terça-feira, 6 de setembro de 2011

A beleza de "A Doce Vida"

A Fonte de Trevi, onde aconteceu bela cena de "A Doce Vida"
Na Mostra de Cinema Italiano, que faz parte da XV Feira Pan-Amazônica do Livro, o Cine Oi Estação mostra hoje a Sessão Federico Fellini, um dos maiores cineastas italianos de todos os tempos, com dois grandes filmes, o primeiro deles "Satyricon" e o segundo na minha visão sua maior obra, "La Dolce Vita", película premiadíssima e que mostra um Fellini passando sua temática cinematográfica do neo-realismo para o simbolismo. O filme começa às 20,30h, e a entrada é gratuita.
O filme passa-se em Roma e mostra a história do jornalista Marcello Rubinni, vivido pelo genial ator Marcello Mastroianni. Rubini é especializado em histórias sensacionalistas com pessoas famosas, tipo cantoras,  estrelas de cinema, ou na exploração de casos religiosos.  Outro assunto que o persoangem de Mastroianni gosta muito é de falar da aristocracia decadente. No filme ele passa a cobrir a visita da atriz hollyoodiana Sylvia Rank, vivida por Anita Ekberg,  por quem fica fascinado.
Fellini mostra, através do personagem Marcello Rubini,  uma Roma moderna, sofisticada, mas decadente, com os sinais da influência americana. O repórter é um homem meio irresponsável,  sem compromisso, que se relaciona com várias mulheres: a amante ciumenta, a mulher sofisticada em busca de aventura, e com Sylvia Rank,  a atriz de Hollywood com a qual ele passeia por Roma. Um dos pontos altos do filme é  a famosa sequência da "Fontana de Trevi".
Dentre os momentos mais importantes do filme, está aquele na qual duas meninas atraem uma multidão, ao fingirem ver uma aparição da Virgem Maria nos subúrbios de Roma. Quando o personagem Steiner, um intelectual colega de Marcello, que vive com a sua família numa aparente harmonia, comete o assassinato dos seus próprios filhos (um casal de crianças) e se suicida em seguida. Após a morte de Steiner, Marcello embarca numa vida de orgias e, numa destas ocasiões, pela manhã, caminha pela praia em busca de um monstro marítimo morto, o final simbólico do filme.
"La Dolce Vita" ganhou vários prêmios internacionais, dentre os quais o Oscar de Melhor Figurino. Foi indicado ao oscar de Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Direção de Arte. No Festival de Cannes (França) ganhou a Palma de Ouro de 1960. Em "La Dolce Vita", tamb´pem a presença do ator Lex Barker, que fez muitos filmes como Tarzan,  e Walter Santesso, que faz o papel do "Paparazzo" que trabalha com o jornalista Marcello Rubinni.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário