quarta-feira, 20 de junho de 2012

Erundina fora: "Eu já sabia".

Como nas placas de jogos após o resultado, "eu já sabia" que a Luiza Erundina  -talqualmente este escriba pensa- não aceitaria ser vice do candidato a prefeito do PT, Fernando  Haddad, com o Maluf apoiando a chapa. E tem razão a ex-prefeita de São Paulo e deputada Erundina. É muita "dose de açúcar para qualquer diabético", ter que aturar um elemento nocivo como Paulo Maluf de seu lado!
Não sou purista, não sou dirigente do PT, mas como militante, inclusive até já meio dinossauro do Partido dos Trabalhadores, não vejo com bons olhos esse apoio ( para mim nocivo) de Paulo Maluf à candidatura petista. E faço até questão de não entender as explicações de alguns "capas pretas" sobre a questão dos minutos a mais na TV que esse horrível acordo gerou. Não engulo Maluf e pronto!
É sabido que o PSDB tentou de todas as maneiras cooptar o Maluf para seu lado. Serra articulou o quanto pode, mas deu em nada.
Mas peraí, gente, o PSDB é o tucanato, e sua história não tem nada a ver com o histórico do PT.
Embora com todo o fuzuê formado dentro do PT e entre a própria militãncia, a saída de Luiza Erundina, Assistente Social com um grande trabalho na periferia de São Paulo e uma ex-prefeita considerada pela população carente e até pelas elites, onde foi bem votada nas últimas eleições, por incrível que pareça não gerou o problema que eu, particularmente, imaginei que geraria. O próprio partido de Erundina, o PSB, e até mesmo a deputada ex-candidata a candidata, já se prontificaram a continuar dando apoio a Haddad.
Já para a vaga de vice do PT, ao que se sabe o PC do B, que é menos exigente que Erundina, já declarou que tem no bolso do colete de seu presidente o nome de uma candidata e aceita até retirar a candidatura do cantor de pagode Netinho, que estava doidinho pra ser o representante dos comunistas para a prefeitura de São Paulo.
Pelo sim, pelo não, vamos esperar para ver no que vai dar. Paciência tem limites. Existe a decepção, agora é esperar que a emenda não saia pior que o soneto.

13 comentários:

  1. "Companheiro Maluf?

    ANA LUIZA, PRÉ-CANDIDATA A PREFEITURA DE SÃO PAULO

    • A aliança anunciada pelo PT com Paulo Maluf para ganhar a Prefeitura de São Paulo é um verdadeiro escândalo. As fotos de Maluf e Lula, com Fernando Haddad, causaram indignação e espanto até nos maiores defensores dos governos do PT.
    A ex-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina (PSB), vice de Haddad, foi obrigada a reconhecer que a “situação é muito constrangedora” e, no dia seguinte, anunciou que desistiria de sair na chapa com o petista. O que causou ainda mais constrangimento a muito petista enrubescido. Seu partido, porém, vai seguir na aliança Haddad-Maluf.

    Paulo Maluf representa o que há de mais odioso e atrasado na direita brasileira. Foi o prefeito “biônico” da ditadura e colaborou na perseguição aos ativistas políticas que lutaram contra o regime militar. Depois se tornou o governador do estado, pela ARENA, partido da ditadura. Neste período, reprimiu as primeiras manifestações pela redemocratização do país, além de criar a ROTA para assassinar o povo pobre nas periferias.

    Símbolo da “vergonha nacional”, como dizia Lula no passado, Maluf esteve envolvido em incontáveis escândalos e casos de desvios de verbas. Chegou a ser preso em 2005, mas só ganhou liberdade graças as suas relações com os ricos e poderosos. Seu nome está na lista vermelha da Interpol. Se a justiça brasileira fosse séria, Maluf estaria na cadeia.

    Mas a aliança do PT com Maluf só pode ser explicada pela completa descaracterização desse partido. O PT símbolo da luta operária contra a ditadura acabou faz tempo, já é parte do passado. A adaptação à democracia dos ricos transformou o partido trouxe também a utilização dos mesmos métodos de corrupção e alianças dos partidos burgueses e o vale tudo se transformou em palavra de ordem. Isso explica toda a corrupção escancarada pelo caso do bicheiro Cachoeira, a aliança com Collor, Renan Calheiros, Sarney...

    Assim, o “novo” – supostamente representado pela candidatura Haddad – já é o velho. Até agora, o maior feito do ex-ministro da educação foi conseguir uma das maiores greves de professores das universidades federais que travam uma luta heróica contra a precarização do ensino superior.

    Haddad e Serra vão apresentar o mesmo programa nestas eleições, além de soluções milagrosas para resolver todos os problemas sociais. Nós vamos mostrar o outro lado da cidade, o lado dos trabalhadores pobres e da periferia. Vamos mostrar como é possível enfrentar gravíssimos problemas sociais como educação, saúde e transporte desde que enfrentemos o domínio das grandes empresas. Vamos defender o programa socialista, aplicado aos problemas concretos da vida das pessoas. A cidade não deve ser dos ricos, São Paulo é para os trabalhadores".

    ResponderExcluir
  2. Compadre,


    Eis onde chegou a eticidade da direção petista:

    "MALUF

    O coordenador da campanha, vereador Antonio Donato (PT), disse que a definição da chapa será adiada até que a coligação esteja definida. "Após a consolidação desse arco de alianças é que discutiremos a questão da vice."

    Ele defendeu a aliança com Maluf, que irritou militantes petistas. "Aparentemente é uma contradição, não vou negar isso", disse. "Quem está no jogo precisa jogar o jogo que existe, não o de um mundo ideal que não existe."

    Sobre o fato de o ex-prefeito ser procurado internacionalmente pela polícia, ele disse: "Quem cuida da ficha na Interpol é a Justiça e o Ministério Público, não sou eu."

    O que dizer? E aquele velho discurso sobre a ética? Indignar-se é pouco!

    Veja que antes o arco de aliança se cingir aos candidatos éticos de tais e tais partidos?

    Amanhã o que farão em nome de uma disputa do poder formal?


    Saudações socialista!

    Laerço

    ResponderExcluir
  3. eu já tenho três fotos aqui em casa bem guardadas: Lula e Jader Barbalho, Lula e Sarney e agora Lula e Maluf....

    Flávio Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça um excelente proveito com elas. Eu faço questão de nem olhar par essa nojeira. Mas uma coisa eu garanto: Lula pode até se deixar fotografar com esses larápios facistóides, mas é íntegro, e até que provem em contrário é um senhor gestor. Pena que na poítica -como falou Gerson Peres- até boi "avôa".

      Excluir
  4. me diz com quem andas que eu te direi quem és.....

    Flávio Oliveira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sentido, lamentavelmente. Agora, é esperar que pelo menos duas coisas não aconteçam: o programa do PT mude para a gestão em São Paulo e que o tal elemento aluf não "cisme" de querer apaecerna propaganda.
      P.S.: se o caro navegante prestar atenção ao texto, eu coloco que "Paciência tem limites". Continuo no PT, mas tenho muitas críticas a determinadas situações.

      Excluir
  5. Laerço S. Bezerra21 de junho de 2012 08:02

    Meu compadre,

    Como diz a Ana Luiza: Assim:

    "O “novo” – supostamente representado pela candidatura Haddad – já é o velho. Até agora, o maior feito do ex-ministro da educação foi conseguir uma das maiores greves de professores das universidades federais que travam uma luta heróica contra a precarização do ensino superior".

    E mais uma vez Ana Luiza:

    "Haddad e Serra vão apresentar o mesmo programa nestas eleições, além de soluções milagrosas para resolver todos os problemas sociais. Nós vamos mostrar o outro lado da cidade, o lado dos trabalhadores pobres e da periferia. Vamos mostrar como é possível enfrentar gravíssimos problemas sociais como educação, saúde e transporte desde que enfrentemos o domínio das grandes empresas. Vamos defender o programa socialista, aplicado aos problemas concretos da vida das pessoas. A cidade não deve ser dos ricos, São Paulo é para os trabalhadores".

    Saudações do seu companheiro que há muitos tempo chegou ao limite, por isso honrosamente foi expulso por defender corajosa e inicialmente como o grupo de companheiro a campanha do "FORA COLLOR".

    Atenciosamente,

    Laerço S. Bezerra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualé, camarada! Nós do PT que puxamos isso. Pare de variar. Vocês não foram expulsos por isso, por favor, pare de discurso. A situação -que eu não defendo, pois acho que expulsão é meio ditatorial- foi outra. Bem diferente.

      Excluir
    2. Acho que o PT de SP pisou na bola. Poderia fazer aliança com outros, menos com o MALuf. Sendo assim, creio que o Chalita leva essa no segundo turno.

      Excluir
  6. Laerço S. Bezerra21 de junho de 2012 11:19

    Meu compadre,


    Aí eu te digo que estás redondamente enganado. Para refrescar tua memória, faço um breve relato dos fatos políticos do ano de 1992:

    - Em seu editorial, o jornal Convergência Socialista chama o “Fora Collor e o FMI!”. Esse jornal foi distribuido em todas as convenções municipais nas quais a CS participou.

    - Em fevereiro – Com 15% de popularidade, Collor já não consegue governar sozinho. Patrões atraem lideranças sindicais para o pacto social;

    - 6 de abril – A Executiva do PT expulsa a Convergência Socialista. Na resolução, o então secretário-geral José Dirceu aponta, como uma das faltas graves da CS, o desenvolvimento de uma “ação de rua e tática de oposição ao governo”. Ou seja, a campanha pelo Fora Collor.

    - Junho – Expulsa do PT, a CS chama a formação da Frente Revolucionária. A CS e dezenas de organizações e coletivos da Frente fazem um chamado aos ativistas: desafiar a Articulação a transformar a indignação das massas em ação pelo Fora Collor e Eleições Gerais!

    - Julho – CS apresenta candidatos pela legenda do PT.

    - 14 a 16 de agosto – As maiores mobilizações de rua desde as Diretas Já exigem Fora Collor! No Rio, mais de 30 mil gritam em coro: Ai, ai, ai, ai, se empurrar o Collor cai.

    Lembro ao compadre que na convenção municipal que escolheu o Humberto Cunha a prefeito de Belém, realizada no campus da UFPA, a Convergência Socialista distribuiu o Jornal Covergência Socialista com a manchete:"Fora Collor".

    Podes consulta a Resolução petista sobre a expulsão da CS. Consulte também companheiros que estiveram naquela convenção municipal de 1992.

    Agora, não podes ou não deves desqualificar as imformações com base no teu sentimento petista. Eu posso provar o que digo. Podes provas que não foi a CS a primeita corrente petista a puxar a campanha do "Fora Collor"?

    Pois bem, quero dizer que não estou discursando, não estou variando; estou, isso sim, resgatando uma verdade histórica.

    Por fim, retornando a discussão de fundo, a capitulação petitas ao projeto democrático-burguês não iniciou agora com a aliança com o Maluf, iníciou na conquista dos primeiros mandatos eletivos no legislativo e no executivo.

    Saudações,


    Laerço S. Bezerra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando foi puxado o Fora Collor não foi a CS, mas quase todas as correntes petistas. Pode-se tirar desse contexto somente uma corrente. Você sabe disso.
      E mais uma vez estás equivocado. Não foi por afinar o Fora Color que a CS saiu do PT. Como poderia, se o partido em peso foi ás ruas, juntamente com o PC do B? Essas informações que o jornal da convegência coloca, sempre dirigidas, não servem muito de base. Gostaria, já que dizes que provas, que mostrasses o documento (contanto que não seja um "exclusivo" da CS ou do PSTU).
      Essa história de "mandato democrático-burguês" é muito relativo. É preciso ver como a vida das pessoas mudou nesse "mandato democrático-buguês".
      Se o caro compadre e companheiro quer essa revolução comunista, acho que onde e como você está não vai conseguir dar sequer "um tiro de espoleta". Acho que é o PSTU, como a Convergência, tendência trotskista, precisa usar os métodos que prega, que são quase que somente os discursos, mas agindo na prática. Queria ver, "in loco", o trabalho político, intelectual e de campo seu e de seus companheiros do PSTU para eu também ser convencido a entrar nesse partido e conseguir o sonho da revolução comunista ou socialista.
      O trabalho intelectual, a dialética, são coisas fáceis de trabalharmos. Os companheiros se foram, deram realmente a vida, e os "alguns" que estao gritando para ninguém ouvir, estão ricos, bem empregados, vivendo suas vidas, com filhos em escolas particulares, viajando pelo país, pelo mundo em seus carros e com suas roupas de grifes, despreocupados de tudo.
      Conheço essa discussão, que participo desde os 16 anos junto a ela (e com ela) passaram Brizola, Arraes, Julião, Prestes e outros e não saimos do lugar. Como hoje não tenho mais sonhos de militar em um PT revolucionário, como começou, me satisfaço pelo menos com o sonho de ajudar ao meu país a ter um governo de esquerda (não tanto, mestre!), mas que proporciona melhores dias para os mais humildes, principalmente.
      Resumindo, é melhor estar no PT, mesmo engolindo o que o nobre amigo sabe que eu e outro engolimos, do que deixar nas mãos de uma direita reacionária, cheia de ladrões, corruptos e inimigos dos pobres, como é o PSDB e o DEM, principalmente. Não defendo a atitude de Lula e Haddad, insisto para você, mas não posso ser hipócrita de achar que o PSDB continuando, como vem acontecendo em São paulo, a coisa vai melhorar.
      Se o companheiro -ou seu partido- tem os métodos modernos de fazer a revolução (sem ser aquele suicídio do PC do B), eu topo abrir mão de tudo que construi até o presente e ir à luta para a mudança radical do país. O resto, podes crer, é pura perfumaria.

      Excluir
  7. Laerço S. Bezerra21 de junho de 2012 18:50

    Compadre,


    É fato, no âmbtio do PT, primeiro a CS, depois das mobilizações ganharam as ruas o PT defendeu o "Fora Collor".

    Repito na Resolução de expulsão da CS, o então secretário-geral José Dirceu aponta, como uma das faltas graves da CS, o desenvolvimento de uma “ação de rua e tática de oposição ao governo”. Essa tática de oposiçao ao governo era a campanha do "Fora Collor".

    Concordo contigo quando caracterizas o DEM como ladrões, corruptos e inimigos dos pobres. No entanto, meu compadre, o teu partido oficializou hoje a aliança com os DEMônios de São Luis (MA).

    É meu compadre, o vale tudo petista não tem limites. Aliar-se com os ladrões, os corruptos e inimigos do povo. Que partido de esquerda é esse? Aliança com os inimigos do povo.

    O que fica neste debate é a tua frase: "...hoje não tenho mais sonhos de militar em um PT revolucionário...". Isso explica tudo.

    Atenciosamente,

    Laerço

    no

    ResponderExcluir
  8. Laerço S. Bezerra22 de junho de 2012 06:12

    Meu compadre,


    "...hoje não tenho mais sonhos de militar em um PT revolucionário...".

    Ontem refleti sobre essa frase. Acredito que ela esclarece o teu estado de espirito.

    Como pode um militante histórico dizer que não tem mais sonhos, em troca da ilusão de poder? Como aceitar que outros, seja ele quem for, relativize em seu nome os seus conceitos de moralidade, de seriedade, de honestidade?

    Essa tua frase, para mim emblemática, permita-me dizer com todo o afeto que tenho por ti, é um ato declaratória de derrota politíca.

    Tentei lembrar de alguma citação que pudesse resgata de ti o sonho, a utopia de um mundo melhor. Lembrei que numa entrevista ao Canal Brasil, o Eduardo Galeano, citando Fernando Birri, assim definiu a utopia:

    "A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar"

    Aos 50 anos incompletos ainda sonho, tenho a minha utopia. Pode ser que não veja os meus sonhos se realizarem, mas acredito que as futuras gerações poderão viver no mundo sem patrões, sem explorações, como nos versos da Internacional.

    Nada mais tenho a dizer.


    Saudações,


    Laerço

    ResponderExcluir