dizendo que o Bahia havia voltado para cair de novo. Ontem ficou comprovado que o time da Boa Terra está com uma equipe competitiva, com dois bons atacantes, Souza e o paraense Jobson, além do meia Lulinha, autor do primeiro gol da equipe tricolor,m ontem frente ao Flamengo, no empate de 3 a 3.
O Bahia conseguiu empatar no final da partida, numa magistral jogada de Jobson, que uniu talento e oportunismo, fazendo um golaço,  o segundo seu na partida, deixando o escore igual em Pituaçu.
O paraense Jobson fez dois golaços ontem
Horas após o empate entre Bahia e Flamengo, o presidente do time baiano, Marcelo Guimarães Filho, utilizou a sua conta no Twitter para reclamar da arbitragem do paulista Cleber Wellington Abade. A revolta é pelo pênalte não marcado no lateral Ávine quando estava 1 a 0 para sua equipe, além da expulsão do volante Hélder, que considerou exagerada. "Não dá pra não falar: a arbitragem hoje  foi desastrosa.. Não digo o que tenho vontade para não ser punido, mas foi demais", disse o presidente tricolor, para completar: "Não ganhamos porque jogamos contra 12! Mas estamos no caminho. Daremos muito trabalho esse ano aqui em Pituaçu".
O Bahia, na verdade era para ter ganho jogo. O pênalte foi legítimo, até Luxemburgo, que elogiou demasiadamente o artilheiro Jobson, reconheceu. O Tricolor de Aço está fazendo um investimento grande no Brasileirão e poderá levar para suas fileiras o artilheiro palmeirense em cobrança de faltas, Marcos Assunção, sonho de consumo do presidente Marcelo Guimarães.

Tuna Feminina ganha Primeiro Turno

A equipe feminina, comandada por Aline Costa, ganhou o  1º Turno...
A Tuna Luso Brasileira futebol feminino venceu ontem pela manhã o Pinheirense, de Icoaraci, no Mangueirão nas penalidade máximas, pelo escore de 5 a 4. Com a vitória a Tuna ganhou a taça de Campeã do Primeiro Turno do Campeonato Feminino 2011, entregue na oportunidade pelo presidente da Federação Paraense de Futebol,. coronel Antonio Carlos Nunes.
A partida começou bem disputada, com as atletas da Tuna e do Pinheirense demonstrando que queriam vencer com categoria, mostrando um bom futebol, muito bem disputado, principalmente no meio de campo. Foi o Pinheirense quem abriu o placar, num contra ataque, quando a zagueira cruzmaltina Driely fez contra, quando a partida já estava beirando os 20 minutos. Sem se desesperar a Águia foi atrás do empate, o que aconteceu aos 28, quando a artilheira Cássia num lance em que driblou três jogadoras do Pinheirense, chutou sem defesa para  arqueira Isa. Ainda no primeiro tempo, quando eram decorridos 43 minutos,  Raquel, que jogou na lateral esquerda, em jogada de primeira desempatou para a Tuna.
As duas equipes começaram a segunda etapa num ritmo menor, devido ao forte calor que fazia.  Aos 10 minutos, num lance muito questionado pela Tuna, o árbitro Andrey da Silva e Silva marcou penalidade a favor do Pinheires, que foi convertida pela meia atacante Cleisy. 
... e recebeu a taça das mãos  do presidente da FPF.
Com a partida em´patada a decisão passou para os pênaltes, dando ao final Tuna Luso Brasileira  5 e Pinheirense 4. Naná, Talita, Denise, Cíntia e Cássia marcaram pela Tuna, que levantou a taça ofertada pela FPF e entregue à capitã Talita pelo Coronel Nunes. 
As meninas da Tuna comemoraram muito a vitória do Primeiro Turno, mas a treinadora Aline Costa já volta aos trabalhos com a equipe amanhã, preparando-se para o início do Segundo Turno, cuja tabela será apresentada amanhã pela FPF.

Um "timaço" que deve ter se dado muito bem

Sou dos mais ansiosos para saber o que o senador Mário Couto, do PSDB, irá falar da Tribuna do Senado sobre Domingos Juvenil e Jader Barbalho. Será que o senador que teve uma trajetória de vida iniciada  no jogo do bicho e como presidente de escola de samba sabe tantas sujeiras de Juvenil e Jader Barbalho ao ponto de livrar-se também das garras do Ministério Público? Todo o Pará sabe que "as coisas"  começaram a acontecer na Alepa na administração do Pastor (?) Martinho Carmona, do hoje senador Mário Couto  e chegando aos finalmente na gestão do "inteligente" Domingos Juvenil. Quer dizer, foi uma dobradinha entre PSDB e PMDB.  
O Ministério Público já deixou claro que além de Domingos Juvenil, que espera-se tenha comparecido hoje às 9 horas para depor, vai convocar também os dois políticos -Carmona e Mário Couto-, notadamente figuras milionárias. É importante saber se eles falarão a verdade sobre a quantia de bens e dinheiro que possuem, como conseguiram, se foi declarado ao Imposto de Renda, etc.
A podridão é grande.Mas é bom que a população saiba que não é somente Robgol e Juvenil que são os artilheiros. Podem até ser os principais. Mas,  certamente além deles e dos dois ex-presidentes,  nesse time deve ter muitos "atletas" que se deram bem com  dinheiro e, como o ex-Paysandu Robgol, vales refeições.

domingo, 29 de maio de 2011

Remo: Uma equipe perdedora

Uma equipe cara, que não dá retorno. Essa é a equipe do Clube do Remo. Só no mês final do Campeonato Paraense 2011, o Remo gastou com um treinador e um jogador 160 mil reais. Mesmo assim não ganhou nada. Aliás, há três anos que a equipe de Antonio Baena não ganha um turno. Foram dois anos da gestão de Amaro Klautau, que ameaçou fazer um time em 15 dias e em 720 dias não conseguiu formar uma equipe competitiva. E esse presidente ainda queria vender tudo que o Clube construiu em mais de 100 anos. 
O Remo para o Paraense 2011 contratou o treinador Paulo Comelli, que sabe-se tem competência. mas não se sabe porque cargas dágua o treinador nunca escalava a mesma equipe e sempre deixava os jogadores paraenses na reserva. Preferiu,  ao que ficou mais ou menos caracterizado, colocar "os seus". Isso, na verdade, é um problema com a maioria dos treinadores. Principalmente os de fora. Levam uma "equipe" para onde vão e querem que seus "craques|" joguem, mesmo sabendo que a maioria é perna de pau. Ontem mesmo, não se entendeu porque Givanildo não colocou o meia Tiago Marabá, nem no decorrer da partida. Outro caso é o de Fininho. O Remo tirou o jogador que estava jogando bem na Tuna e não aproveitou o atleta de maneira nenhuma. Fininho sempre fala que entrou em duas oportunidades e fez dois gols. Quer dizer, pela lógica, teria vaga no time. Mas eles, os técnicos, são os bam-bam-bans, põem seus craques e  o resultado é a humilhação da equipe azulina. E parece, parte da Imprensa "fecha" com eles, porque encontram sempre um paraense para ser o "laranja", o culpado pela derrocada. Dessa vez, mesmo com o Finazzi ganhando 100 mil, recebendo em dia, e não fazendo sequer um gol em mais de dois meses, a crítica vai toda para o Marlon. Pode?
Agora, sem ter o que fazer até o final do ano, com uma folha altíssima diretoria já se prepara para organizar amistosos pelos principais municípios do Estado. Só no Pará mesmo, porque com um time que não ganhou um turno sequer, com um ataque dos mais fracos (os artilheiros são o Morisco e o Marlon, jogadores de defesa), só resta ao pobre do Leão se lamentar a falta de planejamento. Falta mesmo, porque com dinheiro como o Clube tem e com o patrimônio que é sua torcida, não ganhar nada é pura incompetência. Da grossa!

Remo humilhado em Tucuruí, perde de 2 a 0 para o Independente

Como coloquei neste Blog, há exatos 10 dias: Givanildo deve tranquilamente viajar amanhã ou no máximo na terça-feira e solicitar a colocação de seu nome do Livro dos Récordes, por ter passado o menor número de dias em um emprego: 10 dias. Não teve Givanildo, Finazzi, Ratinho, não teve ninguém que livrasse o pobre do Leão da humilhante derrota em Tucuruí na tarde de hoje para o Independente, o chamado Galo Elétrico, pelo escore de 2 a 0. Foi um placar pequeno para o volume de jogo do time dirigido por Sinomar Naves, que conseguiu segurar o ataque e o meio de campo remista em todo o decorrer da partida, com um futebol bonito, produtivo e vitorioso, com seus jogadores mostrando empenho, raça e categoria frente a um Remo que parecia desmotivado, apático, irreconhecível. Nem mesmo jogadores que tradicionalmente jogam bem como Rafael Morisco e Ratinho conseguiram, na tarde de hoje, mostrar 50 por cento de seu futebol, tendo ambos sido substituídos. O veteraníssimo Finazzi, que entrou aos 27 do segundo tempo no lugar de Rodrigo Dantas, foi mais uma vez uma tristeza, decepção e meia: pegou na bola três vezes, devolveu duas erradas e foi expulso aos 46 por jogo violento. Um jogador decadente. Foi talvez a pior contratação do Clube de Antonio Baena nos últimos 50 anos. 100 mil jogados fora, pela janela, por um atleta velho demais para a prática do futebol. Mesmo assim, Finazzi é respeitado pela Imprensa, que prefere "queimar" o jovem Marlon, prata da casa, que é tido como vilão pela Imprensa e por torcedores "cegos". Uma pena!
O Remo até que no início do jogo parecia que iria para cima do Independente. Mas durou pouco o fôlego dos azulinos. Com um esquema onde a defesa bastante segura dava total apoio ao meio de campo e ao ataque, o Galo Elétrico praticamente eliminou Ratinho e Jailton Paraíba, perdido e dando taortal liberdade ao meia Marçal, que foi brilhante hoje, e Evandro pará, que entroui mal no jogo passado mas hoje em sua real posição foi muiuto bem.
E foi Leandro Pará que logo aos 14 minutos do primeiro tempo deixou sua marca, deslocando totalmente o goleiro Lopes numa cabeçada fulminante aumentando o moral ao "Galo" para cantar ainda mais alto em seu terreiro. O Remo tentava se organizar nas saídas de bola, mas  Rafael Granja nem Marlon conseguiam concatenar menhuma jogada com o meio e o ataque. Jailton e Ratinho, perdidos, permitiam que o veterano Gian, pelo Independente, comandasse as jogadas pelo meio, deixando sempre Marçal, Peaberu e Joãozinho sempre pertos do gol azulino. Aos 19, cobrando falta, Gian chutou forte que por pouco nãopegou Lopes desprevenido.
O Remo vivia sua "via crucis", desesperado e sem conseguir chegar ao gol de Dida. Só aos 41 minutos que Jailton Paraíba conseguiu dar um chute mais ou menos perigoso à meta de Dida. A resposta veio em seguida, aos 42 minutos, com um belíssimo -para não dizer de placa- golaço de Marçal, que na maior tranquilidade tirou o goleiro Lopes com um belo drible e colocou como quis nas redes remistas. Era o segundo gol do "Galo", e também o caixão  azulino fechado já no primeiro tempo.
O Remo voltou no segundo tempo sem Ratinho, substituido porque foi anulado pelo meio campo do Independente. Tiaguinho deu maior movimentação ao setor de meio de campo remista, embora Mael avançado e Moisés meio perdido, não conseguissem vencer a maioria das jogadas pelo setor. O Independente também substituiu: saiu Evandro Pará, autor do primeiro gol, batido. Em seu lugar entrou Silva, que mostrou-se voluntarioso, sempre se deslocando do meio de campo para a meia direita. A surpresa, para os torcedores remistas, foi a saida de Rafael Morisco, para a entrada de Elsinho. Givanildo teve que mudar a posição da defesa do time. Muito rápido, mas parecendo nervoso, Elsinho demorou pouco em campo: Recebeu de primeira um cartão amarelo e logo em seguida o vermelho, por jogo violento.
Enquanto Givanildo se desesperava com o perigo de gol que o Indepenednte sempre levava à meta de Lopes, via seu time definhar, com um homem a menos. O "Galo", que se pensava entraria no segundo tempo recuado, ia em frente. Sinomar tirou Peaberú e colocou Moisés, dando maior segurança ao setor defensivo, e só subir para ficar esperando rebotes da desesperada defesa remista. 
Givanildo lançou seu último cartucho aos 27 do segundo tempo, o veterano Finazzi, que substituiu o fraco Rodrigo Dantas, que não deu um chute a gol. Mas Finazzi foi ainda pior. Passou 19 minutos em campo, tocou na bola três vezes, devolveu duas erradas e foi expulso, depois de agredir, sem bola um zagueiro do Independente.
O juiz ainda deu quatro minutos a mais do tempo regulamentar. Mas não deu para o Remo., Final, 2 a 0 Independente. Foi uma vitória bonita do "Galo Elétrico", que mostrou-se quase imbatível dentro de casa. Já o Remo entra em crise, e mais uma vez mostra que é um dos times mais fracos do Campeonato.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Um poema ao entardecer

Nesta sexta-feira, fim de tarde, nada melhor que ouvir, ler ou declamar um poema. Seja lírico, romântico, absurdo, triste, sentimental. Mas um poema. Um poema que pode ser de Juracy Siqueira, Catulo da Paixão, de Drummond de Andrade,  Ronaldo Franco. Um poema, para amar, para sorrir, para chorar. Para beber, para se embriagar, se enebriar. Pode ser um soneto, uma trova. Simplesmente, um poema. Grande, como aqueles poemas de Carlos Drummond, que são longos, páginas e páginas. Ou um simples poema de Patativa do Assaré, que muitos diziam -e ainda dizem- que era analfabeto. Só que não era. Estudou. Pouco, mas estudou. E o melhor: leu. E muito. Na sua pequena, mas para ele grande e rica Assará, Patativa foi rei. Amado, idolatrado e salve, salve. Um poema. Em prosa, verso. Para os poetas, os amantes da poesia. para os loucos por poesia, a poesia lindamente bela de Mário Quintana. O grande poeta gaúcho que por longos anos foi amigo do jogador Falcão. Aliás, Falcão foi quem cedeu o apartamento onde Quintana viveu por longos e longos anos. Viva Quintana!

Canção do dia de sempre
 (Mário Quintana)

Tão bom viver dia a dia...
A vida assim, jamais cansa...

Viver tão só de momentos
Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida,
Inexperiência... esperança...

E a rosa louca dos ventos
Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:
Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança
Das outras vezes perdidas,
Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas

Robgol queria a grana apreendiada no colchão de volta. Mas quando!

Robgol vai depor dia 31
Robgol é um cara lisa, mesmo. Ter coragem de pedir a devolução da dinheirama que foi encontrada, inexplicavelmente, em sua casa, é ter coragem de mamar em onça, como dizia eu avô. Munido de documentação "muito bem armada" depois da apreensão da vultosa soma e mais os vales refeições, o ex-artilheiro do Paysandu entrou com ação solicitando a devolução do dinheiro (parece que esqueceu o vale-refeição!). Robgol apresentou cópias de declarações retificadoras, ou seja, feitas 16 dias depois da apreensão do dinheiro pelo Ministério Público. O ex-deputado levou um belo NÃO pela cara (bem feito!), já que o Juiz da 1a. Vara de Inquéritos Policiais, Dr. Pedro Sotero, indeferiu o pedido, preferindo acatar o parecer contrário do Ministério Público do Estado, que apura as fraudes da Alepa, que diz que o dinheiro apreendido na casa de Robson ainda interessa para o inquérito criminal.
Robgol lotou em seu gabinete pelo menos seis familiares da Paraíba. Eles nunca vieram a Belém, e se vieram foi para tomar Açaí, chupar manga e se divertir, porque mesmo sendo "funcionários" da Alepa nunca trabalharam, embora também nunca tenham recebido, já que o ex-artilheiro bicolor pegava toda grana e até os vales refeições que vinham no nomes dos "fantasmas"  e guardava de seu colchão. Robgol, cujo nome é José Robson do Nascimento, para o MPE tem culpa no cartório, pois o dinheiro encontrado em sua residência é proveniente do esquema fraudulento da Alepa, sendo, portanto, produto de crime, devendo permanecer apreendido nos autos para a instrução criminal. O ex-deputado deve prestar depoimento no dia 31 do corrente, quando terá que explicar ao MPE a origem do dinheiro e dos vales refeições. 
Robgol, que foi um dos bons jogadores de futebol do Paysandu, ídolo da torcida bicolor, decepcionou aos torcedores e aos eleitores que o colocaram como representante na Assembléia Legislativa, mostrando que a cara de bonzinho é só fachada. Enganouu os Paraenses, o Pará e principalmente os eleitores trocedores do Paysandu que a partir de suas sujeiras, o execraram de vez. Toma-te!

Petkovic, O Gringo, nas telas dia 10

Dejan Petkovic, com certeza foi um dos maiores jogadores da história recente do Flamengo. Jogador responsável, de toque sutil, o sérvio parou no final do ano passado, embora ainda tenha contrato com a equipe da Gávea. Pet chegou a ser escolhido o melhgor jogador do Brasil.
Hoje, 27 de maio, é um data inesquecível para os flamenguistas e para Petkovic. Foi num dia de hoje que há exatos 10 anos, cobrando magistralmente uma falta de pé direito, já no final do jogo, o sérvio fez uma golaço que deu o titulo de tri campeão ao Flamengo, em cima do Vasco da Gama. Pet, como é carinhosamente chamado pela nação rubronegra, ficará eternamente lembrado não somente por este gol que deu aos rubronegro o Tri. Mas por tudo que fez pelo futebol do Flamengo e pelo futebol brasileiro, que ajudou, com seu talento, a encantar.
Petkovic vai se despedir do futebol pelo Flamengo, na terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Vestindo novamente a camisa 10, que Zico e ele tão bem dignificaram, Pet vai entrar em campo contra o Corintians, e segundo suas palavras, "trabalhar para fazer bonito, pois mesmo que tenha feito boas coisas no passado, a última impressão é a que fica", disse  o jogador.
Em Junho, no dia 10, estréia no Brasil o filme "Pet, o Gringo", que conta a história de Petkovic no Brasil e principalmente suas belas atuações pelo Flamengo. Será uma bonita e justa homenagem a esse craque que por muitos anos deu alegrias mis à maior torcida do Brasil. A Rubronegra. Parabéns, Petkovic.
O escriba homenageia Pet e os flamenguistas colocando em primeira mão trailer do filme "O Gringo, sobre Petkovic. Curtam, o sérvio merece!

Cabeça do Remo pode doer em Tucuruí

O Clube do Remo viaja hoje para Tucuruí onde amanhã, às 16 horas, enfrentará o Independente, em partida que promete sair faísca, dada a condição da equipe azulina poder jogar pelo empate para se classificar para enfrentar o vencedor entre Cametá e São Raimundo. Mesmo com o problema enfrentado pelo presidente do Clube, engenheiro Sérgio Cabeça, que foi condenado desde o dia 4 de Maio a 16 anos de reclusão, fato que deixou muitos atletas sem entender a situação,  a equipe trabalha para ter tranquilidade para jogar bem e faturar nem que seja pelo mesmo escore apertado de 1 a 0, como aconteceu no Baenão.
É quase certo que o presidente azulino não viaje para Tucurí, pelo menos com a delegação. A decisão do Juiz federal Rubens Rollo D'Oliveira, da 3a. Vara de Belém em condenar SérgioCabeça -acusado de desvio de dinheiro na sua gestão frente ao antigo CEFET (Centro Federal de Ensino Tecnológico do Pará), por meios de fraudes contábeis que omitiam recursos obtidos pela entidade através de convênios, cursos e processos seletivos, pegou os remistas de surpresa, em plena véspera de importante decisão. Mesmo que tenha apoio de seus diretores, do presidente do Conselho Deliberativo, o presidente do Remo, Sérgio Cabeça, sentiu o impacto da situação que está vivendo o que, certamente, poderá respingar até na atuação da equipe em Tucuruí.
Cabeça de Givanildo está doendo...
Pelo lado do Independente tudo é festa. Sinomar Naves e seus comandados receberão os salários de maio antecipadamente -fato raríssimo no nosso futebol. O presidente Deley Santos, também prometeu um "bicho" gordo no caso de vitoria sobre o Remo e a classificação final para a decisão contra o Paysandu. "È uma maneira de incentivar o grupo", disse o presidente. A preocupação com a defesa, já que o zagueiro Guará recebeu o terceiro cartão amarelo, já foi resolvida. Sinomar lançará o zagueiro Marraquete no posto do defensor.
O Jogo entre Independente e Remo é o mais importante do final de semana pelo Campeonato Paraense. Será também o jogo da TV.
Na outra partida, o Cametá vai receber o São Raimundo de Charles Guerreiro, amanhã, que chega com alguns problemas ção por parte -segundo a Imprensa- de Charles que a equipe estava com os salários da Comissão Técnica atrasados. O presidente Sandicley Monte disse que tanto os salários de Charles como do preparador Físico Nicolau Barros e do restante da Comissão Técnica, já foram pagos. "Agora é só ganhar emCametá", disse. Só que em Cametá a coisa é bem mais complicada. A equipe de Fran Costa está bem e vai jogar completa. "E preparada para vencer", segundo o volante Wilson que é um dos destaques do Mapará.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Dominique, nique, nique e o FMI

A morena que endoidou Dominique.
Dominique Strauss-Kahn pode ter nome de tudo, menos de homem. Mesmo demonstrando pelo seu passado e presente,que é desequilibrado sexualmente, o ex-homem forte do FMI, filho de pais judeus e nascido nos arredores de Paris, deveria estar numa pior, perdido solitariamente numa noite fria num sofisticado hotel de Nova Iorque. Sim, mas porque não procurou um "rendevous" ao estilo parisiense numa das áreas nobres ou mesmo pela periferia de Nova Iorque?  Aos 62 anos, mas com uma aparência bem mais velha, Dominique preferiu atacar no melhor estilo garanhão, à morena nascida na costa oeste da África, moradora do Bronx e ainda por cima muçulmana. Quebrou a cara.
Dominique agora jogou seu passado, presente e futuro como candidato à presidência da França na lata do lixo. Embora tenha o apoio de sua mulher e filha, o outrora maior do FMI teve que amargar uma prisão comum de Nova Iorque, usar a tornozeleira eletrônica, submeter-se à vigília constante por vídeo e por um guarda armado e e ainda desembolsar um milhão de dólares como fiança  e a garantia de cinco milhões para trocar a cela comum por uma prisão domiciliar.
Dominique Strauss-Khan não é mais o todo poderoso do FMI. Sua vida agora está na sarjeta, jogada numa vala comum. A vítima de Dominique -que não é a primeira nem a segunda, já que seu "curriculun" aponta outros casos de tentativa de estupro, aventuras, "puladas de cerca" e "ataques" à secretárias- está ainda atônita com a repercussão do caso com o ex-futuro canditato à presidente da França. De nome também esquisito, Nafissatou Dialo, a africana de 32 anos, tido por seus vizinhos do Bronx como bastante discreta e trabalhadora, continua trabalhando no chiquérrimo Hotel  Sofitel, onde é considerada uma boa funcionária. Se fosse no Brasil, tranquilamente  a quase balzaquiana Nafissatou já estaria sendo convidada para o próximo Big Brother ou outro programa similar. Depois, como as "famosas" desses programas popularescos, tranquilamente estaria sendo convidada para posar para algum "paparazi" da vida. Já o ex-poderoso Dominique, que não perde a pose, declarou recentemente que gosta mesmo de mulher, e pergunta aos repórteres satirizando: E daí?

Decisão da Copa do Brasil terá final em Curitiba

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou na tarde de hoje os mandos de campo das partidas da final da Copa do Brasil, que será disputada entre Vasco e Coritiba.
Após o sorteio ficou definido que o Coritiba, que eliminou o Ceará ontem à noite ao vencer por 1 a 0, terá a vantagem de fazer a decisão em casa, no dia 8 de junho. O time paranaense não perdeu em casa nesta temporada na Copa do Brasil.
A primeira  partida será disputada no Rio no dia 1º de junho.
O Vasco se classificou para a final ao vencer o Avaí, em Florianópolis, por 2 a 0, também na noite de ontem.
O campeão carimbará uma vaga na Libertadores de 2012.
A Copa do Brasil terá uma final inédita em sua 23ª edição -a competição começou a ser disputada em 1989 - e também um novo campeão. Em 2006, o clube de São Januário enfrentou o rival Flamengo na disputa pela taça, mas acabou ficando com o vice-campeonato.

Negueba nocauteado por Willians

Willians, afastado pela brabeza.
Sempre achei o volante Willians, do Flamengo, meio desequilibrado. Violento, grosseiro, o jogador não mede ocasião para bater, seja no adversário ou no próprio colega de time. E até em treino. Foi o que aconteceu no treino do Flamengo esta manhã. A vítima foi o jovem atacante Negueba, que levou uma cotovelada violenta do grosso Willians. E numa disputa normal, onde ninguém estava disputando nada, nem resultado nem posição. Mesmo porque Willians é titular do time do Flamengo. 
Nocauteado, o franzino  Negueba passou por exames mas Luxemburgo não perdoou. Além de expulsar Willians do treino deu-lhe uma boa sova de palavras, tirou-lhe do próximo compromisso, ou melhor,  afastou-o da equipe e ainda deu-lhe uma multa dpor desrespeito ao colega de equipe.
Jogo é jogo, treino é treino, já dizia o filósofo Nenê Prancha, um dos técnicos mais folclóricos e polêmicos do futebol brasileiro. Para Willians parece que isso não vale muito, não. Se em jogo ele é brabo, em treino é muito pior. Só que desta vez, pior foi para ele, que está afastado e com uma boa grana sacada de seus salários. Quem manda....

Crítico do salazarismo tem livro lançado no Brasil

Cardoso Pires: inimigo de Salazar.

Já está a venda em livrarias de todo o Brasil o livro "Jogos de Azar", do escritor português José Cardoso Pires (1925 - 1988),. Cardoso Pires, um dos maiores críticos do ditador português Oliveira Salazar, tem neste livro escritos de suas primeiras obras. Lançado inicialmente em Portugal, em 1963, "Jogos de Azar são pequenos relatos em forma de contos sobre desocupados, marginais, seres "condenados a tropeçar a cada passo", como o autor colocaq na introdução.
Cardos Pires, juntamente com José Saramago e Antonio Lobo Antunes é considerado um dos maiores escritores do Século XX, graças ao seu estilo vigoroso, passeando entre o surrealismo e neo-realismo. No livro, o conto "Os caminheiros", lançado em 1949, deixa isso bem patente.
Em Jogos de Azar, o autor não se interessa somente pela denúncia da injustiça social, mas, também, pelo compromisso evidente com a realidade, reproduzida em linguagem predominantemente denotativa.
No prefácio do livro, José Castello sentencia: “Via uma generalidade: apagava-a. Deparava com um lugar-comum: jogava-o fora. Deparava com o bom-senso: esmagava-o. Dividido entre Barnard e Caravaggio — no vão entre os dois — tornou-se um exímio caçador do banal. Deixou-nos os restos de suas batalhas, essa literatura esplendorosa.”
José Cardoso Pires foi também jornalista, tendo trabalhado em vários jornais e revistas, principalmente de cunho literário em Lisboa. Discípulo de Ernest Hemingway, Cardoso Pires, tem no livro "O Delfim", de
1968, seu maior sucesso literário.

Desemprego cai em Abril e tem a menor taxa desde 2002


De acordo com matéria publicada hoje no Estadão, a taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País "pode estar caminhando" para encerrar o ano de 2011 em um nível menor do que o finalizado no ano passado, segundo palavras do gerente de Pesquisa Mensal de Emprego (PME) Cimar Azeredo.
Ele fez o comentário ao analisar o desempenho da taxa de desemprego de 6,4% apurada para o mês de Abril pelo IBGE. Embora tenha ressaltado que o instituto não faz previsões, ele admitiu que um nível de 6,4% para a taxa de desemprego no mês de Abril seria "atípico" na série histórica do instituto iniciada a partir da reformulação da PME em 2002. Isso porque, assim como os meses de Dezembro sempre apresentam os menores níveis na taxa de desemprego - devido ao ritmo mais aquecido na economia, e às contratações temporárias características do quarto trimestre -, os meses de Janeiro, Fevereiro e Março apresentam níveis elevados, influenciados pelas dispensas de temporários que costumam ocorrer nos primeiros meses do ano. Isso acaba por manter em alta a taxa de desocupação em Abril. Em Abril do ano passado, a taxa de desemprego foi de 7,3%.
Mas o mês de Abril deste ano apresentou taxa de 6,4%, a menor para meses de Abril desde 2002, e abaixo da média da taxa de desemprego registrada ao longo de 2010, de 6,7%. Para o especialista, é positivo um desempenho menor em Abril na taxa de desocupação do que o apurado na média da taxa do ano passado - que inclui resultados como o de Dezembro, mês com ritmo alto de contratações, que sempre contribuiu para a redução da taxa. Em Dezembro do ano passado, a taxa de desemprego foi de 5,3%.
"O que estamos dizendo é que, se tudo der certo, se as coisas continuarem boas como estão, podemos estar caminhando para uma taxa de desocupação média ao final de 2011 menor do que a que tivemos na média da taxa de desocupação no ano passado", resumiu.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Quatro equipes parecidas decidem quem vai para a final da Copa do Brasil

Duas partidas pelas semifinais da Copa do Brasil hoje, com quatro equipes muito semelhantes, inclusive no histórico. Ceará e Coritiba empataram em Fortaleza em 0 a 0, fazendo com que só interesse ao Coritiba vitória, pois se empatar de novo em 0 a 0 a partida será decidida em pênaltes, enquanto que  se for empate por qualquer escore com gols o Vovô alencarino será o beneficiado e classificado para a final.
O jogo acontecerá em Curitiba, no Estádio Couto Pereira, às 21,50. Nessa partida,vale lembrar, que mesmo que seja considerada uma boa equipe, o Coritiba depois que perdeu a invencibilidade para o Palmeiras por 2 a 0, empatou com o Ceará e foi derrotado domingo em casa pelo Atlético Goianiense, pelo Campeonato Brasileiro. Quer dizer, depois de uma série de partidas vencendo, a equipe  dirigida pelo técnico Marcelo Oliveira está há três jogos sem vencer.  O Ceará, segundo o técnicoVagner Mancini, está tranquilo e vai jogar para a frente. O Vozão contará com o retorno de seu artilheiro Marcelo Nicácio, que poderá entrar direto em substituição a Washington.
Na segunda partida pela semifinal o Vasco tentará vencer o Avaí no Estádio da Ressacada. O maior problema da equipe cruzmaltina será o perigo de não fazer gols na boa equipe do Avaí, pois o empate sem gols dará vitória ao Avaí, enquanto que terminando em 1  a 1,  a partida irá para os pênaltes. Ricardo Gomes, preocupado com a possibilidade da partida ser decidida em pênaltes, trabalhou parte da semana  na cobrança de faltas e penalidades, pois o Avaí é uma equipe forte e vai lutar para ganhar ou no mínimo empatar o jogo.
O Vasco luta há oito anos para ganhar um título. Campeão de vices campeonato a equipe presidida por Roberto Dinamite quer chegar às finais da Copa do Brasil e faturar. "É uma maneira de dar um pouco de alegria a nossa torcida, que já não aguenta tantos anos sem titulo, falou Dinamite ontem numa emissora de rádio.

Assassinato de ambientalistas movimenta Polícias do Estado e Federal

O assassinatos do sindicalista e preservacionista do meio ambiente José Cláudio Ribeiro da Silva e de sua companheira Maria do Espírito Santo da Silva  não se constituiu nenhuma surpresa para quem está acostumado a conviver com a ação da pistolagem e do crime organizado no interior do Pará. Ele próprio, José Cláudio, como Chico Mendes havia feito também, cantou a pedra quando deu entrevista em Novembro passado à uma emissora de TV estrangeira e falou que ele e sua família estavam sendo ameaçados de morte por pessoas que tinham interesse em vê-lo longe da comunidade de Praialta-Piranheira, em Nova Ipixuna, onde o casal trabalhava em projetos de preservação ambiental e sustentáveis. O casal era membro do Conselho Nacional de Seringueiros, entidade fundada pelo seringalista Chico Mendes, também assassinado a mando do latifúndio.
Os assassino de José Cláudio e Maria do Espírito Santo,  usando do máximo de crueldade, ainda arrancaram a orelha do camponês, talvez para "provar" ao mandante que haviam executado o trabalhador.
O duplo assassinato indigna o Governo do Estado e a população paraense, e  mancha ainda mais o nome do Pará, sempre envolvido nesse tipo de crime de pistolagem. Todos em nosso Estado estão cansados de ver os crimes bárbaros acontecerem a mando de latifundiários interessados apenas em desmatar, grilar, apoderar-se de terras para se beneficiar da madeira ou da criação de gado.  
Os deputados João Carlos Batista e Paulo Fonteles, o líder camponês João Canuto, os  sindicalistas e trabalhadores rurais Expedito e  Bené, Irmã Doroty e agora o casal José Cláudio e Maria do Espírito Santo são alguns dos vitimados do crime de pistolagem que continua muito organizado em nosso Estado. 
Assim como o Governador do Estado manifestou sua indignação, classificando o duplo homicídio de "atitude irracional e hediondo", determinando imediatamente uma ação energética por parte de todo o sistema de Segurança Pública do estado,  a Presidenta Dilma também se manifestou e além da Polícia do Estado, também a Federal está em campo à procura dos assassinos e dos mandantes, o que é essencial para as autoridades chegarem "In loco" ao foco da criminalidade organizada.

Tio Zeca, e a "Geração saúde"

Tio Zeca era uma pessoa bem diferente. O período que passei em sua casa,  mais ou menos seis meses, deu para reparar bem na pessoa que era o meu tio, aliás, tio "torto", marido de minha tia Marieta, irmã de meu pai.
Fui para sua casa com nove anos de idade, logo após o falecimento precoce de minha mãe. Meu pai, com cinco filhos menores para criar, tendo que trabalhar, resolveu pedir apoio às irmãs, tendo eu ido para casa de Tia Marieta, Meire para casara de Tia Adalgisa e Júlia para a casa de Tio José Augusto, este, irmão de minha mãe.
Mas quero falar aqui é de tio Zeca. Ele foi um dos precursores da "Geração Saúde". Pois é. Há mais de 40 anos tio Zeca já fazia suas caminhadas diariamente. E bote caminhada nisso: tio Zeca ia e voltava de seu trabalho, uma alfaiataria no centro da cidade, caminhando, numa distância equivalente a sete ou oito quilômetors. Não aceitava "carona" nem pegava ônibus. Era na base da "´pernada", de segunda à sexta.
Outro fato curioso de tio Zeca, era que ele era uma figura que pouco falava. Comigo só fazia responder: "Deus te abençoe", quando eu  lhe tomava bênção. Nunca o vi brigar com os filhos ou com a mulher, discutir por qualquer problema que fosse, tomar posição contra ou a favor de nada. Acordava sempre às cinco da manhã, punha sua máquina "Pfaff" para funcionar, pedalava até às 6,30, tramava uma cafézinho e rumava para o trabalho. Ia sempre de terno e gravata, elegantemente vestido. Não falava, só acenava para as pessoas. Uma vez ou outra o ouvia balbuciar duas ou três palavras com minha tia Marieta, ao contrário de tio Zeca, muita gorda, risonha, louca por uma feijão com farinha e banana,  na especialidade que só ela fazia: o "capitão" de um lado e a banana de outro.
Caminhando hoje, lembrei-me do quanto tio Zeca foi moderno para sua época. E, também, entendo o porquê dele ser tão magro, quase esquelético, mas com muita saúde: as caminhadas que ele fazia, talvez ingênuamente,  todos os dias.

Fabiano quer licenciar a Tuna. É a história do mel, que lambuza quem nunca comeu..

A ameaça de Fabiano Bastos em licenciar o time de futebol da Tuna Luso Brasileira do Campeonato Paraense de 2012 faz parte de seu desespero. Bocudo e incapacitado como ficou comprovado em sua inconsequente administração até o presente de quase dois anos e meio, Fabiano agora quer sair pela tangente das tolices que fez por pura vaidade e desrespeito aos que sempre se dedicaram à Tuna. Não faz um mês esse hoje desesperado dirigente foi à uma emissora de Rádio e falou mil e uma asneiras, de que entrava tantos mil reais por mês nos cofres da una "só no social". Também comentou no seus momentos de egocentrismo que "estão querendo que eu modifique o estatuto para passar mais três anos  como presidente da Tuna", ou "Estou sendo considerado o melhor presidente da Tuna dos últimos 20 anos". Quer dizer, o sr. Bastos perdeu N vezes a boa oportunidade de ficar calado, trabalhar e mostrar -o que ele não conseguiu mostrar- serviço.
Como um Pachá: Bastos queria usar a Tuna para ser vereador.
Em seu mandato que ao final do ano completará três anos, Fabiano Bastos colecionou inimizades com os verdadeiros cruzmaltinos. A princípio, com uma diretoria completamente descomprometida -como ele também é- o dirigente brigou com seus diretores e conseguiu, contrariando o estatuto em vigor, colocar um monte de pessoas como "diretores" sem história no Clube, e sem o tempo correto para serem dirigentes e ainda completamente desconhecidos dentro da agremiação cruzmaltina. Tomou decisões que só fizeram prejudicar a Tuna. Bastos abandonou praticamente o lado social,arrendando todo o Clube,  como também o desportivo, que sobrevive hoje graças ao apoio de abnegados, porque por ele tudo pode sucumbir.
Hoje na Tuna Luso Brasileira não funcionam a piscina olímpica, a piscina infantil passou quatro meses paralisada, o Toboágua está paralisado há dois anos, das duas saunas só funcionam uma,  a feminina, e menos de 300 pessoas pagam a mensalidade do clube. Enfim, esta é a situação da Tuna. E o sr. Fabiano, como um pachá, vive a falar mal de outras diretorias.
Em seu mandato o que fez foi reformar a secretaria e a boate, enquanto as áreas que são realmente de interesse dos associados estão todas carentes. Até mesmo  os banheiros, masculinos e femininos, funcionam precariamente por culpa da gestão do sr. Bastos, ifelizmente um descomprometido com a Tuna.
Agora, o presidente bocudo e candidato a vereador pelo PPS, depois de todas as tolices que fez com a equipe de futebol profissional ameaça licenciar o time. Para ele é bem fácil. Torcedor do Paysandu, como toda sua família é, agora que a mídia vai deixá-lo na lona, quer pelo menos dar a notícia de ser o coveiro do time que em três anos só disputou um campeonato e assim mesmo foi o lanterna. Por puro orgulho e vaidade tola. É a história do mel, que lambuza quem nunca comeu...

terça-feira, 24 de maio de 2011

A musa do Cinema Novo Odete Lara em 16 filmes no Canal Brasil

Odete Lara em cena de  Bonitinha, mas ordinária , de 1963
Odete Lara em cena de "Bonitinha, mas ordinária", de 1963

Uma das mais importantes atrizes do cinema brasileiro nos anos 60 e princípio dos 70,  Odete Lara ganha uma retrospectiva de sua carreira. O Canal Brasil, da TV por assinatura Sky, a partir de hoje exibe 16 dos principais filmes de Odete. O CCBB, de Brasília também exibe a mesma mostra da atriz que foi considerada a Musa do Cinema Novo, tamanha era seu talento e sua beleza.
Parte dos 16 dos 32 filmes estrelados por Odete Lara durante duas décadas de carreira nas telas, alguns em preto e branco e outros coloridos, fazem parte de um momento do cinema brasileiro que foi marcado por uma fase de mudanças, onde novos diretores surgiram com uma câmera na mão e uma idéia na cabeça, o chamado Cinema Novo. Destaque para Bonitinha, mas ordinária, de 1963, longa que tem roteiro baseado em peça homônima de Nelson Rodrigues, adaptado por Jorge Dória.
A Estrela Sobe, de Bruno Barreto, A Rainha Diaba, de Antônio Carlos Fontoura, e O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro, de Glauber Rocha, também compõem a seleção.A carreira da atriz é ainda tema do documentário Retratos Brasileiros: Odete Lara, que terá uma exibição especial.
Odete Lara nasceu Odete Righi Bertoluzzi, no bairro da Bela Vista, São Paulo, em 1929. Teve uma infância dura, com o suicídio  da mãe quando ela tinha seis anos e do pai, quando Odete tinha 18 anos. Odete cedo começou a trabalhar. Iniciou a carreira artística como modelo e garota-propaganda na extinta TV Tupi, descoberta que foi pelo presidente do MASP, Pietro Maria Bardi, que encanou-se com a beleza da moça.  Unindo beleza e talento, Odete logo se tornou uma requisitada atriz de teatro e televisão, tendo trabalhado com os principais diretores do cinema brasileiro como Walter Hugo Khoury, Hugo Carvana e Bruno Barreto. Ela também gravou discos, fez shows musicais e colaborou na imprensa alternativa dos anos 70.
Odete Lara  parou de trabalhar no cinema aos 50 anos. Refugiou-se em seu sitio na região serrana do Rio e passou a escrever livros, traduzir obras budistas. A atriz foi casada com o Oduvaldo Viana Filho, o Vianinha, um dos grandes teatrólogos brasileiros. 
Hoje, aos 82 anos, mesmo vivendo quase reclusa, Odete é sempre homenageada pelo seu trabalho na arte cinematográfica brasileira. Uma boa pedida a do Canal Brasil em homenagear a Musa do Cinema Novo Odete Lara.

Futebol feminino da Tuna vence e disputa a final com o Pinheirense domingo

A Tuna Luso Brasileira time de futebol feminino continua brilhando. Domingo,enquanto transcorria a II Regata, as meninas comandadas pela competentes treinadora Aline Costa faziam sua parte no estádio do Souza, derrotando a equipe do Cruz Azul-Esmac pelo escore de 2 a 1. Foi uma partida difícil, talvez a mais apertada deste ano, segundo opinião de quem presenciou a refrega.mas no final deu Tuna, com gols de Cássia, aos 14 do primeiro tempo e Lause, aos 34 do segundo. A Tuna com essa vitória ganhou o direito de disputar a final, com a equipe do Pinheirense.
A partida final que vai decidir o Primeiro Turno, acontecerá no domingo, quando a Tuna Luso Brasileira enfrentará a equipe do Pinheirense. O local da partida já está definido pela FPF. Será no Estádio Mangueirão, às 10 horas. Segundo Aline, que conversou com o escriba, a equipe cruzmaltina não terá a lateral esquerda Isadora, que sofreu contusão e vai ficar um bom período no estaleiro. Em seu lugar, Aline pensa em colocar a lateral direita Raquel, que joga bem nas duas posições. Para o lugar de Raquel a treinadora estuda uma jogadora que mesmo que não seja da posição possa desempenhar bem o papel de defensora. "A Raquel é diferenciada porque além de defender, apoia muito bem. Mas temos que fazer esse remanejamento dela para a esquerda e em seu lugar vou colocar uma jogadora que saiba defender e que chute bem com o pé direito", disse Aline.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Bahia estréia perdendo mas com time que promete

Ontem assisti a estréia de Bahia e América Mineiro na  Série A do Brasileiro. Duas boas equipes. Para os preconceituosos que acreditam que quando as equipes passam de série, serão facilmente sacos de pancadas, pelos meus parcos conhecimentos, acredito que muita gente vai errar. O Bahia, que tem o experiente e competente técnico René Simões como seu treinador, mandou a campo uma equipe bem definida táticamente e jogando para ganhar o jogo, embora em território mineiro, Sete Lagoas, palco do espetáculo. Com o experiente Souza (ex-Corintians) e o paraense Jobson (ex-Botafogo e Atlético Mineiro) como os dois homens de frente o Bahia iniciou o jogo atazanando a defesa do América, que estava sempre baixando o pau nos dois atacantes. Pressionando, pincipalmente com os laterais e os atacantes Jobson e Souza, o Bahia abriu o placar  ainda na primeira etapa através de um gol de pênalte, convertido por Souza.
No segundo tempo, o América conseguiu empatar logo aos quatro minutos, através de Rodriguinho, que substituiu Irênio. O meia, além de fazer o gol passou a ser  o parceiro ideal de Fábio Júnior na pressão à boa defesa do Bahia, onde os laterais e o miolo de zaga não davam espaço ao ataque mineiro. Mas foi com a entrada de Alessandro, que a torcida implorava o treinador que pusesse em campo, que o América conseguiu desempatar e vencer. Substituindo a Eliando, Alessandro entrou com vontade e aos 43 da etapa final bateu sem chances para Marcelo Lomba (ex-Flamengo) que só fez olhar a pelota entrar. 
Mesmo estreando com a derrota, o Bahia espera fazer uma boa campaha na Série A. Contratou alguns jogadores de seu homônimodo interior  campeão baiano e ainda aguarda algumas contratações e lutar para não mais cair. De acordo com a imprensa da Boa Terra, o investimento do Tricolor de Aço será na faixa de 50 milhões para a Série A. Se souber contratar, com certeza o Bahia poderá fazer um grande time, competitivo e com chances de permanecer na Série A. Pelo menos demnstrou isso na etsréia, mesmo perdendo.

Independente deu trabalho, mas deu Remo

Antigo adágio popular diz que "é melhor escapar fedendo do que morrer cheiroso". Pois é. O Clube do Remo ontem, embora por um momento na segunda etapa, tenha sido superior ao Independente, mesmo desordenadamente em termos táticos, escapou na última lata d'água. Foiaaos 45 da segunda etapa que o time de Antonio Baena consegui furar o arco do excelente goleiro Dida, fazendo 1 a 0 e bastando empatar para disputar com São Raimundo ou Cametá a decisão do Segundo Turno que dará direito a participar da grande final com o Paysandu, que está só esperando a definição da briga dos quatro clubes.
Foi um jogo bom, apressado, com os dois clubes louco para ganhar. Os comandados de Sinomar, outrora um grande retranqueiro, entraram ontem firmes e ganhando bem as bolas no meio de campo, onde Gian, nem parecia ter seus trinta e muitos anos. No Remo, apesar de algum perigo na primeira etapa, com uma bola na trave, sofria com os passes longos e certos do Independente, que não tomava conhecimento dos mais de 11 mil torcedores que superlotaram o Baenão.
Na segunda etapa o jogo começou com o emo em cima, querendo de qualquer maneira fazer o gol que lhe daria vantagem. Mas o Independente se defendia como podia e sempre estava a postos nos contra ataques, como nas duas bolas na trave que por pouco não entraram, pois o goleiro remista Lopes já estava batido.
Foi na saída de Gian, que deu lugar a Edilson Belém, um jogador fraco e que não chegou aos pés do ex-ídolo remista, que o Independen sofreu mais. Com a entrada de Betinho, no lugar de Luis André, e Elsinho, no de Marlon, que saiu contundido, o Remo foi mais à frente e por pouco não faturou. Finazzi entrou na vaga de Thiago Marabá e só atrapalhou. Decididamente o jogador além de passado está fora de forma e a cada dia deixa mais evidenciado o bode que foi para o clube azulino.
Ganhando no meio de campo e com Elsinho e Betinho descansados o Remo foi mais à frente e aos 45 Elsinho chutou forte e bem colocado, deixando o arqueiro Dida batido e sem entender aquele gol matador àquela hora.
Para o Remo a vitória lhe dará o direto de jogar pelo empate por qualquer escore. Não pode perder por 1 a 0, pois a vitória fica com o Independente. Se o Independente mesmo vencendo  tomar dois ou mais gols, a vitória será do Remo. Será, como diziam os antigos cronistas de rádio, um jogo de vida ou morte.


Reunião poderá definir mudança do Estatuto

Faltando seis meses para a eleição da nova diretoria da Tuna Luso Brasileira, infelizmente até o presente não se sabe como será o pleito. O novo Código Civil determina que nenhuma eleição será indireta ou seja, qualquer pleito tem que ser direto, seja de Clube de Futebol., Clube Social, Sindicato, etc., até de condomínio. No estatuto em vigor na Tuna Luso Brasileira, feito pelo advogado Antonio Lourenço, infelizmente a grande maioria não conseguiu entender como será o pleito após os três anos de mandato. Na leitura da maioria, após o mandato de três anos, será eleita uma nova diretoria da Assembléia Geral, do Conselho Deliberativo e da Diretoria do Clube, composta de 15 membros. acontece, que na visão do ex-presidente da Tuna Luso e do Grêmio Literário Português, GB Alírio Gonçalves, o processo continua como nos primeiros três anos: serão eleitos cinco membros como nos três anos anteriores em substituição aos cinco que sairão.
Conversando com Alírio, expliquei-lhe que dessa maneira  existiria uma inconsitucionalidade, uma vez que esse tipo de eleição contraria o Código Civil. Ele, analisando tem a mesma visão, mas ao mesmo tempo diz que no Grêmio as coisas funcionam assim.
Em conversa com o GB João Rito ele falou-me que talvez por toda esta semana será feita uma reunião com o advogado Antonio Lourenço, quando ele fará alguns esclarecimentos (ou muitos) sobre o estatuto da Tuna. A partir do que ficar decidido nessa reunião, Rito diz que será um dos que vai lutar para que mude o estatuto em vigor, segundo ele também, muito confuso e complicado para a Tuna.
O escriba, através deste Blog, já declarou várias vezes que é contrário ao atual estatuto, que comprovadamente, não é o ideal para a Tuna. Para uma equipe que pratica várias modalidades de esportes, tem sua parte social e pratica futebol profissional, o estatuto tem que ser prático e bem definida sua forma eleitoral, como acontece com os demais clubes: elege o Presidente, o Vice e o Conselho Fiscal.  
Espera-se que dessa reunião com o advogado Antonio Lourenço saia algo de positivo e se for o caso seja dentro de pouco tempo posta em votação a mudança do atual estatuto por um mais adequado à Tuna.

João Rito diz que atraso na prestação de contas da Tuna é culpa da atual diretoria

Ontem, na Estação das Docas, onde realizava-se a II Regata de 2011,  conversei com o Grande Benemérito e respondendo hoje pela presidência do Conselho Deliberativo da Tuna Luso Brasileira, João Ribeiro Rito Nunes. Rito, falou-me das dificuldades que tem enfrentado para marcar a  reunião do Conselho para a prestação de contas da atual gestão do sr.Fabiano Bastos. "Já fiz a minha obrigação. Mandei a carta de convocação mas ele me respondeu dizendo que o contador ainda não terminou a contabilidade", respondeu Rito à uma pergunta sobre a próxima reunião do Conselho Deliberativo. Segundo ainda João Rito, a diretoria da Tuna está atrasada com duas prestações de contas ainda de 2010, e em Agosto vence a terceira em atraso. O GB Raimundo Barata, presente na conversa, acredita que é necessário dá um aperto na diretoria no sentido de que ela cumpra com as obrigações estatutárias, que são as prestações de contas em seus respectivos período. "Não posso é obrigar o presidente a prestar contas, ele sabe de sua obrigação, defende-se Rito.
O presidente da Tuna Fabiano Bastos, ao assumir, prometeu que mensalmente faria uma demonstração da prestação de contas no quadro para que todos os sócios, conselheiros e benemérito vissem como está sendo gasto o dinheiro que entra no Clube. Infelizmente a promessa de Bastos ficou só na conversa, porque até o presente, embora ele esteja para completar três anos, até agora só foram apresentadas as contas  do primeiro ano.

Erro no último páreo tirou parte do brilhantismo da II Regata vencida pelo Remo

O belo troféu de vidro foi ofertado à Tuna pela família de Heronides
A II Regata pelo Campeonato Paraense de Remo, realizada na manhã de ontem nas águas da Baía do Guajará poderia ser considerada uma das mais concorridas dos ultimos tempos. Muita gente se fez presente, inclusive os parentes do ex-remador Heronides Moura, da Tuna Luso Brasileira, que foi homenageado pela FEPAR e sua família, que doou à Tuna um belíssimo troféu confecioonados em vidro, uma verdadeira obra de arte digna do talento de campeão de Heronides. Mas infelizmente ao final da competição, no último páreo, o Oito Gigantes, por uma possível  falha da arbitragem, a confusão foi gerada entre dirigentes e torcedores de Remo e Paysandu e isso tirou um pouco do brilhantismo da Regata.
O Clube do Remo, vencedor da  II Regata com cinco primeiros lugares, dois segundo e três terceiros, totalizando 27 pontos, ganhou o Troféu de Campeão e mais um ofertado por um artista adepto do esporte, que ofereceu ao vencedor de ontem. A Tuna Luso Brasileira foi a segunda colocada com três primeiros lugares, dois segundos e cinco terceiros, totalizando 21 pontos. O Paysandu ficou em terceiro e último lugar, com apenas 19 pontos, divididos em dois primeiros lugares, cinco segundos e um terceiro. Na somatória geral o Remo agora passou para o primeiro lugar com 53 pontos ganhos, seguidos da Tuna com 47 e Paysandu com 37.
É balela a história do Paysandu abandonar a competição de Regata por um lapso acontecido ontem. Tudo bem que o possível erro foi logo no páreo mais importante, a alma da regata, que é o Oito Gigantes, pois quase a unanimidade dos que estavam presentes -como este escriba- viram que o Paysandu levou, ganhou tipo nos últimos 50 metros, numa bonita reação de seus remadores. Mas acho que pela beleza e a historia das Regatas não compensa tirar o Paysandu do Campeonato, como também não tem sentido a ameaça solidária do presidente da Tuna em seguir o Paysandu e tirar a Tuna também da competição  (embora todos saibam que ele  falou com o coração, porque torce pelo Paysandu), mas o presidente não tem esse respaldo para tirar a Águia da competição, não.
A verdade é que  juiz tem tudo para ter errado e isso deixou os frequentadores e amantes da regata chateados. Assim como erraram contra o Paysandu, já erraram também contra a Tuna (e foi o mesmo juiz, em 2008, no Ver-O Rio, numa disputa com o Paysandu). Alguns mais exaltados diziam que "o Remo apagou também a luz na regata", numa alusão ao jogo Remo e Tuna quando a luz foi apagada.
O presidente da FEPAR. Luizomar Costa, um abnegado pelo esporte, na próxima Regata deve ter mais cuidado na escolha dos árbitros, porque não fica bem o tipo de confusão que aconteceu ontem na estação, quando dirigentes e torcedores de Remo e Paysandu quase chegaram às vias de fato.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

II Regata vai homenagear Heronides Moura, o grande remador cruzmaltino

O grande atleta náutico da Tuna Luso Brasileira  Heronides Gomes Moura será homenageado na II Regata 2011, que acontecerá na manhã deste domingo, a partir das 8 horas, na Baia do Guajará. As 10 provas que compõem a programação da Regata, fazem parte do Campeonato Paraense de Remo, promovido pela Federação Paraense de Remo -FEPAR. A  chegada dos barcos será na Estação das Docas. 
Heronides com algumas de suas medalhas.
A "Guarnição dos Bonitões"
A família de Heronides, que era Engenheiro Civil, e faleceu em 2010 aos 87 anos, ofertará uma belíssima taça à Tuna Luso Brasileiua, que foi a vencedora da primeira regata deste ano, acontecida em Abril. Vários parentes de Heronides, inclusive filhos, se farão presentes à Regata. Segundo o presidente da FEPAR Luizomar, juntamente com toda a diretoria da FEPAR, esperam que a II Regata seja uma das mais concorridas e bonitas dos últimos tempos, já que Tuna e Remo estão praticamente empatados e o Paysandu quer ganhar a Regata. Para o evento estarão presentes parentes de Heronides Moura de  Belém e outros que chegarão de outros estados para prestigiar a homenagem ao remador da Tuna, que era também Benemérito cruzmaltino e torcedor fervoroso da Águia. Além de atleta, Heronides foi também um grande colaborador para o sucesso do esporte náutico no Estado do Pará, tendo sido Diretor de Remo da Federação Paraense de Desportos.
Heronides Gomes Moura nasceu em Curralinho, em 1923, era casado com a sra. Laura Moura, com quem teve três casais de filhos. Foi um dos mais importantes remadores da Tuna Luso Brasileira durante 12 anos, de 1945 a 1956, época em que a Águia tornou-se famosamente conhecida como "A Rainha do Mar", pois  era absoluta neste esporte, tendo ganho de 1945 a 1957 nada menos que  11 títulos,  10 deles seguidos.
Heronildes Gomes de Moura, juntamente com Manoel Cristino, Orlandino Ventura, Esmeraldo e Buck Jones, formaram o 4 com 1 mais famoso da época, conhecido como "A Guarnição dos Bonitões".

A despedida do Fenômeno

Agora que está fora dos gramados Ronaldo com certeza deve sentir saudades dos tempos de boleiro, por isso ansioso para a partida de despedida que fará da Seleção Brasileira.. Lembro que quando Zico abandonou o futebol dizia que estava cansado das concentrações, do excesso de partidas, etc. Porém, pouco tempo depois voltou a jogar bola. De graça, com os amigos no futebol de praia, futevôlei ou mesmo em partidas de fins de semana. Quem jogou bola, quem foi profissional, não esquece, tem saudades. E assim deve estar Ronaldo que já anunciou que está treinando  para voltar aos gramados. Como jogador. Nem que seja por 30 minutos o atleta vai relembrar os momentos, os aplausos, os muitos gols, as belíssimas jogadas feitas como jogador de várias equipes do mundo inteiro e de nossa  Seleção.  Do início no Cruzeiro, aos l7 anos, passando pela Seleção Brasileira e finalmente no Corintians, onde embora por pouco tempo anda conseguiu mostrar o porquê de haver  sido escolhido por três vezes o Melhor  Jogador do Mundo. 
A partida será no dia 7 de junho, no amistoso que a Seleção Brasileira fará contra a Romênia. Acho que o adversário é fraco para uma partida em que um jogador que considero o segundo melhor depois de Pelé fará sua despedida. Seria mais interessante a Alemanha, Argentina ou Inglaterra, adversários de peso, históricos, que fariam com que tanto Ronaldo como os participantes e amantes do futebol do mundo inteiro  ficassem ligados. Outra hipotese seria uma Seleção do Mundo, com os melhores jogadores em atividades contra a Seleção Brasileira  reforçada pelo genial Ronaldo Nazário.
Ronaldo, um Fenômeno inigualável no futebol.
Como não é como a gente quer, paciência. Vou torcer pelo sucesso do amisoso e que Ronaldo esteja em forma para que possamos, nem que seja de brincadeirinha, ver o talento e a genialidade do Fenômeno em campo.

OAB quer Robgol, Juvenil e Mônica na cadeia

Cara dura o sr. José Robson do Nascimento, o tal Robgol, não? Deputado por apenas um mandato, encheu a folha de pagamento de seu gabinete de parentes, todos laranjas, já que ele próprio era o procurador e portanto quem recebia os proventos por eles, depois da denúncia de sua ex-namorada Mônica Pinto de que ele era um dos beneficiados das falcatruas na Casa de Legisladores, a Polícia encontrou meio milhão de reais debaixo do colchão de sua cama em sua casa e mais 40 mil reais em vales-refeição, deixando  os que admiravam a dignidade do ex-atleta do Paysandu de boca aberta.
Talvez Robgol, um cara simpático, de bom papo e como ficou caracterizado, muito esperto, achasse que as coisas ficariam tranquilas, na impunidade sempre e sempre. Não imaginava que a corrupção tão grosseira, tão nefasta na Alepa fosse observada por muitos que estão lá e pelos que estão de fora e viram presidentes e deputados enriquecerem em apenas um mandato. Deu muito na vista. Robgol quis ser mais esperto do que realmente é. Será que o ex-goleador não imaginava que um dia seria feita uma pesquisa por pura desconfiança, para saber por que tantos "laranjas" que nem no Pará moram (portanto nunca receberam seus salários "ao vivo"), tinham o mesmo procurador?
Robgol amealhou muito dinheiro nos quatro anos. Os 500 mil é só a quantia que foi encontrada em sua casa. E nas contas bancárias, será que o ex-atleta, bonzinho demais com o Paysandu, não tem mais 500 mil?
O jogador do Paysandu e o Deputado (no  medalhão)
O ex-artilheiro bicolor já constituiu advogado que questiona a OAB que quer porque quer os fraudadores da Alepa que são alguns funcionários e mais os que apareceram por hora como Robgol, Domingos Juvenil e Mônica Pinto, na cadeia. Assim, o causídico que defende Robson quer um habeas-corpus antes da decisão da Política de prender o ex-jogador.
O ex-artilheiro bicolor, que não que luta para não ficar preso, pois seu advogado acha que ele não é uma ameaça à sociedade,  além de de tudo é também nepotista. Colocou a parentada na Assembléia, mesmo que "comesse" o dinheiro, portanto é criminoso mais uma vez.  Se  Juvenil e Robgol não forem presos, o Juiz "Lalau"  com certeza, vai reclamar.

"Macho man" Felipão ganha seis jogo de suspensão

Está virando moda atletas de futebol mandarem mensagens no twitter e depois, com medo das consequências, afirmarem que foi o amigo, o irmão, o primo, a namorada e agora a mulher, como  declarou o goleiro do Palmeiras, Deola, que pegou dois jogos de punição por afirmar em sua página no twitter, que a "FPF fez palhaçada no clássico entre Palmeiras e Corintians". Que mania feia, que covardia! Se não tem coragem de assumir as consequências, não fale, não queira aparecer.
Outro que também falou demais foi  treinador bocudo do Periquito, Felipe Scolari, que mesmo tentando desdizer ou fazer uma leitura diferente do que realmente disse, não escapou e  também ganhou a punição de seis jogos. Scolari foi até mais agressivo do que Deola. Agrediu acintosamente com um palavreado de baixo nível, o árbitro Paulo César de Oliveira, a Federação Paulista e a CBF. Felipão é arrogante e adora grosserias. Os mais próximo dizem que esse ti´po de atitude é  típica deste gauchão que até agora não demonstrou nenhuma competência como técnico de futebol, mas consegue um grande espaço nos dirigentes conservadores que acham que a prepotência, a arrogância e o estilo de "gaúcho macho" de Felipão ganham jogo. Taí o resultado, o Palmeira não ganhou nada, e  o "machoman dos pampas" levou seis jogos de suspensão. Quem manda?

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Olha a pressão!: Diogo teve AVC com sete anos

Você, que tem entre 30 e 60 anos já  mediu sua pressão esta semana? Não? Então se você não é igual ao meu camarada Petrúcio, que nunca mediu a pressão, por achar que nada acontece com ele, trate de medir hoje mesmo, pois este problema, causado principalmente pelo estresse, está atacando às pessoas cada vez mais cedo. "Hoje não existe mais idade para se ter pressão alta. O melhor que se faz é prevenir,  mantendo a pressão arterial e o colesterol em níveis adequados, alimentar-se corretamente e não fumar", orienta o Dr. Marcos Estavále, de São Paulo e autor do livro "Bases da Terapia Intensiva Neurológica", lançado este mês.
A preocupação com o fator pressão despertou depois da matéria publicada na última edição da revista IstoÉ, em que a mãe do garoto Diogo Heideman, de 9 anos, conta como salvou a vida do filho que teve um AVC com apenas sete anos, enquanto tomava banho.
Em matéria de sete páginas em que aparecem depoimentos, novos tratamentos e o que se deve fazer para se proteger de AVCs, isquemias e outros problemas correlatos à pressão arterial, colesterol etc, a revista informa que principalmente por causa da vida agitada que se leva, dos problemas do dia-a-dia, hábitos alimentares, estresse no trabalho e no transito, os problemas de pressão estão acontecendo cada vez mais cedo.
Diogo teve um AVC com sete anos.
Inês Heideman -segundo depoimento à revista IstoÉ-, assustou-se quando encontrou seu filho Diogo, de apenas sete anos, caído no banheiro debaixo do chuveiro com braços e pernas paralisados e a boca torta. Desesperada e sem saber o que acontecia, correu para o hospital. O susto aumentou quando veio o anúncio do neurologista: Diogo acabara de sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). "Para mim ele estava daquele jeito porque havia batido a cabeça no chão durante o banho. Eu não sabia que derrame acontecia também com crianças", conta. Felizmente o menino recebeu um pronto atendimento e três dias depois estava em casa, tranquilo.
O caso de Diogo acaba com um velho tabu de que AVC só dá nos mais velhos. Dados pesquisados em todo o mundo demonstram que, infelizmente, essa idéia está utrapassada. Só no Brasil, jovens entre 15 e 34 anos foi registrado um aumento de 64 por cento, entre homens. Entre mulheres o aumento foi menor: De 41 por cento.
O AVC é a doença que mais mata em todos os países, inclusive no Brasil. Segundo a matéria (que eu recomendo porque está rica em detalhes sobre a prevenção deste terrível mal), existe um poderoso arsenal composto por novos remédios, que vão de robôs a células-tronco, entre outras importantes novidades, e que ajudam tanto a proteger como até a reconstruir o cérebro. Bem. Agora vocês dão licensça, que vou auferir minha pressão.

Santos avança rumo ao título

Neymar fez o gol santista
Seguidores e navegantes deste Blog sabem as minhas preferências  futebolísticas. Que além da amada, idolatrada e salve, salve! Tuna Luso Brasileira gosto de outras equipes.Mas que sou, antes de mais nada, um amante do belo futebol, do futebol arte, da equipe concatenada, do treinador que sabe substituir porque enxerga onde a equipe está fragilizada. Por isso gosto de ver o santos jogar. Gosto de ver o Neymar fazer suas jogadas geniais e o mais interessante: produtivas. Neymar é aquele  jogador disciplinado, que teve  "berço técnico". Ao contrário de Ronaldinho Gaúcho, que faz o que quer com a bola, mas tem um futebol improdutivo, que pouco rende ao clube. Tanto é realidade que com menos de 30 anos caiu de preço no mercado e hoje vive de mídia e do sucesso que foi repentino e também muito rápido. Nas quatro linhas, é fraco!
Ontem o Santos deu mais um passo rumo ao titulo da Libertadores. É uma equipe homogênea, que o treinador sabe onde estão as fragilidades. Uma equipe que se dá ao luxo de ter um jogador como Pará na reserva. Pará é aquele ala que sabe o que faz: marca bem, ataca bem e chuta que é uma beleza. Um excelente jogador. Ontem enjoou de perder gols. Até Neymar perdeu pênalte! Mas chegou lá e agora espera o vencedor de Jaguares e Cerro Porteño, que se enfrentam hoje. Com a bola redondinha que está jogando, mesmo sem o craque Ganso, que poderá voltar na final, qualquer um dos dois será alvo fácil para o Peixe.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Os homens de 200 mil reais

Givanildo poderá ir para o Guiness.
Finazzi estava parado há quatro meses, quando foi contratado pelo Remo. Givanildo estava sem trabalhar há seis meses, quando foi também !redescoberto" pelo mesmo Remo. Finazzi já está no segundo mês, só entrou duas partidas como titular e até o presente não conseguiu fazer nenhum gol. Givanildo já deu entrevista dizendo que "não é salvador da pátria". Diz que veio trabalhar. Só que se não conseguiu chegar ao titulo do Segundo Turno, passará a menor temporada de um treinador em uma equipe. Poderá ir até para o Livro dos Recordes, pois ficará menos de 15 dias empregado. Porém, sabe-se de cocheira, que Finazzi brigou e recebeu o seu saário, se não iria embora e, parece, faria falta ao Remo. Também o rabugento treinador (tido como um dos mais mal humorados da história do futebol), já recebeu uma parte de seu gordíssimo salário de 100 mil reais. 
Enquanto isso, o Clube do Remo, contratante de Finazzi e de Givanildo, está no segundo mês sem pagar salários. Principalmente o do pessoal da Casa. Pode?