quinta-feira, 31 de março de 2011

O mal educado Rogério Ceni

Rogério Ceni: bom de bola, mas muito brigão
O goleiro Rogério Ceni,  que acaba de fazer seu centésimo gol com a camisa do São Paulo, a equipe que defende há 17 anos, é inegavelmente um grande goleiro e excelente batedor de faltas e pênaltes.  Mas o  arqueiro não foi nada do cidadão civilizado e educado que demonstra ser em suas conversas e nos comentários que sempre faz. Jogando em Recife, frente à equipe do Santa Cruz, num estádio com quase 50 mil pessoas, Rogério mostrou toda sua deseducação, sua arrogância, prepotência, ira  e desrespeito por seus colegas de profissão. Com seu time perdendo o jogo para o Santa Cruz por 1 a 0, a equipe que tem a torcida mais fiel do Brasil, recordista em todas as séries em arrecadação, Rogério Ceni  se desesperou, perdeu as estribeiras  e saiu dando patada em todos, abusando da deselegância. O goleiro empurrou, gritou, xingou  e quase bate em seus colegas de profissão, os jogadores do Santa, e também no juiz, que deu apenas um cartão amarelo ao ante-civilizado arqueiro do tricolor paulista.
Talvez Rogério Ceni -que parece ter o problema de não ter estudado,  nem tido uma  mínima educação em seu lar, pois não demonstrou ter sequer a civilidade básica que é da boa convivência- seja daqueles paulistas que querem São Paulo um País, expulsando nortistas e nordestinos, tal a sua manifestação com os jogadores do Santa Cruz ontem. Gritando muito, enraivecido, o arqueiro paulista quase parte para a agressão física a um jogador santacruzense quando este tentava apaziguar-lhe os ânimos, segurando as mãos do arqueiro para que ele não partisse para a briga. Foi até pior. O pobre jogador do Santa Cruz quase apanha de Rogério. O fato foi visto por torcedores, repórteres, diretores do Santa Cruz e do São Paulo. E será sempre lembrado pelos atletas do time pernambucano, que agora sabem  que qualquer relação com o jogador Rogério Ceni é realmente perigosa. E ao vivo  -ficou comprovado-  é muito pior! Calma, Rogério. Onde estão os bons  modos?

Paysandu decepciona com futebol ruim

A regra é clara: quem joga em casa tem que vencer. Pois é,  só que  o Paysandu fugiu  à regra e jogou fora a  oportunidade de ficar bem perto de passar á próxima fase e escapar de pular a fogueira de ter que empatar com gols ou ganhar do Bahia em Salvador que, sejamos conscientes, é tarefa das mais difíceis. E explico o por quê: o Paysandu demonstrou mais uma vez a fragilidade de toda a sua equipe. Aliás, vírgula. Salvaram-se o goleiro Alexandre Fávaro e o lateral Sidni, pois nem  o centro avante Rafael Oliveira, que ontem infelizmente foi uma figura apática dentro de campo, obviamente porque jogou sem condições, foi bem ontem.
O Paysandu já entrou  em campo errado. Ontem também colocquei isso no comentário, quando alertei que se o treinador Sérgio Cosme entrasse como entrou nas duas partidas com  o Cametá, poderia tirar o cavalo da chuva que não venceria. E empate em casa -eu também avisei- é derrota. Parecendo focado em empatar o jogo ou ganhar num lance de  contra ataque, o Paysandu foi sufocado pelo ataque do Bahia, que mesmo desfalcado de seu principal atacante, levou por várias oportunidades perigo ao arco do excelente Alexandre Fávaro, que foi o melhor jogador do Paysandu em campo.
Mendes: ruim e indisciplinado
O Payasandu ainda teve o atacante Mendes expulso. De graça. Merecia, pela incompetência de ter agredido o jogador do Bahia, uma multa bem simpática, porque ele não tinha nada que se meter num assunto que não  lhe cabia. Ganhou o cartão  vermelho, prejudicou ainda mais o Paysandu. Se não fora a "bondade" do juiz que expulsou Ramon, do Bahia, num lance duvidoso em que muitos não viram falta para cartão, talvez a torcida bicolor estivesse agora se lamentando da sorte. Sorte? Claro que não. Incompetência. Só um cego não vê que a equipe do Paysandu joga só na vontade, sem nenhuma organização dentro de campo, com uma zaga na base do "beque de apara", um ataque com apenas um homem na frente e um meio de campo que não tem sequer um lançador. Ou melhor,  tem sim.  Sandro. Mas ele está com a idade avançada, gordo e já não demonstra muita vontade de jogar futebol.
O Paysandu  em Salvador se quiser alguma coisa tem que entrar de outra maneira. Não adianta a conversa fiada de Cosme dizendo que no próximo jogo vai ter surpresa .A equipe bicolor tem é que jogar com raça, vontade, responsabilidade e, principalmente num esquema tático de quem quer vencer. Lá, na Bahia, só vai valer vitória. Ou no mínimo, empate... com gols.

Major Curió, o "Carrasco do Araguaia" preso em Brasília

Sebastião Rodrigues de Moura, conhecido nacionalmente como Major Curió, um dos chefes da repressão à Guerrilha do Araguaia, foi preso anteontem em sua casa em Brasília, durante uma operação de busca e apreensão a documentos da ditadura militar.
Os agentes federais buscavam documentos que pudessem ajudar na localização de corpos das vítimas da guerrilha. Segundo a Superintendência da Polícia Federal (PF) do Distrito Federal, o major Curió guardava em casa armas sem o devido registro de porte, o que resultou na prisão.
A PF não informou quantas armas e quais os modelos do armamento encontrado sem registro. Depois de prestar depoimento à Justiça Federal e aos policiais federais, Curió foi levado para o Batalhão de Polícia do Exército, uma vez que é militar, onde está preso.
Os agentes federais e o procurador da República Paulo Roberto Galvão foram até a casa de Curió para tentar resgatar documentos do período da ditadura (1964-1985), em especial de sua atuação durante a Guerrilha do Araguaia, nos anos 70.
Nos últimos anos, Curió afirmou em entrevistas que possuía farto material com detalhes das mortes dos guerrilheiros. Em sua casa, foram apreendidos papéis, um computador e as armas.
O Ministério Público Federal (MPF) vai submeter o computador a análise em busca de documentos que possam estar digitalizados. Entre os papéis encontrados pelo MPF, estão páginas de documentos antigos com o selo "confidencial". No entanto, a instituição não confirmou se o material pode ajudar na localização dos corpos dos guerrilheiros enterrados no Araguaia (TO).
A busca por documentos é uma resposta a uma ação movida na 1 Vara Federal por 22 familiares de 25 vítimas da repressão à Guerrilha do Araguaia. Os familiares querem saber o destino dado a esses guerrilheiros, localizar os corpos e realizar seus funerais.
Curió foi o principal nome dos militares na repressão à guerrilha movida pelo PCdoB e por camponeses da região do Araguaia. O governo federal já fez buscas em Tocantins, orientadas pelo Exército. Na região, impera a lei do silêncio entre pessoas que viveram o período e o MPF no Pará registra diversas denúncias de supostas ameaças de Curió para que as testemunhas não apontem os locais ondem possam estar essas ossadas.
— Era o que precisava ser feito desde a sentença da Justiça Federal, em 2007: essa busca aos documentos. E espero que sejam feitas outras mais — disse Crimeia de Almeida, da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos.
Segundo Crimeia, a busca na casa de Curió é resultado de uma ação movida por 22 familiares de 25 desaparecidos, entre eles o marido de Crimeia, André Grabois, um dos líderes da guerrilha.
Curió: crueldade é com ele mesmo!
Curió, que recentemente deu entrevista a uma emissora de TV onde disse não se arrepender de ter "defendido o país dos comunistas e que faria tudo de novo", é acusado de vários crimes.  Um deles, contra uma jovem no Araguaia,quando a moça já estava presa, e ele chegou perto dela de arma em punho, e perguntou seu nome. "Gurrilheira não tem nome!", respondeu  a jovem, ao que  Curió sem dó nem piedade desferiu uma saraivada de balas a matando covardemente. Curió também matou o menor Laércio Xavier da Silva, de 16 anos, em Brasília, que segundo ele estava em seu quintal. Ele, como um dos  maiores  representantes da repressão militar vivo, sempre gostou de resolver suas questões na base da bala.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Eleição da ATEP movimenta advogados trabalhistas

Amanhã, a partir das 8  até as 13 horas acontece a eleição da diretoria e do Conselho da Associação dos Advogados Trabalhistas do Pará - ATEP-Pa. Duas chapas foram inscritas:  a Chapa 1, "ATEP pra valer", encabeçada pelos advogado Alcides Castanho e que tem como vice Milton Alencar e a Chapa 2, "Nova ATEP",que tem José Mária Vieira  como presidente e Luiza Marilac como vice. A disputa promete ser acirrada, como em todas as eleições da categoria dos advogados trabalhistas.
A Chapa 2, que tem José Maria Vieira como candidato a presidente, tem o apoio do presidente da OAB- Pará, Jarbas Vasconcelos e de Alberto Campos, Secretário Geral da OAB-Pa. A categoria dos advogados trabalhista está sendo convocada para votar amanhã, tendo o cuidado de não esquecer o horário de votação, que vai as 8 até às 13 horas.


Paysandu se quiser vencer, tem de entrar firme!

O Paysandu não vai pegar um adversário mole como muitos estão pensando. Mesmo sendo uma das equipes  mais fracas que estão na Série A, o Esporte Clube Bahia tem a tradição de ser uma das melhores equipes do Nordeste e do Brasil. A equipe, que vinha de uma má fase, tendo chegado até à Série C, está de volta à Série A e nessa Copa do Brasil vem disposta a tudo. O Paysandu não deve confiar na conversa de determinados jogadores, que afirmam que conhecem tal jogador, o treinador Vagner Benazzi. Isso não pode ser transformado em referência. Benazzi é um treinador de nome e com capacidade e competência já demonstradas em várias oportunidades em equipes por onde passou. A história de alguns jogadores, por terem passado por Bahia ou Vitória, conhecerem o sistema adotado por Vagner Benazzi, por favor esqueçam. O Bahia, como o Paysandu, vem disposto a tudo e qualquer vacilo pode ser fatal. Se tiver oportunidade de colocar a força máxima, que o treinador da equipe paraense coloque. Não se pode brincar com a tradição do tricolor baiano.
Rafael é craque e pode ser o homem do jogo
Sobre o técnico do Paysandu,  Sérgio Cosme, penso que ele não pode nem pensar em entrar num esquema defensivo, com quatro zagueiros e apenas um homem de frente, com medo de sofrer gols, como ele fez com o Cametá. Isso pode ser suicídio.  Se puder entrar com três no meio de campo, um meia avançado e dois atacantes infiltrados na área adversária, é importante. Seria no caso Billy, Mendes e Rafael Oliveira. 
Sérgio Cosme deve refrescar sua memória e lembrar que apesar de sua insistência em sempre entrar com  o meia Alex Oliveira, o atleta  é quase um homem a menos e só numa jogada de sorte (se antes não se bater sózinho) pode ajudar a equipe. O veterano jogador parece estar "bichado" e juntamente com o cansaço do peso da idade o fazem uma "carta a menos"  na equipe . É bom que na preleção, Cosme deixe bem claro para seus atletas que um escore mínimo ou um empate não podem ser  encarados como bons resultados. Se puder golear, que goleie, pois se der mole o Bahia lá não vai dar refresco.

Luis Fabiano, a grande sacada do São Paulo

Achei muito importante a volta do Luis Fabiano para o futebol brasileiro. São jogadores assim, ainda jovens,  de qualidade e em forma que o Brasil deve trazer de volta. Infelizmente ele não veio para um de meus times preferidos, mas sua volta traz a certeza  de um futebol aguerrido, veloz e de muita, muita qualidade mesmo.
Tenho falado sempre neste espaço, dos erros cometidos pelos clubes do futebol brasileiro, que insistem  em  repatriar jogadores "bichados", fora de forma, problemáticos  e até já envelhecidos para o futebol. E por preços exorbitantes, como é o caso de Ronaldinho Gaúcho, Adriano, Rivaldo e outros.
Nosso futebol tem que amadurecer e nossos dirigentes têm que adquirir a sensibilidade de valorizar a prata da casa. Mesmo que tenham que vender atletas jovens, muito jovens até, mas não devem deixar de lado os grandes valores que surgem nas equipes do País inteiro, do Norte, do Nordeste, do Sul e do Sudeste. Em todas as equipes, todos os dias, aparecem craques.  Então se querem importar, importem do próprio Brasil, o maior celeiro de craques do mundo. É isso que os clubes brasileiros devem fazer.
Aos 36 anos, será que Juninho serve para o Vasco?
Parabenizo a torcida do São Pauli por trazer de volta o jogador Luis Fabiano, realmente o melhor nome dos "estrangeiros" que voltaram para o Brasil. Mas lamento profundamente o que vai trazer a equipe lusa do Rio de Janeiro: o  Vasco ameaça trazer de volta seu ex-meio campista Juninho, 10 anos após ter deixado São Januário. Inegavelmente, o pernambucano  foi um grande craque. Mas hoje, já veterano, não servindo mais para o futebol europeu, por que vai servir para um Clube de grande porte de nosso País? Quem souber responder, que responda.

Zé Alencar: Gigante pela própria natureza!

Um dos maiores, mais carismáticos e também polêmicos políticos brasileiros, Leonel Brizola, gostava de dizer que é importante que todo presidente da República ou governador tem que ter um vice de confiança, que trabalhe junto com o titular. Brizola, com suas palavras alertava que sempre existe briga, ciumeira entre o presidente e o vice, o governador e o vice  e até entre o prefeito e o vice. Queria dizer mais ou menos que com o tempo o vice quer aparecer mais, demonstrando querer o cargo titular e aí  a briga tem que acontecer.
Em 1983, ao assumir pela primeira vez o governo do Rio de Janeiro, Brizola teve como seu vice o professor e escritor Darcy Ribeiro, fundador e primeiro reitor da UNB, sem dúvidas uma das maiores cabeças deste País. Ribeiro, no dia da posse, foi nomeado por Brizola como Secretário de Educação. Na oportunidade, a Imprensa foi em cima do governador eleito Leonel Brizola e perguntou por que ele havia nomeado logo o vice Darcy Ribeiro como secretário de Educação, se ele não poderia ajudar mais ao lado dele. Sem pestanejar o Governador respondeu:
"O vice quando não tem o que fazer, quando não tem uma função, não trabalha,  com certeza ele  conspira. E eu quero o Darcy como meu vice, meu amigo e meu secretário de Educação".
Lula e Alencar: amizade em todas as horas
A historinha é para mostrar que mesmo que não se vote em vice, ele, nos regimes democráticos, têm muita importância. E José de Alencar mostrou bem isso como vice de Luis Inácio Lula da Silva. Homem de posses mas muito simples, o mineiro José de Alencar foi duas vezes vice-presidente da República com Lula como Presidente.  Tinham uma grande amizade, uma afinidade tipicamente mineira, embora Lula seja um pernambucano-paulista. A amizade, o respeito mútuo, o carinho de uma convivência fraternal  fez com que os dois caminhassem juntos durante oito anos e Zé de Alencar, mesmo doente, ainda  desse todo o apoio à eleição da sucessora de Lula, Dilma Rousseff.
Ao saber da morte do amigo, Lula ontem não resistiu e foi às lágrimas, dizendo, entre outras palavras,  que conviver com José de Alencar foi uma honra. A presidenta Dilma também demonstrou  o sofrimento de quem perde um grande amigo. A viagem e os importantes compromissos em Portugal foram  postergados para que os dois voltassem de imediato para o Brasil, afim de participarem dos cortejos fúnebres do grande brasileiro que foi José de Alencar.
O empresário José de Alencar, embora tenha entrado na política já maduro, com mais de 60 anos,  a partir da disputa e derrota para o governo de Minas Gerais, em 94 e depois com a eleição para o Senado, em 98,   conseguiu grande destaque e enorme popularidade como político. Foi ético, companheiro, um grande homem, um importante brasileiro. E o mais belo em sua trajetória é que não foi um produto da mídia, um nome "fabricado" por ser ou não polêmico. Ele foi o que for por si só. Um gigante pela própria natureza!

Jair Bolsonaro, o deputado racista, vai ser processado na Câmara

O deputado Edson Santos (PT-RJ), ex-ministro da Igualdade Racial, apresentou ontem ao presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), pedido de abertura de processo, por quebra de decoro, contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ).
Segundo Santos, Marco Maia disse que dará prosseguimento ao processo encaminhando o caso à Corregedoria. O pedido do deputado petista Edson Santos foi feito com base nas declarações do deputado Bolsonaro ao programa CQC, que foi ao ar na noite de segunda-feira, quando o deputado do PP carioca ao ser questionado pela filha do ex-ministro e cantor Gilberto Gil, a cantora Preta Gil, se ele aceitaria que um filho seu se casasse com uma negra. Bolsonaro taxativo respondeu:
“Não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Não corro esse risco porque os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu.”
Ontem, a Imprensa nacional escrita, televisada e os Blogs do País inteiro publicaram as declarações racistas, homofóbicas e conservadoras do do Deputado do PP carioca, que também disse "ter saudade da ditadura militar.  Após a repercussão do lamentável episódio,  Bolsonaro alegou ter entendido mal a pergunta. Segundo suas palavras, ele achava que se tratava de uma questão de um eventual namoro de um filho seu  com um gay.
Para o ex-ministro de Igualdade Social, os argumentos de Jair Bolsonaro não convenceram.
“A entrevista é muito clara.  A pergunta é muito clara. O deputado respondeu com muita segurança e de forma muito agressiva. Ou o deputado está tendo um ato de covardia ou precisa passar por um teste para verificar o grau de alfabetização”, disparou Santos.
Minutos antes de Santos apresentar o pedido de abertura de processo ao presidente Marco Maia, o deputado fascista Jair Bolsonaro se antecipou e entrou com um pedido no Conselho de Ética para que ele fosse ouvido sobre o episódio. 
É necessário que haja urgentemente uma punição pelas atitudes do deputado carioca Jair Bolsonaro, acostumado a denegrir a imagem das pessoas, a defender regimes totalitários e até a agredir com palavras e safanões colegas seus também deputados, inclusive nas dependências da Câmara Federal. Bolsonaro tem que entender que o a ditadura militar acabou e que o direito dele termina onde começa o de qualquer cidadão.

terça-feira, 29 de março de 2011

Brasil perde o grande José de Alencar

Zé de Alencar quando empossado com o presidente Lula
Recebendo Comenda, com a presidenta Dilma, sua amiga.
José de Alencar morreu. O mineiro empresário que virou político fazendo dupla com  quem menos se esperava,  Luis Inácio Lula da Silva, o líder e maior ativista de esquerda que chegou a presidente da República, não resistiu e hoje foi derrotado em sua luta contra o câncer, que remonta desde 1997.
Zé de Alencar expressava bondade até no olhar. Direito, trabalhador, exemplo de cidadão, o mineiro que foi  seguidamente duas vezes vice-presidente da República com o presidente Lula -talvez fato inédito na vida pública brasileira- em sua curta carreira política, foi valente até o fim.
O Brasil é carente de grandes homens. Não importa se eles são ricos, pobres. A carência é grande. O ser humano é exemplo quando ele é digno, em todas as situações. E José de Alencar é um exemplo político. Ao lado de Lula,  em oito anos de mandato, nunca se viu atrito e briga por poder ou por aparecer mais, nenhum dos dois.
Em seus dois mandatos como vice presidente José de Alencar foi hospitalizado dezenas de vezes, tendo feito várias cirurgias, principalmente para debelar o câncer que tinha no abdomen. O vice presidente foi o leal companheiro de Lula e Dilma, nas duas campanha do presidente e na campanha vitoriosa de Dilma à presidência. 
A figura, a simpatia, a vontade de viver de José de Alencar lembram outro importante brasileiro que adoeceu do mesmo problema do ex-vice presidente, e que mesmo doente correu o Brasil levantando a bandeira na luta por eleições diretas, na década de 80. O senador Teotônio Vilela. O alagoano ganhou até o título de "Mártir das Diretas".
A Presidenta  Dilma, que se tornou uma grande amiga de José de Alencar, está em Portugal com Lula, mas certamente virá, juntamente com o ex-presidente Lula,  para o cortejo fúnebre do grande brasileiro José de Alencar.

Tuna pronta para enfrentar o Águia

Estou com Flávio Goiano. Penso que a essa altura do Campeonato -faltando cinco dias para a estréia do time no 2º Turno)-, não é negócio contratar mais ninguém. O que tiver que ser, será. A Tuna não foi mal no Primeiro Turno. Insisto em dizer, que apenas quatro equipes podiam se classificar. Infelizmente não deu para a Tuna. Mas o time fez um bom papel, terminou com o mesmo número de pontos  Cametá e por pouco não ficou entre os quatro. "Temos que ver que nosso time é o mais barato de todos. Mesmo assim, está entre os melhores", diz Flávio Goiano, que no Primeiro Turno perdeu apenas uma partida. 
Para a estréia domingo contra o Águia de Marabá, no Francisco Vasques, às 9,30 da manhã,  a Tuna vai ter  a volta do meio campo Negreti. Assim, Flávio poderá  por em campo o time completo, pois poderá lançar se quiser Felipe Mamão e Fabinho na frente, com Zazá como terceiro meio campo sempre auxiliando o ataque. Dessa forma, , a equipe ficará bem ofensiva e poderá começar com uma vitória  a segunda fase do Campeonato paraense.
O Blog aproveita para convocar a torcida cruzmaltina para ir em peso para o estádio domingo para incentivar a equipe. A Tuna precisa de nosso apoio, de nosso incentivo. Vamos fazer nossa parte!

Bolsonaro, o deputado racista, vai ganhar processo da cantora Preta Gil


Bolsonaro prega a volta do pelourinho.
Eu me orgulho de pertencer a um partido que fez o racismo ser crime neste país, com a Lei Caó.
Eu me orgulho de pertencer a um partido que tem como um de seus fundadores um homem como Abdias do Nascimento, que tem 97 anos de luta pela igualdade racial.
Por tudo isso, não posso ficar calado diante de absurdo que foi o comentário do sr. Jair Bolsonaro, de quem também me orgulho de ser um adversário político, esta madrugada, no programa CQC,  da Band.
A cantora Preta Gil, filha do grande Gilberto Gil, perguntou o que ele faria se um de seus filhos casasse com uma negra. Bolsonaro respondeu que os filhos dele são bem educados e “não viveram num lar promíscuo como o dela”.
Porque promíscuo? Porque era de negros, como Gil?
Bolsonaro, como deputado, não está acima das leis. E, graças a Deus, uma das leis é a que faz do racismo um crime inafiançável.
A Constituição que este senhor jurou diz que racismo é crime.
Se não é crime, meu Deus, defender como ele faz a tortura, a prisão e o homicídio políticos praticados pela ditadura, então que seja crime o racismo.
Ou vamos ter de ver os deputados da direita dizerem que não estão criticando os negros, mas os “morenos escuros”, como disse outro dia um parlamentar do DEM em relação ao Ministro Joaquim Barbosa, do STF?
Nem sei se uma retratação do Deputado Bolsonaro, a esta altura, é suficiente. Vejamos se o Ministério Público, tão cioso da letra da lei ao enfrentar a esquerda, tem a coragem de enfrentar a direita…

(Do Tijolaço, do Brizola Neto).

Com Dilma em Portugal, Lula cobra mudanças na ONU

,
A Presidente Dilma Rousseff desembarcou na manhã desta terça feira em Lisboa. Ela seguiu para Coimbra enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebia na Assembleia da República portuguesa o prêmio Norte-Sul, dado anualmente pelo Centro Norte-Sul do Conselho da Europa para figuras mundiais que contribuem com "o desenvolvimento da democracia e a promoção da solidariedade e interdependência mundiais". Em discurso, ele defendeu mudanças no Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU).
O ex-presidente ressaltou de forma enfática a necessidade de mudança das instituições globais. Citou a importância da ampliação do conselho da ONU e a forma como as transformações políticas nos países emergentes estão ampliando a democracia. "Os países emergentes estão demonstrando na prática que é possível desenvolver-se economicamente e distribuir renda", afirmou.
O presidente de Portugal, Cavaco Silva, destacou que Lula foi importante por dinamizar a relação entre os países emergentes. De acordo com ele, "Lula foi sempre um combatente contra a injustiça, a miséria e a privação que afetam ainda uma parte substancial da humanidade, deixando-nos um legado inspirador".
Lula recebeu condecoração ao lado de Louise Arbour, ex-comissária de Direitos Humanos da ONU. Foto: Reuters
Lula recebeu condecoração ao lado de Louise Arbour, ex ministra de Diretitos Humanos da ONU
Lula recebeu a condecoração ao lado de Louise Arbour, presidente do Internacional Crisis Group, uma ONG que desenvolve trabalho para a prevenção de conflitos. Amanhã, o ex-presidente receberá da Universidade de Coimbra o título de doutor honoris causa. Dilma estará presente na cerimônia. Além de assistir à condecoração, a presidente terá uma agenda de encontros com Cavaco Silva e com o primeiro-ministro José Socrates, além de empresários de diversos setores.

A vida, como ela é!

Josias era uma garoto de quase 11 anos, quando envolveu-se em um assalto de um pneu reserva, num carro estacionado numa das ruas perto da Feira do Açaí. Agarrado por dois policiais, o garoto gritava com medo de apanhar dos homens da lei, já que foi pego em flagrante delito, e isso, há uns 18 anos, sem lei de proteção a menores e adolescentes, poderia ser complicado para ele. Seus gritos foram ouvidos por um economista, que saia de seu escritório e deixava sempre seu carro perto de onde Josias havia cometido o delito.
Ariosto, o economista, vendo a cena, correu para os policiais e interviu em defesa do garoto choroso e  pálido de tanto pavor, dizendo que se responsabilizaria em pagar o pneu e pelo garoto. Os policias a princípio tentaram não aceitar a intervenção, mas pelo ar de Ariosto, entenderam que ele teria cacife para daquela maneira, principalmente pela tranquilidade, elegância e educação como se dirigiu aos policiais.
Josias foi para a casa de Ariosto, um amplo apartamento na Rui Barbosa, e passou a fazer pequenos serviços para Dr. Ariosto, em bancos, na limpeza da casa e passou a estudar, já que com dois filhos também garotos, Ariosto e Dona Tereza, sua esposa, preocuparam-se em garantir um futuro melhor para o garoto Josias.
Josias tinha poucos parentes, somente uma tia e a avó que já não tinha muitas forças para segurar seus impulsos de pré-adolescente e segurou a oportunidade de Tio Ariosto  e Tia Tereza com toda a garra.
Aos 19 aos, já com a cabeça assentada, Josias disse que iria sair da casa de D. Ariosto. Já havia feito alguns cursos, terminado o Segundo Grau e iria se aventurar num restaurante, já que se achava muito bom na arte de cozinhar. Já tinha também um envolvimento com uma garota de 21 anos, que trabalhava no prédio.
Saiu de casa, conseguiu trabalhar de auxiliar de cozinha em um restaurante, depois saiu, foi para outro, se profissionalizou como Barman e como Maitre  e correu trecho. Vale lembrar, que sempre dava notícias, já que Dona Tereza pegou muita afinidade um grande carinho pelo garoto, que sempre foi honesto, respeitador e queria saber sempre se ele estava bem. "Qualquer coisa nos procure", dizia sempre ela e Ariosto para o pequeno Josias, que é baixinho, tem apenas 1 metro e 58 de altura, mas de grande dignidade.
Ariosto aposentou-se, Dona Tereza também, foram para outro estado.  Josias passou a trabalhar em navios, como chefe de cozinha. Comprou carro, casa e casou-se. Sempre o encontro na rua, quando me dá notícias de Ariosto, que ele sempre agradece pelo bem que fez à sua vida.
Ontem, recebi a visita de Ariosto, amigo de muitos anos e ele me falou da alegria de ter feito o que fez  por aquele garoto, tê-lo tirado da rua e ter tido a coragem e o apoio de sua esposa para levá-lo para sua própria casa. "Ele sempre me liga, fala com a Tereza e quando passa um mês sem nos procurar minha mulher começa a se preocupar.", disse um Ariosto feliz e cheio de orgulho pelo seu gesto com Josias.
É claro que ninguém vai sair pelas ruas procurando pequenos delinquentes e levá-los para casa. Mas se temos a oportunidade de tirar alguém da marginalidade, com palavras, apoio para um curso é interessante.Porque as crianças de hoje serão os homens de amanhã. O gesto do economista Ariosto foi belo e confortante, pois além de ter salvo a vida de uma criança, ele colocou um homem trabalhador, honesto e útil de volta à sociedade.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Paysandu quer continuar mandando na FPF

Já corre um bizu pela cidade que o presidente do Paysandu, Luiz Omar Pinheiro, após deixar a presidência do Clube, vai disputar o cargo de presidente da Federação Paraense de Futebol. Luiz Omar, que está em seu segundo mandato na presidência da equipe da Curuzu, entende que a Federação deve mudar seu presidente quase vitalício, o Coronel Antonio Carlos  Nunes, que já está no cargo  há mais de 15 anos, embora a diretoria da FPF seja em sua maioria alviazul.
A Federação está com uma diretoria que assumiu há pouquíssimo tempo, quando foi reeleito o  Coronel Nunes e na vice presidência  José Ângelo. A Federação está hoje com dois dirigentes totalmente pro-Paysandu, o Coronel Nunes, que já foi diretor do Clube, e Zé Ângelo,  um dos coordenadores da construção do mais novo lance de arquibancadas do Clube, portanto um  torcedor de carteirinha da equipe da Curuzu. Assim, com o sonho de Luiz Omar Pinheiro de ser o novo presidente, nas próximas eleições, seria melhor transferir logo a sede da Federação para onde funciona a sede do Paysandu, na Curuzu, pois, juntamente com o Clube do Remo, o chamado Papão é o clube mais protegido pela Federação, ao contrário dos demais, que o que recebem é apenas algumas bolas que só servem para treinos. Remo e principalmente Paysandu devem horrores à Federação, mas a "mãezona" nunca perturba os dois com cobranças. Mas basta a Tuna ou outra equipe dever qualquer quantia para as cobranças ameaçadoras, o aperto acontecer.
É importante que haja uma mudança na Federação Paraense de Esportes, mas uma coisa justa, sem o partidarismo que acontece hoje. Na eleição passada só se inscreveram duas chapas, uma de Remo e outra de Paysandu, ou seja, não apareceu uma alternativa democrática para a presidência da  mentôra de nosso futebol. É importante que se pense nisso e que no futuro apareçam nomes preparados e descomprometidos com as duas equipes. Se não é melhor deixar o Coronel ficar mais 20 anos por lá.

Teste em Ponta de Pedras foi bom: 7 a 1 para a Tuna

O treinador Flávio Goiano avaliou como positivo o teste que a equipe da Tuna Luso Brasileira fez na cidade de Ponta de Pedras,  ontem, quando venceu a equipe do Vila Nova local  pelo escore de 7 a 1. Goiano usou a equipe reserva e testou vários jogadores que já poderão fazer parte do elenco de estréia da Tuna em seu primeiro jogo pelo Campeonato Paraense, no Segundo Turno.
A partida foi realizada no Estádio Adalberto Tavares e os gols da Tuna foram assinalados por Zazá (2), Kanu (2), Alexandre Pinho(2) e Felipe Mamão.Para a partida em Ponta de Pedras, a Tuna recebeu uma cota fixa que não foi divulgada, e segundo informações, a torcida interiorana gostou muito da exibição da equipe lusa.
Muitos jogadores enjoaram da viagem, longa e de barco. Mas no geral foi de sucesso porque deu para exercitar o time e esquecer um pouco do problema do colega Barata, que anda está hospitalizado.
O treinador Flávio Goiano anda quer fazer mais um teste com a equipe antes da estréia no Segundo Turno do Paraense.

Ver-o-Peso, belamente lindo aos 384 anos!

Não precisa nem eleição. O Ver-o-Peso é o mais belo cartão postal de Belém. E do Pará. O Veropa é alegria, poesia, é a brincadeira do vendedor de peixe, do vendedor de verduras, das receitas curadoras da Cheirosinha erveira, filha da inesquecível Cheirosa. O Ver-o-Peso do peixe frito com cerveja gelada, da farinha d'água, da farinha para farofa, da farinha de tapioca. Das frutas novinhas da silva, variadas e coloridas. 
Sou "veropesista" de sete costados. Não passo uma semana sem ir pelo menos um dia dar uma volta no Veropa. Tenho meu fornecedor de peixe, que é  o meu amigo Bebé, que quando não está deixa a tarefa para um de seus filhos, todos peixeiros e meus amigos do Ver-o-Peso. Tenho meu fornecedor de pimenta e até o carregador, que faz questão de levar as compras até o carro, o meu amigo Picapau. 
Ver-o-Peso: bonito porque pode!
No Ver-o-Peso -que infelizmente muitos não gostam de visitar, de passear, de conhecer o quanto os vendedores são simpáticos e atenciosos - você encontra de tudo. Da farinha ao açaí; do peixe cru ao peixe frito.
Não entendo o paraense da gema não gostar do Ver-o-Peso. Não reverenciar tão lindo monumento cultural. Os turista quando chega m em Belém a primeira coisa que ele quer conhecer  é o Veropa. E é amor à primeira vista. Sempre se encantam com tudo que existe por lá. Saem de lá com saudade. E quando volta à Belém querem repetir a dose.
Como já falei, sou amante do Ver-o-Peso.  Sempre estou vendo o pôr do sol no calçadão mais bonito de Belém. Por ser mais alto que a estação, dar para ficar amando o se esconder do sol até às 18 horas. E sempre dá uma foto de primeira.
Ao Ver-o-Peso, nestes seus 384 anos, nossos sinceros parabéns a todos os trabalhadores, das erveiras aos verdureiros. Dos peixeiros, que madrugam para ter sempre um peixe novo para seus clientes, aos tradicionais vendedores de mingau. Dos fruteiros até os mais humildes carregadores. Vocês fazem parte dessa história linda de 384 anos do nosso querido Ver-o-Peso.

Racismo europeu contra jogadores brasileiros mais uma vez

 Neymar brilhou com dois gols, mas lamentou racismo
Não pode mais ser considerado "fato isolado" o racismo e a discriminação  por parte de torcedores europeus contra jogadores brasleiros. Depois de Roberto Carlos ter ganho uma banana durante um jogo do time que atua na Rússia na semana passada, ontem foi a vez do atacante Neymar também ser alvo de racismo na Europa. Durante o amistoso do Brasil com a Escócia, em Londres, uma banana foi atirada no gramado  na direção do jogador brasileiro, enquanto Neymar disputava um lance na área adversária. Neymar, que é considerado hoje, juntamente com seu colega de Santos, o paraense Paulo Henrique Ganso, a maior revelação do futebol brasileiro e mundial, foi o grande destaque da partida e marcou os dois gols da vitória brasileira, por 2 a 0, frente à Escócia.
Achando pouco a banana que jogaram em campo para humilhar o atacante brasileiro, os  torcedores europeus ainda vaiaram Neymar durante toda a partida, principalmente quando o atacante sofria faltas. 
Depois, em entrevista que deu para a imprensa européia e brasileira, o atacante  santista lamentou a atitude dos torcedores. “Ficamos totalmente tristes com isso. Não é bom sairmos de nosso  País e ver coisas assim. É melhor nem tocar no assunto” - afirmou o atleta. 
Não é generalizada a questão do racismo por torcedores europeus, principalmente contra atletas brasileiros. Mas o caso vem se repetindo com assiduidade. O mais lamentável disso tudo é que jogadores brasileiros, sem dúvida nenhuma os mais talentosos do planeta, até se naturalizam europeus, o que mostra o amor e o reconhecimento que têm por determinados países. E em nenhuma situação, eles falam mal de  qualquer País europeu, muito ao contrário, Ronaldo, Ronaldinho, Roberto Carlos, Rivaldo, Liedson e outros têm respeito pelos times, pelos países e pelos europeus. Infelizmente em alguns casos a recíproca não é verdadeira por parte deles. Neymar foi convocado pela terceira vez, já tendo feito três gols em três partidas com a camisa da seleção brasileira. 

Tuna dá show e vence primeira regata do ano

Um espetáculo que há muito não acontecia a 1a. Regata do Campeonato Paraense de Regatas, promovido pela Fepar, ontem na Estação das Docas. Adiada do dia 27 de Fevereiro para ontem, devido as fortes marés de Fevereiro, a primeira regata do ano terminou com uma espetacular vitória da Tuna Luso Brasileira, que conseguiu  cinco vitórias, dois segundo lugares e dois terceiros, perfazendo um total de 26 pontos. O Remo foi o segundo coocado com 25 pontos, com quatro vitórias,  três segundos lugares e três terceiros. O Paysandu ficou cm o último lugar, com apenas um primeiro lugar, cinco segundo e quatro terceiros, num total de 18 pontos.
A Tuna começou mostrando que não estava para brincadeira. Ganhou logo o primeiro páreo que foi o duplo skiff feminino, com as remadoras Rafaela e Cristiane. 
A boa novidade colocada em prática já nessa regata pelo presidente da Fepar, Luizomar, foi quando a equipe vence um páreo é tocado seu hino  original. Assim, a torcida cruzmaltina teve a chance de cantar por seis vezes o seu hino, pois foram cinco primeiros lugares e a vitória final da regata. 
Com a ausência do presidente da Tuna, Fabiano Bastos, que se deslocou cm a equipe de futebol ara Ponta de Pedras, o diretor Eduardo Gonçalves esteve presente e levantou a taça de campeão, para alegria dos atletas e torcedores cruzmatinos presentes.
A próxima regata acontecerá no da 15 de maio. Segundo o presidente da Fepar, o melhor dia, de acordo com as marés, seria o dia 8 de maio. "Mas como vai ser o Dia das Mães, adiamos para o dia 15 de maio", falou o presidente.

Jogador Barata acordou e já fala

A melhor notícia da manhã deste domingo foi a de que o meio atacante cruzmaltino André Barata está em plena recuperação. Internado com problemas de pneumonia e meningite bacteriana o jogador da Tuna foi atendido a princípio no PSM e depois transferido para  Hospital Barros Barreto onde vem sendo assistido pelo  médico do Clube, Dr. Elton Nóvoa e pela equipe médica do Barros Barreto.
Barata e Mamão: tunantes querem esse encontro de novo.
Barata acordou da coma, já levantou-se, reconheceu sua esposa, conversou com ela e com os médicos, o que demonstra, segundo a equipe, uma boa  recuperação. O atleta nesta segunda poderá inclusive ser transferido para uma enfermaria, onde deverá receber visitas de familiares e amigos.
De acordo com informações inclusive publicadas pela Imprensa, Barata poderá sair do problema de meningite sem nenhuma sequela. Segundo os médicos, por ser atleta, ser jovem e ter boa saúde, André Barata poderá voltar a jogar futebol. Os muitos amigos de Barata, jogadores de futebol profissional e de Futsal, onde o atleta é um dos mais conceituados em  nossa capital, assim como dirigentes e torcedores da Tuna Luso Brasileira, estão fazendo preces no sentido de que o atleta volte logo ara o seio de seus familiares e amigos.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Adriano assina com o Corintians

(Deu na Folha)
Adriano durante visita a comunidade da Vila Cruzeiro, no Rio

Após uma semana de especulações, o atacante Adriano vai mesmo para o Corinthians. O contrato do jogador com o clube inclusive já foi assinado, numa negociação conduzida por diretores do departamento de futebol corintiano.

Adriano durante visita à comunidade da Vila Cruzeiro, no Rio
Nesta sexta-feira, o presidente Andres Sanchez embarcou para o Rio, cidade de Adriano, porém nega que a viagem tenha alguma relação com o episódio, e sim devido ao casamento de amigos.
A Folha apurou que o contrato de Adriano foi assinado antes da viagem do cartola.
OMBRO
Adriano, 29, está desempregado há quase um mês, quando rescindiu seu vínculo com a Roma. Desde então, o atacante está no Rio, onde trata de uma lesão no ombro.
O jogador, titular da seleção brasileira em parte da Copa do Mundo de 2006, havia conversado com dirigentes corintianos na semana passada, em São Paulo.
Mas ele ainda aguardava uma oportunidade no Flamengo, time em que foi revelado e pelo qual conquistou o Campeonato Brasileiro de 2009.
A oferta do Flamengo nunca veio, e as declarações do técnico rubro-negro, Vanderlei Luxemburgo, tornaram-se cada vez mais enfáticas contra a chegada de Adriano.
Há uma semana, o atacante até declarou que esperaria pelo Flamengo. Anteontem, porém, disse a amigos que a espera acabou e que a tendência era jogar em São Paulo.
Entre os clubes paulistas, o único disposto a contratar Adriano foi o Corinthians.
A intenção vinha desde o final do ano passado. Ronaldo, ainda em atividade, fez lobby para ter Adriano como companheiro --e substituto.
À época, o ex-jogador de Flamengo e Internazionale tinha contrato com a Roma. Foi esse o motivo alegado para que ele não retornasse para o futebol brasileiro.
Agora, mais uma vez com a intermediação de Ronaldo, Adriano se reaproximou do clube do Parque São Jorge e vai disputar o Nacional, a partir de maio, pelo Corinthians.
O plano da equipe é mostrar o atacante à torcida na terça-feira, no centro de treinamento, no Parque Ecológico do Tietê.

O Folhetim de Chico e Gal Costa

video

A década de 70 foi o período em que Chico Buarque de Hollanda mais produziu. Além de escrever sistemáticamente peças de teatro, livros e ensaios para shows, Chico escreveu grande parte de sua  rica produção musical. Como Noel Rosa tinha sua cantora preferida, Chico também teve e tem as suas. Gal Costa e Maria Betânia sempre estavam na ilharga do compositor . Segundo Wagner Homem, que escreveu o livro "Histórias e Canções" de Chico Buarque de Hollanda, a música "Folhetim",  foi composta entre 1977/78 para a peça "Ópera do Malandro". Embora seja uma música composta para  a peça,  Chico explica que o personagem "não era tão claro quanto quem iria cantar. Mas, às vezes, a atriz que iria cantar cantaria só no teatro, porque não era uma cantora profissional. Então misturava na minha cabeça, a encomenda da personagem, a atriz e a cantora que eu gostaria que gravasse aquela música". Assim, saíram canções como "Folhetim", que tinha a cara de Gal e que servia para a personagem.
Essa bela canção, foi mostrada pela primeira vez ao sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, através de uma ligação que Chico e o cartunista Henfil, irmão de Betinho, fizeram para o Canadá, onde o sociólogo estava exilado.
Esta interpretação de "Folhetim", em que Gal Costa canta e até dança com o parceiro Chico Buarque é um adas mais perfeitas. De voz aveludada e timbre irretocável, Gal é a perfeita criação vocal brasileira. Não deve nada a niguém em talento vocal e intrepretativo. No princípio do ano 2000, deu sensacional entrevista à Folha onde ao responder a uma pergunta do repórter sobre o que achava das novas cantoras que estavam surgindo, como Marisa Monte, Ana Carolina e Ivete Sangalo, não titubeou: "São ótimas. Grandes cantoras com belo futuro. Aí o repórter foi mais longe: "E as cantoras de sua época, como Betânia, Elis, Nara, etc. Gal respondeu calmamente: "Ah, a minha geração é f..."

Paysandu é campeão sem convencer

Paysandu campeão do Primeiro Turno. Estava mais ou menos escrito nas estrelas. Não que o chamado Papão esteja com essa bola toda. Ao contrário. O time, bastante limitado, ontem foi frouxo mais uma vez, jogando com medo, só nos contra ataques, com o regulamento debaixo do braço, suportando uma pressão enorme em todo o decorrer da partida. Mas ganhou, tem lá seus méritos, embora pequenos, mas não convenceu nem mesmo aos torcedores mais exigentes e que conhecem um pouco das quatro linhas.
O jogo, era óbvio, estava mais para o Paysandu, pois com a vitória em Cametá bastaria um empate ou até uma derrota por 2 a 1 que ficaria com a taça. Só que o time é fraco, parece desmotivado. Um amontoado de jogadores envelhecidos, que usam a violência como principal artifício de ataque e defesa. Sem sistema tático definido, na base de "todos na defesa e só um na frente", o Paysandu se viu durante quase todo o jogo ameaçado de tomar mais um gol e repetir a cena do ano passado, quando nadou, nadou e morreu na beira, na perdida batalha da Curuzu contra o fraco Salgueiro.
 O jogo em si não foi dos piores. O Cameá vendeu caro sua derrota. O problema  é que uma final não pode acontecer em um local como Curuzu, Baenão, praças sem a menor estrutura, sem a menor condição de segurança, nem para jogadores nem para o público. O campo, com a pior condição possível, só lama e com os jogadores, principalmente da equipe do Cametá, à mercê de uma turba  enfurecida, talvez pela desqualificação da equipe local, fazendo todo tipo de pressão ao adversário para que a equipe do  Paysandu saísse com a vitória, custasse o que custasse..
O árbitro, sem a mínima condição técnica, deixou o porradal comer de ambos os lados. Um pênalte não marcado em favor do Cametá, uma agressão do jogador Mendes em um atleta cametaense, agressões de Jailson e Wilson em jogadores do Paysandu, zagueiros bicolores cometendo um emaranhado de "gentilezas" nos atacantes cametaenses, enfim, uma guerra que sabe-se  teria que ter um vencedor de qualquer maneira: o Paysandu. Uma tristeza!
Acho que o Payandu fez sua parte. A própria diretoria sabendo da fraqueza do time, preferiu jogar em casa á se arriscar no Mangueirão. Ganhou, é verdade, mas não convenceu. Lamentável a crônica esportiva dar mérito e enganar o pobre torcedor que o time é bom. Lamentável que valores como os jogadores Sidini e o artilheiro Rafael Oliveira tenham que "se matar" por uma equipe envelhecida e que já provou, só ganha na base do grito. No segundo turno, se não mudar, essa equipe pode decepcionar muito. Anotem e podem passar adiante!

Corrente em prol do jogador André Barata

É complicado falar de doença. Principalmente de determinadas patologias, como essa que acometeu o jovem jogador da Tuna Luso Brasileira,  André Barata. Há alguns anos tive um problema semelhante  com um familiar meu,  só eu sei o que passei. 
Sobre André Barata, jogador da nossa querida Tuna, que está passando por este problema sério, todos os jogadores, amigos do futebol e do futsal de Barata estão numa corrente só de orações. Todos sabem que o problema não é pequeno. O próprio Dr.Hélton Nóvoa já falou que ele também está trabalhando e torcendo pela recuperação do atleta.
Barata, se o Mestre assim o quiser, vai se recuperar. O que temos que torcer é para que ele volte a jogar futebol. É jovem, tem ainda muitos anos de profissão pela frente e pode dar ainda muitas alegria à torcida cruzmaltina e de outro clube que for defender.
A diretoria da Tuna, segundo me falou o presidente Fabiano Bastos, está dando todo o apoio ao atleta. É importante que se olhe também por seus familiares. Pelo que sei, Barata tem família e precisa do apoio tanto do Clube como de todos os seus amigos. Como jogador de futebol e de futsal Barata é muito querido e com certeza a corrente que se faz em prol de seu pronto  restabelecimento será ampliada para ajudar o atleta em outras questões, principalmente com remédios. Este escriba está pronto para ser um dos apoiadores ao problema de Barata.

Faça a coisa certa!

Infelizmente, as coisas no mundo, na vida, não acontecem a nosso bel prazer. Quem dera que pelo menos uma parte de nossos desejos, nossos sonhos, nossas aspirações se realizassem! Mas não é assim. Como disse o poeta Belchior: "Ao vivo é muito pior".
Acho que fomos tomados de muita emoção na história dos fichas -Limpa e Suja. Todo mundo é exageradamente moralista. Todo mundo quer resover tudo de uma vez, porque quer as coisas certas. Mas será que pelo menos uma grande parte das pessoas fazem realmente as coisas certas? Claro que não!
Um dos filmes que considero mais marcantes em termos de política racial é do cineasta americano Spike Lee. "Faça a coisa certa". O filme trata de problemas raciais naturais nos EUA, que Lee, mesmo sendo americano (ele se diz afro-descendente), tem coragem de mostrar com seriedade e sem as falcatruas naturais que muitos americanos metidos a moralistas e defensores dos erros que acontecem na terra de Tio Sam, escondem. Para resumir: o filme mostra um italiano autoritário e moralista, que monta uma pizaria em pleno bairro negro, onde  na decoração de sua pizaria, coloca fotos de italos-americanos como Frank Sinatra, Silvester Stalone, John Travolta e outros. Na verdade uma provocação, porque o italiano, num bairro negro, com sua atitude mostrava o menosprezo à comunidade, e além do mais discrimanva jovens e adolescentes e  mmesmo quando criticado, nunca quis prestigiar nenhum negro famoso como Kassiu Clay,  Malcom X, Luther King, James Brown, Michael Jackson e outros. O resultado é que por não fazer a coisa certa, como deveria, ou seja, tratar bem seus clientes em um reduto que não era seu,  e não homenagear os negros importantes ou pelo menos mesclar os italianos com os negros,  criou um clima de animosidade com a comunidade, daí teve seu estabelecimento quebrado, numa revolta popular, principalmente porque numa discussão,  causou a morte de um dos moradores da área. Quer dizer, se tivesse pensado melhor, teria evitado tudo.
A historinha foi para mostrar que o falso moralismo não combina com as coisas realmente corretas. Então, voltando ao caso dos Ficha Suja e Limpa, a situação é mais ou menos semelhante. Todo mundo queria que a coisa acontecesse em cima das buchas. Era um anseio popular.  Mas a Constituição brasileira tem que ser interpretada e cumprida pelos juízes. Nós podemos até questionar, mas  mexer na posição deles, jamais. Pode ser para o mal, para o bem, mas ela tem que ser interpretada legalmente por eles. Não adianta ser hipócrita, demagogo. Não dá sequer para fazer média.  Os seis juízes que votaram a favor do cumprimento da lei obedecendo constitucionalmente o prazo da anualidade, fizeram a coisa certa. O Congresso é que deveria se moralizar e evitar que elementos sujos, com passado de presídio e outros crimes, sejam candidatos. Afinal, para ser candidato o elemento tem que ser além de competente, limpo em todos os sentidos. É como para comprar na Radiolux ou Yamada. É fácil, fácil, mas tem que está limpo. Deveu, não compra.
Na minha modesta avaliação, o grande culpado da vitória dos fichas sujas é quem votou neles. Se formos olhar o passado de Mário Couto, Flexa Ribeiro e Jader Barbalho, os três são farinha do mesmo saco. Couto todos sabem que era bicheiro (se ainda não continuar!); Flexa foi algemado e conduzido preso pela PF, por participar de esquema de fraude  em licitação, na Operação Pororoca,  e Jader não precisa nem falar. Então, caros navegantes, temos que aprender é a votar. Aquela máxima malufista do "rouba mas faz" não deve vingar para quem tem ética e respeito pelo seu voto. Tenho certeza que com meu voto e o de minha família eles não foram eleitos. Nenhum dos três. Então temos que engolir estes sapos que são "nossos" senadores. Em futuro, teremos que fazer uma retrospectiva do que é realmente bom para nosso Estado e não para meia dúzia de apaninguados. E nas próximas eleições, sabendo quem é Ficha Suja, botar o nome deles no ralo. E votar certo!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Couto, Flexa e Jader: ninguém merece!

Independente da briga das famílias que insistem em querer mandar no Estado, a decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal de que a Lei do Ficha Limpa  só deve valer  mesmo somente a partir de  2012, a vitória da sociedade é das mais importantes na história política brasileira. A Lei é fruto da vontade popular e a decisão de ontem, quando o ministro Luiz Fux, recém-empossado deu o sexto voto a favor da não validade do Ficha Limpa nas eleições de 2010,  embora tenha sido uma clara decisão legalista, foi o cumprimento correto do que a Constituição prega: só se pode aplicar uma lei um ano depois de sua promulgação. Para se aplicar em 2010, só se ela tivesse sido aprovada em 2009.   .
Marinor Brito é uma grande companheira, tem história como militante e lutadora pelos direitos humanos e da mulher. Tem competência já comprovada como vereadora  e tem ainda a seu favor a dignidade, seriedade que a fizeram a candidata paraense ao Senado mais preparada para assumir uma das duas vagas.
Fux: seu voto foi tipo de Minerva.
Sabia-se que desde o início de 2011, Jader estava numa enorme ansiedade para saber quem seria o novo juiz indicado para completar o  quadro de juízes do STF. Quando soube que seria o competente Luiz Fux, um jurista com pouco mais de 50 anos, mas com um currículo invejável, tiveram a certeza de que estudioso como Fux é, não entraria nessa de ir contra o que a Constituição brasileira manda. Fux, que foi empossado como o 11º Ministro do STF, tinha o papel maior nessa reunião de  ontem: desempatar o jogo, que estava desde o ano passado com o escore de 5 a 5.
Para ele não foi "faca de dois gumes". Já entrou na reunião sabendo o que faria e o que diria. E disse bonito: "A Lei do Ficha Limpa, a meu modo de ver, é um dos mais belos espetáculos democráticos, posto que é uma lei de iniciativa com escopo de purificação do mundo político", disse. E foi mais adiante deixando evidenciado seu voto: "A tentativa de aplicação imediata da lei é muito grande para quem vota contra. Surpresa e segurança jurídica  não combinam", concluiu
Jader é o Senador. Pode não ser o meu, o seu. Mas é do Pará. Como os outros também. Senadores  com histórias e vidas complicadas. Sabemos que o povo paraense merece coisa bem melhor. Mas, o que fazer?  A democracia é indiscutivelmente o melhor sistema político, embora às vezes nos dê certos desgostos. Como este dos três senadores paraenses.
O que gorou  e não ficou bem mesmo foi o terrorismo patrocinado pelo jornal dos Maiorana ontem,.quando publicou matéria em sua página 5 do Caderno Poder, em que diz que  "se Marinor Brito sair, sua vaga, já se sabe,  será de Paulo Rocha". Uma "barrigada"  antecipada. O pior disso é que nessa briga desses "dois poderes", quem sai ferrado é o leitor.

Flu vence em virada histórica*

Futebol na verdade é um esporte espetacular. Não sou torcedor do Fluminense, equipe que tenho respeito devido aos grandes debates que tive com um de meus grandes amigos, hoje em Brasília. Mas ontem foi realmente uma exibição de guerreiros, a do Fluminense frente ao América do México, pela Copa Libertadores. A vitória de virada frente à equipe mexicana foi algo assim inusitado, inesperado até pelos amantes do tricolor das Laranjeiras.
A equipe carioca começou tímida, com Emerson e  Fred na frente, Conca e Diguinho como apoiadores de meio campo, sendo Conca mais avançado. O sistema adotado pelo treinador Enderson Moreira interino do Clube,  não surtiu efeito, com Fred praticamente perdido na frente, inclusive com uma visível relação de "poucos amigos" com a zaga adversária, que resolveu marcar o atacante do Pó de Arroz na base do homem a homem.
Assim, aos 15 minutos do primeiro tempo, o América fez o primeiro tento,  numa clamorosa falha da zaga e do goleiro Ricardo Berna, que pulou, pegou a bola no alto mas na queda deixou a pelota escapulir, praticamente "fazendo" o gol pelo adversário. Não adiantou as reclamações de que o goleiro tinha sido vitimado com uma "cama de gato" pelo adversário. A regra é clara e a visão do arbitro e auxiliares, também.
Com o gol sofrido o Fluminense cresceu. Assim, aproveitando um mágico passe de Conca pela direita o zagueiro Gum empatou aos 21 da primeira fase. O Fluminense foi assim até o final da primeira fase. Ficou mais ativo em campo, levando sempre perigo ao adversário, apesar de Fred não reeditar suas atuações.
Deco deu a volta por cima de virada.
Na segunda fase, com o jogo empatado, o América deu uma recuada. Enderson optou por tirar Mariano que reclamava de dores e colocou Deco, que estava parado há dois meses. O luso brasileiro deu uma nova motivação à equipe e um controle maior ao meio de campo, correndo para todos os lados e se deslocando na tentativa de fazer o gol salvador. Mas de nada adiantava. Foi o América quem fez o segundo, aos 27, num cruzamento em que o zagueiro Digão, sem opção, ainda ajudou a colocar a bola nas redes.
O Fluminense foi para o tudo ou nada. Enderson Moreira resolveu jogar todas as suas fichas e partir para o ataque. Tirou Emerson e colocou Rafael Moura, ficando assim com Fred, Rafael Moura e como terceiro atacante o pequeno notável Deco. E foi justamente Deco, aos 34 minutos,  quem fez belo e certeiro cruzamento na cabeça de Araújo, que empatou  a partida. A torcida tricolor enlouqueceu e passou a acreditar na virada. E ela aconteceu também pelos pés fantásticos de Deco. Aos 42, Deco aproveitou um desvio de cabeça de Fred e quase sem jeito meteu na meta de Navarrete. Era a vitória da garra, da vontade, de um heróico e unido grupo de guerreiros que sofreu até o fim da batalha. Mas valeu, porque os tricolores saíram vencedores. Agora o Flu está com 5 pontos e se vencer a próxima  partida poderá ficar em segundo ou até em primeiro lugar de sua chave. 
Realmente, o futebol é um esporte espetacular! Valeu, tricolor!

* Dedicado ao meu amigo e compadre Itamar Figueredo, do Correio Brasiliense.

Whélton e João Vitor: "De graça ninguém leva"

Fabiano garante que Tuna ganhará com atletas.
Conversei hoje pela manhã com o presidente da Tuna Luso Brasileira,  sobre a questão dos dois jogadores, Whélton e João Vitor, que a Imprensa noticiou ontem que estava viajando para Goiânia e São Paulo, transferidos que foram para Atlético Goianiense e Corintians.,  Fabiano foi taxativo: "Olha, tanto o Whélton como o João Vitor estão praticamente com o pé no Atlético Goianiense e no Corintians. Mas pode ter certeza que até o presente eu não assinei nenhum documento de rescisão dos dois". Segundo Fabiano, o empresário dos dois jogadores conversou com ele, e ficou acertado que ele facilitaria a liberação dos jogadores, mas teria que entrar uma compensação para a Tuna. "Ambos os jogadores são jovens, têm futuro, e eu não vou me queimar liberando eles só com conversa, com papo. É preciso que a Tuna receba alguma coisa, do contrário eu não assino nenhum documento", garantiu o presidente luso.
Os dois atletas, segundo a Imprensa publicou ontem, já viajaram para Goiânia e São Paulo. Mas em nenhum veículo de comunicação, tampouco no Blog Oficial da Tuna, foi noticiado os valores da transferência. Isso mexeu com os cruzmaltinos, que sabem o valor dos dois atletas, inclusive um deles, Whélton, era titular do time de Flávio Goiano.
Por todo o dia de hoje, embora esteja super atarefado com o problema do jogador Barata, Fabiano disse que poderá ter novidade sobre valores. O importante é que o Presidente já garantiu que "de graça ninguém leva".

quarta-feira, 23 de março de 2011

Informações desencontradas

Os jornais publicam hoje que a Tuna está negociando o jogador Whélton, de 18 anos, com o Atlético Goianiense. Na mesma matéria, outra informação diz que o garoto João Vitor, de 16 anos, estaria partindo para testes no Corintians de São Paulo.Causa uma certa estranheza a Tuna estar disputando um campeonato, com poucos jogadores na função em que joga Whélton e ceder o jogador para uma outra equipe. Causa mais estranheza ainda quando se observa que  nem na matéria dos jornais locais nem tampouco no site oficial da Tuna apareçam valores e o porquê dessa negociação, já que Whélton estava sendo aproveitado quase todas as partidas do Campeonato Paraense pelo treinador Flávio Goiano. Também o treinador Flávio Goiano foi citado na matéria como intermediário da transação.
No site Oficial da Tuna, procurei informação sobre os dois casos e lí que realmente Whélton foi negociado com o Atlético, mas sobre valores não existe nada, absolutamente nada. Já sobre o jogador João Vitor, segundo o site tem 18 anos, e não 16 como a Imprensa mostrou, e em nenhum momento aparece que ele esteja sendo emprestado, negociado, nada, com o Corintians. Ao contrário, diz que o jogador está trabalhando para entrar no time da Tuna, agora no Segundo Turno.
Quando tomei conhecimento que a Tuna Luso Brasileira estava com uma Assessoria de Imprensa, e uma Site Oficial,  achei ótimo. As Assessorias existem para mostrar inverídicas, não checadas, infundadas. No dois casos - Whélton e João Vitor- não houve por parte da Imprensa uma informação completa sobre o assunto, tampouco da Assessoria de Imprensa e do Site da Tuna. "Enquanto engomam a calça", o pobre do leitor fica igual ao Kadafi nos ataques à Líbia. Égua!

Cinema perde a grande Elizabeth Taylor

 Por Marcos Moraes

A melhor definição para a atriz inglesa Elizabeth Taylor, que faleceu hoje pela manhã, em Los Angeles, depois de passar um mês e meio internada, quem deu foi o cineasta italiano Franco Zeffirelli: "Uma diva como não existe mais". Sim. Elizabeth Taylor além de grande atriz, ganhadora de dois Oscar, uma mulher moderna, liberada, que viveu intensamente o seu tempo, era uma diva do cinema. Uma eterna diva.
Liz, como Cleópatra não ganhou Oscar, mas embelezou o mundo!
Liz nasceu em Londres, em 1932 e começou a carreira precocemente, com 10 anos de idade. no filme "There One Born Every Minute", em 1942. De beleza sublime, olhos belíssimos, Elizabeth Taylor conquistou o mundo do cinema não somente pela sua beleza quase angelical,mas também por um precoce talento. Ainda na década de 40 fez outros longos, mas seu primeiro grande sucesso aconteceu em 1956, quando fez o papel de Leslie Benedict, esposa de Jordan Benedict (Rocky Hudson), em "Assim caminha a humanidade", um dos maiores clássicos do cinema. Neste filme, Liz faz o papel da bela que desperta ciúmes em sua cunhada e o amor do jovem James Dean, um incansável procurador de petróleo em suas terras.
Na carreira vitoriosa de pelo menos 60 filmes, Elizabeth Taylor ganhou dois Oscar, o primeiro deles em 1960, pelo seu trabalho em "Disque Butterfield", onde faz o papel da modelo e acompanhante Glória Wandrous, onde tem uma grande e tensa relação com o milionário Weston Liggett, interpretado por Laurence Havey.
No intervalo da segunda estatueta, Elizabeth Taylor fez, em 1963,  o mais bonito e mais importante filme de sua carreira. A atriz tinha 31 anos quando interpretou a rainha egípcia Cleópatra. O filme, dirigido por Joseph Mankiewicz,. mostra o declínio da rainha egípcia e seu envolvimento com os imperadores Romanos Júlio César e Marco Antonio, vividos por Rex Harrison e Richard Burton.
Foi nesse período, nos sets de filmagens que Liz conheceu aquele que seria, segundo suas palavras, o homem de sua vida, seu verdadeiro amor. Richard Burton, também inglês, ator que viria a se casar com a atriz já em 1964 e com quem ela faria mais outros importantes filmes, dentre os quais "Quem tem medo de Virgínia Woof", em que interpretou Marta, uma intelectual de meia idade, que vivia uma crise conjugal com seu marido George, interpretado por Richard Burton.
Liz em seus 79 anos de vida teve oito casamentos. O primeiro deles foi em em 1950, com o herdeiro dos hotéis Hilton, Nicky Hilton. Elizabeth tinha apenas 18 anos, e o casamento, acontecido em 6 de maio de 1950, terminou em divórcio em 29 de Janeiro de 1951, portanto durou apenas 8 meses. Depois de Hilton Liz viria a casar mais três vezes, uma delas com o cantor Eddie Fischer, mas somente em 1964, em seu quinto casamento, desta feita com seu par em "Cleópatra", o ator britãnico Richard Burton. O casamento de Liz com Burton durou 10 anos, em 1974, depois de muitas brigas, confusões inclusive com agressões, fatos muito explorados pela imprensa do mundo inteiro, resolveram optar pelo divórcio. Mas em 1975, um ano depois da separação casaram-se novamente, um dos fatos mais raros na história de Hollyood.  Porém, o casamento durou somente um ano. 
Depois de Richard Burton, que bebia demasiado, chegando a beber uma garrafa de vodca todos os dias, tendo morrido de cirrose hepática em 1984, aos 59 anos, numa visível  auto-destruição, Liz ainda casou mais duas vezes. Portanto, é correto quando se diz que ela casou oito vezes, mas só teve sete maridos: casou com Burton duas vezes.
Elizabeth Taylosrfoi uma dama excêntrica. Gostava de jóias, e vestia-se com a elegância de uma verdadeira diva. Foi uma das maiores amigas e conselheiras de Michel Jackson. Chegou a casar no famoso rancho Neverland, de Jackson. Foi mãe aos 18 anos e avó aos 39. Sua morte, de insuficiência cardíaca, problema que ela lutava já há cinco anos, deixa uma grande lacuna na história do Cinema, onde ela debutou com apenas 10 anos e até com mais de 70 ainda trabalhava e fazia sucesso.

A hora e a vez de Paulo Henrique Ganso

Vida de jogador é como vida de modelo, tem que aproveitar o auge da juventude. Depois dos 30, é mais um na multidão. Paulo Henrique Ganso tem todo o direito de querer uma vida decente para ele e sua família, optando por uma equipe européia a partir de Julho, quando as janelas européias abrem-se para importação de atletas.A história muito usada pelos dirigentes de futebol tentando auto sugestionar os atletas, principalmente os da base, de que são mal agradecidos, não em muita coisa a ver, não. Quando o atleta perde a forma, envelhece, o caminho dele é o da rua. Então se ele tem talento deve aproveitar e ir para uma equipe que lhe valorize, que pague o que ele merece. Foi assim com Romário, com Ronaldo, com Ronaldinho Gaúcho, Adriano e cm todos que estão de volta e milionários.
Ganso poderá brilhar na Europa.
Se formos analisar, Ganso está saindo até tarde. Ronaldo Fenômeno foi com apenas 18 anos, Adriano, idem e Gaúcho no máximo com 19 anos já estava lá. Pelo informações, Ganso até que queria ficar mais uma temporada ou duas por aqui, na Vila Belmiro. Mas o Santos criou muito olho gordo, quer uma rescisão muito alta, o que prova que quer segurar o jogador na equipe e só vendê-lo quando talvez apareça uma equipe que queir desembolsar quantia tão alta. A hora é essa, tem que aproveitar!
A ida de Paulo Henrique Ganso só faz empobrecer anda mais nosso futebol. Maior talento do futebol brasileiro hoje, Paulo Henrique Ganso, cria da Tuna Luso Brasileira, além de jogar elegante, ter um togue de bola fantástico, é um jogador de futebol produtivo, que joga para a equipe, não se importando em fazer jogadas bonitas para a torcida. As coisas que Ganso faz no futebol são naturais, não são pensadas para agradar a esse ou aquele torcedor ou cronista. Ele joga com a cabeça muito bem e maravilhosamente com os pés. Como o escriba gosta do futebol arte, torce para que Paulo Henrique fique aqui no Brasil. Mas se é para felicidade geral da nação Ganso, que vá. E seja muito feliz!

Deputado do DEM discrimina Ministro do STF

Talvez as desculpas do ex-governador e atualmente deputado  federal  do DEM, Júlio Campos, pelo Mato Grosso, tentando esclarecer o possível tratamento discriminatório ao ministro do STF Joaquim Barbosa, chamando-o de "ministro moreno escuro", tenham até piorado sua situação. Trocando em miúdos: a emenda pode sair pior do que o sonêto.
Em reunião de seu partido, o DEM, ontem cedo,  o deputado Júlio Campos fez pronunciamento em que cita "aquele ilustre ministro moreno escuro", em referência ao ministro Joaquim Barbosa. Em sua nota, que distribuiu à noite,  logo após a repercussão do caso,  o deputado Júlio Campos diz que referiu-se ao "ministro moreno" por não haver lembrado o nome de Joaquim Barbosa.O Ministro, até o momento não se pronunciou sobre o assunto.
As palavras do deputado podem até não ter tido o sentido jocoso ou de discriminar o ministro Barbosa, mas refletem perfeitamente o que é o DEM. Um partido sem consistência política cujos parlamentares além de não possuirem o preparo legal para desempenhar o mandato, demonstram não ter assessoria. Uma assessoria simples que poderia pelo menos saber o nome de um dos mais importantes ministros deste País, o ministro Joaquim Barbosa, o único que teve peito, coragem e talento para enfrentar Gilmar Mendes.

111 sentenças na Lei Maria da Penha

Essa é para os marmanjos que gostam de bater, agredir moralmente com palavras ou praticar qualquer tipo de humilhação às companheiras. Segundo matéria publicada no jornal O Estado de São Paulo, em sua edição de hoje,  balanço parcial do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)  mostra que foram gerados até julho do ano passado mais de 330 mil procedimentos sobre a Lei Maria da Penha, criada em 2006, que proíbe e pune a violência doméstica e familiar contra a mulher.
Segundo o levantamento, foram distribuídos, somente nas varas e juizados especializados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, até o mês de julho de 2010, 331.796 procedimentos que envolvem a matéria.
Deste total, já foram sentenciados 111 mil processos, além de realizadas 9.715 prisões em flagrante e decretadas 1.577 prisões preventivas. Estes dados, segundo o CNJ, são parciais, uma vez que o órgão ainda não possui informações detalhadas de todas as varas e juizados especializadas.

terça-feira, 22 de março de 2011

Tavito e a Rua Ramalhetes

video
Tavito: curtiu as gatas do Sacre Coeur
Natural de Belo Horizonte, o cantor e compositor  Tavito (Luís Otávio de Melo Carvalho) começou carreira artística no princípio da década de 70 na banda Som Imaginário, em que faziam parte Zé Rodrix, Robertinho Silva, Wagner Tiso, Luís Alves, Naná Vasconcellos e Fredera. A proposta inicial da banda era acompanhar o cantor e compositor Milton Nascimento, amigo de Tavito e de todo o grupo,  no show “Milton Nascimento e o Som Imaginário”. O grupo passou por várias formações e lançou três discos. Um deles, o LP "Matança do Porco", contou com os vocais de Milton Nascimento.
Tavito se tornou conhecido como componente do famoso Clube da Equina, movimento cultural mineiro onde faziam parte grandes feras que ainda hoje estão aí na estrada. Seu nome ganhou fama por dois grandes sucessos: "Rua Ramalhetes" (com Ney Azambuja) e "Casa no campo" (com Zé Rodrix).  Esta última, conhecida como o "Hino Hippie", pois foi cantado em prosa e verso pelos jovens e adolescentes das décadas de 70 e 80 que amavam a liberdade e a beleza da natureza.
Tavito ganhou seu primeiro violão aos 13 anos. Autodidata, começou a participar de serenatas e festas. Com os companheiros Milton Nascimento, Toninho Horta, Tavinho Moura e Nelson Ângelo fazia as vezes em show e encontros culturais na Belo Horizonte dos anos 60 e 70..
Além de cantor e compositor e músico, Tavito produziu discos de artistas como  Marcos Valle, Renato Teixeira, Selma Reis e Sá & Guarabyra. Passou um período sem realizar espetáculos: 1992 até 2004, época em que se dedicou às composições, arranjos e à publicidade.

Como outros grandes nomes da MPB, Tavito anda decepcionado com o mercado fonográfico atual, lotado de ritmos de sucesso momentâneo. Segundo ele, o que estão fazendo agora  é a banalização da arte musical.
O compositor mineiro marcou a vida de muitos jovens de Minas e do Brasil com a  sua "Casa no Campo" e "Rua Ramalhete". A primeira transmite um clima de muita paz e um tipo de saudade  boa, sem melancolia. A segunda, "Rua Raalhetes", é como um filme em que um colegial ou normalista de saia azul plissada e blusa branca passeia cheia de charme, inocente, juvenil. Algo lindamente belo! 

Mesmo já tendo passado dos 30 anos, a música que fala do famoso Colégio Sacre Coeur ainda encanta. Curtam Tavito. O som e o cara merecem!

Cena escolar

Manhã de ontem, numa conceituada escola de nossa cidade, de repente, duas garotas se engalfinham inexplicavelmente. A mais velha, de aproximadamente 15 anos, estava quase montada na amiguinha mais nova, esgoelando a pobre menina. As outras colegas a tudo viam. De repente uma teve a idéia de chamar a diretora do colégio, que a passos largos, de longe ainda, gritou: "Que que está havendo aí, vocês estão loucas? As lutadoras, se ouviram os gritos da diretora, não demonstraram, pois fizera ouvido de mercador. Já um pouco idosa, a diretora achou melhor pedir por socorro ao moço da cantina, que de pronto atendeu e  conseguiu apartar a violenta briga.
Na diretoria as duas garotas, descabeladas e de cabeça baixa, não queriam por nada falar o motivo de tão violenta briga. Depois de muito insistir, a diretora conseguiu que a menor, uma menina loira de aproximadamente 14 anos respondesse:
-Parti para cima dela porque ela me chamou de Bruna Surfistinha.

Tuna não apresentou nenhum reforço

Com as equipes adversárias se articulando com novas contratações, a força demonstrada por Cametá, Paysandu e Remo, sinceramente começo a ter preocupações com a Tuna no returno do Campeonato Paraense. A equipe dirigida por Flávio Goiano, na verdade não é das mais fracas. Basta ver seu histórico no Campeonato: terminou com 8 pontos, igual ao Cametá e foi a única equipe que jogou até melhor que o Mapará em suas hostes, pois insisto em dizer que se a Tuna não tivesse sido prejudicada pelo árbitro, teria trazido a vitória e quem estaria com a mão na taça seria a Águia do Souza.
Esta Águia quer um título!
Mas vamos e venhamos,temos que reconhecer que a equipe da Tuna mostrou uma impotência no seu ataque, marcando muito poucos gols, e isso deixou a galera cruzmaltina muito preocupada. Eu tenho acompanhado no dia-a-dia e o "Coach" Flávio Goiano não tem se manifestado para contratar nenhum novo atleta, o que desconfio que seja pela própria diretoria já ter decidido que não dá para trazer ninguém mais. Assim, com o grupo fechado, temo principalmente pelas partidas fora do Souza, pois além de quase todas as equipes terem contratado reforços, os juízes são muito "maldosos" com a Tuna. Deu bobeira, eles acertam na asa da Águia. Tentarei falar com Flávio Goiano para ver se ele tem novidades. Seria oportuno que a galera que quer ajudar a ganhar esse sonhado título se manifestasse a trazer mais um atacante ou um meio de campo para somar com os que estão lá, pois com a permanência de Felipe Mamão, com Fabinho e os outros que Goiano pode contar, somando a sua competência e a força de vontade do eleco, poderemos fazer melhor que na Primeira Fase. Este escriba está disposto a colaborar para que venha mais um para somar ao grupo de atletas cruzmaltinos. É a hora de pensarmos nisso.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Imitando o Cara

Um pensamentozinho tem rondado minha cabeça desde hoje cedo. Não sei se foi um sonho ou se é só coisa de pensamento mesmo. O fato é que estou com a leve (eu disse leve) impressão que o Obama está querendo imitar alguém. Nunca dantes neste planeta, viu-se um presidente americano ser tão simpático a um país latino americano. E não é que mister Obama foi até mais da conta? O Cara (vocês sabem quem é o Cara, não é?) na verdade não está muito preocupado com cópia, xerox e outras imitações, não. Porque ele é o Cara, o único  mesmo. Mas nós que sabemos que tudo que o Cara fez foi natural, espontâneo, porque conhecemos o Cara já há muito, de outros carnavais. Mas o Obama quebrar protocolo, bater bola com a criançada, tirar fotografia com filha de politico e ainda vestir a camisa do mais Querido do Brasil. Sei não. Será que ele não está querendo ensaiar uma de Lula pelos lados de lá? Aviso aos navegantes e ao Obama:  O Cara, ou Lula só existe um. Apenas um. O resto é só inveja.

O presidente dos EUA e a cultura brasileira

Para mim foi um grande  surpresa o presidente americano, Barack Obama, conhecer e gostar da obra literária de Paulo Coelho, do filme "Orfeu Negro" -concebido a partir da peça teatral-musical "Orfeu da Conceição", escrita por Vinícius de Moraes e dirigido por Marcel Camus- e ainda  da obra musical de Jorge Benjor.  As obras, todas concebidas por autores  reconhecidos no Brasil e no exterior,  apesar de diferentes campos da arte, retratam bem o Brasil e duas delas especialmente, mostram o Brasil do negro, do mulato, do favelado, do carnavalesco, enfim, o Brasil brasileiro. Tanto falando de nossos valores culturais, de nossas belezas, da histórica e bonita vida de lutas de nossa presidenta Dilma, acho que Obama conseguiu convencer a quem era importante para ele. Trocando em miúdos, foi positivo. Torço para não ter sido tudo demagogia, porque eles -os americanos- não sao muito de nos elogiar, não. Ao contrário, gostam é de discriminar. E sempre -sempre mesmo!- se dar bem.
Sobre Paulo Coelho,  citado por Obama, escritor de talento mas que seguiu o caminho da auto-ajuda, o que se pode dizer é que é um grande ficcionista, reconhecido no mundo inteiro, onde se tornou  best seller com vários de seus livros. Sua primeira grande obra (talvez a que Obama tenha lido e ficado empolgado", foi "O Alquimista", livro que juntamente com "Deus Negro", fez a cabeça de muitos jovens nas décadas de 70 e 80.  Obama deve ter sido um deles. Coelho foi também, na juventude, compositor e parceiro maior de Raúl Seixas.
Sobre "Ofeu Negro", filme baseado na peça musical "Orfeu da Conceição", escrita em 1954, baseada na mitologia grega Orfeu e Eurídice, tenho que parabenizar o Presidente e sua mãe pelo bom gosto. A idéia  princípio foi discutida nos bares da vida do Rio antigo, quando Vinicius, Tom Jobim e outros envolvidos no de trabalho não eram ainda grandes referências da Música Brasileira. O projeto musical concebido por Vinícius de Moraes envolveu muitos artistas de teatro e cantores, e além do texto,  transportado para um cenário de época nos morros cariocas, trazia composições de Antonio Carlos Jobim e Luiz Bonfá, um dos melhores violões que o Brasil já teve. A peça estreou em 1956 no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, o mesmo local onde Obama, ontem,  se rendeu ao talento e a democracia de nosso país.
Com o acordo fechado com o cineasta francês Marcel Camus, numa produção franco-ítalo-brasileira, a peça teve que mudar de nome para "Orfeu negro". No filme, nomes famosos como o fantástico  cantor Agostinho dos Santos, que foi o intérprete da música principal "Manhã de Carnaval", de Tom e Vinicius. "Orfeu Negro" foi melhor filme estrangeiro de 1959, mas o prêmio não veio para o Brasil, já que a produção tiha três pátrias. Mas foi importante, por isso ganhou uma nova repaginação em 1999. Esse novo, talvez Obama não tenha visto, mas é também um bom filme.
Competência de Dilma impressionou Obama
Sobre Jorge Benjor, conhecido por seus amigos desde a juventude como "Babulina", tem-se muito a dizer. Surgiu no iníco da década de 60, com a musica "Chove chuva", até hoje executada. Com uma batida de violão diferente, e um estilo vocal meio malandro, com pronúncias fechadas, colocando um  jeito coloquial de cantar que deu um  charme na voz, como por exemplo em vez de "você", pronunciava "voxê",  Benjor deixou a princípio todos embasbacados com a excêntrica criatividade, já que o período era de Bossa Nova e  do fraco iê,iê,iê. Alto, magro, canarvalesco, amante da Escola de Samba Salgueiro, Jorge Ben (era assim seu nome), mudou para Benjor por causa dessas invecionice numerológicas que muitos acreditam. "País Tropical", a  música bastante conhecida e até recitada um pedaço por Obama foi inicialmente gravada por Wilson Simonal, na década de 70. Sua letra, tipo uma "aquarela do Brasil" mais moderna é uma brincadeira de Benjor enaltecndo o Brasil e suas coisas, embora o período fosse o de "chumbo". Faz parte de uma série de músicas apológicas e até ufanísticas que Benjor fez enaltecendo o Brasil, o Flamengo, o Salgueiro, São Jorge e até a "Pedra de esmeralda".
Para nós brasileiros é importante que nossa cultura, seja literária, cinematográfica, musical seja conhecida, difundida e valorizada no mundo inteiro. Gosto sempre de frisar que não me empolgo (porque não gosto mesmo) com os EUA. Mas achei interessante que o presidente americano tenha feito referência aos três grandes fatos marcantes em sua vida envolvendo o Brasil. Não sou também brasileiro muito ufanista, mas devo dizer que  adoro meu País, como adoro meu Estado. O que o presidente americano falou no Municipal do Rio foi muito importante para nós. Pode até ter mentido, puxado nosso saco, mas que foi bom, isso foi. A Dilma também gostou muito.